Política

“Caos” versus direitos liberdades e garantias dos cidadãos

No parlamento, o Governo e bancada que o sustenta, justificaram as medidas de segurança apertadas que foram implementadas, em torno das recentes manifestações promovidas pela ADI, como forma de prevenção contra a política do CAOS, anunciada pelo líder do partido da oposição.

Isabel Domingos, deputada da ADI, confontou o Primeiro Ministro com questões pertinentes, sobre a vigília do grupo humorístico que produzia o programa da TVS, “Nós Por Cá”. Uma vigília organizada diante das instalações da TVS e que vários membros da direcção da ADI tomaram parte.

A deputada da ADI, questionou o Primeiro Ministro, sobre a presença do ministro da defesa, acompanhado pelos comandantes da polícia nacional e pelo chefe de estado maior das forças armadas. A presença de polícias e militares, que fizeram um cordão de segurança em torno da TVS, foi considerada pela deputada como força excessiva para uma vigília pacífica.

É um dos aspectos que sustentou a moção de censura da ADI, com realce para a violação das liberdades e garantias dos cidadãos. O Primeiro Ministro, respondeu, dizendo que o Estado tinha informações de que a vigília que se transformou em manifestação nocturna, com cartazes, que atacavam o Chefe de Estado são-tomense, e outros membros de órgãos de soberania, numa clara violação das leis, que não permitem manifestação nocturnas, poderia terminar com um assalto às instalações da TVS, e o consequente linchamento do director Juvenal Rodrigues. «Não vamos permitir o caos. Vocês(ADI), é que manipularam isso, e tinhamos como tomar medidas preventivas, para saberem que há ordem», declarou Gabriel Costa.

Rafael Branco, deputado do MLSTP/PSD, saiu em defesa do Governo, justificando as razões das medidas de segurança mais apertadas para controlar as recentes manifestações, promovidas pela ADI. «Essa atitude do governo situa-se num contexto que é claro. E esse contexto foi anunciado há muito tempo. Responsáveis da ADI, anunciaram uma política de Caos. E vejo estas atitudes do governo como medidas preventivas porque este país não aguenta caos nenhum», frisou o deputado do MLSTP.

Rafael Branco acrescentou que «se houver exageros, há lugar para cidadãos ou representados procurar junto a justiça saídas ou soluções», pontuou.

Segundo o Governo, as forças policiais e militares que protegeram as instalações da TVS, não tiveram qualquer confronto com os manifestantes nocturnos, nem tão pouco com os membros da direcção da ADI que suportavam a manifestação.

Contestado pela ADI, pelo facto de nos últimos tempos membros da direcção do partido, terem sido perseguidos ou interpelados pelas forças de segurança, numa clara violação da liberdade dos cidadãos, segundo o maior partido da oposição, o Primeiro Ministro Gabriel Costa, justificou a acção das forças de segurança.

Segundo Gabriel Costa um dos membros da ADI, tinha na sua posse armas de guerra. Trata-se do cidadão vulgarmente conhecido por “Bala”, principal assessor do ex-Primeiro Ministro. Segundo Gabriel Costa, o arsenal de guerra que estava na posse do cidadão Bala, que é membro da direcção da ADI, foi recuperado pelas forças de segurança. Gabriel Costa repetiu várias vezes que o seu governo não vai permitir que o Estado fosse assaltado pelo CAOS.

Argumentos do governo que não convenceram a bancada da ADI.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Culorado

    28 de Julho de 2013 as 16:55

    Vivo feliz e sinto-me realizado na diáspora há mais de 25 anos mas quero afirmar a todos os verdadeiros Santomenses de que também sinto-me orgulhoso de ser Santomense e almejo o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe bastante próspero onde todos os cidadãos possam viver e desfrutar melhor condição de vida e partilharem Paz e Amor.

    Posto isso, lanço um forte apelo a todos os partidos políticos existentes nesse meu/ vosso STP para deixarem de luta pelo poder com recurso a intriga, a politiquice e acusações sem fundamento.

    O Partido que se encontra fora do poder deve fazer oposição construtiva, com seriedade PATRIOTICA e não oposição de bloqueio a governação com a bisbilhotice (deve deixar o Governo trabalhar) e o Partido que sustenta o Governo, deve contribuir com todo seu potencial (saber e inteligência), seriedade e PATRIOTISMO.

    Vamos esquecer caos

    Vamos desenvolver São Tomé e Príncipe com as nossas próprias mãos

    Quem deseja caos ou provoca caos em São Tomé e Príncipe é inimigo do seu próprio povo

    Que Deus nos livre e nos abençoe

    AMEN

    • homem honesto

      29 de Julho de 2013 as 7:20

      Culorado em São Tomé não há nem haverá caos. O governo está a esconder a sua incompetência ao acusar as outras pessoas. O prazo é até ao orçamento2014 se caso não fizerem nada vão para casa mais cedo, porque assim o MLSTP será culpado.

  2. felisberto

    28 de Julho de 2013 as 18:27

    Eu acho que devemos pôr tudo claro.
    O que podem me dizer sobre o tal jovem de Micoló que está sobre alçada da PIC?
    Que abra o Jogo.
    Agora já não há que esconder!!!!

  3. Fala Serio

    29 de Julho de 2013 as 15:55

    Como querem nos convencer que não há caos, si o líder do ADI disse que se o seu Governo cair, este Pais já não será o mesmo, haverá “caos, caos, caos,…”. Mas não ficou pelas declarações, tem tentado bloquear junto aos parceiros internacionais, todo tipo de ajuda para o País. Como querem que haja um clima de confiança? como querem que o Governo não esteja atento as manobras e movimentações da oposição? si há um claro sinal de bloqueio e de tentativa de instalação do caos.
    Eu não concordo que liberdades e dirietos sejam atropelada, mas também não concordo que se esteja a tomar tudo para fazer politicas, a Policia deve manter a ordem e neste capitulo, desculpem, mas eu estou de acordo que medidas sejam tomadas, claro sem ferir os direitos dos cidadão.

  4. Cidadão

    29 de Julho de 2013 as 17:08

    O sr primeiro ministro quis tapar o sol com a peneira! Ninguém é inocente de que o poder instalado quer fazer de STP! Está sim em risco a liberdade dos cidadãos! Não podemos esconder isso. O recurso as forças armadas para bloqueio a uma manifestação pacífica e com agravante de ter havido mais tropas e polícias do que manifestantes é perigar a nossa democracia! Há um clima de medo e de ameaça que se instalou no nosso país há década jamais visto!Temos que ter muito cuidado! Viva a democracia, viva a liberdade. Viva STP.

  5. Toni

    29 de Julho de 2013 as 20:06

    Em qualquer Estado de Direito Democrático, uma manifestação devidamente marcada, tem que se realizar, o problema da segurança e da Policia, isto e , se tem meios ou nao e um problema da própria Policia.
    Uma manifestação nao e equivalente a caos, alias em Stp , qual caos, nem uma arma em condições existe, nem experiência em luta armada tivemos, qual caos o facto de poder existir alguns indignados pela constante polinização deste pequeno Pais.
    Por favor usem as palavras de uma forma correcta!

  6. Blaga-Pena

    30 de Julho de 2013 as 9:23

    Como disse alguem neste “inter-actividades”, o que Gabriel Costa não cansou de chamar de “Rede Social”, é que apesar de existir uma inter-partidária governamental, os partidos que a compõem estão pescando as águas isoladas, mas por mais que lancem iscas, um deles mesmo não se sacrificando está numa posição previlegiadissima. Portanto é necessário fazer-se atenção a isto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo