Política

Crise : MLSTP perde 2 deputados – “Monteiros” abandonaram o partido

Domingos Monteiro vulgo Nino, e António Monteiro. Dois irmãos, dois deputados do MLSTP. Dois homens que administram a cervejeira Rosema. Dois militantes e deputados   que decidiram abandonar  o partido, e na Assembleia Nacional posicionarem-se como deputados independentes.

A polémica que mais uma vez arrebentou em torno da Cervejeira, com a decisão do Supremo Tribunal de Justiça em deveolver a unidade fabril ao angolano Melo Xavier, mergulhou São Tomé e Príncipe numa  crise político-institucional.

A Rosema fragmentou o MLSTP, maior partido da oposição. O Presidente Aurélio Martins acabou expulso, por causa das implicações da Rosema. O Téla Nón sabe que os irmãos Monteiros, iriam ser suspensos do MLSTP durante o Conselho Nacional do partido previsto para este fim de semana.

“Nino” e António Monteiro anteciparam a previsível decisão do Conselho Nacional, e foram mais longe. Anunciaram o abandono do MLSTP e à Assembleia Nacional, requerem que sejam constituídos como deputados independentes.

Em termos de popularidade junto ao eleitorado, António Monteiro representa um rombo importante para o MLSTP. Enquanto militante do MLSTP, António Monteiro, foi sempre elemento fundamental na caça ao voto para o partido, sobretudo no distrito de Caué, sul da ilha de São Tomé.

A única autarquia que o MLSTP conseguiu conquistar nas eleições locais de 2014, é a de Caué, e segundo relatos no seio do MLSTP, António Monteiro, foi o elemento fundamental para a única vitória do MLSTP nas eleições de 2014.

Em termos financeiros, o partido perde o seu “Nino”. O homem de negócios que conquistou o mercado nacional de comércio de bens alimentares com destaque para o arroz, e que a partir de 2009, com a passagem da cervejeira Rosema para o seu controlo, viu reforçado o seu capital financeiro. Financiou a máquina partidária do MLSTP durante vários anos, garantem testemunhas no seio do MLSTP. «Deixamos de ser queridos no nosso partido, são os camaradas do partido que sistematicamente têm-nos criado problemas e perseguições», declarou Domingos Monteiro, “Nino”.

Sem os dois irmãos Monteiros, MLSTP perde caçador de voto no sul do país, e perde o seu principal donativo financeiro interno, através do “Nino”.

Ganhos, para o partido no poder a ADI, que apoiou de forma firme e unida a devolução da Cervejeira Rosema ao deputado Domingos Monteiro, e a consequente sanção aos juízes do Supremo Tribunal de Justiça por via da aprovação de uma resolução parlamentar que exonera os 3 Juízes que decidiram entregar a poderosa cervejeira ao angolano Melo Xavier.

A união da ADI em torno do caso, reforça as relações político-comerciais entre o Patrão da Rosema Domingos Monteiro e o líder do país o Primeiro Ministro Patrice Trovoada.

Rosema lançou o país numa crise político-institucional, sem precedentes.

Téla Nón

    11 comentários

11 comentários

  1. Lu

    11 de Maio de 2018 as 18:59

    Não é sem tempo!

  2. Metido a Besta

    11 de Maio de 2018 as 20:57

    Os Monteiros e P Trovoada compraram uma guerra contra Angola e nao vejo a victoria da parte Sao Tomense ainda que fosse num Tribunal internacional.

    Tarde ou cedo vao apreender a licao de direito penal de propriedade nacional e internacional.

    Nao abre o pais ao mundo de negocios se nao conseguem respeitar leis e democracia.

    Insanidade mental e loucuras tem limites

    Se carecem de auto-discernimento entao serao obrigado a obterem quer por Tribunal Internacional ou Angola.

    Certeza porem que nao pensem que sairam impune desta caotica situacao que involveram.

  3. luisó

    11 de Maio de 2018 as 21:24

    O ADI acabou de ganhar 2 novos deputados, ainda que independentes.

  4. explicar sem complicar

    11 de Maio de 2018 as 21:42

    Desde quando irmãos Monteiro são do MLSTP?
    Bem sequer pisam sede do partido há vários anos. Queriam sim são estatuto de deputado isto sim.

  5. SumMulela

    12 de Maio de 2018 as 2:32

    Nao existe estatuto de Deputados Independentes na Assembleia de STP. Foram eleitos pelo partido MLSTP, o referido partido tera todo o direito de substitui-los por outros.

  6. Mezedo

    12 de Maio de 2018 as 6:35

    E só pra este ano porque pra outro nao vao ser nada nem eputado nem empresario mas sim vendedores de rua

  7. joao carlos

    12 de Maio de 2018 as 8:44

    A saída dos irmãos Monteiros (que já devia ter acontecido) só representa um ganho para o MLSTP/PSD. Na verdade, esses senhores sempre estiveram no Partido para alimentar os seus negócios e temos de acabar com esta coisa de misturar a politica com negócios, isso só dá em corrupção que é o que os irmãos Monteiros melhor sabem fazer. Quanto aos votos do Distrito de Caué não creio que seja por causa desses senhores que o Partido perderá grande coisa.
    Acho este um momento impar para o MLSTP/ PSD reabilitar-se e tornar-se num verdadeiro Partido Politico e merecer a confiança dos são-tomenses para voltar a governar o País que está a ser destruído pelo ADI.
    A nova liderança do MLSTP/ PSD, não tenha complexo em abrir o partido para os mais novos, pessoas qualificadas e com provas dadas…. O País precisa de um MLSTP / PSD forte…..

  8. Floli Canidu

    12 de Maio de 2018 as 10:42

    João Carlos…se todos do MLSTP tinham conhecimento dos maus comportamentos dos irmãos monteiros, porquê simplesmente não foram afastados antes? Porquê só ficaram a observar? É aqui onde o ADI faz a diferença. ADI tem um líder, tem uma voz de mando. MLSTP tem alas, tem grupos que decidem. MLSTP precisa de um líder que impõe ordem e respeito.

  9. Arroz substância

    13 de Maio de 2018 as 20:48

    O MLSTP está a acabar está a desmoronar-se por culpa da ganância dos seus militantes é bom que os comentaristas ao invés de se preocuparem com o Patrice deveriam concentrar sua energia no seu partido que está a cair de podre.

  10. pina texeira

    14 de Maio de 2018 as 17:07

    Ja devia ter saido muito tempo.
    É hora da limpeza; o mlstp n cai nem desaparecera como outros;é preciso sangue novo.Deus ta no comando.olá cua ca sa paca canoa ca da xinta naua.

  11. Nelson Andrade

    24 de Maio de 2018 as 18:08

    Os Políticos Africanos devem começar a pensar numa política de princípios pautando pela uma verdadeira disciplina na defesa de políticas sustentáveis, traçadas com intuitos de vencer a ignorância crónica.

    Infelizmente, a cultura de interesses de grupos tem perpetuado nos interiores dos partidos, desviando-se da verdadeira essência política, gerando uma frustração contínua naqueles q sempre renovam a esperança nas urnas. E a propósito cenários são traçados como por exemplo, forjar crises no interior do MLSTP/PSD por exemplo, como forma de favorecer o poder, tudo isto por interesses obscuros.

    Queremos um MLSTP/PSD que faça no seu programa de ação, políticas em q o alvo principal é gerar tranquilidade nos seus militantes, simpatizantes e amigos, nas mais e diversas vertentes, como forma implementar uma oposição limpa e honesta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo