Política

Estrondo do “caso Arroz” provoca estilhaços e leva partido político a fingir que é Sociedade Civil

A Directora dos Cuidados de Saúde já caiu, por causa do estrondo do caso Arroz. O Director da Polícia Económica está na corda bamba, TVS chocou com “Os Criativos” e ADI pintou uma marcha de rua, que se dizia ser movimento da sociedade civil.

Samuel António Comissário da Polícia Nacional que comanda a Polícia Económica, está na corda bomba. A instituição que tem dentre outras missões a de emitir pareceres, sobre o estado dos produtos alimentares em comercialização no mercado nacional, confirmou para o Téla Nón, que a cadeira da Direcção da Polícia Económica, sofreu solavancos nos últimos dias, por causa da polémica em torno do arroz, importado pela firma DS Neves. Mas, no entanto,  «até agora continuo a ser director da Polícia Económica», assegurou Samuel António, afastando assim os rumores postos a circular, segundo os quais tinha sido demitio das suas funções.

A Policia económica, emitiu um parecer que aconselhou alguma prudência na comercialização do arroz importado dos Camarões, isto com base no relatório de análises que foram feitas pelo CIAT. Parecer qe segundo o comandante da polícia económica terá causado algum mal estar, mas que não alterou a sua posição, «uma vez que a polícia económica é uma instituição do Estado, que deve seguir a riscas a sua missão», pontuou.

Já a Directora dos Cuidados de Saúde, Manuela Ferreira teve menos sorte. Após 3 anos a ocupar o cargo, a médica foi detimida das suas funções na passada quarta – feira dia 26 de Junho. «O ministro da saúde me chamou para o seu gabinete na terça – feira, e me questionou sobre o facto do meu parecer emitido acerca do arroz, ter saído à praça pública. Fiz saber que não fui responsável pela publicação do documento», explicou Manuela Ferreira.

A ex-Directora dos Cuidados de Saúde, disse ao Téla Nón, que em nenhum momento deu entrevistas a imprensa sobre o caso. Considerou que o caso do arroz, está a ser fortemente politizado, daí ter preferido o silêncio. Mesmo assim acabou demitida do cargo, sem qualquer explicação oficial. «No parecer elaborado pela equipa técnica dos cuidados de saúde, aconselhamos que se fizesse exactamente o que o governo decidiu mais tarde, o seja, suspender a venda do arroz até a realização de uma contra análise», referiu Manuel Ferreira.

Pascoal d´Apresentação, médico cirurgião é o novo Director dos Cuidados de Saúde de São Tomé e Príncipe, de acordo ao despacho do Ministro da Saúde.

O estrondo do caso arroz, tem tido várias réplicas, e parece, com o partido ADI e os seus meios de comunicação e de propaganda a por nitroglicerina, para dar aos estilhaços, maior poder incendiário. Enquanto o país aguarda pelos resultados da contra análise do arroz, solicitada no estrangeiro, um pequeno grupo de jovens que se auto proclamaram de indignados, pediu autorização as autoridades competentes para realizar, uma manifestação contra o arroz, considerado PODRE.

Quando a dita manifestação da sociedade civil, saíu as ruas na última semana, as câmaras da televisão e todos os olhos presentes nas ruas de São Tomé, registaram imagens de altos responsáveis da ADI, a frente da manifestação, dita da sociedade civil.

O líder da bancada parlamentar da ADI, Idalécio Quaresma estava na linha da frente, assim como a ex-Ministra da Saúde Angela Pinheiro, a assessora do ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada e deputada da ADI, Isabel Domingos, sem falar do articulista Mário Bandeira vestido de uma camisola verde alface, que não conteve a fúria. Isaltadíssimo o articulista e outros militantes da ADI, quase que linchavam a equipa da TVS que estava a dar cobertura a marcha, dita da sociedade civil.

No último domingo, o Director da TVS Juvenal Rodrigues, colocou a vida e os bens dos profissionais da TVS nas mãos da ADI. Tudo porque os militantes da ADI presentes na manifestação dita da sociedade civil, manifestaram fúria e ódio mortal a equipa de reportagem que foi acompanhar a marcha dita cívica, mas com coloração partidária.

A mesma TVS, que alguns dias antes da polémica do arroz, chegar ao extremo, fazia a promoção da nova edição do programa “Nós por Cá”. Na peça teatral, em promoção “Os criativos”, o grupo que anima o programa da TVS, falava dentre outros assuntos do alcoolismo e do arroz deteriorado.

Certo é que o programa não foi exibido. “Os Criativos” protestaram e o Director da TVS, disse que o programa não foi extinto. Segundo Juvenal Rodrigues, “Nós por Cá”, é um programa da TVS, que paga 8 milhões de dobras mensais aos apresentadores, no caso, o grupo “Os Criativos”. Doravante a TVS vai redefinir as relações contratuais com o grupo. Juvenal Rodrigues admitiu contratar outros grupos teatrais para concorrer com “os criativos”.

Os  meios de comunicação que o Director da TVS considera estarem ao serviço da ADI e da campanha contra a TVS, foram visados nas declarações feitas por Juvenal Rodrigues em Directo no Telejornal de Domingo.

A RDP-África, foi considerada como uma rádio que não tem moral, para falar de imparcialidade e isenção para ninguém em São Tomé e Príncipe, porque segundo Juvenal Rodrigues, a sua política informativa varia conforme o governo que esteja no poder. «RDP-África tem duas políticas editoriais. Uma exclusivamente para São Tomé e Píncipe», precisou o jornalista que dirige a TVS, na sua comunicação em directo no telejornal de domingo.

Explicou que após longos anos de trabalho na Voz de Alemanha, a referida rádio alemã suspendeu a relação laboral que mantinha consigo, após ter sido nomeado director da TVS. «O que não aconteceu com a RDP-África».

Juvenal Rodrigues aproveitou o Telejornal de domingo, para mostrar ao país, os equipamentos da TVS, que foram roubados pelo anterior coordenador e que a PIC, recuperou há algumas semanas.

Estrondo do arroz polémico, continua a provocar estilhaços.

Abel Veiga

    43 comentários

43 comentários

  1. Lévé-Léngué

    1 de Julho de 2013 as 17:30

    Pela forma como a nossa população e as instituições ficaram partidarizadas, o ideal é saber lidar cautelosamente com esses “estilhaços”…
    Pena daqueles que têm pouca sorte, porque em STP a perseguição costuma a ser eterna e cada vez mais vingativa.

  2. atento ao dossier

    1 de Julho de 2013 as 17:34

    Estrondo e estilhaços vão voces ver quando algum dos dois petroleiros apresionados for pelos ares,pelo minimo discuido em manutenção.

  3. Vila Maria

    1 de Julho de 2013 as 17:55

    Isto parece uma brincadeira de país. Como é possível um coordenador da TVS roubar materiais da televisão depois de abandonar o cargo? Esta pessoa não tem credibilidade nenhuma. Isto é do mais mesquinho que já assisti cá no país. Eu alguma vez vou acreditar na notícia que este senhor dá ou produz em algum órgão de comunicação social?

    • Verdade

      2 de Julho de 2013 as 8:11

      Se ISto for verdade é mesquinho. Mas so for mentiro é mais mesquinho ainda por parte de quem proferiu a mentira. Só Deus.

    • Paracetamol 500mg

      2 de Julho de 2013 as 8:55

      Isto é pouco! Há quem leva carros consigo, depois de abandonar o cargo. E há, ainda, quem arrenda vivendas, em nome do Estado, para beneficiar os seus “amigos”!

    • Kamble

      3 de Julho de 2013 as 11:48

      Achao isso alguma novidade?? Façam vistorias as casas dos nossos antigos, directores, ministros, presidentes (antigos gavernantes) e verao que todos ficarao com bens do pais depois que deixarao os cargos.. Outros, nem precisamos ir a sua casa…

    • Terra

      3 de Julho de 2013 as 19:00

      Uma estação de televisão não pode e nem deve publicar uma notícia por capricho político. Uma manifestação pública, qualquer um pode comparecer, mesmo sendo de que partido for (ADI, MLSTP, PSD por ai). Os membros do ADI ou de outros partidos são pessoas (cidadão) e devem simplesmente participar em qualquer manifestação, sem que seja a sua parte a organizar. Quando TVS vem dizer que a manifestação foi organizada por alguns simpatizantes do ADI, cometeu um grave erro, e devia pedir desculpa publicamente por este erro gravíssimo.
      Um diretor de uma estação de televisão pública não vem dizer que o estado é que os paga, então os programas transmitido têm que atender seu interesses. Isto não é liberdade de expressão. O pior é que são os contribuintes (povo) que os paga. Um erro imperdoável!
      Todos os países democráticos, tem programas de humor, que falam de presidente, ministro deputado, da sociedade, por ai fora. Porque o programa de humores santomense não pode falar da nossa situação política? Se falar é falta de respeito. Quem disse que na democracia, não de pode falar de politica.
      Como é possível que a direção de televisão reúne com os seus membro da diretivos, e decidem mandar por escrito, assinado e carimbado pelo diretor Juvenal Rodrigues, que o programas do grupo os Criativos (Nós por cá da TVS) “deixa de existir”, e terão que pagar 25 milhões de dobras. E o diretor desta estação, dois ou três dias depois vem dizer publicamente que estava ajustar o grupo. Que o grupo não vai deixar de existir e que não terá que pagar 25 milhões. Só pode ser uma palhaçada desse diretor. Pergunto, porquê voltou atrás da decisão tomada por membro diretivo da estação? Quer dizer que mais uma vez cometeram outro erro gravíssimo. Cada um diretor público pode extinguir e multar quando quiser!? Brincadeira !!! só mesmo em STP.

  4. Assuncao

    1 de Julho de 2013 as 17:57

    Mas o qu>e k o governo quer?Isto ‘e k nao consigo perceber?Vender arroz podre ao cidadao?A analise ao arroz est’a +/-,necessita de outra?E Sra directora de saude nao tem autonomia para por o seu profissionalismo ao servico do bem publico,e preferiu ficar ou nao no silencio e na duvida,foi pa rua a mesma!!?’e o k eu digo,meus compatriotas,de nada nos adianta ter medo,facam o vosso trabalho e falam sem medo,mas falam do que sabem,comfiem nas vossas competencias, e kem fala do k sabe,fala sempre sem gago,palavra de honra,onde ja se viu num Estado de Direito Democratico!!
    Com cumprimentos.

  5. homem honesto

    1 de Julho de 2013 as 18:08

    O arroz não é bom para o consumo humano, todos os santomenses de cima para baixo têm esta consciência.
    Se o importador fosse do ADI já estaria na cadeia, devido a risco de saúde pública.
    O director da TVS faltou com a verdade, as intervenções dos deputados do ADI não são vistas na camara da televisão, ainda mais, foi dado uma conferência de imprensa e não foi posta na emissão da TVS. Isto significa censura. O programa “Nós por Cá” é o mais visto pela população santomense, só porque a peça criticava os intervenientes (importador e comprador/Delfim e o Governo)foi censurado. Uma pouca vergonha e pobreza na Direcção da TVS.O director da TVS deve ser demitido.
    Gabriel Costa veja a declaração do Director da TVS.

    • joven de 90 anos

      2 de Julho de 2013 as 8:43

      o nosso mal e vivermos na escuridão ,nos só vivemos do passado ,nos achamos que podemos erras porque outros errarão, isto não e digno.sera q

    • Edaugusto

      3 de Julho de 2013 as 12:31

      Porquê a demissão do director da TVS, sabendo que o mesmo agora é politico, alías digo politiqueiro.

  6. Barão de Água Izé

    1 de Julho de 2013 as 18:15

    Mas afinal o arroz é bom para consumo humano, ou não?

  7. António Silva

    1 de Julho de 2013 as 18:47

    Estrondo! Sinceramente, há cada título que arranjam para as notícias. Até nem apetece ler o conteúdo do assunto. É que tudo neste país, resume-se aos estrondo, analisando bem as coisas. Senão vejamos: estrondo nos nomes que atribuem aos filhos, estrondo na política, estrondo na corrupção, estrondo no ensino, estrondo na energia, estrondo na justiça, etc, etc.

  8. adalberto j.

    1 de Julho de 2013 as 19:00

    Credo!
    Roubar computador!!!!!!!!!!!!!

  9. porquê?

    1 de Julho de 2013 as 19:05

    isso tudo é uma vergonha…. um pais que nao tem nenhum plano de desenvolvimento….a populaçao vive na miséria extrema…mesmo..

  10. Henry

    1 de Julho de 2013 as 19:54

    Falar não pode!!!!
    Só em STP mesmo, a Terra onde tudo é possível!!!

  11. Não se esqueça.

    1 de Julho de 2013 as 19:56

    Quem sentiu-se mal e foi parar ao hospital, devido o arroz? Espero que técnicos da saúde não esconda isso. Dizem que até aqui, várias são as pessoas que já consumiram o arroz, mas sem qualquer prejuízo intestinal. Nós por cá é o único teatro que país tem? Que monopólio do Óscar medeiros. Aonde é que para o teatro de Ayres Major/pai? Fui.

    • porquê

      2 de Julho de 2013 as 9:30

      Jovens dispertam devemos fazer a politica com ideias e nao com pessoais…
      A corrupção é um fruto podre da nossa indeferencia politica…. e a unica forma de combate-lo é a transparencia nas informações…

  12. Negro de STP

    1 de Julho de 2013 as 20:31

    Estrondo?
    Em portugal e em qualquer democracia do mundo quando há manifestação da sociedade cvil os partidos politicos participão sem problemas nenhum.
    O que estamos a ver é a corda esta a partir nas partes mais fracas um dos programas mais popular de S.Tomé(nos por ca) esta a ser censurado por causa de arroz podre esses jovems talentos ja estão lixados da vida.

  13. Pv

    1 de Julho de 2013 as 21:49

    Todo esse barulho é só para fugir o essencial do problema. O arroz é improprio para consumo humano e todos sabem onde esta a culpa. Se arroz importado fosse de qualidade aceitável, não haveria aproveitamento politico, por esta razão, tudo que é aproveitamento politico que vier do caso arroz podre é culpa do actual governo (desde de inicio deviam agir em conformidade).
    Caso nós por cá e TVs, uma única palavra “RIDÍCULO”. Ridículo a forma com Dr da TVs esta a gerir esse caso. Desde censura, despacho, comunicado, esta ultima entrevista, só atrapalhadas. Não é preciso ser génio para perceber tudo que se esta a passar.

  14. meu namorado

    1 de Julho de 2013 as 22:16

    só não sei onde isto vai parar. um arroz que põe em causa a saúde da população. sei já onde isto vai parar. o arroz nos causa problema e o Pascoal d´Apresentação, médico cirurgião diagnostica o problema e o nosso fim será cemitério de gonga…

  15. Joscon

    1 de Julho de 2013 as 23:00

    O descalabro total

    Ao analisar de forma clara e manifesta as informações vindas das ilhas maravilhosas de São-tomé e Príncipe sobre o dia-a-dia, sinto uma certa amargura e uma certa prostração sobre as notícias de carácter sociais e políticas, pois o regabofe é total e o estado de entropia aumenta de forma exponencial e, o estado de anarquia é perturbador.

    A falta de consenso é chocante e, a cada dia que se passa, denota-se que a gincana parlamentar trucida a vontade popular. Estamos em constante campainha eleitoral e, a sociedade São-tomense encontra-se num estado hermético, encarcerado, afunilado e num beco sem saída. A manipulação é constante, o caciquismo é dominante e a justiça é inoperante. Por isso, posso assegurar que estamos num paradigma político e social monocromático, em que há um certo endeusamento das criaturas bizarras e estranhas que governam o país e controlam tudo o que se move ou se movimenta.

    Se olharmos atentamente para os lugares cimeiros da organização do estado, verificamos que todos os lugares estão quase ocupados por pessoas afectas à presidência. Fui um defensor acérrimo da eleição do Sr. Presidente da República, mas enganei-me redondamente com a sua actuação. “Ao colocar todos os ovos no mesmo cesto é um erro de palmatória” e, fico com a sensação que estamos num governo de iniciativa presidencial. O país vai pagar muito caro por este erro grosseiro e, espero que no futuro que história não se repete, pois não se obtém a paz anestesiando e abafando aqueles que nos enfrentam e nos criticam.

    O parlamento, o governo, o tribunal, o sistema presidiário e outros organismos do Estado estão emudecidos, todos comportam-se como se fossem carneirinhos. Há uma guerra surda e omissa entre os seguidores do Presidente Pinto da Costa e os Trovoadas (Pai e filho). Os elementos vindos da JMLSTP estão na sua maioria nos lugares que acabei por referir. Só que não tem memória não se lembra dos tempos de propaganda partidária.

    O parlamento está dominado na sua maioria por deputados sofríveis, sem projectos, sem ideias, formados por indivíduos egoístas e alguns são meras figuras decorativas ou mesmos analfabetos culturais, não pensam em nenhum momento no país como um todo, têm projectos pessoais e ambições desmedidas.

    Precisamos de nos manter vigilantes, todos juntos, para que esta continue sendo uma sociedade plural da qual nos orgulhemos; não a sociedade de alguns, não a sociedade na qual sejam questionadas as opções políticas e sociais e, não a sociedade na qual a rádio e a televisão sejam manipuladas pelo sistema. O interesse geral deve sobrepujar o particular e, uma verdadeira democracia tem necessidade de uma imprensa livre e independente.

    No que diz respeito a questão do arroz importado, devo assegurar que a questão é demasiada séria, põe em causa a saúde pública. Se olharmos de forma imparcial para os resultados realizados pelo centro de investigação Agronómica e Tecnológica de São-tomé e Príncipe (CIAT-STP) sobre o produto em causa, é devastador. Embora São-tomé e Príncipe não tenha meios tecnológicos e laboratoriais de ponta para realizar análises mais complexas, penso que neste caso concreto, que há condições materiais para analisar o arroz em causa sem grandes alaridos. Qualquer laboratório de microbiologia/micologia com as mínimas condições realiza esta análise. O problema aqui é outro, perde-se muito com politiquices e propagandas.

    O Primeiro-ministro está a especializar-se em Marketing e propaganda, em vez de governar com descrição e parcimónia, pede o seu precioso tempo de antena em constante campanha eleitoral denegrindo de forma sistemática e repetitiva o Ex primeiro-ministro Patrice Trovoada, comporta-se como um especialista em Marketing. Não gosto muito da retórica, gosto de acção e de resultados. Desprestigiou de forma inconsciente o CIAT-STP, uma instituição com alguma credibilidade em São-tomé e Príncipe.

    Aconselho vivamente a todos aqueles cidadãos que comeram o referido arroz contaminado por fungos e, se tiverem problemas no aparelho digestivo, mormente o fígado, que façam uma limpeza ao fígado. A limpeza ao fígado é simples e eficiente. Ela também é óptima receita para a prisão de ventre. Composição: 1 limão orgânico sem agrotóxico, 1 colher de sopa de azeite de oliva, extra virgem e prensado a frio e 1 copo cheio de água. Lavar muito bem os limões, triturar, coar e beber. Tomar em jejum. Esta receita ajuda o fígado a desintoxicar e ajuda no bom funcionamento do intestino. Realizar uma vez por semana.

    • Filipe Samba

      2 de Julho de 2013 as 6:07

      As vitaminas hidrossolúveis,(citrus) quando em excesso, são rapidamente eliminadas na urina, mas uma ingestão excessiva durante períodos prolongados pode provocar problemas renais.

      • sim

        2 de Julho de 2013 as 10:53

        Ele disse só uma vez por semana

  16. kwatela

    2 de Julho de 2013 as 5:53

    Feliz ou infelizmente concluo que a sociedade santomense está enferma. Tudo no país está vestido de cores partidárias. tudo é ADI,PCD, MLSTP…Compatriotas até quando??? a democracia é isto? ostracizar a sociedade? somos todos parentes e amigos. por favor dispamos as cores partidárias e vistamos as cores de são tomé…tudo isso é só luta pelo poder!!!

  17. Original

    2 de Julho de 2013 as 7:36

    Eu diria o seguinte:
    O ADI estando na oposição,fez muito bem em denunciar o caso de arroz dito podre e em qualquer lugar de mundo quando alguém ligado ao partido A,B,ou C e que por coincidência estiver ligado ao Partido que denunciou o caso como o do CIAT,há sempre dúvidas e estas dúvidas não podem estar associadas à imcopetência do sector porque é um caso político.A Firma do Sr . Delfim Neves que é uma pessoa com presença nesta sociedade deveria ter mais cuidado em importar qualquer produto que seja considerado duvidoso porque temos o caso do STP TRADING que ainda não está cicatrizado.Se os ditos políticos não mudarem de comportamento e continuar a ser teimosos principalmente em assuntos que tem impacto na população,qualquer dia isto vai dar torto e feio.Voltando atrás,O Estado suspendeu a venda do referido arroz até se confirmar a qualidade se é nocivo à saúde, que para mim já foi uma vitória da oposição.Pergunto:
    Faz sentido ADI continuar a mobilizar feirantes para manifestação de rua?Será que tudo isto é só arroz? Será que TVS deve sustentar e promover o conflito através do teatro nós por cá?Este grupo até tem algumas cenas engraçads mas a TVS tem as suas responsabilidads e em qualquer lado do mundo censura é relativo.
    Vamos recuar a 9 meses atrás e comparar os 2 TVS´S ,fico por aí.

  18. tchuna baby

    2 de Julho de 2013 as 8:36

    O Governo com o seu Blá Blá Blá, mandou suspender o arroz desde a semana passada, e fingem que a inspecção económica não esta a trabalhar… trabalhar como se apenas ontem é que o despacho saiu… isto é uma brincadeira…

  19. feira ponto

    2 de Julho de 2013 as 8:45

    Mas que sociedade civil, o jovem Alfredo Trindade ou melhor o “Dalton” é um jovem que já andou nas fileiras do MLSTP e o seu irmão Ortins da HB, está muito revoltado pela palhaçada com que o seu irmão mais novo se envolveu com a ADI.
    Alfredo Trindade é militante da ADI, andando nas freguesias fazendo reuniões;
    Anita Silva Matos, é deputada da ADI no ciclo eleitoral de Cantagalo e forão os subscritores da carta a policia que se denominava sociedade civil, onde se viu.

  20. desta terra

    2 de Julho de 2013 as 8:48

    O Director da TVS, o sr Juvenal Rodrigues deve ser demitido, e é para já.

    Ele se não precisa da TVS para nada, então deverá ir à sua vida.

    Esse director é muito evasivo, perde-se muito em directo numa televisão.

    Falou imensas asneiras e barbaridades, e no fundo não disse coisa alguma.

    Está na altura de ser demitido.

  21. Fede ká dóchi

    2 de Julho de 2013 as 9:44

    Francamente!
    Se os membros do ADI tivessem ocupação, não teriam, nem estriam a se preocupar com arroz.
    Ora vejamos: O arroz foi importado pelo Governo, com apoio do Sr Delfim Neves (Empresário). Porquê colar a importação do arroz ao PCD? Qdo houve o caso de arroz “mancluto”, importado pela firma Cash Carry de João Gomes, em algum momento falou-se de João Gomes e do seu Partido? Nunca!
    O caso STP Trading. Tendo em conta o excesso, o Estado entendeu por bem distribuir a torta e direita por São Tomé e Príncipe todo. Todos comeram, venderam, pintaram trinta por uma linha e hoje se houvesse aquele óleo, sal, bolacha etc etc os mesmos ~seria devorados. Vi as mesmas pessoas que falam do arroz a andar atrás desses tais produtos. O que fizeram? Nada.
    Minha gente, já foram dar uma olhada à água que se está a consumir na zona de almerim, Água arroz, água bôbô, Bom Bom até almas?
    Meus compatriotas isto é que é mesmo bomba. Daqui mais algum tempo, todos desse corredor (Água Amoreira 2) terão de certeza problemas renais. Experimentem, metam essa água num vasilhame e deixa por algum minutos. No garrafão o gargalo fica completamente tapado com lixo e os resíduos ficam no fundo, totalmente acastanhado.
    Vejam isso e digam-me depois.
    Obrigado

  22. CEITA

    2 de Julho de 2013 as 10:41

    Para agradecer senhor JOSCON pela medicação, e para lamentar esta situação triste que tem estado a acontecer nesse solo pátrio, com povo calmo muito humilde. respeitem povo por favor, veja exemplo de Brasil, mas um dia, vocês vão saber quem é este povo, não se admite um homem corrupto com caso pra resolver (STP TRADING ETC)que tribunal anulou processo, pensado que nós somos parvo. e a pessoa ainda anda na praça com ar de muito boa gente. em seguida manda-lhe comprar o arroz com dinheiro do povo, não obstante produto de Brasil que chegou deteriorado convenhamos, mas a culpa é mesmo nossa, o país quando vive politizado, é quando seu povo é analfabeto politicamente. quem não percebe o que esta acontecendo? tudo quando que se fala ou critica é politica. ontem por exemplo o diretor dos serviços pressionais(Afonso)reclama uma situação natural a vista de todos, um vereador que diz ser vereador sem vergonha vem logo responder porque é questões politica, quer dizer que ninguém deve reclamar. acho que alguém de direito deve tomar uma posição nesse país não podemos continuar assim. Senhor Presidente tem que agir quebrando barreira que lhe conferido pela Lei, foi por isso que nós votamos. bem haja e somos todos santomense queremos paz e viver na nossa terra. abaixo CORRUPTOS

  23. Xuta Xuta

    2 de Julho de 2013 as 11:07

    Grande Título Jornalístico.

    O importante é que partidos ou não cidadãos protestaram contra atentado a saúde pública.

    Quem não gostou, finge que é amigo do povo.

  24. aconselhador

    2 de Julho de 2013 as 11:17

    De facto, oque está a acontecer em São Tomé e Príncipe é uma vergolha enorme, embora é oque muitos Dirigentes Santomenses não têm. Por outro lado, trata-se de uma guerra fria em estamos a ser confrontados com ele, agora eu pergunto: onde está o direito do cidadão em vários aspectos?: à imprensa,à saúde,à educação,…etc.Com tanto conflito em STP, é oque dizem “Der oque vier”, depois não dizem que eu é que teve sorte, porque td que tem um princípio tb tem um FIM

  25. Em nome da verdade

    2 de Julho de 2013 as 11:53

    Agora a culpada e’ a Dra Manuela???? So com cristo.

  26. jovevens

    2 de Julho de 2013 as 15:47

    Meus senhores é isto que se designa de caos caos caos.Muitas coisas poderão ainda vir acontecer é só questão de tempo…..

  27. jovens

    2 de Julho de 2013 as 15:50

    Pena é o meu povo que fazem de bôbo.

  28. FARANDULA

    2 de Julho de 2013 as 17:06

    Nós tornamos bobo-danço sem chegar-mos a época carnavalesca. Não obstante o arroz ser podre, ainda por cima Sr. Delfim vem chamar o povo de famintos e esfomeados segundo uma carta, bem explicita dirigida as autoridades aduaneiras dos camarões pedindo isenção tas taxas referidas para que o arroz chegasse cá. Um cumulo povo, um cumulo jovens, o vosso futuro esta interrogado, se não o vêm, despertem.

  29. Rui Couto Campos Nunes Guimarães

    3 de Julho de 2013 as 1:11

    Deus Pai, Santo Tomé Poderoso ajuda povo São-Tomenses!

  30. Pascale

    3 de Julho de 2013 as 14:07

    Meu povo querido,
    O arroz não está podre, só está um pouco inadequado para o consumo do zé povinho. Porque aliás, este meritíssimo importador, importador com a saúde do povo, nunca trouxe para os santomenses merdorias. Sempre mostrou-se um importador mais do que 10 onestos reconhecidos ao nível nacional, né manu? Só que lá está, colê cu lêndê ça fissu di cabálu.Nós enquanto cavalos, vamos olhando os outros como muito enormes, sem um dia poder fazer valer os nossos poderes e direitos. Viva A r r o z P o d r e, Viva Arbitrariedades Repetidas Redículas Ofendendo Zezinho Pela Obediencia Despropositada Roendo-lhe Elegantemente.

    Fui.

  31. Gaby

    3 de Julho de 2013 as 19:26

    Contribui para melhora as coisas não para piora.

  32. O bem saber fazer

    4 de Julho de 2013 as 9:02

    A onde anda os fazedores da politica da Assembleia Nacional? Onde anda o sr Presidente da Republica? Onde anda o Governo? Alias qual governo? Onde esta o MLSTP e o MDFM? Vergonho, depois de tanta polemica dos barcos, dos braqueamentos de capitais, bla, bla, bla e agora perderam a LINGUA. Abaixo os assaltantes do Poder. Sao Tome Poderoso salve o POVO.

  33. O bem saber fazer

    4 de Julho de 2013 as 10:52

    Governo deveria sim pedir a sua demissão. Senhores Ministros Osvaldo Abreu, Hélio e o Ministro de Saúde. Vocês não merecem estra misturados com essa gentias que são vossos colegas de governo e os políticos de MLSTP, MDFM, PCD e Pinto da Costa. Saltam do barco quando ainda é tempo. Pois ainda podem salvar as vossas imagens.
    Essa a mensagem de um santomense que tem muita admiração e respeito por vocês os três.
    Pedem a vossa demissão deste governo, se não vocês vão sair muito sujo, pior que uma “cueca quando não se limpa bem o rabo”. Eu já disse, fui

  34. E. Santos

    4 de Julho de 2013 as 11:18

    Vamos acabar com falsidades!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo