Política

Pinto da Costa garante empenho de São Tomé e Príncipe com vista a entrada da Guiné Equatorial na CPLP

No banquete oferecido terça- feira por Teodoro Obiang Nguema Mbasogo na cidade de Bata, Pinto da Costa, garantiu empenho pessoal para que a Guiné seja o mais breve possível membro de pleno direito da CPLP. Antes realçou a ligação histórica entre os dois países. Guiné Equatorial está ligada ao nacionalismo são-tomense.

A visita de Manuel Pinto da Costa a Guiné Equatorial que começou na terça-feira, se enquadra na política definida pelo Chefe de Estado são-tomense de incremento da cooperação com os parceiros tradicionais de São Tomé e Príncipe, nomeadamente no quadro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa(CPLP) e da região do Golfo da Guiné.

Guiné Equatorial, país onde em 12 de Julho de 1972, foi fundado o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe, é considerado por Pinto da Costa como estando ligado ao nacionalismo são-tomense. «Para além dos aspectos comuns de uma história com mais de 500 anos, ligada aos descobrimentos portugueses e à respectiva colonização não poderia deixar de sublinhar, nesta ocasião, que a Guiné Equatorial ficou para sempre ligada ao nacionalismo são-tomense e a sua luta pela libertação do colonialismo quando em 1972, em Santa Isabel, nasceu o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe», declarou o Chefe de Estado são-tomense.

As declarações de Pinto da Costa foram proferidas num jantar oferecido pelo seu homólogo da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo no amplo salão de recepção do Palácio Presidencial em Bata, a maior cidade do território continental da Guiné Equatorial.

Esta quarta – feira, Pinto da Costa viaja para a ex-ilha de Fernando Pó, hoje designada Malabo, a mesma ilha que alberga e dá nome a capital do país, presidido há mais de duas décadas por Teodoro Obiang Nguema Mbasogo.

O Chefe de Estado são-tomense, um dos pioneiros da criação do movimento independentista criado exactamente na actual Malabo, disse ao seu homólogo que o apoio dado pela Guiné Equatorial aos que lutaram pela independência nacional «será sempre motivo de reconhecimento e que o tempo nunca apagará».

Dentre os vários sinais de progresso que a Guiné Equatorial regista, Pinto da Costa realçou a recente realização do campeonato africano de futebol, CAN 2012. «Podemos efectivamente demonstrar que África é uma terra de esperança e de futuro, após ter sido uma terra de sofrimento e de exploração do homem pelo homem». Declaração de Pinto da Costa, que arrancou forte aplauso, no banquete.

Na mesa de honra que para alem do seu homólogo, contou com as presenças do ex-Presidente Fradique de Menezes, o Ministro dos Negócios Estrangeiros Salvador Ramos, e o Primeiro Ministro da Guiné Equatorial, Pinto da Costa, fixou os olhos em Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, para dizer que os dois países podem se associar como parceiros naturais na implementação de projectos vantajosos nos mais variados domínios desde a economia à cultura.

Defendeu que a região do Golfo da Guiné, onde os dois países assumem posição estratégica, deve ser um espaço de paz e de desenvolvimento. Por isso o combate ao terrorismo, a pirataria, o tráfico de drogas e a protecção do ambiente, devem convergir os esforços dos dois países.

Aplausos ecoaram na sala. A intensidade foi aumentando, e foram mais ruidosos, quando Pinto da Costa, assegurou à Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, o seu empenho pessoal e da República Democrática de São Tomé e Príncipe, em tudo fazer para que a Guiné Equatorial seja o mais breve possível membro de pleno direito da CPLP. «São Tomé e Príncipe continuará a apoiar como tem feito até aqui a pretensão da Guiné Equatorial de pertencer como membro de pleno direito, à CPLP. Posso garantir-lhe Senhor Presidente que poderá contar com o me empenho pessoal no sentido de que sejam criadas as condições para que a Guiné Equatorial se possa tornar o mais rapidamente possível, membro desta comunidade que deve assumir-se cada vez mais como um espaço de solidariedade, desenvolvimento e cooperação ao serviço dos seus povos», garantiu o Chefe de Estado são-tomense.

Aplausos ruidosos, abafaram as palavras do Presidente de São Tomé e Príncipe. Fradique de Menezes ex-Presidente, confirmava com o gesto da cabeça a justeza do discurso do seu sucessor, o ministro dos Negócios Estrangeiros Salvador Ramos, fez o mesmo gesto.

Pinto da Costa que realiza na Guiné-Equatorial a sua segunda visita oficial ao estrangeiro, depois de ter sido investido no cargo em Setembro de 2011, foi recebido de forma calorosa em Bata. Centenas de equato-guinienses e de são-tomenses radicados no país vizinho, saudaram os dois Chefes de Estado que marcharam juntos no meios da multidão.

Os dois Chefes de Estado voltam a se reunir esta quarta – feira, segue-se visita à algumas infra-estruturas da cidade de Bata. Depois Pinto da Costa viaja para a histórica Malabo.

Abel Veiga – Bata / Guiné Equatorial

    35 comentários

35 comentários

  1. Pedro Cravid

    7 de Março de 2012 as 5:20

    Senhor presidente por favor,se não sabe fica a saber,CPLP,não e uma organização que tem algum interesse,séria bom que o senhor preocupa-se com os verdadeiros problemas de São Tomé e Príncipe e do seu povo.O senhor ao longo da sua campanha falou tanto em combater a corrupção,que iria melhorar a vida dos Sãotomenses pelo que se esta a ver até a data nada disse ao povo,sei bem de todo interesse dos politicos Sãotomenses em andar de lado com este senhor de Guiné,um presidente que talvez os inspiram,ditador,corrupto,etc…ai ja se percebe o porque de tanto interesse que é mais pessoal do que colectivo.Assim vai o nosso STP…pergunto mais uma vez ai,quém nos vai salvar desses politicos?…o que é verdade hoje e mentira amanhã.

    • truquim deçu

      7 de Março de 2012 as 11:22

      Carros compatriotas, por favor, deixemos de ser ignorante, mesmo se não gostas do Pinto da Costa não traz estas linguagens de maldição, com certeza o presidente Pinto da Costa esta precurando o melhor, mas o nosso sistema de govrnação que é simiparlamentarista não dá o presidente muitas margens de manobras, por isso aconselho a todos S.tomenses, estamos numa fase, que todos devem dar uma mão, para tirar STP neste buraco que se encontra. Governantes, ai vai o meu apelo, vamos servir o estado ,e não que o estado nos sirva como muitos de vós estão fazendo, pergunto,um país como nosso, que ha tanta miseria, povo a padecer de tamanha necessidade, vocês dirigentes têm coragem gastar tanto dinheiro para comprar corro de luxo?um suzuk Gimepara cada um , dá muito bem para Ministros e derectores, agora, quando as nossas contições economica superar, ai sim podemos comprar carro de luxo, porque justifica,´agora um Ministro sobe hoje a poder com carro de luxo qual foi, pergunto,qual o esforço dele em servir o povo a qual ele foi eleito? mas vos cofesso um dia tudo isso vai ter um fim.

    • Jaca San Goia

      9 de Março de 2012 as 15:21

      como cidadao não sei qual o papel da CPLP, sabem dum esta organização ficou muito a quem da expectativa, santomenses são membros mais para conseguir um visto deixa de ser cidadao para mendigo, visto para estudantes, mesmo pessoas que tem seu capital quer fazer umas ferias ou visitar familia tanta formalidade onde esta a CPLP,eu dou a nota de Comunidade de politicos de paises de lingua portuguesa, porque os verdadeiros cidadaos na vê nem tira qualquer proveito desta instituição, algun politico tem feito algo para que podemos viajar livremente como verdeiros ciadaos de paises membro, como existe na UE, porquê tanta luta para GE entrar, as raias miudas não vão tirar qualquer proveito mais sim os politicos. antecipadamente agradeço pelo tempo que de leitura deste pequeno comentario.

  2. Leucadio

    7 de Março de 2012 as 8:12

    Alguem poderá me dizer, qual a razão da presença do Ex-presidente Fradique na delegação do Pinto???? Será que o Pinto precisava de alguem que o apresentasse ao Obiang?? Claro que não! Será que…???

    • Mimi

      7 de Março de 2012 as 9:04

      Penso que esta visita tem tambem um fim empresarial. Alias, ai de nos se nao aproveitarmos as oportunidades que o pais vizinho nos oferece agora. Ficaremos para tras com certeza. Sendo o antigo Presidente da Republica um empresario por vocacao, nao me parece inapropriado ser parte da delegacao presidencial. Quem me dera ter tambem esta oportunidade! Abracava-a com garras e dentes, uma vez que STP ja se faz pequeno para os empresarios nacionais, marginalizados como tem vindo a ser… Que se abram novos caminhos e novas oportunidades para nos la fora ja que sao cada vez “mai poucos” os que tem lugar ca dentro!

    • KALI KALI

      8 de Março de 2012 as 5:54

      Pinto nao fala Espanhol nem Frances por isso levou FRADIQUE DE MENEZES….HAAA..KUA LI.

      • Mimi

        9 de Março de 2012 as 9:07

        Qualquer falante de português normalmente vira-se muito bem em espanhol. O contrário é normalmente mais difícil. Por outro lado, duvido que o presidente da república nao fale (ou arranhe) o espanhol. Além disso, penso que o presidente é fluente em Francês e talvez o PR guineense também o seja. Por outro lado, para que servem os intérpretes, tradutores, enfim?…

  3. Carlos

    7 de Março de 2012 as 9:34

    A melhor forma de vencer corrupção é conviver com corruptos…..

  4. Fijaltao

    7 de Março de 2012 as 12:54

    Será que o vento da Rússia está a chegar a S:TOmé? Será que o nosso presidente ao viajar a Malabo tem a necessidade da sombra de ex? Não será que daqui a 10 anos irão trocar de camisolas?! Um de novo a presidência e o actual para chefe do governo?
    Aí, o nosso presidente começa a falhar! Espero que não repita este erro crasso!O Fradique que se reforma da politica por uns tempos e visite a Guiné Equatorial com o seu dinheiro e não do malogrado povo!

    • Conóbia cumé izê

      7 de Março de 2012 as 17:07

      Porque não podemos esquecer o passado, a guiné-equatorial,antigo fernando pó/malabo foi defacto onde albergou e nasceu o mlstp.Os são dos pecadores importa corrigi-los.pinto da costa deve olhar o pssado com os pogramar o futuro com os outros para salvar stp.guiné equatorial neste momento pode sim senhor ajudar stp.sendo um pais africano que foi dominado pela espanha e portugal sendo um país ibérico,podemos tudor fazer para que guiné-equatorial seja membro da CPLP.fazer bem,fica-nos bem ! …Fui

      • Fijaltao

        8 de Março de 2012 as 15:08

        Conóbia, em vez de nós estarmos sempre a espera que os outros nos venham ajudar, convém nós arregaçarmos as mangas pensar no nosso futuro , em vez de estar a discutir quem e qual empresário deve investir em s.Tomé, se é mafioso ou não , em vez de dar terras a quem não as pode desenvolver, em vez de entregar os nossos mares a tute meia a união europeia, etc… devemos apressar-nos com cabeça em resolver os nossos problemas, nomeadamente o petróleo para não continuarmos a espera de a ou b de mãos estendidas. É altura de nós também estarmos em pé de igualdade com a Guiné Equatorial e outros paises e deixarmos de ser parasitas!

        • flasóóóó

          9 de Março de 2012 as 12:27

          O nosso mal todo em STP,:
          Não consiste só em pobreza financeira,mais sim INTELECTUAL,MORAL e ESPIRITUAL.

  5. Anca

    7 de Março de 2012 as 14:16

    Deixo aqui o discurso, do Presidente da República Portuguesa, Drº Aníbal Cavaco Silva, aquando, da inauguração da nova sede, da CPLP, em Lisboa, no passado, mês de Fevereiro, citado pela RTP, no dia seis de Fevereiro;

    “O Presidente da República levou esta segunda-feira à cerimónia de inauguração da nova sede da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, a proposta de ““uma bolsa única de recursos humanos e financeiros”” para impulsionar o Português, ““um dos idiomas em maior expansão”.”” “”Cavaco Silva defendeu também a necessidade de a organização ““descer à rua”” e abrir-se ““ao contributo dos seus cidadãos””.”

    “Está inaugurada a nova sede da CPLP.” “Na semana em que completa 15 anos, a organização passa a ter novas instalações no Palácio Conde de Penafiel, em Lisboa.”

    “Diante das personalidades políticas chamadas à cerimónia – entre as quais o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, o secretário executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, Domingos Simões Pereira, o vice-presidente de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos, e antigos chefes de Estado como Joaquim Chissano, Pedro Pires ou Jorge Sampaio -, Cavaco Silva deixou vários apelos: a começar pela necessidade de abertura ““ao contributo dos cidadãos”” e a terminar na proposta de uma ““uma bolsa única”” para a promover o Português enquanto ““extraordinário ativo estratégico””.”

    ““A nossa língua é já hoje a sexta mais falada no mundo e, ainda mais importante, um dos idiomas em maior expansão, fruto não só do crescimento demográfico dos nossos países, mas também do aumento exponencial no interesse que vem suscitando a nível global””, propugnou o Presidente da República, que recuou ao discurso que proferiu aquando do primeiro debate do Conselho de Segurança da ONU sob presidência portuguesa.”

    ““Valor económico enorme””

    “Também Paulo Portas se referiu ao ““valor económico”” da Língua Portuguesa.” Para o ministro dos Negócios Estrangeiros, é “inevitável” a ascensão do Português enquanto língua internacional.”

    ““Um dos pontos mais atrativos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa tem a ver com o facto de o Português ser uma língua que vai triunfar na globalização.” “É falado em quatro continentes, é a sexta língua mais falada no mundo e a terceira língua de origem europeia mais influente””, enumerou o governante português.”

    ““Dentro de algumas décadas, 350 milhões de pessoas falarão Português em todo o mundo e isso torna inevitável a ascensão do Português como língua internacional de trabalho e tem um valor económico enorme””, disse Paulo Portas aos jornalistas após a inauguração da sede da CPLP.”

    “O Português, prosseguiu Cavaco Silva, ““constitui um extraordinário ativo estratégico em termos políticos e económicos””.” O que, defendeu, vincula os países da CPLP a encararem ““como prioridade”” a ““educação e a formação”” em Língua Portuguesa.” “Mesmo levando em linha de conta que ““nem todos”” dispõem dos ““mesmos recursos”” neste domínio.”

    ““A CPLP poderia ser o fórum ideal para essa reflexão conjunta e para a adoção de programas de cooperação abrangendo todos os seus membros, com base numa bolsa única de recursos humanos e financeiros””, sugeriu o Chefe de Estado português, que insistiu na ideia de que a ““expansão da Língua Portuguesa como verdadeira língua universal”” cria ““oportunidades de índole política e económica””.”

    ““Descer à rua””

    “No plano da expressão da CPLP junto da sociedade civil, Cavaco sustentou que a organização deve ““descer à rua”” e abrir portas ““ao contributo dos seus cidadãos, começando desde logo pelos mais jovens, para que estes a sintam como algo que lhes pertence, com que se identificam, como uma real mais-valia nas suas vidas””.”

    “Sem ignorar o que já foi concretizado desde a criação da Comunidade, a 17 de julho de 1996, o Presidente considerou necessário ““ir mais longe””, ““alargando os domínios de cooperação, atraindo uma maior diversidade de setores da sociedade para as iniciativas da nossa comunidade, divulgando, mais e melhor, aquilo que somos e fazemos, mas também o que queremos ser e fazer””.”

    “Outro dos domínios em que Cavaco Silva entende que se impõe ““ir mais longe””, apesar de ““progressos importantes””, é a concertação política: ““A forma articulada e consistente como a CPLP se apresentou na eleição de Portugal como membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas e na escolha do novo diretor-geral da FAO [Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação] foram exemplos eloquentes do que acabo de dizer””.”

    “CPLP ““está na rua””

    “Questionado pelos jornalistas sobre a intervenção de Cavaco Silva, à saída da cerimónia de inauguração, o antigo Presidente da República Jorge Sampaio contrapôs que a sociedade civil está já ““profundamente envolvida”” na CPLP.” “Desde logo através de universidades e instituições científicas.”

    “Sampaio admitiu que ““as pessoas têm de se identificar mais”” com a Comunidade.” “Mas não deixou de citar os exemplos das universidades ou da Fundação Calouste Gulbenkian, que têm desempenhado um papel importante em matéria de cooperação.”

    ““Isto significa estar na rua, estar em projetos que são importantes para as pessoas, e isso a CPLP tem estado a fazer.” “É preciso fazer mais?” “Com certeza que é.” “É sempre””, frisou.”

    “No seu discurso, o Presidente da República quis ainda situar na estrutura ideológica da CPLP a ““defesa da liberdade, da democracia, dos Direitos Humanos e do desenvolvimento económico e social””.” ““Foram esses valores que ditaram, entre outras ações, o apoio que a CPLP prestou e vem prestando à consolidação dos regimes democráticos em alguns dos nossos países irmãos””, afirmou.”

    ““Passos firmes””

    “Do vice-presidente de Angola, país que assegura agora a presidência rotativa da CPLP, as autoridades políticas portuguesas ouviram um agradecimento pela cedência do edifício, que se situa numa encosta do Castelo de São Jorge.” “Para Fernando da Piedade Dias dos Santos, estão agora ““reunidas as condições mais adequadas”” para que a Comunidade ““possa cumprir o seu desígnio””.”

    ““Independentemente dos contextos geopolíticos e geoestratégicos””, defendeu o responsável angolano, importa que os países-membros atuem em conjunto para que a organização possa ““vencer os desafios que se colocam na era da globalização””.” Ainda segundo Fernando Piedade dos Santos, a CPLP tem dado ““passos firmes”” na consolidação de uma cooperação que é ““reciprocamente vantajosa””.”

    ““Querer é poder. Neste caso, nós queremos, logo nós podemos””, rematou o vice-presidente angolano.”

    “A anteceder a intervenção de Fernando Piedade dos Santos, o secretário executivo da CPLP manifestou a convicção de que a estrutura internacional ““pode e deve dar muito mais a todos e a cada um dos países””. ““Temos simplesmente de continuar a sonhar juntos e, através de políticas internas coerentes e partilha das melhores práticas e sinergias a nível multilateral, transformar o sonho em realidade””, concluiu Domingos Simões Pereira.”

    In RTP/Notícias

    “”Bolsa única de recursos” é ideia de Cavaco Silva para a CPLP”
    06 Fevereiro, 2012

    Gostaria de aqui realçar as palavras, do Presidente da República Aníbal Cavado Silva, como um ideal e compromisso, no que se refere a inclusão, da Guiné Equatorial, como membro de direito permanente, no que toca a estrutura ideológica da CPLP a ““defesa da liberdade, da democracia, dos Direitos Humanos e do desenvolvimento económico e social””. ““Foram esses valores que ditaram, entre outras ações, o apoio que a CPLP prestou e vem prestando à consolidação dos regimes democráticos em alguns dos nossos países irmãos””, afirmou.”

    E passaria acrescentar, no trilhar do caminho, de defesa e garantia das liberdades, dos direitos e deveres dos cidadãos, defesa e garantia do processo democrático, dos Direitos Humanos(respeito pelo os direitos das Crianças, protecção dos cidadãos idosos), bem como do desenvolvimento social/cultural ou intercultural/linguístico/político/ambiental e económico/desportivo e financeiro, entre cada um dos estados membros da CPLP.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem à todos

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  6. luisó

    7 de Março de 2012 as 15:33

    sr. PR:
    diz que vai fazer todos os esforços para que a GE faça parte da CPLP…
    Devo lembrar-lhe que o espaço CPLP é um espaço de países de estados de direito e de democracia e não de totalitarismos e de autocracias. A GE não tem espaço pois não há eleições e o Obiang já lá está há 20 anos e o povo vive acorrentado e vigiado pela policia secreta e as vozes discordantes vão parar à cadeia ou desaparecem. É isto que quer para a CPLp?
    Deveria ser ao contrário e censurar esse presidente por oprimir o seu povo e não haver liberdade na GE.Afinal o sr. não lutou contra o colonialismo e pela liberdade dos povos oprimidos? Este neo-colonialismo do OBIANG este diferente porque ele é africano?
    Olhe-se ao espelho sr.PR…

  7. tacho

    7 de Março de 2012 as 16:55

    O Presidente da República, Pinto da Costa, sob a proposta do governo, acaba de dar um grande tacho ao Manuel Vaz Afonso Fernandes. Manuel Vaz regressou de Angola para ser nomeado procurador geral da republica. Agora, acaba de ser nomeado Conselheiro e Chefe da Celula Juridica da CEEAC.Pinto da Costa, contrariamente ao Miguel Trovoada sabe proteger os seus. Força Manuel Vaz.

  8. jaka doxi

    7 de Março de 2012 as 17:02

    Fradique é amigo de obiang e Pinto ainda não é.kikikikiki

  9. Coladura

    7 de Março de 2012 as 18:01

    Tenha calma!

    Só temos que suplicar ao bom senso dos donos de poder, para que haja consciência de atirar, pelo menos, migalha ao miserável povinho.

    A companhia do ex-Presidente na visita presidencial até tem sua razão de ser nessa visita de negócio, como é óbvio, o Senhor Presidente da República não pode fazer negócio directamente e também como é óbvio, os lucros e dividendos são processos ocultos.

    Povinho que se lixe!…

    Os grandes só descansam, nunca dormem.

  10. El Equatoriano

    7 de Março de 2012 as 22:36

    Buenas a todos los Santomenses

    Me gustaria saber onde puedo comprar el famoso livro de Carlos Graça aqui en Guinea Equatorial.

    Hay alguna version en Espanol ?

    Saludos

    • Fijaltao

      8 de Março de 2012 as 15:27

      Equatoriano, para isso tens que ir à S.Tomé, sabes porquê? Porque o Dr. Carlos Graça se tivesse tanta inteligência como dizem, o primeiro país onde reside os santomenses que ele deveria pôr o livro à venda era a Guiné Equatorial! mas, nem para isso esses indivíduos tem tacto, quanto mais para expandir e desenvolver os nossos produtos como peixe, ananás, abacate, banana, etc… para o exterior! Tenho pena do meu país!Quere livro, pegue na canoa, barco ou avião dê um salto até a casa do teu vizinho do outro lado do oceano e vá lá comprá-lo! ou por outra, escreva ao Carlos Graça que te envie pelos correios e levantes mediante o pagamento.

  11. Pála stléno

    8 de Março de 2012 as 9:21

    Do jeito como vejo os coméntário aqui neste fórum tela non, quero afirmar que STP não irá encontrar desenvolvimento muito facilmente devido a mentalidade do povo e principalmete das pessoas que julgamos ter algum conhecimento.Vocês acham que seria bom para o país que o atual presidente da república estivesse de relações frias com ex-presidente? para cultival ódio e rancor e por assim em causa a tal paz social de que tanto se fala? Se fradique viajou com o Pinto eu acho que é bom. Assim mostra uma imagem de maturidade democrática. Um presidente que saiu e outro que está no poder, independentemente se o anterior trabalhou bem ou não. E

    • Abdulay silva

      9 de Março de 2012 as 6:43

      reforço a ideia do camarada , é muito util e importante para um pais com a situação democratica q é santome e Principe mostrar entendimento entre o antigo e o atual governante ainda mas fazendo visita internacional temos é q esforçar omitindo as nosssas diferenças e unirmos para o bem estar e os interessses de todos os santomenses e essa responsabilidade cobe primeiramente a eles independentimente dos erros q possam ter cometidos obgdo e so verdadeiramente apologista pelos gestos q ta a ter o nosso presidente em unir a amizade do nosso pais em relação aos paises vizinhos e irmaos como sempre foi o caso da GE E DE SERTEZA E AXO E VERAMENTE IMPORTANTE Q TENHAMOS DE LADO O APOIO E INSENTIVO DE PAISES COMO Angola GE E MUITOS OUTROS ….

  12. joana costa

    8 de Março de 2012 as 11:26

    Manuel Vaz andou a passear durante 20 (vinte anos) entre Lisboa e Angola. Em Lisboa andava por lá a “estudar” com uma boa bolsa de uma fundação Alemã. Terminou a bolsa entrou em crise e o mesmo foi socorrido pelos seus amigos do MPLA para dar umas aulas de “sociologia”, abandonando por completo o Direito e o contencioso. Pinto da Costa é eleito presidente e o falante Manuel Vaz regressa a STP a procura de tacho. Eis que o mesmo acaba de ser nomeado para ir para CEEAC. O Homem já comeu suficiente no regime do partido unico ( viagens, cargos ministeriais, subsidios, bolsas, mulheres, etc) e nunca quiz trabalhar seriamente, só serve para produzir discursos inflamantes. Acho que deveriam dar oportunidade a outras pessoas muito mais bem qualificadas, evitando que sejam sempre os mesmos a viveram a custa do Estado.

  13. Isidoro Porto

    8 de Março de 2012 as 12:57

    “Comentario encerado.” Porque?

    • Téla Nón

      8 de Março de 2012 as 13:26

      Simples avaria no servidor que alberga o jornal. Breve estará aberto.

  14. luisó

    8 de Março de 2012 as 13:08

    Caro Abel Veiga:
    Comentário encerado?
    Talvez queiras dizer : Encerrado!
    Por favor….

    • Téla Nón

      8 de Março de 2012 as 13:24

      Senhor Luisó, não é Abel Veiga que encerrou os comentários e nem tão pouco escreveu o aviso com apenas 1 R. Trata-se de uma avaria no servidor do Jornal, e automaticamente o sistema que está fora de controlo do editor do Jornal, avança com o tal aviso. Breve o espaço comentário estará aberto.

      • luisó

        8 de Março de 2012 as 14:43

        o meu comentário foi sobre a palavra ” encerrado” que leva dois rr…
        dáaaaa

  15. Pedro Cravid

    8 de Março de 2012 as 13:55

    Tanto tempo que o servidor mantem encerrado não sera uma forma de censura,senhores jornalistas…

  16. BRUNO DAS NEVES

    9 de Março de 2012 as 10:34

    Que complicado sao esses, basta uma brazazinha de fogo para transfomarem num incendio incontrolavel!

  17. Fijaltao

    9 de Março de 2012 as 11:35

    Continuo a dizer que se o Manuel Vaz tivesse caracter, não aceitaria o lugar que lhe foi oferecido pelo presidente Pinto da Costa. Quando S.Tomé e Príncipe precisou de Manuel vaz, o mesmo fugiu de S.Tomé para Portugal com a Justificação de que ia lá estudar mestrado e o doutoramento, usufruindo bolsas exorbitante que dava para os outros estudante mais carecidos que ele. Manuel Vaz e outros membros do MLSTP só dão a cara quando este partido ganha eleições ou um dos membros tiverem no poder extra! O Pinto da Costa deveria oferecer Manuel Vaz uma das roças coloniais degradas para ele remodelar e desenvolver para o bem do povo aplicando os conhecimentos adquiridos com o curso de mestrado e doutoramento. Coitado do povo! À direcção do Telanon que comece a publicar opiniões dos outros sem partidarizar o jornal que vinha tão bem! Que não publiquem só o que vai de vosso encontro!

  18. Fala-ceto

    9 de Março de 2012 as 13:00

    Não é dificil notar k Joana Costa, Pedro Cravid, a semelhança dalguns outros, não passam dos “lambe-botas” de Patrice Trovoada (GABONÊS,DITADOR DISFARÇADO EM DEMOCRATA). Esses lambe-botas, foram preparados psicologicamente para se orientarem na logica de INVEJA e PERSEGUIÇÂO, tal como Patrice tem feito aos empresarios santomenses em beneficio dos Libanezes e os seus socios. Pr.Pinto na qualidade de Chefe de Estado, goza do direito de incluior na sua delegação quem ele bem entender, desde k esta composição traga beneficos para STP.Por exemplo,os Dois milhões de dolares conseguidos nesta missão são mto importantes para OGE, embora se soubesse d antemão k isso nem chega para sustentar as inumeras viagens do sr. Patrice e dos seus comparsas.

  19. Macua

    9 de Março de 2012 as 14:19

    Neste momento de dor e falta de recursos é muito complicado.
    Podemos fazer uma diplomacia mais actuante, com vantagens. De resto é mesmo complicado. Com a entrada da Guiné é o fim da comunidade, mas o que fazer?
    União europeia, chamava-se inicialmente de CEE e eram 12 Estados. Agora virou uma bagunça. Quais sãoos motivos que nortearam a criação de CPLP e CEE?

  20. Macua

    9 de Março de 2012 as 14:24

    Aprendam a fazer o jogo do poder.
    Manuel Vaz Afonso Fernades, grande homem e humano, para mim.
    “Cota quini daná cococotó”

  21. MANUEL SEVERINO

    10 de Julho de 2012 as 20:20

    Elogio fúnebre a António Óscar Gomes Azancot de Menezes (1954-2012)
    Estimados familiares e amigos,
    É com muita emoção e consternação que estamos aqui hoje para prestar uma homenagem muito especial ao nosso ente querido António Óscar Gomes Azancot de Menezes.
    António Óscar Gomes Azancot de Menezes, carinhosamente tratado por Toninho, nasceu na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, no dia 14 de Março de 1954. Fez a sua instrução primária na cidade do Lubango, tendo iniciado os estudos secundários no Liceu Luís de Camões de Lisboa. Após a conclusão do ensino secundário no Liceu Diogo Cão, também da cidade do Lubango, prosseguiu estudos superiores, e frequentou as faculdades de medicina e de direito em Luanda.
    Em 1974, com elevado sentido de responsabilidade, dando seguimento aos ensinamentos políticos, morais e éticos transmitidos pelos nossos familiares mais velhos, demonstrando audácia e inquestionável generosidade, optou por interromper os estudos universitários e, voluntariamente, decidiu integrar as Forças Armadas Populares de Libertação de Angola, o extinto braço armado do MPLA.
    Depois de ter frequentado um Centro de Instrução Revolucionária (CIR) na Região Leste e de ter participado activamente para a proclamação da independência nacional, em 1976 viaja para Baku, antiga União Soviética, para fazer estudos de especialização na área da navegação militar.
    Elogio fúnebre a António Óscar Gomes Azancot de Menezes,
    por Manuel Azancot de Menezes, Luanda, aos 08 de Julho de 2012
    2
    Em 1978/79 regressa a Luanda e assume as funções de Chefe da Justiça da Marinha Nacional Angolana. Torna-se Comandante de Navio e posteriormente integra o Comando Geral do Estado Maior desempenhando as funções de Chefe de Departamento do Plano, com a graduação de Tenente de Fragata, passando mais tarde à reforma com a patente de Capitão de Fragata.
    António Óscar Azancot de Menezes esteve internado na Clínica Girassol em Luanda. A equipa formada por médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar foi incansável. A Junta Médica Militar prestou um apoio inexcedível. O carinho da família e dos amigos fez-se sentir, mas, a doença falou mais alto e ele partiu para sempre.
    Deixou quatro filhos e três netos. O Óscar, a Sara, a Joana e a Michella, são a primeira geração. Os netos, a Petra, o Gonçalo e o Lucas, são a geração que se segue.
    Deixou a mãe Etelvina. Como qualquer mãe, profundamente consternada, chora o filho que perdeu, e pelo facto de não estar presente por razões de saúde, merece aqui uma palavra muito especial de carinho por ter sabido criar e amar o filho que agora todos perdemos.
    Deixou a irmã Aida, o seu marido Carlos e o filho, pessoas extraordinárias que tudo fizeram para apoiar e minimizar o seu sofrimento.
    Deixou a Rute e a Ângela, as outras duas irmãs que choram a dor provocada por esta grande perda.
    Deixou tios, sobrinhos, primos, noras, amigos e bons colegas. Todos nós lamentamos a sua partida e estamos aqui para o último adeus.
    Elogio fúnebre a António Óscar Gomes Azancot de Menezes,
    por Manuel Azancot de Menezes, Luanda, aos 08 de Julho de 2012
    3
    Não é fácil, não é nada fácil numa intervenção em contexto tão doloroso expressar o que sentimos sobre a sua personalidade peculiar, tão forte e exigente, quanto fraternal.
    Quem com ele conviveu de perto sabe que foi uma pessoa modesta, simples, um lutador, desprevenido dos bens, esquecendo-se de si e até da sua saúde.
    Toninho,
    Percebemos o que te ia acontecer quando no fundo do teu olhar sorridente brilhava uma estrela de tristeza. Da última vez que te visitei com a minha irmã lembro-me de ter dito “força pá! E como resposta disseste-me, “força também para ti”. É esta força que gostaria que todos tivéssemos, para, com convicção, darmos continuidade ao projecto dos nossos avós e dos nossos pais.
    Em vida, foste intolerável com a corrupção e com os oportunistas. Em vida, resististe aos canalhas disfarçados e morreste como sempre viveste – Íntegro e incorruptível.
    Esta é a tua grande herança familiar.
    Querido Toninho, está aqui o nosso humilde adeus.
    Descansa em paz!

    • Anonimo

      30 de Agosto de 2012 as 7:39

      É de bradar aos céus!!!! A ousadia que determinadas pessoas têm de escrever sobre pessoas que não conhecem, não conheceram, nem vão conhecer!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo