Economia

BM-Prevenção de conflitos violentos salva vidas e dinheiro

Com o deflagrar de conflitos em todo o mundo, surgem abordagens que podem poupar vidas e dinheiro—até US$ 70 bilhões por ano.

WASHINGTON, 1º de Março de 2018 —A prevenção de conflitos violentos salva vidas e dinheiro—até US$70 bilhões por ano em média, de acordo com um estudo publicado hoje pelo Banco Mundial e as Nações Unidas.

O novo estudo Caminhos para a Paz (em inglês, Pathways for Peace): Uma abordagem inclusiva para evitar conflitos violentos, o primeiro relatório sobre a prevenção de conflitos preparado em conjunto pelo Banco Mundial e pelas Nações Unidas, diz que o mundo deve focar a atenção na prevenção da violência como um meio de obter a paz. A chaveé identificar os riscos precocemente e trabalhar em estreita colaboração com os governos para reforçar a inclusão e melhorar a resposta a esses riscos.

É cada vez mais claro que os conflitos violentos são um dos maiores obstáculos para eliminar a pobreza“, disse Jim Yong Kim, Presidente do Grupo Banco Mundial. “Os conflitos têm impacto sobre um número cada vez maior de pessoas nos países, mas não se confinam às fronteiras nacionais, e os seus efeitos de transbordamento podem pôr em perigo regiões inteiras e constituem riscos mundiais. Evitar os conflitos violentos é um dos mais críticos desafios ao desenvolvimento no nosso tempo, e que exige mais recursos, abordagens inovadoras e uma intensa colaboração entre os parceiros internacionais”.

Desde 2005, as mortes resultantes de batalhas aumentaram 10 vezes, tendo atingido o valor mais elevado em 2015. Apenas entre 2010 e 2016, o número de civis mortos em conflitos violentos duplicou. Os conflitos violentos também levaram um numero recorde de pessoas a abandonarem suas casas. Estima-se que existam atualmente 65,6 milhões de pessoas deslocadas internamente ou refugiadas. As crianças constituem mais de metade da população mundial de refugiados.

Estima-se que os conflitos globais possam custar até $13,6 biliões por ano globalmente, um número equivalente a 13,3% do produto interno bruto (PIB) mundial. A recuperação após os conflitos pode demorar várias gerações. O relatório Caminhos demonstra que a prevenção tem uma boa eficácia de custos e salienta três cenários de poupança de custos que vão desde US$5 bilhões a quase US$70 bilhões anualmente.

Atualmente, as despesas feitas na prevenção representam apenas uma fração das despesas feitas na resposta a crises e nos esforços de reconstrução. Investir no desenvolvimento inclusivo e sustentável e reforçar os esforços diplomáticos e de segurança – levando em conta as desigualdades e a exclusão, que são a causa frequente de conflitos -, poderia reduzir significativamente os custos, de acordo com o relatório.

Os conflitos violentos são atualmente a maior causa da pobreza. Em 2030, mais de metade dos pobres de todo o mundo viverão em países afetados por elevados níveis de violência. No entanto, o relatório sublinha que os conflitos ocorrem tanto em países com rendimentos baixos quanto médios e que os rendimentos e a riqueza não são uma garantia contra a violência.  Também faz um conjunto de recomendações para políticas e passos específicos que podem ser adotados para resolver conflitos sem violência. Essas recomendações incluem: abordar precocemente os riscos; promover a participação das mulheres e dos jovens; e mudar para políticas mais inclusivas, que garantam um acesso mais igual aos recursos naturais, serviços básicos, segurança e justiça.

O estudo Caminhos conclui que os países que têm mais sucesso mobilizam sociedade civil, grupos de mulheres, comunidades religiosas e o setor privado para que deem incentivos para promover a paz e gerir as tensões.Também fazem reformas para reforçar as bases das suas instituições e torná-las mais inclusivas.

O relatório solicita que seja feita uma revisão urgente dos incentivos que os atores nacionais, locais e internacionais têm para agirem precocemente e de forma colaborativa para construírem uma paz sustentável, notando que a prevenção de conflitos violentos apenas pode ser alcançada por meio de uma parceria total entre os integrantes da sociedade nas frentes domésticas, do desenvolvimento, diplomática e de segurança.

Para ler o relatório completo, por favor, visite o site www.pathwaysforpeace.org

Contatos:

Em Washington: Kristina Nwazota, (202) 473-9219, knwazota@worldbank.org

Em Nova Iorque: Kensuke Matsueda, (917) 367-5418, matsueda@un.org

Para pedidos de difusão: Huma Imtiaz, (202) 473-2409, himtiaz@worldbankgroup.org

Website: www.worldbank.org/fcv

Comunicado à imprensa

2018/109/FCV

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo