Política

Delegação do governo angolano visitou São Tomé

A luz da recente visita do Primeiro Ministro Patrice Trovoada a Angola, os governos dos dois países decidiram redinamizar a cooperação bilateral através da implementação de alguns projectos estruturantes acordados entre os dois países. Para o efeito o Presidente Angolano José Eduardo dos Santos, enviou esta terça – feira para São Tomé uma delegação governamental chefiada pelo secretário de estado da cooperação Jorge Chicote, para contactos com as autoridades são-tomenses. Note-se que Angola através da empresa Sonangol assinou no passado recente vários acordos com o estado são-tomense com vista a realização de projectos estruturantes, nomeadamente a construção de um porto petrolífero na zona norte da ilha de São Tomé, e um memorando com vista a modernização do aeroporto internacional e do porto do arquipélago. A execução urgente de tais projectos está no centro das negociações entre os dois governos.

    14 comentários

14 comentários

  1. Polvo Paul

    7 de Outubro de 2010 as 9:03

    Gostaria de pedir ao nosso 1º Ministro a possibilidade de junto ao Governo Angolano facilitar a ida de jovens quadro São-tomense de poder ir trabalhar em Angola, uma vez que o mercado de emprego está muito lotado em STP.
    Penso que STP sairia a ganhar uma vez que podia haver no futuro entrada de divisa para o nosso país.
    Alias o Governo Cabo-verdiano tem esse acordo com Angola, permitindo Cidadãos de Cabo verde entrar em Angola sem necessitarem de visto.
    Esse tipo de cooperação tem efeito imediato na melhoria das condições de vida das pessoas.
    Depois de ter estado 5 anos a estudar é muito frustrante está em STP a fazer coisas que não tem nada a ver com minha área de formação, quando os nossos vizinhos e amigos Angolanos tem um mercado a procura de mão-de-obra qualificada.
    Sei que Angola ajudaria – nos nesse sentido, uma vez que, mesmo nos momentos difíceis da sua história sempre nos ajudou, nomeadamente com combustível de borla, e outros apoio que infelizmente foi muito mal gerido por nós próprios.
    Obrigado senhor 1º Ministro, continuação de um bom trabalho e tudo de bom para si e para STP.

  2. Moreno

    7 de Outubro de 2010 as 9:03

    Que a parceria com Angola e muito benefica para STP nao ha nemhuma sombra de duvidas. o importante e materializar os projectos e manter a boa relacao que existe.

  3. Lúcio Pinto ( CSPQ)

    7 de Outubro de 2010 as 10:32

    Não vou contra a parceria…
    Mas eu acho que o nosso P.Ministro deveria tratar directamente com o P.Ministro de Angola e não um qualquer Secretário de Estado…Acho que ele deveria ter a menos respeito hierárquico.
    Para mim é um absurdo……
    STP no coração….

    • Osama bin Laden

      7 de Outubro de 2010 as 11:02

      Em Angola não existe mais a figura do 1º Ministro, é o que deveria acontecer em STP, aposto que as coisas estariam bem melhor, tudo deveria ser tratado pelo Presidente de Republica e alguns ministros ou secretários de estado escolhido pelo próprio Presidente.

      • Assuncao

        7 de Outubro de 2010 as 16:36

        Desculpe-me a directa, mas esta pessoa k ‘e a V.Exa, nao me parece defensor e desconhecedor de muito do k demonstra nesta sede.Tem o meu devido respeito,pois cada um ‘e livre de dizer os mais perfeitos disparates k lhe apetecer, mas gostaria de num outro forum (ao vivo e a cores) avista-lo.
        Com cumprimentos.

    • Chocolate - Biológico

      7 de Outubro de 2010 as 13:41

      Sr. Lúcio Pinto, não devemos ser assim tão ruíns.

      Eu não sei lá muito, sobre essas coisas da diplomacia, mas penso que, após a visita de trabalho do nosso Primeiro Ministro á Luanda e da sua recepção pelo Sr. Presidente de Angola, foram postas á mesa as nossas solicitações.

      Normalmente, seguem-se-lhe contactos de trabalho, efectuados por técnicos superiores ministeriais para a definição concreta ou melhor, para um precisar das áreas de cooperação preconizadas – os quando, como, quantos, os porquês e sobre tudo, a que condições – se processará a desejada cooperação bilateral que os dois países pretendem implementar.

      Para tal, é ilustre o envio dum secretário de estado da cooperação. Uma vez que este virá entre outras, preparar o memorando que depois de estudado e aprovado pelos dois Países, será acordado e selado em actos solenes entre os chefes de Governo dos dois países em causa.

      Por isso, não há crise meu caro.

      Chocolate – Biológico

    • Hiost Vaz

      7 de Outubro de 2010 as 15:35

      So para acrescentar que a constituição Angolana nao e igual a de STP a qual o primeiro ministro ser Chefe de Estado o primeiro ministro Angolano nao goza a mesma imunidade e para mais esclarecimento pode me contatar se quiser a partir do meu e.mail

  4. QUINTINO

    7 de Outubro de 2010 as 16:21

    OBRIGADO PELO ESCLARECIMENTO,QUE FIZESTE AO SENHOR LUCIO PINTO, EVIDENTEMENTE QUE O SECRETARIO DO ESTADO É UM MANDATÁRIO DO PRESIDENTE JOSÉ EDUARDO QUAL DUVIDO QUE SENHOR LÚCIO PINTO TEM? O NOSSO 1º MINISTRO FOI MUITO BEM RECEBIDO A RESPOSTA NÃO TARDOU, É SINAL QUE TUDO ENCONTRA-SE NO BEM CAMINHO. UM Bem-haja PARA OS DOIS POVOS E PAÍSES.

  5. Digno de Respeito

    8 de Outubro de 2010 as 3:59

    No meu ponto devista trata-se de uma relação bilateral amistosa recheada de respeito mútuo. Basta analisar o “timing” de respostas entre os países. Entendo que os paises da Sub-região deveriam relançar uma estratégia mútua de desenvolvimento mais dinâmico, tendo em atenção a dimensão e a potencialidade de cada um dos respectivos parceiros e também baseado na demanda de oferta e procura no mercado interno de cada País.

  6. Amiga de ALERTA ALERTA

    11 de Outubro de 2010 as 1:39

    Sao Tome e Principe E Republica de Angola sempre juntos—irmaos para sempre. Estreitar lacos de amizade e reforcar a cooperacao de beneficio mutuo.
    Angolanos e Santomenses unidos venceremos.

  7. Madalena

    11 de Outubro de 2010 as 12:39

    O nosso país, ainda não definiu o que quer fazer?
    Não temos industrias, os jovens não sabem se regressam ou não, assim que terminarem a formação. O sector privado, motor de produção de riqueza está asfixiado pelo aparelho do estado. O estado tem a maquima pesada. Ser empresario hoje é um risco grande e acto de muita coragem, temos assistidos iniciativas empresariais, mas o Estado fica mudo e surdo.

  8. Madalena

    11 de Outubro de 2010 as 12:43

    Nós não precisamos de ir para Angola trabalhar, temos de preparar o nosso país para receber turistas Angolanos, podemos aproveitar a nossa dimensão e territorio seguro, onde os dirigentes de Angola possam depositar as suas poupanças sem correrem o risco, como sabem e bem, em Angola não se vive uma verdadeira democracia, por isso!!

  9. Zogopele

    12 de Outubro de 2010 as 10:53

    Eu concordo com a MADALENA quando diz que nao precisamos ir a Angola trabalhar, mas nao iria apostar em turistas Angolanos porque turismo deve-se apostar num grosso de pessoas que gostam de fazer turismo, viajar para explorar turismo mesmo em Africa neste caso especial Sao Tome e pelo que sei o povo Angolano nao e muito de fazer turismo principalmente para paises de Africa, portanto nao seria uma boa aposta. Devemos sim apostar no turismo porque e um dos sectores que mais da receitas ao pais e o pais tem potencial para isso mas para turistas mais interessados em visitar STP. Penso que o 1 ministro deve negociar com o governo Angolano para trazerem mas tecnologias em diversas areas e investimentos para o nosso pais de forma a criar mais postos de trabalho. Angola pode ajudar proporcionando a STP cursos profissionais a estudantes que nao concluiram o ensino medio ou pre universitario por varias razoes de forma a terem um oficio na vida e poder sustentar as suas familias. E importante que o governo analise as areas de investimentos prioritarios tomando em conta o numero de licenciados que neste momento esta desempregado ou desenquadrado em Sao Tome e Principe.

    Este e um assunto que me preocupa muito porque ha um ditado que diz” Os jovens sao a esperanca do Futuro”. Se o governo nao apostar em jovens, nao precupar com a sua integracao no mercado de trabalho,o Pais vai ficar cada vez mais vulneravel e problematico, cheio de Jovens frustados porque realmente e frustante fazer um curso e nao poder aplicar os conhecimentos. O pais e tao pequeno que tendo uma politica bem estruturada o nosso Sao Tome poderoso se tornara numa potencia economica de primeira. Senhor primeiro ministro estamos aqui para incoraja-lo nas suas accoes que fizer para o bem de todos os Santomenses, mas tambem estamos aqui para censura-lo pelas decisoes mal tomadas que prejudicaria o povo, ninguem e perfeito mas ha que se ter muita responsabilidade nas tomadas de decisoes que pode por em causa a reputacao do pais. Povo e quem pos tambem pode tirar, tenho muita fe que o Senhor ira trabalhar para mudar STP, mas tem que estar bem atento aos seus colaboradores da politica porque senhor ministro pode estar a se esforcar tanto e trabalhar para o bem do povo enquanto os seus colaboradores so pensam em esturquir dinheiro do povo para o beneficio proprio aproveitando-se do poder para praticar currupcao.

    Sem uma equipa governamental coesa e dedicada ao trabalho senhor ministro nao ira conseguir cumprir com as promessas eleitorais.

    Para finalizar senhor ministro gostaria que pusesse na mesa a discusao de livre transito de pessoas e bens entre os paises Africanos de lingua portuguesa, sem que os povos precisa-se de vistos de forma a que haja troca de bens e materias e para que tambem as pessoas possam adiquirir mas poder de compra, possam expandir seus negocios etc… A semelhanca doque fizeram os paises da africa Austral como por exemplo Africa do sul, Mocambique,Swasilandia etc etc…

    Gostaria muito de ter a certeza que o jornal pudesse fazer chegar essas mensagens aos ouvidos da Sua Execelcia o senhor Patrice Trovoada.

    Desde ja um muito obrigado

  10. morena alves

    25 de Outubro de 2010 as 12:04

    Infelizmente estamos nesta situação! Claro que os angolanos nos querem ajudar mas para isso é preciso que queiramos ser ajudados e saibamos o que queremos e em que é que queremos que nos ajudem.
    Durante muito tempo fomos ignorando Angola, porque…porque…Sempre por questões políticas, mas nunca se analizou friamente a posição geográfica das nossas ilhas. E infelizmente nada fizemos no sentido de aproveitarmos desse vantagem que Deus nos deu!!! Analizem esta vertente, quem na vizinha não nos querera ajudar, enfim, os nossos dirigentes são muito…
    Ninguém dá nada sem querer algo em troca, não se esqueçam disso, então saibamos negociar.
    Temos muita experiência dos políticos e dos descarrados desvios do apoio angolano, então hoje encaminhemos o apoio para o sector privado, pelo menos aí já se sabe que vão tudo fazer para comerem, mas algo terá que ser feito!
    Por isso meus irmãos jovens precionem pois é um direito que vos assiste e isso não é só querer ser chefe de governo ou menbro do governo, há que saber trabalhar; analizado a situação reinante no país e buscar solução. Não é só estilo, não!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo