Política

Dia Mundial de Luta contra a Malária destaca sete personalidades que combatem a doença

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

OMS entrevistou sete personalidades, incluindo Bill Gates, para marcar a data; mais de 215 milhões de pessoas contraíram a doença em 2016; número de mortos chegou a 445 mil no mesmo período.

Assinala-se este 25 de abril, o Dia Mundial de Luta Contra a Malária. Na data, que este ano coincide com o 70º aniversário da Organização Mundial da Saúde, OMS, a agência decidiu entrevistar sete personalidades sobre o tema, correspondendo a uma por cada década.

Entre os entrevistados estão, por exemplo, Bill Gates, da Fundação Bill e Melinda Gates, e a médica Neena Valecha, que dirige o Instituto Nacional de Pesquisa sobre a Malária na Índia.

Novos instrumentos

A Fundação Bill e Melinda Gates colocou a malária como uma das suas prioridades em 2007. Na entrevista, o filantropo diz que o mundo “esteve muito bem”, analisando a redução do número de mortes neste período. Nos últimos anos, no entanto, houve um aumento do número de contaminações.

Gates acredita que “quando se fica parado, o mosquito e o parasita evoluem mais do que os instrumentos” de combate. Por isso, explica, é preciso acelerar o desenvolvimento de inovações e colocá-las no terreno.

Assista ao vídeo do especialista em malária da Universidade Agostinho Neto, em Angola, Prof. Filomeno Fortes, falando sobre a importância de uma parceria entre cidadãos e governos para vencer a doença.

Eliminação

A diretora do Instituto Nacional de Pesquisa sobre a Malária na Índia, Neena Valecha, diz que “é preciso haver investigação permanente para alcançar o objetivo de eliminar a malária.”

A especialista explica que a doença é muito complexa, com constantes evoluções, mas pode ser combatida. Segundo ela, “existe compromisso político” e o exemplo de outras doenças que foram eliminadas em alguns países, como a pólio.

A agência da ONU entrevistou ainda o diretor-executivo da Parceria RBM para Eliminar a Malária, Kesete Admasu, o diretor do Programa Global da Malária da OMS, Pedro Alonso, o diretor regional da OMS para África, Matshidiso Moeti, a representante da OMS na Nigeria, Lynda Ozor, e o chefe do Consórcio Malária, Arantxa Roca-Feltrer.

Apelo

A OMS diz que, para cumprir os objetivos até 2030, é necessário “expandir a cobertura de ferramentas que já provaram a sua eficácia, combinando isso com mais investimentos em investigação e desenvolvimento de novos instrumentos.”

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, pediu à comunidade global que elimine as falhas críticas na resposta à malária. Segundo ele, “é preciso garantir que ninguém é deixado para trás no acesso a serviços de prevenção, diagnóstico, e tratamento da malária.”

Segundo os últimos dados da OMS, 216 milhões de pessoas contraíram a doença em 2016. Destas, 445 mil perderam a vida.

 

Apresentação: Alexandre Soares

MALÁRIA|DIA MUNDIAL DA MALÁRIA|OMS|BILL GATES

 

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo