Economia

Téla Nón em N´djamena – Comité de Peritos de África-Central reunido no Chade

Sala de reunião do hotel Radisson Blu, na capital chadiana, Ndjamena, acolheu esta terça-feira, com início às 14h:00, a cerimónia de abertura da 34ª Reunião do Comité de Peritos Intergovernamentais de África Central, presidida pelo Secretário de Estado para a Economia, Issa Sougoumi.

Com o propósito de examinar e promover o progresso socioeconómico na região, tirando partido das possibilidades de intensificação da mobilização de recursos financeiros para o apoio à industrialização e acelerar a transformação económica da África Central, arrancou esta terça-feira (18) os trabalhos da 34ª Reunião do Comité de Peritos Intergovernamentais de África Central, que durante quatro dias, 18-21, reunirá na capital chadiana, uma variada gama de interveniente de alto nível, entre entidades governamentais, representantes dos principais organismos regionais (CUA, CEMAC, CEEAC, etc), actores do sector privado (entre utilizadores e fornecedores de instrumentos financeiros para a industrialização), parceiros de desenvolvimento bilateral e multilateral (com o BAD, Banco Mundial, etc), altos funcionários de organização do sistema das Nações Unidas, a Sociedade Civil e Académicos e intervenientes do sector Universitário, para discutir o mecanismo, que visa reforçar a vontade de colocar os governos e os parceiros no centro da operacionalização do programa de industrialização da região da África Central.

O evento que celebra em 2018, 60 anos da sua existência, vai permitir a harmonização do objectivo da África Central de realização dos objectivos da Agenda 2030, para um desenvolvimento sustentável (9º Objectivo do Desenvolvimento Sustentável, ODS) e da Agenda 2063 para a transformação das economias africanas (4º ODS).

Para atingir os propósitos preconizados para esta edição, o evento decorrerá em reuniões plenárias e trabalhos de grupos restritos sobre o grande tema “ Financiamento da Industrialização da África Central”, e contará sempre com uma apresentação inicial, seguida de debate sobre os seguintes documentos:

  • Financiamento da industrialização da África Central;
  • O papel do sector financeiro: limites e oportunidades;
  • Maximização do papel do sector público e privado: da retórica;
  • Reforço do ambiente financeiro regional para a promoção do comércio transfronteiriço e concentração/aglomeração industrial;

E por fim, uma reunião de peritos, dedicada ao debate sobre um documento de reflexão intitulado “Ambiente Político e ambiente orçamental para o reajuste orçamental e transformação estrutural da África Central”.

O encontro que cumpriu o seu primeiro dia, esta terça-feira, foi inaugurado pelo Secretário de Estado para a Economia, Issa Sougoumi, em substituição do titular da pasta de Economia, que na sua locução, em nome do presidente e do povo do Chade, começou para dar boas-vindas aos demais convidados e felicitar comissão organizadora por ter escolhido o Chade como o país anfitrião. Em seguida, considerou de muito importante a reunião, que servirá como um espaço de aprendizagem.

“ É um intercâmbio muito importante que permitirá a troca de experiência entre os participantes, de modo a melhorar as respectivas políticas e estratégias de industrialização”.

Já por sua vez, o Director do Escritório Regional da Comissão Económica das Nações Unidas para a África Central, António Pedro, aproveitou para contextualizar o auditório que a escolha do tema vem na sequência do consenso chegado na reunião passada, que teve como sede, Douala, Camarões.

Pedro acrescentou ainda que o financiamento da industrialização da África Central é uma das problemáticas que se deve resolver para conquistar o ritmo da integração na sub-região, alongando que a mesma não afecta somente a região, mas sim, toda a África.

Por fim, o presidente cessante do Comité Peritos Intergovernamental, Isaac Tamba, começou por agradecer a confiança depositada para assumir o cargo, despedindo com o sentimento do dever cumprido.

Tamba, que discursava pela última vez como presidente do organismo, considerou de extrema importância o tema em debate, acrescentando que devemos tirar o proveito dos nossos recursos do subsolo, como o petróleo, que esta manhã estava ao redor de 70 dólares por barril.

Devemos tomar estas oportunidades para continuarmos a debater e para termos um financiamento que sirva para ajudar a fomentar uma política de industrialização”, reforçou-o.

Recorde-se que São Tomé e Príncipe está representado na Reunião, que estende até sexta-feira, 21, por dois técnicos, Bernardo Agostinho (Ministério das Finanças e Economia Azul) e Charles Género (Ministério das Públicas, Infra-estruturas, Recursos Naturais e Meio Ambiente).

Os trabalhos continuam esta quarta-feira, com abertura às 9h00.

Enviado especial do Téla Nón – Martins dos Santos

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo