Política

Poder local de Água Grande reforça política de gestão dos resíduos

Diariamente a cidade de São Tomé produz 50 toneladas de lixo. Garantia do Presidente da Autarquia Ekeneide Santos, que anunciou a execução de um projecto de gestão dos resíduos sólidos que implica a transformação de parte do lixo em materiais de uso e fertilizantes.

Separação do lixo produzido na capital são-tomense, e a transformação de parte do mesmo em materiais para construção civil e fertilizantes orgânicos para o desenvolvimento da agricultura, é a estratégia que está a ser implementada pelo poder local de Água Grande para preservar o ambiente, através da redução do volume de lixo na cidade.

Segundo Ekeneide Santos, a pequena cidade produz 50 toneladas de lixo por dia. Através do projecto cerca de 50% do lixo produzido será convertido em materiais para a construção civil e adubos orgânicos.

O processo de separação do lixo, já é realidade no vazadouro de Penha. Vidros, pneus, e detritos vegetais são separados do entulho. Ao mesmo tempo o poder local está a instalar novos contentores nas escolas primárias e secundárias do país, onde os alunos estão a ser sensibilizados no sentido de proceder a separação do lixo.

Bares, restaurantes e hotéis do país também estão a receber novos contentores para armazenar, vidros e outros resíduos que depois são transportados para o centro de fundição do vidro localizado na cidade da Trindade.

O Presidente da Autarquia de Água Grande, disse ao Téla Nón, que os materiais para construção civil a base de vidro fundido já foram testados e com êxito. Aliás, explicou que os novos contentores estão a ser afixados sobre bases construídas com vidro fundido.

No quadro do projecto de gestão dos resíduos sólidos financiado pelo Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, pela União Europeia, e com a comparticipação da Autarquia de Água Grande, será construído um centro de compostagem, que vai servir para transformar grande parte do lixo sobretudo de origem vegetal, em adubos orgânicos para a agricultura.

Ekeneide Santos, acrescentou que a redução em mais de 50% do lixo que diariamente é lançado no vazadouro de Penha, vai aliviar os cofres da Câmara Distrital, que mensalmente desembolsa 150 milhões de dobras, para assegurar a manutenção do vazadouro.

Desta forma Água Grande poupará mil milhões e 800 milhões de dobras por ano. Dinheiro que Ekeneide Santos, disse ser suficiente para realizar várias obras sociais, nomeadamente a construção de centros de saúde para a população do distrito.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. estudante em portugal

    5 de Março de 2012 as 16:42

    pois é ideias deste tipo é que nosso pais precissa compostagens é um bela maneira de tratar os residuos naturais seque em frente e que as populações se unem neste tratamento de lixo

  2. Barão de Água Izé

    5 de Março de 2012 as 17:51

    A recolha e processamento de lixos é vital para a saúde da população, para a salubridade do meio ambiente e pode ter retorno financeiro para apoiar obras das Camaras Municipais.
    Mas ao mesmo tempo, é importante calcetar os passeios, colocar lancis, sarjetas a funcionar e varredura sistemática das ruas.
    Assim também se combate o paludismo e os turistas mais apreciarão a nossa terra.

  3. parabens

    6 de Março de 2012 as 8:59

    Sr. Presidente da Câmara, voçê e a sua equipa estão a trabalhar bem. Obrigado pelo vosso empenho e continuam a fazer.
    Sucesso na vossa administração, e dá uma chapada de mão feichada aos outros que falam e não fazem.

    Deus vos abeiçoi.

  4. Anca

    7 de Março de 2012 as 2:11

    Muito bem

    A separação dos resíduos sólidos, jamais deve ser, entendida única e somente como, tarefa e responsabilidade das autarquias locais, ou das Câmaras Municipais, é um exercício de cidadania, que nos cabe a todos enquanto cidadãos, em colaboração, com as autoridades nacionais, regionais e locais, pois trata-se de uma cidadania pela salubridade pública, que a todos nos diz respeito.

    Bem haja

    A que se desenvolver, implementar e investir nos projectos ligados;

    -a educação infantil(creches,infantários escolas jardins), de modo a modernizar a estruturas de protecção dos menores na nossa sociedade, pois que constitui um investimento, que tem retorno no futuro social/cultural, garantindo o respeito pelo direitos das crianças, mediante o pagamento pelos utentes de um valor pelo serviço.

    -saneamento de meio/protecção do ambiente/ planeamento e ordenamento do território, turísmo

    modernização de sistemas de esgotos; criação de sistemas de tratamento de águas residuais; garantir junto a EMAE a salubridade da água de consumo, mediante analises sistemáticas; controlo das descargas efectuadas juntos aos rios e mar; controlo das pragas e epidemias(ratos, baratas, centopeias, cobras, percevejos, pulgas, etc,etc); controlo dos animais( cães sem donos, gatos sem donos, mediante a criação de canis municipais e implementação de vacinação para cães, gatos, obrigatórias), porcos, cabras, patos,etc,etc…; lavagem de pavimentos rodoviários e vias publicas, utilizando carros de bombeiros, ou viaturas adequada ao efeito, controlo/barra protecção contra a formação lamas em locais que possam originar, enchuradas, escorrências, diluimento de terras; sinalização obrigatória dos pavimentos rodoviários, colocação sinais verticais de transito, implementação boa sinalização de localidades, implementação de normas de controlo de ruídos/poluição sonora, criação de parques de estacionamentos mediante cobranças a utentes de taxas, por horas de estacionamento, criação de locais adequados para efeito serviços de Táxis, a nível Distrital, coordenação com as autoridades executivas, Governo, implementação de políticas e normas de transportes e comunicação(transportes de mercadorias, de passageiros, à nível nacional, regional, distrital, tendo em conta as especificidades e potencialidades de cada distritos municipais, criação de paragens de autocarros para a implementação futura de um serviços de transportes municipalizado de passageiros(autocarros de transportes públicos) mediante cobranças de bilhetes e senhas, que deverão servir de base e garantia à manutenção dos mesmos, bem como do serviço de transportes municipalizados, sinalização de marcos turísticos, bem como, implementação de transporte guia turístico, no circuito distrital água grande, para turistas internos externos (necessário se torna a investigação da História, do passado Colonial, produção de panfletos turísticos nos postos de turismos locais, guia turístico sonoro de auscultação nos autocarros guias de turismo, mediante a cobrança de taxas pelo circuito utilizado); execução de planos de ordenamento de territórios (plano director municipal, plano de pormenor,etc), pois que tudo tem um custo.

    Deixo aqui uma indicação;

    As Estátuas dos Portugueses, João de Santarém e Pero de Escobar, que segundo reza a História encontraram a Ilhas de São Tomé e Príncipe, que hoje se encontram, junto ao Museu, são marcos a nossa história, devia-mos saber tirar partido, destas estátuas que podem servir de guias turísticos, dispondo-as nos sítios/locais adequados com seus respectivos historial social/cultural da época, bem como toda a arquitectura colonial,(que marca uma época e história do ramo da arquitectura, enquanto ciência),por exemplo as construções colónias, as igrejas.

    Pois que a nossa História enquanto Ilhas de São Tomé e Príncipe, começa muito antes de 1975, por isso saber tirar partido da história, também constitui, saber, e saber fazer, para as gerações presentes e futuras.

    O que mais nos devia nos inquietar, sabendo que possuindo nós, pouca mestria para construção, de marcos turísticos, vultos, estátuas, referências arquitectónicas;

    Como podemos deixar, materiais e estruturas de referências histórica,como exemplo de estátuas, casas colónias de valor arquitectónico, a ser destruídos pelo mar, vento, e sol?

    Bem Haja

    Mediante a nossa unidade, disciplina, e empenho no trabalho árduo, envidemos todos, esforços conjuntos, na modernização, progresso, da nossa estrutura social/cultural/política/ambiental/económica desportiva e financeira, para o bem de todos, de modo sustentável.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem à todos

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo