Economia

30 quadros formados em hotelaria e turismo

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Grupo Pestana, Fundação Alentejo e Governo de São Tomé e Príncipe formam 30 quadros em Hotelaria e Turismo. Estima-se que a formação resulte numa taxa de empregabilidade superior a 75%.

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), o Grupo Pestana, a Fundação Alentejo e o Governo de São Tomé e Príncipe entregaram ontem os diplomas de final de curso aos alunos que terminaram a formação em Hotelaria e Turismo resultante de uma parceira estratégica entre as quatro entidades.

A cerimónia decorreu no Hotel Pestana, na cidade de São Tomé, onde 30 formandos receberam os diplomas que marcam a realização, com sucesso, de sete meses de formação profissional nos cursos para Técnicos de Restaurante/Bar e para Rececionistas. Cinco outros formandos receberam um certificado de frequência, num total de 35 jovens envolvidos.

A criação de sinergias entre instituições portuguesas e os Ministérios da Educação, Ciência, Cultura e Comunicação, e do Emprego e Assuntos Sociais de São Tomé e Príncipe resultou na formação de profissionais que já estão neste momento a estagiar em 11 unidades hoteleiras e de restauração do arquipélago.

Como refere Vasco Rato, Presidente da FLAD, “este foi um projeto de êxito singular, que reuniu várias entidades da sociedade civil portuguesa em articulação com autoridades públicas são-tomenses”. No caso da FLAD, tratou-se também de mais uma actividade do abrangente programa de cooperação FLAD África, que obteve um investimento de 25 mil euros. “A aposta na capacitação de jovens são-tomenses no sector do Turismo é um factor de orgulho”, resume Vasco Rato.

Também Fernanda Ramos, da Fundação Alentejo, caracteriza esta parceria como “um enorme sucesso”. Para a Presidente da Fundação Alentejo, o trabalho desenvolvido “demonstrou como a colaboração estreita, comprometida e generosa entre entidades formadoras e entidades empregadoras pode resultar em mais-valias muito concretas”.

Fernanda Ramos acredita que a Fundação a que preside – e que tem uma larga experiência na área da formação profissional – contribuiu para “melhorar a qualidade dos serviços turísticos prestados em São Tomé e Príncipe”.

Já Pedro Martins, do Pestana Hotel Group, salienta que valorizar e capacitar os recursos humanos é “determinante” para o futuro de São Tomé e Príncipe enquanto sociedade e destino turístico emergente. “Exige-se uma aposta continuada e eficaz na formação e desenvolvimento das profissões do Turismo, pois num ambiente global tão competitivo e transparente, apenas criando soluções de formação de qualidade, podemos esperar competir com outras unidades hoteleiras e com outros países”, diz Pedro Martins.

A formação profissional decorreu ao longo de sete meses, durante mais de mil horas de aulas, e estima-se que resulte numa taxa de empregabilidade final superior a 75% do conjunto dos formandos.

Fonte : FLAD 

    1 comentário

1 comentário

  1. Clemilson brasileiro

    7 de Outubro de 2018 as 13:40

    Com certeza vão pagar salários muito baixos para esse pessoal ?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo