Política

São Tomé e Príncipe ajudou a eleger Nkosazana Dlamini-Zuma como Presidente da Comissão da UA

O Presidente da República Manuel Pinto da Costa, que tomou parte pela primeira vez na cimeira dos Chefes de Estados da União Africana, que decorreu em Adis Abeba- Etiópia, garantiu que o arquipélago iria votar na candidata sul-africana.

Apesar de ser membro da Comunidade Económica dos Estados da África Central, que apoiou a recandidatura do gabonês Jean Ping, ao cargo de Presidente da Comissão da União Africana, São Tomé e Príncipe apoiou a candidatura da ministra do interior da África do Sul  Nkosazana Dlamini-Zuma a presidência da Comissão da UA.

Uma aposta vitoriosa do Presidente Manuel Pinto a Costa, que enquanto Chefe de Estado fez saber na sua deslocação a Adis Abeba, que é o líder da política externa de São Tomé e Príncipe. Segundo Pinto da Costa, durante a cimeira da União Africana, terá contactos com outros chefes de Estados Africanos, exactamente para apresentar as novas ideias da política externa do arquipélago.

Prova da liderança clara da política externa são-tomense, sob comando do Presidente da República, é a decisão de apoiar a candidatura vitoriosa da África do Sul, à presidência da comissão da União Africana.

Em 2008 sob a presidência de Fradique de Menezes, São Tomé e Príncipe, apoiou a candidatura de Jean Ping ao cargo. Em Janeiro deste ano na primeira disputa com a candidata sul-africana, Jean Ping voltou a beneficiar do voto de São Tomé e Príncipe, que se fez representar na cimeira pelo Primeiro-ministro e Chefe do Governo, Patrice Trovoada.

Na disputa final em Julho o sentido de voto de São Tomé e Príncipe, alterou, porque o novo actor político tem uma nova visão de política externa para o arquipélago, Pinto da Costa. O Chefe de Estado são-tomense que visitou África do Sul, e tem ligações estratégicas com Angola, dois países fortes da África Austral que sustentaram a candidatura da ministra e mulher do Presidente da África do Sul, Nkosazana Dlamini-Zuma, ao cargo de Presidente da Comissão da União Africana.

O Presidente são-tomense regressa esta tarde ao país, após vitória da candidatura são-tomense ao cargo de Presidente da Comissão da União Africana.

Abel Veiga

    17 comentários

17 comentários

  1. TVSA-Televisão Santomense Aberta

    16 de Julho de 2012 as 12:05

    África!
    S.Tomé e Príncipe!
    Os nossos sinceros Parabéns.Esperemos bons resultados desta brilhante vitória.Finalmente é a África que sai a ganhar.
    E ao nosso caro Primeiro Ministro – “As nossas Condolências” pela derrota do Gabonês Jean Ping. E como agora vai ficar o que ele prometeu em contrapartida pelo apoio? O investimento aos projetos em STP?
    Nón molê!!!!!!!!!!!

    • TVSA-Televisão Santomense Aberta

      16 de Julho de 2012 as 13:12

      Os nossos muito obrigado e parabéns pela decisão tomada e apostada ,vai à Sua Excia Sr Presidente Dr. Manuel Pinto da Costa.

  2. Palacio do Povo

    16 de Julho de 2012 as 12:27

    Pai Grande arranja boquita rapido, esse velho tem talento!

  3. Cidadão

    16 de Julho de 2012 as 12:38

    A ilha do Principe importa professores de Cabo Verde porque ha défice de professores na região. Nós em S.Tomé deviamos importar Políticos de Cabo Verde.

    • meymadra

      16 de Julho de 2012 as 18:03

      nao ha defice de professores em STP, mas sim os politicos saotomenses nao valorizam os quadros nacionais. com tanta gente querendo trabalho em STP vamos importar pessoas de fora e pagamos muitas vezes mais de 5 vezes o valor que pagamos a um nacional.

  4. Conóbia cumé izê

    16 de Julho de 2012 as 14:13

    STP FEZ APOSTA CERTA.ÁFRICA TEM O DIREITO DE TER UMA PERSONALIDADE QUE AO NÍVEL EXTERNO SEJA OUVIDO E RESPEITADO.ÁFRICA DE SUL É UM DESSES PAÍSES . MUNDIALMENTE TÊM-LHE RESPEITO. O PR DE STP DR. MANUEL PINTO DA COSTA ,FEZ UMA BOA APOSTA.PARABENS !… FUI

  5. bbva

    16 de Julho de 2012 as 15:03

    Patrice Trovoada toma. O Sr PT pensa que é muito inteligente, grande estratega e melhor politico santomense. O Pinto da Costa é pai grande.

  6. CIDADÃO

    16 de Julho de 2012 as 16:30

    desculpe, que também é parcial…

  7. Carlos Ceita

    16 de Julho de 2012 as 16:52

    Que a União Africana aprenda com os erros e virtudes da Construção Europeia.
    Que não tenha apenas em conta o aspecto formal da democracia mas ter em conta a prática e qualidade da democracia.
    Que promova luta sem tréguas contra corruptores e corruptos, injustiça social e golpes de estados.
    Luta contra a guerra civil contra o ódio étnico e religioso e contra os fanáticos bandidos como os que neste momento andam a destruir o timbuktu no Mali.

  8. Augerio dos Santos Amado Vaz

    17 de Julho de 2012 as 0:27

    Os nossos sinceros parabéns.

  9. El Chakal de Cuba:

    17 de Julho de 2012 as 2:47

    O Pinto uma vez mais esta a mandar mensagem ao Patricio Trovoada,que ele sabe lidar muito bem com a democracia e que em materia de politica externa é de sua plena competencia ” Uma aposta vitoriosa do Presidente Manuel Pinto da Costa, que enquanto Chefe de Estado fez saber na sua deslocação a Adis Abeba, que é o líder da política externa de São Tomé e Príncipe.”

    Um bem haja a todos santomenses

  10. Blogonón Paiva

    17 de Julho de 2012 as 6:40

    Parabéns Sr. Presidente. Visão de um Estadista estratégico e pensa no futuro do seu Pais. Com esta decisão o Presidente da Republica mostrou claramente a magistratura de influencia. Patrice Trovoada e os seus amigos Gaboneses sentiram o peso do Presidente da Republica. Forcça Dr. Manuel Pinto da Costa. Bom subsidio para incluir no balanço do primeiro ano de mandato. Obrigado Presidente.

  11. Filipe Samba

    17 de Julho de 2012 as 8:33

    A Presidente eleita da Comissão da União Africana, Nkosozana Zuma, defendeu a unidade dos países para o desenvolvimento do continente.
    Em conferência de imprensa, a ainda ministra sul-africana do interior declarou que a sua eleição ao cargo não é pessoal, mas uma aposta do continente e das mulheres, em particular.
    Promete, com responsabilidade e sem descriminação, contribuir para a coesão, e crescimento económico e social em todas as regiões económicas do continente.
    Falou na necessidade de parceria, incluindo com as Nações Unidas, para que a África ocupe o seu lugar no concerto das nações, bem como contribuir para a paz e segurança mundial.
    A promoção do desenvolvimento sustentável, a protecção da biodiversidade e a resolução de conflitos tiveram igualmente enfoque, na sua primeira intervenção pública na qualidade de presidente da comissão da união africana, órgão que se responsabiliza pela gestão e administração da organização.
    Num universo de 51 países Nkosozana Zuma venceu com 37 votos na quarta ronda do pleito ao gabonês Jean Ping, que concorria à sua própria sucessão.
    O vice-presidente da comissão da UA, o queniano Erastus Mwencha, foi reconduzido, enquanto para comissários foram eleitos Ramtane Lamamra (Argélia), para as questões de paz e segurança, Alisdha Abdullahi (Nigéria), assuntos políticos, e Elham Mahmound (Egipto), para infra-estruturas e energia.
    Mustapha Kaloko (Serra Leoa) fica com os assuntos sociais, Fátima Acyl (Tchad), desenvolvimento industrial e Rhoda Tumusiime (Uganda), com a área de economia rural e agricultura.

  12. Aborrecido

    17 de Julho de 2012 as 16:41

    Eu muito pouco sei sobre a Politica e muito menos sobre a dita politica externa, pois tenho pouca instruçao. Mas a pouca instruçao que tenho me permite ver nessa decisao apenas o resultado das influencias da nova metropole. Qual metropole? Claro, ANGOLA!!!! Mas a politica e a Democracia são mesmo assim: cada um manda consoante os seus interesses. O Patricio perdeu e o Pinto Ganhou§ E STP quando é que vai ganhar? Sera que alguem se importa com isso????

  13. paparazzi

    17 de Julho de 2012 as 18:45

    Parabens povo de stp parabéns pr pinto da costa que patrice começa a entender melhor a política externa que não e só viajar e tb ter visão de estado

  14. Isidoro Porto

    17 de Julho de 2012 as 22:31

    Acabou a “GUERRA POLITICO-DIPLOMATICA” que assolou STP, onde um dos maiores palcos foi a ilha do Príncipe, com uns rescaldos na ilha de nome Santo.

    Os dois adversários (CEAC e SADC) transformaram STP num campo de batalha “sangrenta” com a SADC sob a bandeira de HB – Vidas Boas (projecto Sul Africano com denominação portuguesa – que estranho) diplomàticamente prometento projecto de mais de USD:70 milhões de dólares nos próximos 9 a 10 anos (sem cronograma nenhum sobre a aplicação temporal do montante) em pleno decorrer das campanhas do primeiro embate e CEAC sob a bandeira de SOTOCAO a prometer cultivo de nonocultura de cacao que tiraria STP do marrasmo em que se encontra.

    Sentei por cima do murro empunhando um potente binoculo de longo alcance observando o desenrolar da referida“Guerra” observando como os tubarões e políticos levavam o povinho a degladiar-se.

    Houve inclusivé ameaça e ultimato a um Governo soberano. 21 de Dezembro de 2011 – data limite.

    A verdade porém, depois do impasse no primeiro round da eleicao, e depois da assinatura da concessão por parte do Governo Central, verificou-se um abrandamento estranho com desculpas esfarrapadas sobre o arranque do projecto.

    Tudo, milimètricamente bem pessado, ficou adiado para garvana, tempo seco quando se pode trabalhar sem incomodos das chuvas.

    Mas coincidentemente, o segundo round teria lugar exactamente no periodo seco. Nesta altura já não haveria dúvidas sobre qual teria sido o sentido do voto de STP.

    Agora que já sabemos, que HB-VIDAS BOAS venceu diplomàticamente o SOTACAO e a AGRIPALMA, agora que STP cumpriu integralmente a sua parte, só nos resta diplomàticamente EXIGIR que o HB-VIDAS BOAS cumpra integralmente a sua parte/ promessa.

    STP pela sua humildade e honestidade e lealdade tem corrido atrás dos prejuizos, por acreditar em muitas promessas diplomáticas.

    Nos dias de hoje, a diplomacia não deve ter uma só direcção. A visão diplomatica do país nestes casos, deve primar por almejar sempre algo em troca, para que o “fugareiro” da nação não apague e a sua panela tenha sempre algo a ferver, para o repasto dos seus filhos.

    Esperemos que HB-Boas Vidas (projecto Sul Africano, anglófono, com denominação lusófona) cumpra integralmente a sua parte, uma vez que, me parece que o SOTOCAO e AGRIPALMA já esmoreceram.

    A nossa votação, sem vacilar, foi a 100%. Esperemos que em troca, HB-Vidas Boas não ofereça ao país apenas 10 a 30 porcento como tem vindo a acontecer com outros parceiros.

    Não importa que seja Pinto a vencer ou Patrice a perder. O que importa é que cada acção quer do Pinto, quer do Patrice, quer do Fradique, quer de quaisquer cidadãos de STP, quer do ADI, MLSTP ou PCD, quer de quaisquer grupos sociais ou políticos, quer internamente, quer no exterior do país, traga benefícios palpáveis (económicos, morais, diplomáticos, culturais, etc) para STP, no presente e/ou no futuro. O resto não impoorta. Ja perdemos muito tempo em quisilias entre irmãos. Todos juntos seremos fortes.

    VALE DIZER QUE NESTE CASO PARTICULAR STP AINDA NAO GANHOU. VAMOS ESPERAR PARA VER A CONTRAPARTIDA CONCRETA E POSITIVA POR PARTE DA SADC.

    Isidoro Porto
    17/JUL/2012

  15. Argenezio Antonio Vaz

    19 de Julho de 2012 as 11:33

    Não enganam mais as pessoas. Digam a verdade. Então foi da autoria do Pinto tomar essa decisão? Não, digam a verdade. Tenham a coragem e falem a verdade; O Pinto fez o que Angola mandou fazer e nada mais. Quando é que temos palavra nossa, nunca.
    Mas eu acho que essa eleição é boa. Na verdade, Africa precisa de ser mais autonoma e resolver os seus problemas. Foi uma vergonha, o que passou em Costa de Marfim e Libia. Foram os franceses é que vieram e dar pau aos africanos, quando nos poderiamos fazer algo. Va em frente Agrica de Sul. Parabens a terra de MANDELA, esse sim que é um lider. Libertou o seu Pais e nunca quiz beneficiar disso, ao contrario dos nossos. Aprendam alguma coisa com o Mandela.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo