Política

“Apostar numa cultura de transparência, assente no mérito e competência”

É a receita recomendada pelo Presidente a República para que a administração pública cumpra com o seu papel em 2013. Na cerimónia de cumprimentos do corpo diplomático por ocasião do ano 2013, Manuel Pinto da Costa disse que São Tomé e Príncipe é defensor da política do multilateralismo.

O Chefe de Estado são-tomense que recebeu apoio do corpo diplomático acreditado junto ao Estado são-tomense, na implementação e promoção de políticas de cooperação e amizade entre o arquipélago e outros países e instituições internacionais, agradeceu também «o esforço dos vossos países e organizações, especialmente o dos nossos parceiros tradicionais, em manter o nível de apoio ao povo de São Tomé e Príncipe e o vosso grau de envolvimento no processo de desenvolvimento do país», afirmou.

Pela primeira vez publicamente o Estado são-tomense posicionou-se em relação ao conflito armado no Mali. «No continente africano permitam-me ainda realçar a situação no Mali onde se espera que, na sequência da intervenção militar em curso e das resoluções adoptadas na recente cimeira da União Africana, sejam criadas as bases necessárias para uma solução duradoura e permanente que preserve a integridade territorial daquele país», realçou o Chefe de Estado são-tomense.

Pinto da Costa, destacou para o corpo diplomático o posicionamento de São Tomé e Príncipe, em relação à política internacional. «Somos e pretendemos ser, cada vez mais, um país aberto ao mundo e convictamente defensor do multilateralismo como o instrumento mais adequado para a resolução de qualquer diferendo», frisou.

O Presidente da República falou sobre a situação política interna, mas o destaque foi para a Administração Pública. Despartidarização da administração pública é uma necessidade urgente segundo o Chefe de Estado. «Assume particular importância a administração pública cujo objectivo, principal e exclusivo, terá que ser sempre o de bem servir as populações. Para que esta cumpra efectivamente o seu papel é fundamental apostar numa cultura de transparência, assente no mérito e competência, de modo a assegurar condições de rigor, eficácia, eficiência, disciplina e trabalho ao serviço dos cidadãos e do desenvolvimento económico do país»,enfatizou.

Para o corpo diplomático acreditado junto ao Estado são-tomense, ficou manifestada a convicção do Presidente da República de que «em 2013, apesar de todas as dificuldades, os Santomenses saberão dar uma resposta adequada e consistente e enfrentar, com sucesso, os grandes desafios que se colocam nos domínios do combate à corrupção e na luta contra a pobreza, na implementação de políticas que respondam às expectativas dos cidadãos e, acima de tudo, que permitam alimentar a esperança num futuro melhor para as próximas gerações», concluiu.

O discurso integral pode ser analisado pelo leitor –

Abel Veiga

    39 comentários

39 comentários

  1. E. Santos

    11 de Fevereiro de 2013 as 15:37

    Vocês têm a certeza que a mesma pessoa que escreve os discursos do Presidente é a mesma que o aconselha depois no caminho a seguir?
    Vão me desculpar, mas ou eu sou muito burro, ou os assessores do Presidente andam a brincar, quer dizer, a lhe enganar.
    E só pode ser de propósito. Querem manchar a imagem do Presidente.
    Não é normal tanta claraevidencia de divergência entre o discurso do Presidente e as posições que ele tem vindo a assumir.
    Vocês parem com isso. É que é tão evidente que só com Cristo.

    • E. Santos

      11 de Fevereiro de 2013 as 15:41

      Acham normal que o Sr. Presidente nomeie Elsa Pinto para PGR e depois vem-nos com discurso de “transparência”? Façam-nos o favor.
      Sr. Presidente está-se a esquecer que mandou muita gente estudarno tempo do mono e mesmo depois de ter saído os Santomenses continuaram a estudar.
      Toma-nos por parvos porquê? Custa-me acreditar, sinceramente.

      • JBrown

        11 de Fevereiro de 2013 as 17:56

        Deixa de ser fundamentalista. Nem tudo que se diz ou se escreve na política é exequível.

        • E. Santos

          12 de Fevereiro de 2013 as 9:50

          Vai se catar. Os homens têm de ser coerentes. Acha que teria sido tão difícil assim o Presidente não nomear Elsa Pinto para manter a sua promessa e palavra? Acha que teria custado tanto ao presidente não pactuar com fraude ocorrida na eleição do Alcino Pinto para Presidente da Assembleia nacional? Faça-me o favor de ficar calado, se não vem ajudar em nada. Nós não estamos a falar de economia em que as variáveis fogem ao nosso controlo.
          Se quer se submeter a incoerências,a falta de caracter e dignidade humana, a desmandos, problema seu. Mas não espere que pessoas de bem o façam. Era só o que nos faltava agora.

          • JBrown

            12 de Fevereiro de 2013 as 11:25

            “Faça-me o favor de ficar calado, se não vem ajudar em nada.”

            Não se irrite tanto. Não tenho o intuito de lhe ofender.

            A minha opinião em si já é um ajuda. Para as mentes brilhantes e fundamentalistas como a sua. Não é intelectualmente correcto vir-se criticar por criticar baseando-se em “ses”.

            Muitas vezes é necessário aceitar outras correntes de pensamento. A coerência que tanto propala no seu discurso também é isto.

      • JBrown

        11 de Fevereiro de 2013 as 18:10

        O único problema que vejo nestes discursos (para além das mentiras) é que eles não são motivadores e são enfadonhos. Porque as vezes é preciso mentir para motivar as massas.

        • E. Santos

          12 de Fevereiro de 2013 as 9:52

          Se a ideia for motivar cego ou surdo (com o devido respeito a estas pessoas), aí tudo bem. Porque de resto não vai motivar mais ninguém, antes pelo contrário. Vai enraivercer as pessoas, que é o que está a acontecer.

          • JBrown

            12 de Fevereiro de 2013 as 11:35

            Repara bem nas promessas mais mediáticas do anterior PM. Muitas delas eram inexequíveis a curto médio prazo.

            Contudo foi um factor motivante sobretudo para investidores estrangeiros que o mesmo tentou angariar para STP.

            É claro que também foi motivo de contestação e chacota ao nível interno, das oposições em STP, a esta forma de estar do ex-PM.

            Mas de uma forma ou de outra aquelas promessas puseram o nome de STP no mapa. Muitos não se aperceberam disto.

            E as massas ficam na expectativa, por isso a figura do ex-PM tem uma grande aceitação da parte da população.

          • Lódoma

            12 de Fevereiro de 2013 as 12:52

            Se ocupares esse lugar farias mesma me… ou pior muito de nós só sabemos criticar.

    • Sousa Gamboa

      13 de Fevereiro de 2013 as 19:22

      E. Santos,

      A tua questão obriga-me a levantar uma outra. Quem terá escrito “Terra firme”? Depois de todos esses desmandos, penso alguém enganou no título e no conteúdo. Porque agora estamos em Terra movediça com tsunami no horizonte.

      • E. Santos

        15 de Fevereiro de 2013 as 15:55

        Eu começo a pensar que Terra Firme possa ter sido escrito por Cavaco Silva. Ou Ramalhe Eanes, quem sabe?
        É que foram as pessoas que acreditaram nele diga-se.

  2. DC

    11 de Fevereiro de 2013 as 16:05

    Não é possível haver uma cultura de transparência quando se procede a uma nomeação que, quer objectivamente, no plano dos príncipios e no plano das consequências, quer pelo seu relevo político – institucional, espelha o contrário da transparência!

  3. malebobo

    11 de Fevereiro de 2013 as 16:33

    afinal de contas o quê que esses Assessores estão no palacio do povo a fazer, aconselha o velhote boas ideias, ok

    • Espirito Santo

      12 de Fevereiro de 2013 as 14:50

      Os assessores tambem sao todos trocatintas, pregisozos , mudacasacos e tachista.

  4. Argenezio Antonio Vaz

    11 de Fevereiro de 2013 as 21:12

    O problema não é dos acessores, mas do proprio Pinto.
    Votaram nele vão ver que democrata temos. Quando se pediu que o Bano fosse ao tribunal aconreceru o quê? Agora temos o quê, com as nomeações?
    Sabem os verdadeiros responsaveis, quando sabem que ja não podem, pedem demissão ou ja não a voto. Ca em S.Tomé, temos o que temos.

  5. amor divino

    11 de Fevereiro de 2013 as 21:37

    PC ta tipo mugabe. Homem esta caduco mesmo, coitado ja nem sabe o q diz e o q faz. ahahhahaha

  6. h silva

    11 de Fevereiro de 2013 as 22:40

    O jogo sao 90 minutos…ao inves de estarem a mandar boquitas,porque nao esperar o mandato do PR acabar?Gosto de criticar ou aplaudir no fim de cada jogo!Eu ja nem sei quem merece ser PGR em stp ou seja la o que for!Roberto foi criticado apos a nomeacao…Agorano fim,muitos aplaudiram lhe e outros acham lhe demonio…Kalu Mendes”nunca se consegue a todo mundo agradar…Deixa homem e os seus decidirem o que julgam ser melhor,que no fim vamos avalia-los…CELISA DEUS LIMA,tem opinao propria e algo que a motiva,nao concordar.Mas eu prefiro esperar para depois fazer a minha avaliacao.Ainda estou com o PR…fui

    • VABÚ

      13 de Fevereiro de 2013 as 10:29

      Da mesma forma, voces deveriam deixar o PATRICE TROVOADA ir até o fim do seu mandato e depois criticá-lo ou sancioná-lo com o voto popular. Voces são tão incoerentes…

  7. Barão de Água Ize

    12 de Fevereiro de 2013 as 0:25

    Transparência é não nomear pessoas que têm processos na justiça, sejam inocentes ou não. Até sentença final, não devem exercer quaisquer cargos públicos. Competência deve começar em quem nomeia.

  8. Espirito Santo

    12 de Fevereiro de 2013 as 8:59

    Um Ditador sera sempre um Ditador.

    • A FE CU DESO

      12 de Fevereiro de 2013 as 9:47

      Despartidarização da administração pública é uma necessidade urgente segundo o Chefe de Estado. e isto mesmo e assim que si fala e faz Esa Pinto a ver vamos

    • Bobuwabo

      12 de Fevereiro de 2013 as 11:51

      Espirito Santo, vç não sabe nada de ditadura, vç vivi em Santo Antonio Musacafo vç é cego não viu q o ditador foi tirado do poder q é PT

  9. Assuncao

    12 de Fevereiro de 2013 as 9:33

    Sr.Dr.Manuel P.C. a unica coisa que lhe digo ‘e que o Sr. ‘e 1 homem conhecedor das coisas da vida,com pratica e experimentado,tem idade para ter juizo!!Podia desta vez fazer bem melhor, a magistratura presidencial exige de si muito mais,deixe de tretas, deixe de compadrismo,partidarismos e concentra nos discursos que faz a Nacao, depois de discursar,consome o seu proprio discurso,nao simplesmente exporta p “ficar bonito” na folha,na opiniao publica,o Pais precisa de acao, competência, qualidade e nao exite, estude,V.EXcia precisa de renovar,se acha que ja est’a a faze-lo, faz mais,o Sr.pode fazer melhor, so isso k lhe digo.Sem ofensas,
    Com cumprimentos.

  10. Meninos Eu Vi

    12 de Fevereiro de 2013 as 10:30

    Caos, Caos, Caos:

    Um país desgovernado…

  11. Joven Santomense

    12 de Fevereiro de 2013 as 11:08

    Meus burros é isto que significa:caos,caos caos.As coisas estão pra vir

  12. malebobo

    12 de Fevereiro de 2013 as 13:32

    quando o antigo pm, falou-se de caos, caos, caos ,muita gente contrariou, este dizer, agora é estamos assitir os verdadeiros caos, ok

  13. malebobo

    12 de Fevereiro de 2013 as 13:37

    O Presidente da República falou sobre a situação política interna, mas o destaque foi para a Administração Pública. Despartidarização da administração pública é uma necessidade urgente segundo o Chefe de Estado. «Assume particular importância a administração pública cujo objectivo, principal e exclusivo, terá que ser sempre o de bem servir as populações. Para que esta cumpra efectivamente o seu papel é fundamental apostar numa cultura de transparência, assente no mérito e competência, de modo a assegurar condições de rigor, eficácia, eficiência, disciplina e trabalho ao serviço dos cidadãos e do desenvolvimento económico do país», por amor de deus, sr.pr, onde que esta a transparencia

  14. malebobo

    12 de Fevereiro de 2013 as 13:40

    no meu ponto de vista quando o PR, pretende fazer um discurso, as suas palavras que tenhem que ter peso e medidas, quanto não já interessa o cidadão, ok

  15. STP

    12 de Fevereiro de 2013 as 16:23

    Nao basta falar e necessario fazer. E util o poder de influencia da sua Excelencia para que o a funcao publica deixe de ser governados pelos “funcionarios dos partidos” , que nao se identificam com os problemas do pais. Seria bom que a sua excelencia comessasse por dar a seu contributo (influencia) na concretizacao de selecao dos directores de servicos de estado por meio de concursos publicos, transparentes. Os directores ora selecionados devem assumir um compromisso de 3 a 5 anos com a responsabilizacao das suas decisoes. Durante o tempo de servico devem ser submetido a um processo de avaliacao continua.

  16. patriota

    12 de Fevereiro de 2013 as 16:54

    por aquilo que li neste espaço, vos garanto,fazendo uma analise estatistica rapida e a esse ritmo o Pinto ja Perdeu as proximas eleiçoes.

  17. O inconformado

    12 de Fevereiro de 2013 as 17:53

    Fala-se muito de transparência, despartidarizaçao da administraçao publica e assessores que aconselham mal ao nosso PR mas os assessores nao estarao aconselhando so mal ao PR e etc mas precisa notar-se que eles os assessores têm aconselhado mal de um modo geral aos Ministros todos e etc.Estes assessores escolhidos na base de que principios, nao da para perceber, sao eles, que infelizmente teem conduzido os Ministros a mas decisoes em matéria de nomeaçoes e tomada de posiçoes pois,eles, que sao sempre os mesmos, sao geralmente pessoas envolvidas e comprometidas com enredos estranhos dos quais nao conseguem dissociar-se e pobre dos Ministros! Com os assessores que andam por ai, o Ministros devem ter muito cuidado pois no final serao eles a assumirem sozinhos todas as consequências.
    Que os Ministros tomem muito cuidadinho com as sugestoes dos seus assessores quando tiverem que nomear pessoas para os diferentes cargos e em especial, aqueles mais importantes e relevantes.O problema é que anda por ai um circuito de corrupçao e cumplicidade e até transpartidario bem instalado e enraizado que é preciso que o Ministro tenha muita atençao quando ele estiver ocupando o cargo imbuido de boas intençoes.

  18. dilma pintor

    13 de Fevereiro de 2013 as 8:19

    Pinto, so com Cristo.

  19. Tchintchintcholò

    13 de Fevereiro de 2013 as 9:13

    O Tchin é bicho mas já entendeu que, quem está de outro lado, inventa sempre coisa para atacar, são piores do que o bicho de mato.Tchin sabe que os lúcidos teem mais respeito.

  20. Meninos Eu Vi

    13 de Fevereiro de 2013 as 10:12

    MILITAR BRUTALMENTE CASTIGADO NO PALÁCIO PRESIDENCIAL:

    Hoje, 13/02/13, cerca das 08 horas, no pátio do Palácio Presidencial, um militar da guarda presidencial é publicamente castigado e de forma brutal com bofetadas, pontapés e palmatórias, etc, pelo chefe da escolta do senhor Presidente da República. Foi tão desumano que provocou muita indignação por parte das pessoas que passavam pelo Palácio do Povo. Ficamos todos perplexos, fez-nos lembrar o regime do partido único (1975/90). São sinais da ditadura que devemos prestar muita atenção. Assim, lanço um veemente apelo a todos santomenses que estejamos vigilantes e denunciem todos os atos que possam constituir a violação dos direitos fundamentais do cidadão, essencialmente o Direito a vida. Caros amigos foi um autêntico massacre.

    • Mimi

      13 de Fevereiro de 2013 as 11:36

      Dependendo de quem publica a noticia, as coisas podem ser feitas de maneira sensacionalista ou realista. Talvez porque a tropa de hoje em dia é diferente em S. Tome (ao contrario do mundo real já nao há tropa!) é normal que em politiquice se tome certas atitudes

    • Maria Assuncao

      13 de Fevereiro de 2013 as 18:24

      Consegues provar isso,pois ‘e muito grave a ser verdade…nao ha nenhuma foto?telemovel tira fotos…e entao?!olha, ele pode sempre apresentar queixa….fui.
      Com cumprimentos.

    • Sousa Gamboa

      13 de Fevereiro de 2013 as 19:13

      Meninos Eu vi,

      Convido-te a contactar o Sr Óscar Baía para fazer esta denúncia. É humilhante a forma como algumas pessoas estão a tratar os seus semelhantes em STP. A frustração é notória em muitos dos nossos políticos, e muitos são os que estão a enveredar pela violencia e humilhação. Estejam atentos as essas práticas, denunciem-nas que tarde ou cedo os seus actores irão responder pelos seus actos.

  21. inteligência

    14 de Fevereiro de 2013 as 9:44

    Que tamanha disparidade entre o discurso e os actos.

    Está a cometer o mesmo erro do passado.

    Independentemente das funções, um cidadão deve acompanhar a evolução, a modernidade, mas infelizmente ainda existe alguém que parou no tempo e continua a cometer graves erros.

  22. ze maria gomes

    15 de Fevereiro de 2013 as 12:18

    Manda Pinto tomar banho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo