Política

Taiwan pretende transformar a delegação de Saúde de São Tomé num hospital de referência

O edifício localizado no centro da cidade de São Tomé, que através da intervenção taiwanesa, funciona actualmente como centro policlínico, deverá se transformar num hospital de referência, sob administração de técnicos taiwaneses. As negociações estão em curso.

O anúncio foi feito pelo embaixador de Taiwan em São Tomé e Príncipe. Jack Cheng que foi acreditado há 4 meses como novo embaixador em São Tomé, promete imprimir nova dinâmica na cooperação bilateral.

O centro policlínico de São Tomé, criado e apetrechado por Taiwan, com laboratório de análises clínicas, serviço de RX, e unidade de estomatologia, também oferece consultas a centenas de utentes.

A cooperação taiwanesa, pretende dar salto mais alto. O centro policlínico deverá ser transformado num hospital de referência, sob administração de técnicos taiwaneses.

O Embaixador Jack Cheng, em conferência de imprensa concedida aos jornalistas, anunciou que o seu governo está a negociar com as autoridades são-tomenses, as modalidades de implementação do projecto. «Posso revelar que o Hospital da Universidade de Medicina de Taiwan pretende realizar um projecto hospitalar aqui em São Tomé», afirmou.

Pelo que o Téla Nón apurou o hospital a ser instalado no edifício da Delegação de Saúde de São Tomé, onde funciona o centro policlínico, será apetrechado com as mais modernas tecnologias médicas, e estará ao serviço da população são-tomense, e da sub-região do Golfo da Guiné.

Ao mesmo tempo, a ilha formosa, disponibilizou 3 milhões de dólares para construção de um novo banco de urgências no hospital Ayres de Menezes. A nova unidade de saúde em fase de construção, será apetrechado com as mais modernas tecnologias, acrescentou o embaixador de Taiwan.

Para além das acções com vista a melhoria das condições de saúde a nível nacional, sem esquecer o apoio financeiro e técnico a campanha de luta contra o paludismo, o embaixador Jack Cheng, indicou novos projectos que estão a pôr luz no país inteiro. No ano passado foram aplicados 300 mil dólares na aquisição de 11 mil lâmpadas solares, que foram distribuídas às crianças em idade escolar, de todo o país principalmente nas regiões onde não há energia eléctrica.

Este ano, mais 500 mil dólares estão a permitir a instalação de postes de iluminação pública solar, em todo o país. São no total 240 postes de iluminação pública. A nível da produção de energia eléctrica, o fornecimento tem sido regular no país, graças a nova central térmica construída e gerida por Taiwan na zona de Santo Amaro. Custou 15 milhões de dólares.

Jack Cheng, detalhou também as acções em curso com vista a disseminar as novas tecnologias de comunicação e informação em todo o país. Para além da instalação na cidade de São Tomé, de centros de formação dos funcionários públicos e dos jovens em informática, a cidade da Trindade, segunda maior do país, vai beneficiar de um centro de gestão de informática. «A nossa cooperação não para e vai ser reforçada», referiu o embaixador.

A nível da agricultura, depois do sucesso, que foi a introdução de novas culturas, como a goiaba que tem produzido rendimento para os agricultores, assim como a produção de pintos e ovos, a cooperação taiwanesa, vai reforçar a sua intervenção no sector. «A missão técnica vai avançar com dois projectos que passam pelo aumento da produção agrícola e a criação de porcos», frisou, Jack Cheng.

Intercâmbio cultural é outra valência da nova fase de cooperação bilateral. O embaixador anunciou a chegada este ano a São Tomé, de jovens taiwaneses para troca de experiências com os colegas são-tomenses. «Virão também voluntários que darão formação em inglês e mandarim na escola secundária da Trindade e pelo menos 1 dos voluntários, vai trabalhar no sector do turismo. Estamos também a preparar a vinda de grupos culturais taiwaneses para exibir aqui em São Tomé», sublinhou.

Por outro lado investigadores taiwaneses, estão a estudar a biodiversidade da ilha de São Tomé. O estudo será publicado em revistas internacionais. «Os nossos investigadores garantem que o país tem fortes potencialidades para o desenvolvimento do eco-turismo», pontuou Jack Cheng.

A nível do investimento privado, Jack Cheng, confirmou que estão em curso negociações entre o Governo são-tomense e um armador taiwanês, com vista a criação de uma plataforma flutuante de mercadorias nas águas territoriais são-tomenses.

O barco gigante que vai garantir o transbordo de mercadorias e equipamentos do mercado asiático para a região do Golfo da Guiné, já atracou por duas vezes consecutivas ao largo de São Tomé.

Anualmente Taiwan disponibiliza mais de 10 milhões de dólares para financiar o Orçamento Geral do Estado são-tomense.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. FBI SOARES

    15 de Julho de 2012 as 22:19

    Desde de ja, eu agradeço o esforço da Rep Taiwan em nos ajudar…Precisamos de ajuda…e espero também que as nossas autoridades possam saber como fazer a melhor gestao possivel desses recursos…Brigad Rep Taiwan

  2. Anca

    16 de Julho de 2012 as 0:23

    Muito bem

    Organizar, Planear, Modernizar, Investir em infra-estruturas, nas TICs, nas Novas Técnologias de Saúde, na educaçaõ/formação de qualidade através de investigação e desenvolvimento,
    no saber e saber fazer, no setor da sáúde, por meio de parcerias público-privadas para o desenvolvimento sustentável, entre nossos parceiros de cooperação, neste caso Taiwan, é funadmental, para inverter a realidade, do sistema de saúde, no País.

    Necessário, se torna, aprofundar esta parceria e cooperação, bem como os projectos, à realidade do sistema de saúde, no todo território nacional de forma, que se quer no futuro homogenea, a nível de prestação de cuidados básicos de saúde, diagnóstico, prevenção, formação, tecnologias, infra-estruturas, no sistema de saúde nacional.

    Bem haja

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. AB

    16 de Julho de 2012 as 6:46

    Isto é conversa para boi dormir. Pois o tamanho e a localizacao da Delegacia de Saude da cidade de Sao Tome, nao permite transfoma-lo num hospital de referencia para Sao Tome e Principe e para toda a regiao do Golfo. Isto é gozo. Com quem é que este novo embaixador esta a aprender a fazer promessas quase impossiveis de cumprir? O Pinto da Costa nao é mentiroso e os Chineses normalmente também nao o Sao. Entao, com quem é que este novo embaixador esta a aprender mentir ao povo?Se realmente Taiwam tem este projecto, faça-o no hospital Central Dr Ayres de Meneses ou entao construa um novo centro hospitalar, cujo a tamanho e a localizacao permita atender a tal ambicao.
    Fui!

    • Grenger Causality

      16 de Julho de 2012 as 15:03

      Meu caro amigo AB

      É uma pena que voce nunca veio para Taiwan para ver como é que os edificios sao construido ai em Taiwan. O espaco onde esta localizado a delegacia de saude, embora pequeno, podera ser possivel construir um hospital de referencia, porque eles aproveitam mais no espaco aereo e subterraneo. Tambem gostaria de dizer que ter acordos com Taiwan é bom,por ser um parceiro serio

    • Tentado a ler

      16 de Julho de 2012 as 15:57

      A tua cabeça é muito pequena para imaginar do que os taiwaneses sao capazes em pouco espaço

  4. MASSA CRITICA

    16 de Julho de 2012 as 8:29

    Só basta aos nossos governantes abraçarem estas ideias e promover a sua implementação com competência….

  5. Felisberto Bandeira

    16 de Julho de 2012 as 9:03

    So tenho agradecer a DEUS e a Governo Taiwnes por toda esta ajuda a Sao.Tome e Principe,mas pricisamos asegurar com dois bracos e duas pernas os Taiweses,porque DEUS esta a usar esta Nacao para nos ajudar so nao ve,ou nao percebe quen nao tem visao. AMEN.LOUVADO SEJA O NOSSO SENHOR JESUS CRISTO O NOSSO SALVADOR.

  6. Kebla

    16 de Julho de 2012 as 9:39

    Talvez seria melhor o seguinte.
    Iaiwan administraria todos os projectos de desenvolvimento na RDSTP durante os proximos 50 anos, e os nossos ditos politicos faz de conta continuariam a ir a Assembleia fingir k produzem legislação, uma vez k não entendem nada daquilo mesmo..

  7. Nikilay

    16 de Julho de 2012 as 11:16

    É de louvar esses apoios.Mas São Tomé tem de procurar mais apoios ou então produzir renda por forma a reabilitação de hospitais que hoje se encontra em ruína,construção de liceu em cada distrito,incentivar investidores a investirem no sector de produção de alimentos e riquezas para o país.

  8. Filho da Terra

    16 de Julho de 2012 as 17:24

    E de louvar todas as ajudas que Taiwan tem dado a sao tome e principe,que Deus continua abencoando esta nacao;Minha gente,Roça Agostinho Neto,Taiwan nao esta, enterecado a este hospital?

  9. DIABO

    16 de Julho de 2012 as 19:06

    Obrigado Taiwan, mas n. esquece q. qd estiver a negociar com as nossas autoridades, n. esquecer da Ilha irmã Príncipe.
    Digo isso pq. a coisas q. são feitas em S.Tomé e a nossa ilha irmã fica para traz, o país é S.Tomé e Príncipe, por isso tenta tb dar uma atenção a nossa ilha irmã..Príncipe. Bem haja

  10. Nando Vaz (Roça Agostinho Neto)

    17 de Julho de 2012 as 13:29

    S.Tomé e Príncipe vs novo paradigma político . É claro no que tange ao sistema de saúde.
    “Sabemos que atual cooperação com a República da China Taiwan, não tem estado a suprir as grandes necessidades e anseios deste povo humilde.O que pretendemos com novo paradigma político é, extinguir a cooperação com a república a cima mencionado e retomar a cooperação com a República popular da China para alavancar o sistema nacional de saúde.”

  11. Fijaltao

    17 de Julho de 2012 as 15:24

    È MUITO BONITO E DE LOUVAR A INICIATIVA.Mas, antes de implementar a ideia, seria mesmo bom a intervenção dos ambientalistas no que toca ao impacto ambiental e ameaça a saúde pública que este projecto pode causar para os santomenses. Para mim e no meu ver, gostaria que a ideia fosse implementada sim, mas virada para um centro de saúde bem apetrechado com consultas e tratamentos diários e com o seu fecho a meia noite, devendo apenas uma parte ficar aberta para pequenas urgências 24 horas. Porém, em substituição da ideia de um hospital, devia-se reabilitar os hospitais de Agostinho Neto, Hospital de àgua Izé para efeitos de internamento, tratamento e diagnostico dos santomenses. O mais trabalhoso, é sempre visto como o mais dificil, por isso se fôr a questão das distâncias ou do aglomerar da população na capital, isso se resolve com ambulâncias apropriadas para o efeito. A este último projecto, cabe ao governo de S.Tomé sugerir aos Taiwaneses outras alternativas com justificações plausíveis e objectivas devidamente comprovadas com projectos de reabilitação daqueles hospitais e avançar para suas remodelações e conclusão das obras e colocação de equipamento e mão de obra ao serviço de S.Tomé com solução sustentável de um projecto viável e duradouro.Cuidado com as ofertas que nos fazem, não as aceite sem que para tal façam análise profundas das consequências futuras, tais como as consequências que poderão daí advir, criando no centro da capital um hospital cujo saneamento básico é das mais antigas e duvidosas, problemas que poderemos ter com incineração de produtos hospitalares usados, a poluição da água grande aí ao pé, contaminado a cidade e o mar que bem próximo se dista deste complexo!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo