Política

Sector privado da França contribui decisivamente para o crescimento sustentado da agricultura são-tomense

Nas celebrações no passado dia 14 de Julho, do dia da França, Jack Couzy, encarregado de negócios em São Tomé, destacou a acção do sector privado do seu país, na promoção de culturas agrícolas de alta qualidade para o mercado internacional. Formação de quadros é outro destaque da cooperação bilateral.

2012 deu a França um novo Presidente, o socialista François Hollande, cujo partido também conquistou maioria absoluta nas eleições legislativas. Jack Couzy (na foto)encarregado de negócios da França em São Tomé e Príncipe, que organizou uma recepção no jardim do consulado por ocasião do dia da França, 14 de Julho, salientou o importante contributo que o seu país dá para ajuda ao desenvolvimento. «A França contribuiu em 2011 com 9,35 bilhões de euros na ajuda ao desenvolvimento, o que torna o meu país no quarto doador da OCDE. O Progresso é significativo passamos em dez anos de 0,31% do PNB para 0,46% do PNB no final de 2011. A meta é chegar a 0,70% do PNB em 2015. Essa assistência engloba a ajuda bilateral e multilateral», afirmou.

São Tomé e Príncipe, é um dos países pobres que beneficia da ajuda pública francesa, sobretudo por via multilateral. O encarregado de negócios, explicou que a França é um dos maiores financiadores do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED), com cerca de 21%. O décimo FED que está a ser implementado em São Tomé e Príncipe está avaliado em 22 milhões e euros.

A cooperação bilateral considerada por Jack Couzy de excelente, assenta-se nos valores do diálogo, solidariedade e respeito mútuo, declarou o encarregado de negócios. Promoção da língua francesa em São Tomé e Príncipe, é uma das acções de vulto da representação diplomática que através da Aliança Francesa de São Tomé e Príncipe, forma estudantes, mas também professores. No Instituto Superior Politécnico de São Tomé há um departamento de língua francesa. .

Para além de várias actividades culturais promovidas pela Aliança Francesa, o encarregado de negócios, anunciou para breve a criação de um espaço de formação dos artistas são-tomenses, designado “Teatro de Verdura”. No âmbito da formação de quadros, para além de bolsas de estudos concedidas anualmente aos estudantes são-tomenses, a cooperação francesa, decidiu para 2012 introduzir um projecto de “formação por excelência”. «Este ano  dois alunos do liceu nacional irão seguir os estudos no liceu francês Blaise Pascal de Libreville», explicou Jack Couzy.

Nos próximos 3 anos, a embaixada da França que está sediada em Libeville – Gabão, pretende ter no liceu francês de Libreville pelo menos 6 alunos são-tomenses devidamente seleccionados.

A ilha do Príncipe, é outro alvo da cooperação francesa, que nos próximos dias vai conceder ao Governo Regional, uma ambulância moderna e equipada, assim como equipamentos modernos para a Rádio Regional e para a delegação da TVS no Príncipe. «São equipamentos que permitirão realizar reportagens profissionais no terreno e também fazer a montagem dessas reportagens mesmo no Príncipe», sublinhou Jack Couzy.

Financiadora das ONGs que executam projectos de apoio à juventude, a cooperação francesa é também parceira do desporto nacional, através do patrocínio que concede a “Volta do Cacau”, prova internacional de ciclismo que se realiza em São Tomé.

Numa altura em que o Governo são-tomense aposta na atracção de investimentos privados, para relançar a economia, o encarregado de negócios da França, destacou o papel que as sociedades privadas francesas têm desempenhado na promoção da agricultura são-tomense.

O Grupo Malongo, em parceria com os agricultores de Monte Café, está a promover a produção e exportação de café de alta qualidade para o mercado francês. HOMTER, é outro grupo privado francês que trabalha em parceria com a cooperativa de produção de pimenta biológica e outras especiarias.

KAOKA é nome de outra empresa francesa, ligada a produção de chocolate de qualidade, que há vários anos lançou as bases para a produção de cacau biológico. Ajudou a criar a cooperativa dos agricultores, que neste momento garante a maior produção nacional de cacau, que é vendido a bom preço, elevando assim o rendimento dos agricultores.

A intervenção do sector privado francês, não fica pela agricultura. «Projectos maiores estão a ser realizados pelo grupo TOTAL na área de exploração de petróleo na zona conjunta com a Nigéria. O projecto de construção do porto em águas profundas, que deverá ser levado a cabo nos próximos anos pelo grupo francês CMA CGM, representado em São Tomé e Príncipe pela empresa Terminal Link»,  acrescentou Jack Couzy.

O Ministro das Finanças e da Cooperação Internacional Américo Ramos, que falou em nome do Governo, enalteceu a importância da cooperação francesa para o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe. Segundo Américo Ramos, França é um parceiro importante para o arquipélago.

A Ministra da Saúde Ângela Pinheiro, é outro membro do governo que marcou presença na celebração do dia da França. Deputados, diplomatas e outras individualidades encheram o jardim do consulado da França em São Tomé, numa recepção que serviu como despedida de Jack Couzy. O encarregado de negócios da França será ainda este ano, substituído por outro colega.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Anca

    18 de Julho de 2012 as 10:48

    Boa notícia

    Somente um reparo;

    Na primeira foto, olhem a firmeza e postura do encarregado de Negocio Francês, e olhem a curvatura do tronco, e a mão estendida, para o aperto de mão(isto reflecte o comportamento e carácter de um povo), do responsável SãoTomense.Como que a reflectir o País, pois o País, encontra-se curvado vergado á bondade e carestia de outros povos, e nisso, somos todos nós SãoTomense responsavel, pela falta de postura, sinceridade, honestidade, de critérios, falta de organização, planeamento e gestão do território, mar, população.

    Na segunda foto, enquanto os Europeus-Franceses têm postura, alguns SãoTomenses, bebem e têm a mão no bolso, .

    Uma foto, vale mais do que mil, palavras.

    Apreendamos a ser estar, apreendamos a pensar, e jamais estejamos, sempre de braços, cruzados e no bolso a beber, de braços estentidos, a pedir, á espera sempre de ajuda, sejamos empreendedores.

    Vamos trabalhar, ter gosto pelo trabalho árduo, para construir, o País (Território, Mar, População).

    Neste mundo nínguém da nada a nínguém, sem esperar, receber, algo em troca.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

    • Anca

      18 de Julho de 2012 as 11:11

      Comparem a segunda imagem, com a imagem visual in-loco, de constatação diária dos SãoTomenes, que vivem abaixo do limiar da pobreza, que vivem com fome, na miséria, na pobreza extrema, sem poderem fazer uma refeição por dia/dias.

    • lupuye

      19 de Julho de 2012 as 1:59

      Sera? E os orientais que se curvam perante outra pessoa, sobretudo perante alguem seu superior hierarquico? Isso nao significa que estao sujeitos ao outro mas sim o fazem por respeito. Infelizmente o respeito e algo que esta desaparecendo da nossa sociedade.
      Ha sociedades em que nao e sinal de respeito ver o teu interlocutor nos olhos se este for mais velho ou teu superior hierarquico e outras ha em que se deve ver o interlocutor nos olhos durante uma troca de impressoes. Portanto, tudo isso e questao de cultura e de ensinamentos. E no nosso pais sempre mostramos respeito pelos nossos interlocutores, isso nao quer dizer que estamos mostrando pequenez nem inferioridade.

  2. Cidadão

    18 de Julho de 2012 as 11:06

    Ó Abel, nesta noticia ha fotos que não interessa aos leitores.

    • Anca

      18 de Julho de 2012 as 11:25

      Falta-nos a cultura de disciplina de gosto e empenho pelo trabalho árduo, a cultura de compromisso, da sériedade, da honestidade, da responsabilidade, da organização, falta de postura e sentido de Estado, falta de sinceridade, de esclarecimento e transparência, no modo de ser e estar, no pensamento: hora essa falta que temos, reflecte o modo como nós se fazemos e praticamos a gestão do território, do mar e da população, enfraquecendo assim, a nossa sociedade, a nossa, comunidade, o nosso Estado, o nosso País, na inter-dependência, no concerto das Nações.

      Refiro-me á todos os cidadãos SãoTomenses, nenhum em particular.
      Embora seja suspeito.

      Mas acredite-mos no futuro

      Acredita em ti, na mudança que és capaz de fazer em ti, para mudar o País, no teu/nosso modo de ser estar, e pensar.

      Mãos á obra, vamos lá

      Eu acredito

      Bem haja

      Pratiquemos o bem

      Pois o bem

      Fica-nos bem

      Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • maria

      18 de Julho de 2012 as 12:28

      onde fica a separação entre a esfera publica e a esfera privada? Num Estado de Direito faz diferença.

      O ano passado foi semelhante Dona Helena e a nora estavam na tribuna oficial ao lado do Ministro dos Negocios Estrangeiros

  3. Badiu di STP

    18 de Julho de 2012 as 15:53

    Não concordo, isso é uma farsa é só ir as roças e perguntar quanto pagam aos trabalhadores afetos a aqueles projectos
    Deixemos de ironias… continuo no próximo capitúlo.
    Mantenhas

  4. arlindo fernandes

    18 de Julho de 2012 as 16:57

    Para quem percebi de fotografia ate da ideia que nos e que estamos a fazer favor a Franca.As maos nos bolsos desses senhores e sinonimo
    de arrogancia deste governo e incapacidade dos seus membros.Meus senhores a humildade e a guia de trabalho para uma boa governacao.Como diz o outro uma imagem vale mais que mil palavras

  5. CIDADÃO

    18 de Julho de 2012 as 17:35

    De facto os ditos representantes da nossa Republica ficaram muito mal na fotografia

  6. Cidadão

    18 de Julho de 2012 as 20:02

    A última foto retrata bem os santolas. Sempre que são convidados para alguma cerimónia, vão todos “famintos” e armados em importante. E o pior é que nunca aprendem. É triste!

  7. Filipe Samba

    19 de Julho de 2012 as 5:25

    A França que conceda a independência económica as suas colónias
    Qual é o tributo que o Grupo Malongo paga ao estado de S.T.P, anualmente»?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo