Política

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde reforçam cooperação no domínio da Saúde

A visita no último fim-de-semana da Ministra-adjunta e da Saúde de Cabo Verde Cristina Fontes Lima(na foto), a São Tomé e Príncipe, permitiu aos dois países, reforçar a cooperação bilateral, dando vida ao protocolo de cooperação assinado em 2007.

A saúde em São Tomé e Príncipe ficou mais doente, com a subida do paludismo, mas também por causa da rotura do stock dos medicamentos essenciais. A Ministra da Saúde Ângela Pinheiro, decidiu dinamizar os protocolos de cooperação assinados com alguns países, nomeadamente Cabo Verde, para tratar do sistema nacional de saúde.

O protocolo assinado em 2007 entre os dois países, previa colaboração entre os dois países na área das farmácias e dos medicamentos, assim como o intercâmbio de experiências e estágios de formação.

Para evitar a rotura do stock de medicamentos, o Governo ajudou a criar a empresa INFARMA-STP, que já abriu as portas na capital são-tomense. É a parceira da empresa cabo-verdiana de produção de medicamentos, INFARMA. Desta forma Cabo Verde passa ser o principal fornecedor de medicamentos essenciais para os centros de saúde e farmácias de São Tomé e Príncipe.

Para além de medicamentos, a parceria entre os dois países vai permitir a importação de outros equipamentos hospitalares, a partir de Cabo Verde.

A Ministra Ângela Pinheiro(na foto), destacou o facto de Cabo Verde, já estar a participar na formação de quadros nacionais do sector da saúde. «Ultimamente muitos dos nossos técnicos têm ido para Cabo Verde para formação. Vamos trabalhar mais para o reforço do protocolo de cooperação», declarou a ministra da saúde de São Tomé e Príncipe.

A Ministra de Cabo Verde que deixou o país ainda no último fim de semana, abriu novas fontes de intercâmbio com São Tomé e Príncipe no sector da saúde.

Abel Veiga

.

    9 comentários

9 comentários

  1. Badiu di STP

    20 de Junho de 2012 as 7:39

    JUNTOS FAZEMOS SÃO E PRÍNCIPE!
    Mantenhas

  2. uuuu

    20 de Junho de 2012 as 8:42

    stp é uma vergonha

    • Adler Santiago

      20 de Junho de 2012 as 12:04

      Meu caro, isso significa “baxesa”, mas sim acto de cooperação.
      Essa parceria vai fortificar as partes envolvidas.

    • carlos d' almeida

      21 de Janeiro de 2014 as 21:12

      Acho que em vez de criticarem ( que é muito fácil ), pensem em ajudar aos que podem ajudar, porque a maioria destes cidadãos que só dizem mal, geralmente falam por falar, e, ou para destruir, mas não conseguem porque São Tomé tem tudo para vencer em todos os capítulos, desde o turismo até á beleza daquela terra que é das belezas mais raras do nosso planeta, assim os governantes queiram, e, tenham orgulho em São Tomé e Príncipe.

  3. Arlindo

    20 de Junho de 2012 as 16:16

    ambos os paises sera beneficiada com esta cooperação.

  4. País da treta

    21 de Junho de 2012 as 7:42

    Qual cooperação, não se compreende que, cria-se uma empresa em que stp tem capital superior a Cabo verde, e depois todos cargos de chefia foi entregue aos jovens cabo-verdianos… Isso é um absurdo. Administrador é cabo verde, directora comercial é de cabo verde, director financeiro é de cabo verde todos eles jovens… O que significa que os jovens de stp estão entregue a sua sorte, ninguém nos defende. Triste país….

    • camafeu

      22 de Junho de 2012 as 18:09

      Uma má informação é igual a uma mentira. O PCA, o Director Financeiro e todo o resto do pessoal são saotomenses. Existem apenas 2 caboverdianas uma Administradora pela parte caboverdeana e a Directora Comercial. Esperamos ter reposta a verdade.

  5. Badiu di STP

    21 de Junho de 2012 as 16:19

    Respondendo o meu caro amigo País da Treta,

    apelaria que tivesse mais calma e procurar se informar melhor porque da parte STP tb tem altos responsáveis na Empresa

    e que deixa-se de fazer tipos desses comentários que serve apenas para manchar o bom nome das pessoas que estão empenhados em fazer algo de bom para este país que é de todos nós

    Kúa ki toka nquê, subú na ka labé va
    Mantenhas
    Badiu STP

  6. Anca

    22 de Junho de 2012 as 2:36

    Antes de mais devo disser

    Muito bem

    Fortalecer laços de cooperação para em conjunto, irmos solucionar-mos os problemas da saúde no país(território/população).

    Muito bem

    Por outro lado, refiro e contexto aqui, a forma como se escreve para transmitir notícia ou informar;

    Caros cidadãos reparem;

    A notícia ou se quiserem a informação, observando pelo titulo nos diz;

    “São Tomé e Príncipe e Cabo Verde reforçam cooperação no domínio da Saúde”

    Nos diz também que;

    “O protocolo assinado em 2007 entre os dois países, previa colaboração entre os dois países na área das farmácias e dos medicamentos, assim como o intercâmbio de experiências e estágios de formação.”

    Agora pergunto;

    O quê que esta informação ou notícia, tem haver com casos de aumento de paludismo e rotura de stock de medicamento?, como se pode observar a seguir na peça;

    “A saúde em São Tomé e Príncipe ficou mais doente, com a subida do paludismo, mas também por causa da rotura do stock dos medicamentos essenciais.”

    Diz também que;

    “A Ministra da Saúde Ângela Pinheiro, decidiu dinamizar os protocolos de cooperação assinados com alguns países, nomeadamente Cabo Verde, para tratar do sistema nacional de saúde.”

    Será que se pode falar em SNS-Sistema Nacional de Saúde, em São Tomé e Príncipe?

    Será que o Téla Nón sabe, do que se prosupõe um SNS?

    Quando um País(território/popualção), é heterogéneo em relação a acesso aos serviços de saude, equipamentos de saúde a populações, se pode falar de Sistema Nacional de Saúde?

    Que cobertura(quantidade/qualidade) tem o País(território/população) à nível de acesso e equipamento aos cuidados e serviços de Saúde?

    Praiquemo o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    Bem haja

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo