Política

Maioria parlamentar composta pelo MLSTP/PSD e o PCD é falsa

Em cada sessão da Assembleia Nacional, fica mais evidente que a maioria parlamentar composta pelo MLSTP/PSD e o PCD, já não tem solidez. Esta quinta – feira após a aprovação do OGE para 2012 na globalidade, três deputados sendo 1 da bancada do PCD e 2 do MLSTP, abandonaram a sala seguindo a decisão da bancada da ADI no poder, em boicotar o debate de urgência sobre a problemática da linha de crédito.

Os três deputados que estão a demonstrar a fragilidade e a falta de solidez da maioria parlamentar composta pelo MLSTP  e o PCD, participaram na sessão de aprovação do OGE na globalidade e respeitaram a decisão das respectivas bancadas parlamentares em abster-se na hora da votação.

O Orçamento Geral do Estado foi assim aprovado na globalidade com 27 votos a favor, sendo 26 da bancada do poder a ADI mais 1 voto do MDFM-PL. Os 28 deputados que compõem a oposição parlamentar, MLSTP e o PCD, abstiveram-se.

A sessão foi suspensa após a aprovação do OGE para dar lugar ao debate de urgência agendado pela Assembleia Nacional, a pedido da bancada parlamentar do PCD. O debate de urgência tinha como tema a polémica da linha de crédito de 1 milhão de dólares que a maioria parlamentar tirou da tutela do Secretário de Estado da Juventude e Desportos e transferiu para o Ministério das Finanças e Cooperação Internacional.

A polémica foi levantada pela bancada da ADI e sustentada pelo Secretário de Estado da Juventude e Desportos que ficou furioso, por causa da decisão da maioria parlamentar. Com o debate de urgência, a maioria parlamentar pretendia demonstrar a justeza da decisão, que envolveu também o corte na duplicação das viagens a favor do sector social.

ADI e o Secretário de Estado da Juventude, que nos últimos dias utilizaram massivamente a TVS para demonstrar a opinião pública nacional, que a oposição agiu de má fé, tinha assim mais uma oportunidade para esgrimir argumentos frente a frente com a oposição, e dar a população a oportunidade de entender melhor toda a história.

Certo porém é que a bancada da ADI, decidiu abandonar o parlamento, evitando assim o debate público do assunto. A decisão do partido no poder de boicotar o debate, trouxe a ribalta a fragilidade da maioria parlamentar.

O PCD que tem 7 deputados no parlamento ficou apenas com 6. Amândio Pinheiro deputado do PCD e homem de negócios, que a quando da aprovação do OGE na generalidade desapareceu da sala, quando se aproximava o momento de votação, decidiu esta quinta – feira seguir a decisão da ADI em abandonar o hemiciclo parlamentar.

A bancada do MLSTP/PSD também ficou desfalcada. O deputado e homem de negócios Nino Monteiro seguiu as pisadas da bancada da ADI, assim como o deputado António Monteiro. MLSTP/PSD que tem 21 deputados ficou com apenas 19.

Mesmo assim havia quórum para a realização do debate. Após intervenções do líder da bancada do MLSTP/PSD José Viegas e da bancada do PCD por Sebastião Santos, que detalhou toda a história de corte da duplicação de viagens e da transferência da linha de crédito, tendo indicado sector por sector onde as verbas foram afectadas, o debate teve que ser suspenso, porque mais um membro da mesa da Assembleia Nacional por sinal deputado da ADI, decidiu bater com a porta.

Só ficou o Presidente da Assembleia Nacional Evaristo de Carvalho, que fez saber na altura que como Presidente do órgão de poder legislativo, era isento. O certo é que já não havia quórum para prosseguir com o debate.

O único deputado do MDFM-PL, que por tradição apoia o Governo não abandonou a sala. O debate de urgência pedido pela oposição furou. Os últimos acontecimentos, provam que as duas principais bancadas da oposição, estão também furadas. A Assembleia Nacional tem 55 deputados. Indirectamente ADI goza de uma maioria absoluta de 29 deputados, sendo 26 que foram eleitos pelo povo nas urnas sob proposta do partido, e 3 outros oriundos do PCD e do MLSTP, que alegadamente prestam vassalagem ao poder, por causa da conjuntura nacional em termos de negócios. A fasquia da maioria absoluta sob para 30, tomando em consideração o único deputado do MDFM-PL, que tradicionalmente é solidário com o Governo.

Terminou a ilusão de maioria parlamentar vivida pelo MLSTP e pelo PCD, após as eleições legislativas de 2010. Nas duas bancadas sentam 28 deputados, mas é cada vez mais notório que os dois partidos só podem contar com 25 deles.

Abel Veiga

    22 comentários

22 comentários

  1. PedroCkrles@yahoo.com

    16 de Dezembro de 2011 as 12:43

    Viva o povo de S.T.P. Pela nacao e com razao viva os politicos honestos. A medida que o tempo passa acredito mais e seriamente que o meu Pais finalmente encontrou o rumo certo, o caminho rumo a prosperidade.

    • luis Cesar

      18 de Dezembro de 2011 as 9:23

      É a vergonha e o princípio. Agora como eu e tu depois comemos nós (eu e tu). Sempre os mesmos. BANDIDOS

  2. Mimi

    16 de Dezembro de 2011 as 13:09

    Quem manda é o dinheiro e nao os princípios. Como é bom o mel! Talvez o deputado do PCD esteja a preparar uma mudança de sala. E depois do ADI para onde é que ele vai? Nao foi ele já membro do MLSTP algures na nossa história?…

  3. realista

    16 de Dezembro de 2011 as 13:15

    sao os que estao a fugir fisco tenhem dividis de milhoes bandos de burros que nem sabem o que significa sentar numa escola e apreender e ensinsinar coisas boas, cheio de ma fe so querem saber dos seus,se no caso esse parlamento fosse europeu s.tome e principe ja seria espulso da comunidade isto porque nao se admite em 100 por cento de deputados 70 por cento nao sabem o segnificado do deputado ali cada um defende os seus interesses e mais nado ,ponhem fato com gravata e penssam que ja sao dignos e merrecedor.

  4. realista

    16 de Dezembro de 2011 as 13:25

    se sao falsos pra que nao sao sancionados e expulso do parlamento hein este governo tambem so sabe usar palavras o povo ja ta farto das palavras queremos accao e ja aqueles que nao reina condiccoes de ser deputado ou porque e familia deste individuo ruaaaaaaaaaa e dar lugar aos que reunem a capacidades nao comerciantes mais onde ja se viu isto Nino monteiro,Delfin neves,Antonio do mlstp,Amando pinheiro mais, sao todos grupos de individuo que governa o nosso mercado e tem mais…irrei divulgar os nomes em poucos dias porque o ADI tambem nao e um santo nao.obrigado

  5. luisó

    16 de Dezembro de 2011 as 13:26

    Porque é que os dois deputados do MLSTP abandonaram a assembleia antes de poderem votar contra este orçamento?
    Os interesses falam mais alto do que a disciplina parlamaentar?
    Então eles e os outros não estão lá para representarem o povo que os elegeu?

  6. luisó

    16 de Dezembro de 2011 as 13:27

    correcção : parlamentar

  7. luisó

    16 de Dezembro de 2011 as 13:32

    e porque é que o MLSTP se absteve na votação depois de se mostrsr contra este orçamento?

  8. Bloco operatório do principe

    16 de Dezembro de 2011 as 13:34

    Credo avé maria gente, que tipo de coisa vcs são, politicos ou politiqueiros, vós formaste em politica ou na tactica de roubo e demagogia credo gentes… haver vamos. kuê çá yá óuó ça fê zê dizódi pide kêça diô méçu. révá cá tá ká.. diâm méçú cávalu ká pué pá nón dividi minú pá kêdê ladrán pégú látu.

  9. Ceso Abreu

    16 de Dezembro de 2011 as 13:54

    Tristeza e impunidade e o pior ‘e a passividade das clsses media em agir contra estes pseudos deputados que provaram com as suas accoes maquiavelicas que os seus interesses pessoais estao acima dos interesses nacionais. Culpados sao os cidadaos que ali os colocou.
    Basta!
    Investiguem estes senhores que verao no minimo a forma desonesta,corrupta como se transformaram em empresarios.

  10. Paracetamol 500mg

    16 de Dezembro de 2011 as 14:00

    Isto é uma palhaçada. Deviam multar os ditos deputados por abandono da secção parlamentar.
    Ao meu ver, devia-se aplicar uma coisa e uma sanção disciplinar. Isto demonstra que ninguém esta interessado a resolver os problemas do pais.
    Cabe ao mlstp e ao pcd agirem no sentido de sancionar os deputados faltosos.
    Isto sim seria politica. Caso contrario são todos uns politiqueiros que andam enganando o povo.

    • Paracetamol 500mg

      17 de Dezembro de 2011 as 1:34

      Onde se lê “coisa” deve ser entendida como “coima”. Sinceras desculpas.

  11. fernanda

    16 de Dezembro de 2011 as 14:22

    Ja perceberam porque é que o Nino Monteiro e o seu irmão, António Monteiro não pagam os impostos que devem ao fisco? E porque é que a D. Impostos não pode cobrar coersivamente a eles?
    Na aprovação do orçamento, eles tinham que seguir as suas bancadas, porque senão perderiam o mandato como deputados, legalmente. Esse é o país que temos. Quem não deve não teme. Porque é que fugiram da sala ?

  12. opiniao realistica em geral!!!

    16 de Dezembro de 2011 as 14:42

    e assim é melhor. porque sao um bando de labregos tambem que me nada contribuem para o bem estar e equilibrio politico nacional.

  13. Andre Belo Monte

    16 de Dezembro de 2011 as 14:43

    É isso mesmo senhores Deputados responsaveis, monstrem aos politiqueiros obsoletos de sempre que agora o tempo é outro. É preciso monstar honestidade intelectual ao servico da nacao, em cumprimento da vossa missao, que o povo se sentira orgulhoso por vos.

  14. Voz da razão

    16 de Dezembro de 2011 as 16:15

    Estes deputados não são culpados. Culpados somos todos nós santomenses que desde sempre admitimos medíocres e néscios na liderança da administração do estado. Quando cada um de nós começar a ser sérios, rigorosos e apostar em coisas boas e de qualidade então começaremos a ter também deputados honestos e cultos. Antigamente tínhamos boas estradas porque havia rigor e prestação de contas, havia bons professores porque a selecção dos mesmos era rigorosa e havia inspecção escolar, a nossa rádio nacional assim como a nossa pobre tv tinham qualidade, as roças produziam porque havia disciplina no trabalho e o patrão era rigoroso, a nossa função pública embora com poucos quadros impunha respeito, ordem e disciplina, haviam alunos excelentes porque havia professores excelentes e porque a sociedade assim exigia e dava mérito aos melhores. Havia bons carpinteiros, marceneiros, canalizadores, electricistas, pintores, etc, etc, porque nós gostávamos de coisas boas e esses artistas eram frutos de mestres reconhecidos. Havia jardins nas nossas escolas e nas cidades porque a ordinarice ainda não tinha tomado conta do nosso carácter. A educação e o saber são a alavanca do desenvolvimento de qualquer sociedade, por isso se o país não dispõe de gentes com saber e com vontade de aprender e ensinar boas coisas aos outros, quem tiver um olho será rei. E ter um olho em s.tomé é ser desonesto, maquiavélico, vigarista, aldrabão, gentes que vivem em “safar”, “dar um jeito”. Os nossos políticos incluído os deputados são o fruto da nossa sociedade por isso nós escolhemo-nos à nós mesmos. Deus abençoa STP.

  15. Francisco Castanheira

    16 de Dezembro de 2011 as 17:22

    Esta evidentemente claro porque estes Senhores ficam imunes ao pagamento do fisco. A historia ira fazer o devido julgamento. O bem da agua , a agua leva….

  16. Elnis

    16 de Dezembro de 2011 as 17:37

    Aqui se faz aqui se paga, recorda 2008 quando os deputados da mesma coligação entre o MDFM-PCD_ADI que o mesmo por dinheiro destruiram a boa politica do governo do Patrcio Trovoada, agora estão a sentir. Desde para um bem do povo.

  17. reddrrick

    17 de Dezembro de 2011 as 16:44

    Deixa o Governo Trabalhar. Não precidamos de mais quedas de governo. Orçamento aprovado, possibilidade de mais um ano de mandato. Se der errado o nosso atual governo, o povo saberá tomar as devidas decisões. Nosso povo nao está tão desatento. Viva a Juventude Nacional.

  18. Espirito Santo

    19 de Dezembro de 2011 as 8:40

    Nao importa os motivos que levaram a saida desses deputados, o debate e importante mas este nao. aceito a tomada de decisao desses deputados.

  19. morinho

    19 de Dezembro de 2011 as 18:39

    meu caro amigo aurelio martins ….. quem disse k raposa pode ficar a tomar conta da galinha . o amandio pinheiro sempre foi ladrao e homem de negocio ele troca tudo por denheiro ate a sua propria mulher casada…onde vai a cara e k vai a saliva isso quer dizer onde vai nino o antonio vai a traz tbm sao outros dois ladroes sem conta com tanto dinheiros k eles tenhem ainda conseguem dever a quem precisa … os negociantes nao deveria fazer parte como deputado pk eles fazem tudo por denheiro…..

  20. deus é grande

    20 de Dezembro de 2011 as 11:35

    É verdade que o orçamento é indispensável para o país e para a sobrevivência da nação. O que tem que haver é amor ao trabalho, zelo e dedicação pensando no país e na nossa própria sobrevivência porque afina, nenhum pequeno trabalhador, José povinho irá longe, nem poderá sonhar com um bom futuro, deixando alguma herança para os seus herdeiros. Tomemos a nossa decisão trabalhando e aumentando a produção, cada um no seu sector de actividade, relançando como cada um pode. Cuidado com os velhos ditados: “Deus dá Deus tira” e ainda outro “´Nguê pô sá lico á cá télé ní baçu bálu”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo