Economia

Projecto “Empreende Jovem” dá asas à iniciativa empresarial da juventude de STP

O projecto empreende jovem financiado pelo PNUD- Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento está a lançar as bases para a promoção de iniciativas empreendedoras da juventude santomense de forma sustentável.

Pelo menos 12 empresas que operam no sector do turismo, e 27 jovens com iniciativas empresariais, foram seleccionados para beneficiar de ajuda financeira que permite a execução dos respectivos projectos de desenvolvimento de actividades económicas.

No grupo das 12 empresas que operam no sector do turismo, foram premiados projectos que vão contribuir para a retoma do sector do turismo paralisado há cerca de 1 ano, por causa da pandemia da Covid-19.

A empresa VANHÁ LDA, que há 12 anos se dedica a agricultura e a transformação dos produtos locais, pretende elevar as suas actividades para o agro-turismo. O turismo rural no sul de São Tomé, mais concretamente na região de Porto Alegre, é uma aposta que conta com o patrocínio do PNUD e de outros parceiros internacionais envolvidos no projecto “Empreende Jovem”.

Delicia Loloum gerente da empresa VANHA, detalha as acções a serem desenvolvidas. «O apoio do programa irá permitir a construção de uma unidade de hospedagem no meio das plantações de baunilha, Xaléla e outras plantas aromáticas, proporcionando aos visitantes uma nova experiência de estadia rural no extremo sul do país», afirmou a gerente da empresa VANHÁ.

Formação e orientação empresarial aos jovens é a principal vertente do projecto,  que premiou 27 jovens santomenses com financiamentos para execução das suas iniciativas empresariais.

Camilo Martins, é um dos jovens beneficiários do apoio técnico e financeiros do “Empreende Jovem”. «O Meu negócio consiste na produção e criação local de pintos e aves de várias espécies. Com essa formação do Empreende Jovem já vendi a minha antiga incubadora e comprei uma nova com capacidade para 1056 ovos. Espero com esse apoio aumentar a minha produção em média de 2 mil e 500 pintos em cada 35 dias», afirmou.

O jovem pretende contribuir para dar autonomia ao país, na produção de carne de frangos.

Aos poucos o PNUD com apoio de outros parceiros internacionais ajuda São Tomé e Príncipe, a resolver o problema do emprego e de geração de renda de forma digna.

«O desenvolvimento e consolidação da cultura empreendedora  poderá levar algum tempo, muito trabalho e recursos materiais, humanos e financeiros. Mas temos a consciência de que a base está criada e que ela é sólida», assegurou Katarzyna Wawiernia, representante do PNUD em São Tomé e Príncipe.

O Banco Comercial BGFI, também se envolveu no projecto de criação do sector privado juvenil. O banco privado disponibilizou-se em garantir linhas de crédito aos 27 jovens premiados pelo projecto Empreende Jovem”. No futuro quando tiveram dificuldades em avançar, o BGFI, será a retaguarda financeira para garantir a prossecução dos investimentos nas jovens empresas que estão a nascer no país.

«Criar riqueza interna de forma a alavancar a economia nacional. É isso que vamos fazer. A bola está do vosso lado, abraçamos o projecto para vos ajudar a darem os primeiros passos. Sejam homens empreendedores para que o vosso projecto possa ganhar dimensão nacional e contribuir para o desenvolvimento do país», alertou Felisberto Castilho(na foto em baixo), administrador do BGFI-BANK.

A taxa de desemprego em São Tomé e Príncipe, ultrapassa os 30%. Mais de 70% da população do país é jovem. Por sinal o principal alvo do desemprego. Daí a importância do projecto Empreende Jovem, que aos poucos transformar iniciativas dos jovens em empresas sustentáveis e geradoras de renda e empregos.

«São Tomé e Príncipe, é um país riquíssimo em oportunidades e potencialidades. Esta riqueza não é nada diante do património que temos. O nosso património mais valioso é a juventude. Quem tem juventude tem futuro…», pontuou o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

Iniciativas empresariais, são para o Chefe do Governo, soluções para erradicar a pobreza, e promover o desenvolvimento. «Acreditamos que nenhum país, luta contra a pobreza, o subdesenvolvimento, com um batalhão de funcionários públicos. Nada melhor do que começarmos a dar este primeiro passo de caminho para o desenvolvimento com empreendedores», concluiu Jorge Bom Jesus.

A gala do projecto “empreende jovem” decorreu no palácio dos congressos, em São Tomé.

Abel Veiga

 

    2 comentários

2 comentários

  1. Mepoçom

    26 de Abril de 2021 as 15:59

    Os mentores da Gala vão ganhar, porque o promotor do fundo financeiro vai ter uma derrapagem, e com ele vai ter uma sobre faturação. De resto estamos num projecto de enganar freguês, e os coitados vão batendo palma, e as caravanas vão passando.Senhores governantes, senhores parceiros de disenvolvimento deixemos de demagogia…!!!

  2. Mepoçom

    27 de Abril de 2021 as 14:03

    Sei que há muitos que vêem meus comentários classifica-me de pessimista. É natural para todos que não viveram a realidade. Eu que vivi antes e depois da independência tenho muito para transmitir pela experiência própria. Estamos constantemente a alimentar ilusões e convicções, que em vez de progredirmos estamos a retroceder, comprando gatos por lebres

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo