Política

Barco Príncipe está a Venda

A decisão foi tomada pelo conselho de ministros. O governo decidiu convidar pessoas ou empresas interessadas para fazer negócio. O navio construído na Espanha e que foi inaugurado com honras de Estado no início deste ano, vai ser vendido imediatamente porque segundo o governo não correspondeu as expectativas.

O barco Príncipe construído na Espanha pela empresa Aresa Boats, chegou a São Tomé em Setembro de 2009, para ligar as duas ilhas. Custou 1 milhão e 200 mil euros. Após a viagem inaugural entre as duas ilhas, que mereceu honras de estado, e discursos de glória, era a primeira vez nos últimos 20 anos que o estado são-tomense comprava uma embarcação para ligar as duas ilhas, no mês de Dezembro, ou seja, 3 meses depois, o navio paralisou por causa de uma série de avarias.

Ainda neste ano de 2010, o mau tempo tinha feito o navio Príncipe encalhar na praia Brasil. O barco novo foi protagonista de várias peripécias. Na última sessão do conselho de ministros o governo decidiu pela venda imediata do navio Príncipe. «Solicitar oferta dos interessados no navio Príncipe, para que se proceda imediatamente a sua venda visto não ter correspondido as expectativas que estiveram na base da sua compra e proceder a aquisição de uma nova embarcação capaz de responder as necessidades de ligação entre as duas ilhas e o continente», anunciou o Ministro da Justiça Elísio Teixeira, na qualidade de porta-voz do governo.

Navio Príncipe é mais uma das muitas histórias de fracassos, de acções mal executadas, no fundo de coisas ocultas que marcam São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    61 comentários

61 comentários

  1. Afonso

    26 de Outubro de 2010 as 9:09

    Isto é uma das máfia do anterior governo , visto isto ,o que não serve a população deve ser vendido a busca da melhor resolução entre as duas ilhas.

  2. Ke kwa

    26 de Outubro de 2010 as 9:33

    Afonso, que tal se se colocasse a caroça atrás dos bois? ou seja procurar o que serve a populaçao e depois vender se o que nao serve.

    • António Veiga Costa

      27 de Outubro de 2010 as 3:06

      De novo o Sr. Ke Kwa contra as medidas de acerto do novo Governo. Vê-se de longe que o sr. é pró-governo cessante.

      Aquisição de novo barco serve à população. À população do Príncipe.

  3. Jesus

    26 de Outubro de 2010 as 9:52

    acho bem. cabo verde onde a governação é séria encomendou à Singapura (mercado + competitivo em relação à Espanha) um navio para estabelecer ligações entre ilhas capaz de navegar a 22nós/h, 150 passageiros, 7 viaturas, 160ton de carga. nada a ver com o barco Principe. pouca ambição nossa, dinheiro da Addax e China Taiwan mal empregado.
    STP no rumo da desgraça!

    • Mimi

      27 de Outubro de 2010 as 10:11

      E pena insitirmos em nos comparar com Cabo Verde uma vez que somos povos com mentalidades diferentes e horizontes/ambicoes totalmete incomparaveis. Eles trabalham e nos o que fazemos?

      Era bom nos identificarmos com quem somos, trabalharmos nas nossas fraquezas, aproveitar o bom que temos, corrigir os males e ir em frente.

  4. Luís

    26 de Outubro de 2010 as 9:53

    Foram enganados pelos catalães.

    • Polvo Paul

      26 de Outubro de 2010 as 10:11

      Achas que foram enganos!!! Foi tudo bem pensado com objectivo de trazer de lá um barquito de para passear com as boquitas na baia de Ana chaves. O protagonista dessa roubalheira cansou-se de andar em terra decidiu arranjar um barquito as nossas custa.

      O maior enganado foi o povo de STP em particular a população do Príncipe!!!!!!!!!
      Eu só gostaria de saber o quê que o Benjamim tem a dizer sobre esse assunto.
      O 1º ministro devia igualmente convidar o senhor Benjamim a provar de que forma consegui comprar o seu barquito caso não o fizesse, confiscava imediatamente o barquito e colocava a venda a favor da fazenda pública.

      Tem se que passar para outra fase, responsabilizar senhores que andaram a destruir o nosso país…

      • Chocolate-Biológico

        26 de Outubro de 2010 as 22:25

        Caro… Polvo Paul,

        tens toda a Razão, mas que te vale tudo isso. Uma vez que partis-te hoje em Koblenz para a tua última morada.

        Paz a sua “Alma”.

    • Xavier

      29 de Outubro de 2010 as 12:34

      De engano nada

  5. Lupuye

    26 de Outubro de 2010 as 11:53

    Nao e so produto da China que nao tem qualidade. Os europeus tambem tem das suas e ficamos a saber disso de uma forma catastrofica. Agora temos um bolo quente nas maos sem saber bem como nos desfazermos dele. Os que construiram a embarcacao deveriam indemnizar o pais pelos danos e perdas causados pelo navio Principe. Mas suponho que os politicos nao querem voltar a negociar com eles porque deveriam tb devolver as pequenas embarcacoes que com o navio vieram e que ate aqui ainda nao esta claro como foram adquiridas.

    • KêKwa!

      27 de Outubro de 2010 as 19:31

      Concordo com o facto de que esta compra foi uma má escolha mas devemos lembrar-nos, também, que não é o país que deve ser ideminizado, mas sim Taiwan que pagou a 100% o barco.
      É uma vergonha que levemos a sério o dinheiro que nos é dado pela ajuda externa.

  6. S.T.P # S.T.P

    26 de Outubro de 2010 as 12:01

    Ter um governo com pouca inteligencia sempre dará nisso….

    • António Veiga Costa

      27 de Outubro de 2010 as 3:10

      Concordo! Pouca inteligência – sinônimo de Delfim Neves e Albertino Bragança, somados com a incapacidade do Benjamin Vera Cruz.

  7. Matabala

    26 de Outubro de 2010 as 12:40

    Boa decisão, se realmente o dinheiro da venda for na realidade investida num navio que corresponda realmente as necessidades do país…

  8. Élcio Tiny

    26 de Outubro de 2010 as 12:54

    Será que a venda deste navio, é a unida forma de apurrar a verdade e responsabilizar estes maus feitores do bem público?

    Uma acção verdadeira,firme e boa, seria também, Srs Ministros, por a venda pública, os praticantes destes maus acto.

    Élcio Tiny.

  9. RS

    26 de Outubro de 2010 as 13:02

    Ficou por explicar quais as razões porque esta embarcação não corresponde ás necessidades de ligação das duas ilhas. É lento? Tem pouca capacidade? Não é seguro? É desconfortável? Fica muito cara a sua operação?

  10. Ricardo

    26 de Outubro de 2010 as 13:14

    Alguem sabe o preco? Seria bom que o navio nao fosse vendido ao desbarato. Muito menos se for alguem ligado ao governo a compra-lo.

    E o que vai acontecer a ilha do Principe, de novo sem barco. Se este barco nao conseguiu solucionar esta ligacao qual barco vai conseguir?

    1200000euros e muito dinheiro para se gastar num barco que nao dura nem um ano! Sou alheio as razoes exactas de este barco nao ter conseguido solucionar o problema, mas foi evidente desde o inicio que este investimento nao foi feito para beneficio dos habitantes do Principe!

  11. José Silva

    26 de Outubro de 2010 as 13:19

    Acho justo a venda deste barco por não salvaguardar os interesses do País, pelo que sugiro que ao fazê-lo devem (O Estado) por questões da moralidade e justiça punir os intervinientes na aquisição deste navio.
    Para o bem de STP.

  12. a

    26 de Outubro de 2010 as 13:51

    Advinha, advinha. Qual foi a pessoa que depois de viajar a Espanha para negociar a compra do navio Principe em nome do estado Santomense regressou ao pais com um barco de recreio pessoal e mais dois jipes e, por cima, ameacou processar no tribunal quem lhe acusar de ter beneficiado (recebido luva) com a compta do navio?
    Advinha, advinha. Com quem esta “amigado” o tecnico nacional que acompanhou o ministro de tutela a Espanha para compra do navio?
    Antonio

    • Budobaxana

      27 de Outubro de 2010 as 8:37

      Eng Antonio Aguiar,funcionario do Ministerio das Infraesturas. Vive com uma Espanhola viajou com o Ministro para a Espanha para a compra do Navio.

      Quase seguro que ela fez os contactos e ganhou comissoes por facilitar a venda.

      O mesmo funcionario, gere conjuntamente com o Filintro Costa Alegre ,o negocio do estado(Ponte de aguas profundas).

      Um pequeno pais entregue a uma Mafia.

      Sorte a todos…..

      • Mimi

        27 de Outubro de 2010 as 10:18

        Ja alguem fez qeuixa a procuradoria ou e so especulacao?…

        • Osama bin Laden

          27 de Outubro de 2010 as 14:27

          Qual Procurador? Se for o actual melhor mesmo é esquecer.
          Com este Procurador mais vale está calado, ele só tem capacidade para mandar prender ladrão de galinha.
          È muito fraco, tem medo perder o tacho…

          • marcos

            28 de Outubro de 2010 as 10:24

            Pois e! se for verdade as tuas afirmacoes, devo dize-lo que tu tambem es um fraco, medroso, escondes-te por detras desse nome”Bin Laden”, que nao consigo ver algo de dignificante.

  13. Leonel de Sousa

    26 de Outubro de 2010 as 13:52

    Acho que o sinal deve dar ao país para que de facto dê mostras de que está interessado em mudar o estado de coisas neste nosso país, é fazer um inquérito rigoroso, de modo a punir os cúmplices dessa verdadeira negociata. Mas atenção ,que não deve ser daqueles inquéritos para o inglês ver, porque desses já estamos fartos.

  14. Leonel de Sousa

    26 de Outubro de 2010 as 14:24

    Queria eu dizer ” o sinal que este governo deve dar ao país….”

  15. Nickols

    26 de Outubro de 2010 as 16:51

    A ideia é boa,desde que invistam o caiptal da venda na aquisição de um outro navio, como havia frisado o MJ.

  16. Chateado

    26 de Outubro de 2010 as 19:06

    Isso é um grande abuso.

  17. ramos

    26 de Outubro de 2010 as 19:36

    nem por 1 euro eu queria esse navio os dirigentes que foram fazer essa compra de pouca vergonha deveriam ir todos presos pk 1milhão de euro comprava se algo melhor na holanda ou alemanha e n só eu peço ao sr ministro da justiça que abra um inquerito para averiguar as malandrisses da pessoa que foi as compras força que voces la chegaram organizar este pais que é nosso.

  18. N.C

    26 de Outubro de 2010 as 20:27

    A questao desse navio foi mais um dos muitos casos de corrupcao que o pais viveu.sera a venda do navio unica solucao para o desfecho dessa novela”principe”sera que a populacao do principe(governo regional) antiga benefeciada,sera contempalda com a verba da venda do barco ou com um outro navio?

  19. Herlander Stock

    26 de Outubro de 2010 as 20:50

    ATÉ QUANDO VAMOS CONTINUAR COM AÇÕES COMO ESTA? O GOVERNO GASTA O POVO PAGA. MAIS O QUE É ISTO?. QUÉM COMPROU O BARCO TEM DE SER CHAMADO A PRESTAR EXPLICAÇÕES, NÃO SE PODE DEITAR NO LIXO 1 MILHÃO E DUZENTOS MIL DOLARES ASSIM, PORQUE GARANTO QUE QUÉM COMPRAR O BARCO NÁO O VAI FAZER AO PREÇO QUE O GOVERNO PAGOU. ENTÃO QUEM PAGA A DIFERENÇA? SERÁ QUE A NOVA RESPONDERÁ AS EXPECTATIVAS? OU SERÁ OUTRA NEGOCIATA QUE ALGUÉM AGORA TAMB+EM QUER TIRAR PROVEITO? HAVER VAMOS.

  20. Buzio do mato com fruta pão melada

    26 de Outubro de 2010 as 21:16

    É uma boa medida vender-se um navio de fachada que encheu muitos bolsos… e que tem todas as aberrações para substituir o Titanic…

  21. Edson

    26 de Outubro de 2010 as 23:14

    Mais uma herança deixada pelo senhor Rafael Branco e companinha! Como é possìvel mandarem construir um navio no ano passado e em menos de um ano o colocarem à venda? Eu pergunto, serà que o interessado vai comprar o barco pelo mesmo valor que foi comprado pelo governo? Porque caso contràrio, isto quer dizer que o paìs ficarà em prejuìzo. Mas que tipo de barco é esse que custa mais de um milhão de euros e em menos de um ano jà tem problemas???? Serà mesmo que este barco custou esse valor todo? Como cidadão, exijo que o sr P. Trovoada faça uma ivestigação sobre este negòcio que no minimo me parece duvidoso!!

  22. Edson

    26 de Outubro de 2010 as 23:24

    Jà não basta a carrência de grua que carrece a ilha do Principe, os 900 mil dolàres do negocio da venda das acções da ENCO que desapareceram, os mais de 5 milhões de dolàres gastos ou desviados nos produtos deteorados vindo do Brasil, de vàrios casos de ma fé, de corrupção e de incompetência que marcou o governo anterior, agora tinha que surgir mais este caso do barco (Prìncipe), mal construìdo e mal comprado para comprovar de facto a nulidade total dos nossos politicos.

  23. Jeka

    27 de Outubro de 2010 as 8:28

    Haja bom senso. Duvido que alguém queira comprar um navio desses. Mais uma perda para os contribuintes. Não quero de forma alguma incitar à violência, mas os cidadãos são-tomenses têm de se tornar mais interventivos e mais cidadãos.
    Não se pode continuar a assistir de forma impávida e serena à todas as asneiras praticadas pela classe política em detrimento de toda uma nação. Temos que exigir a responsabilização de quem, aproveitando-se do cargo que ocupa, cometa actos ilícitos que lesem o erário público. Chega de impunidade. A sociedade civil também tem responsabilidade nesse processo.

  24. Ke kwa

    27 de Outubro de 2010 as 10:29

    Convido o sr António Veiga a nao se limitar a ler a letra do meu comentário mas que vá um pouco ao espirito do mesmo. A compra de um novo barco exigirá que o governo santomense lance um concurso publico internacional que levará seu tempo. Identificado que for o fornecedor do novo barco levará seu tempo a prepará-lo para o seu envio. E o que eu pergunto é: durante este tempo como será feita a ligaçao? Ou seja nao se deve colocar a carroça a frente dos bois. Portanto, isto nao significa ser pró este pró aquele. O anuncio prematuro da venda pode ter sido feito para poder alimentar a euforia e as expectativas que o os santomenses e em particular o sr Veiga tem, pois se nao fosse isso havia toda uma necessidade de se ter observado as questoes que o R.S. levanta no seu comentário.

  25. nós

    27 de Outubro de 2010 as 10:35

    senhor Budobachana permita-me concluir o seu raciocinio.
    “Eng Antonio Aguiar,funcionario do Ministerio das Infraesturas. Vive com uma Espanhola viajou com o Ministro para a Espanha para a compra do Navio.

    Quase seguro que ela fez os contactos e ganhou comissoes por facilitar a venda.”
    Adivinha quem era o braço direito, jurista dessa operação e do Antonio Aguiar, e de todos os negócios desse país?
    Alguem adivinha?
    Eu responso:
    Afonso da Graça Varela da Silva. Conhecem? o verdadeiro actual PM ( porque o PT é só de fachada). Peçam a ele que venha ao público explicar o seu envolvimento directo e indirecto neste negócio. A ADI que se cuide!
    Fui

    • Lanis

      27 de Outubro de 2010 as 20:54

      acho tão hipócrita quando pessoas que conhecem o Tony. sabem o que ele faz e inventam essas mentiras.

      Quais são os teus planos?

      Vem à rua aqui em STP dizer isso, fofo.

      Ou vai apresentar uma denúncia anónima na justiça.
      Melhor ainda. Traz provas!!

      Fogo.
      Até quando é que nós saotomenses aprendemos a ser menos invejosos e mesquinhos

    • MUTANTE DE BEM

      27 de Outubro de 2010 as 23:18

      Se for verdade, agora k estamos lixados…
      Sera k Varela esta metido nesta salada???
      A verdade vem sp a tona…esperemos para ver…
      fui

  26. QUINTINO

    27 de Outubro de 2010 as 11:33

    SENHOR PATRICE TROVOADA vende-se o barco mas a justiça terá que ser feita impreterivelmente, eu não vou permitir que essas situações entre outras passe impune, passei muita fome, miséria, conclui minha formação superior com muitas dificuldades, se senhor quiser ter o nosso apoio total incondicional como nós demos nas legislativa então envie o caso para tribunal porque somos todos santomenses.

  27. Leonel de Sousa

    27 de Outubro de 2010 as 11:37

    Verdadeiramente impressionante!Qual o papel do Ministério Público no meio disso tudo! Será que a culpa irá morrer solteira?

    • Osama bin Laden

      27 de Outubro de 2010 as 14:30

      Claro que vai.
      Acha que Procurador-geral tem pulso para isso?!!! Ah se fosse um coitado que roubou uma pinha de banana pão ai sim ele fazia justiça.

  28. Edson

    27 de Outubro de 2010 as 17:19

    Por favor, digam a verdade aos santomenses! Queremos saber de facto o que se sucedeu com o navio: foi mal construido? O dinheiro da compra foi desviado? Por quem? Jà apuraram o mal feitor? Vender esse barco e comprar outro novo não tem significado se o autor dessa pouca vergonha não for encontrado, julgado e condenado a indeminisar o valor gasto em vão! Justiça exige-se!

  29. caboverdiano

    27 de Outubro de 2010 as 19:20

    la estao os parasitas em conflito devido uma embarcaçaozinha mas que gente baixo meu deus com este andamento e com essa intiligencia garanto que nem daqui a 100000 ANOS saiam desta miséria falam menos e trabalhem mendigos nao me esqueço como voces tratavam os meus conterraneos eram gaboes que trabalhavam para voces chulas

    • a

      28 de Outubro de 2010 as 10:21

      Sr. caboverdiano,
      Devias ter mais cautela com a lingua suja que o sr. tem, pois ha muita gente de origem caboverdeana que nao gosta da forma como o sr comenta neste espaco. Os sao Tomenses nao sao culpados de os Portugueses trazerem os vossos antepassados a estas ilhas maravilhosas. Eles deveriam ter ficado em Cabo-Verde. Sao os Portugueses que trouxeram, maltrataram e abandonaram os Caboverdeanos em Sao Tome. Muitos Caboverdeanos tem terra para cultivar e vivem uma vida confortavel em Sao Tome e nem querem ir a Cabo-Verde nem de passeio.
      Cautela
      Antonio

    • Zinane

      28 de Outubro de 2010 as 16:40

      Sócio!

      Costuma-se dizer que a ocasião faz o ladrão. O que seria dos caboverdeanos se não trabalhassem?? Tás a ver o filme? Ora, dada as contingências do clima e do próprio relevo caboverdeano, não têm muito por onde fugir. O Scolari diria “é o mata-mata”. Eis a chave do desenvolvimento caboverdeano. A cultura do trabalho na sociedade caboverdeana adveio mais das próprias vicissitudes conjunturais que fomentou o Djunta món e impulsionou a união patriótica. Nós para o nosso bem e mal nesse particular fomos abençoados por essa natureza exuberante que de lá extraímos tudo basta atirar uma semente ao solo. Verdade seja dita, havendo vontade política, num horizonte temporal de 10 a 15 anos, estaremos a competir com CV em todos os níveis.

      A nível dos PALOP já ocupamos o 2º lugar atrás de CV. Vcs que se cuidem! Vão ter que trabalhar a dobrar para conter a fúria galopante de nosso crescimento.

      Mais um reparo:

      Inteligência e não intiligencia.
      Daqui há uns tempos vamos precisar de muita mão de obra e você pode se alistar se quiser. É sempre melhor ajudar um irmão do que engrossar a lista de desempregados da construção civil na Europa. É que temos que recosntruir São Tomé e Príncipe.

      Tenho dito.

  30. sissi

    27 de Outubro de 2010 as 22:27

    SE O DR.VARELA ESTEVE METIDO NO NEGÓCIO,A CULPA VAI MORRER SOLTEIRA…AH…AH…ESTAMOS NA MUDANÇA,VER PARA CRER…

  31. sissi

    27 de Outubro de 2010 as 22:50

    AH…SR.BARBOSA TAMBÉM FEZ PARTE DA COMISSÃO QUE FOI A ESPANHA COMPRAR E A SUPERVISAR A QUALIDADE DO BARCO…

  32. Bili Uê

    28 de Outubro de 2010 as 6:52

    É… parece que “aquele” governo não terá mais chance de desgovernar nosso país. BASTA. oh se ódio matasse.

    ONDE ANDAM NOSSOS PROCURADORES, JUÍZES DESTA TERRA DE NINGUÉM?

    Confiscar os bens precisa-se, cadeia já.

    Saudações

  33. Gomes

    28 de Outubro de 2010 as 15:30

    Novo Twitter funciona como portal para ajudar na procura e divulgação de emprego em Sao Tome e Principe

    http://twitter.com/Empregosaotome

  34. horacio lucas

    28 de Outubro de 2010 as 19:03

    isso doi credo credo tqnto dinheiro investido em b é muita dor gente tanto disperdicio de dinheiro em vao .Sao tomé isobuso pode ser

    maldito país aonde eu nasci

  35. caboverdiano

    28 de Outubro de 2010 as 22:11

    nao tenho lingua suja graças a deus mas sei que ó termo que voces usam para se defenderem nao faz mal nao sou contra os stomenses nem contra os portugueses até pelo contrario no tempo dos portugueses voces viviam melhor ai e os os meus conterraneos apesar de trabalharem para eles viviam em melhores condiçoes do que estao a viver agora voces distruirasm tudo e nao sao capazes de recontruir e so sabem é levar a vida a falar mal de tudo e de todos ve nessas noticias deste jornal voces nao matam uns aos outros porque nao podem ainda nao vi uma noticia vossa que nao houvesse insultos tenho muitos amigos em stomé mas é triste ver certas mentalizaçoes racistas etc etc mas espero um dia que as mentalizaçoes mudem mas vai ser dificil

    • Zinane

      29 de Outubro de 2010 as 9:40

      Jóvem!

      Tu deves ser um daqueles ignorantes ao quadrado! Aos outros podes atirar todas as pedras que tiveres na mão. Eles não se podem defender pois não? Tás pautando pela mesma conduta do Observador que digo-te já, é errada. Já deste uma olhadela aos fóruns de debate nos sites caboverdeanos? Acho que não, para certas coisas és cego e vesgo. Só sabes apontar o dedo aos outros. Mermão cresce e aparece. Tás muito verde para vires dar lição de moral aos santomenses. Racismo!! Há comprovadamente racismo em CV. Aí sim há racismo. Badio versus sampadjudo. Acompanhei de perto em vários fóruns de debate discussões, insultos racistas e muito mais. Que sejas um leigo nessas matérias, compreendo, agora vir aqui destilar o teu veneno gratuitamente é que não. A nossa linda São Deus Lima às palavras tantas dum comentário seu no “O regresso da cidade”, dizia “É excelente suscitar discussão, debate, contradições, acordo e desacordo, aprovação e reprovação. Por isso escrevo, por isso sou jornalista. O unanimismo, mesmo quando aclamativo, pode ser uma certa forma de morte, uma terrível armadilha para o pensador e o criador.”

      Fiquei-me na última frase da São…deveras esclarecedora.

      Tenho dito.

    • Zinane

      29 de Outubro de 2010 as 14:43

      Jóvem!

      Tu deves ser um daqueles ignorantes ao quadrado! Aos outros podes atirar todas as pedras que tiveres na mão. Eles não se podem defender pois não? Tás pautando pela mesma conduta do Observador que digo-te já, é errada. Já deste uma olhadela aos fóruns de debate nos sites caboverdeanos? Acho que não, para certas coisas és cego e vesgo. Só sabes apontar o dedo aos outros. Mermão cresce e aparece. Tás muito verde para vires dar lição de moral aos santomenses. Racismo!! Há comprovadamente racismo em CV. Aí sim há racismo. Badio versus sampadjudo. Acompanhei de perto em vários fóruns de debate discussões, insultos racistas e muito mais. Que sejas um leigo nessas matérias, compreendo, agora vir aqui destilar o teu veneno gratuitamente é que não. A nossa linda São Deus Lima às palavras tantas dum comentário seu no “O regresso da cidade”, dizia “É excelente suscitar discussão, debate, contradições, acordo e desacordo, aprovação e reprovação. Por isso escrevo, por isso sou jornalista. O unanimismo, mesmo quando aclamativo, pode ser uma certa forma de morte, uma terrível armadilha para o pensador e o criador.”

      Fiquei-me na última frase da São…deveras esclarecedora.

      Tenho dito.

  36. Xavier

    29 de Outubro de 2010 as 12:53

    De engano nada:

    Há uma ficha técnica no site de Aresa-Drassanes d’Arenys do navio príncipe para
    os interessados:
    http://www.aresaboats.es/ES/228/nuestros-barcos/buques-de-pasaje/aresa-220-f.html, com fotografias que se tomaram justo depois da bota fora. Realmente é um barco bonito, uma joia.

    Ja na chegada desse navio a São Tomé, alguem já suggereu que o seu fim seria a
    venda, e que acabaria os seus dias como barco de festas, fazendo alusão ao bar e
    ao espaço entre a barra e as cadeiras gerais da sua coberta. Bom, parece que
    isso, infelizmente, vai acontecer.

    Eu estive na sua bota fora em Arenys, e depois das explicações e das demonstrações técnicas do armador às autoridades (são-tomenses e catalãs), achei que se tratava (e ainda se deve tratar se não foi bandalizado) de uma nave de última geração e que atingia perfeitamente a velocidade que eles explicaram (nos estábamos dentro). A companhia Aresa construeu mas de 300 navíos para a marinha de Angola e outros tantos para outros países, e para a própia armada espanhola, e nenhuma queixa. A são-tomense deve ser a primeira, com certeza.

    É preciso considerar o seguinte:

    – O navío Príncipe foi construido exprofesso. Não se tratava de um navío de
    catálogo. Os constructores trabalharam sobre uma encomenda bem clara do cliente,
    arepresentado pelo Instituto da Marinha e Portos, que em todo momento supervisou
    os trabalhos (na bota fora havia um senhor são-tomense que em todo momento se
    jactava de ser realmente o desenhador do barco). Também os doadores nessa altura supervisaram as operações. Por tanto, aquí não há engano nenhum por parte da companhia, e muito menos dos catalães em geral (como fala um tal despropositado Luis).

    – Parece que a encomenda pedia um navío de baixo calado para poder racalar no cais de Sant António. Primeiro problema pois essa consideração condicionava o desenho do novo barco, reducendo ao máximo o puntal. A companhia, atendendo ao escaso calado e descartando ao curto prazo obras de condicionamento desse calado, sugereu a instalação de um cais flotante, adapatável à marea. Esse cais parece ter-se descartado finalmente (não foi instalado).

    – Outra das condições é a velocidade do ferryboat. Deveria-se recortar um 50% o
    tempo do trajeto entre São Tomé e Santo António. Provado que o barco pode chegar
    a Príncipe em 6 horas. A questão é que para dar essa velocidade, o barco se equipava com 2 motores de 1000 CV, e isso consume muito. Quiçá isso seja o maior
    handicap, e a verddeiro motivo da venda.

    – O navío Príncipe navegou de Arenys até São Tomé pelos seus próprios meios apenas com duas escalas. Não pode dizer se que esse não é um barco para navegar no Atlântico (se bem é certo que quem comandava a nave eram os engenheiros da
    empresa Aresa). A própria tripulação são-tomense, na chegada a São Tomé, se vangloriou da capacidade do navío.

    – Queda absolutamente provado que o barco não recebeu os cuidados e o carinho que precisa uma nave tão valiosa e estratégica como essa e tiveu que ser
    reparada várias vezes de desperfectos que não se podiam atribuir a um defecto de fabricação senão à sua manutenção no porto de São Tomé. Apenas temos que referir-nos a essa terrível imágem do navío enbarrancado na praia Brasil, apenas
    dois dias depois de ser reparado e posto a punto pelos enginheiros de Aresa(lembrem das imágens: http://uk.groups.yahoo.com/group/saotome/message/28295). As dificuldades de manutenção e a falta de recursos mínimos ficaram patentes também no infeliz desenlace do caso Micau.

    Em todo este caso ninguem falou ainda com profundidade das dificuldades na gestão da linha, deficitária de entrada, se se quer aplicar umas tarifas baixas para beneficiar à população mais modesta, o que facia mais difícil a sua externalização. Também não se falaram de tensões pessoais entre a gestão e a
    marineria sobre o seu futuro na gestão da linha. Também não se falou bastante de negligências maiúsculas no cuidado da nave.

    Por todo isso acho que não é um problema de faltar às expectativas não cumpridas
    (sobre os resultados) senão quiçás um problema de desenho, não apenas da nave
    senão também da capacidade real de manutenção do navío e da rendabilidade da
    linha (por tanto um problema da gestão do processo de implementação). É pois momento para que se assumam responsabilidades que tocam que é uma forma da transparência que deseja o novo Governo e não se opte apenas por procupar por um motivo externo e longiquo, que esso é um recurso muito fácil. E se em qualquer momento se apreciaram senhais de manifesta negligência, engano ou sabotagem em qualquer dos passos do processo, que lesa os interesses do Estado, que a causa se ponha em mãos da justiça.

    Compreendo a opção de venda, se o governo de STP, com os actuais recursos, não pode assegurar a manutenção mínima da nave e o financeamento da linha. Quiçás seja melhor (como alguem já comentou) comprar um barco de ferro, de segunda ou terça mão, que não precise tanto carinho na sua manutenção, para poder recalar no Príncipe encalhando-o de qualquer maneira nas rocas da baia de Santo António, sem temer ao escasso calado, para a tranquilidade dos expertos motoristas.

  37. caboverdiano

    29 de Outubro de 2010 as 17:58

    ZINANE ES MESMO DE STOMÉ MUITO BAIXO

  38. beto

    29 de Outubro de 2010 as 21:11

    este foi mais 1 negocio mal feito desses governantes.navio k nao tem 1 ano e ja ta cheio de problema,aposto k os governantes puseram pelo menos metade deste valor de barco nos seus bolsos.populaçao santomense nao mercem isto.sr governantes santomenses”ladrões”tomem exemplo de c.verde .fui

  39. COCO NZUCU

    30 de Outubro de 2010 as 15:04

    O barco ate parece bonito. Eu gosto dele. Quero esse barco para mim.

  40. Alberto Lima

    1 de Novembro de 2010 as 14:35

    Vou comprar o Barco e oferecer a Santa Casa de Misericordia ou a PAM( Program alimentar Mundial) que ha muito vem ajudando as nossas criancas carenciadas e os mais velhos. ahahahah! Deixem de Bla bla bla. Rumo ao desenvolvimento.

  41. penas de galinha

    3 de Novembro de 2010 as 10:07

    sejamos sérios
    acusar sem provas é sinónimo de covardia.
    tentem conhecer o dossie e depois dêem palpites, mas o Santomense é rui de natureza, então tentam encontrar motivos para enxuvalhar e manchar os nomes das pessoas.

  42. penas de galinha

    3 de Novembro de 2010 as 10:09

    queria dizer “ruim”

  43. PINTA-CABRA-2

    7 de Novembro de 2010 as 8:30

    1-como e posssivel um barco onstruido a un ano, ja comeca com avarias… sera k o barco tem garrantia so para um ano??um barco normalmente tem uma garrantia maxima de 5 anos,entao ker dizer que o barco principe ainda se enontra sob a garrantia da empresa espanhola. se for assim, pk nao entregar esse barco e toma outro novo??

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo