Política

MLSTP chama sociedade civil para contribuir na criação do Programa do Governo

Segundo uma nota do gabinete de imprensa do partido MLSTP, enviada ao Jornal Téla Nón, o partido em causa, diz que no quadro da sua política de abertura à sociedade civil e de inclusão, convida «os seus militantes em particular, e os cidadãos são-tomenses interessados em geral, para um encontro de recolha de subsídios para o seu programa de Governo, no próximo sábado, dia 10/11/2018, as 10h na sua sede Nacional, no Riboque».

Os cidadãos são-tomenses residentes no estrangeiro, e todos aqueles que não puderem estar presentes no encontro marcado para este sábado na sede do partido, « podem remeter as suas preciosas contribuições para o email: mlstp.geral@gmail.com», indica a nota de imprensa do MLSTP.

O partido liderado por Jorge Bom Jesus, explica a sua decisão de iniciar os preparativos com vista a criação do seu programa de governo, com base nos «resultados das eleições legislativas do dia 7 de Outubro que promoveram a emergência de uma nova maioria na Assembleia Nacional».

O MLSTP acrescenta que a sua decisão de preparar o programa do décimo sétimo governo constitucional, é sustentada pelo «acordo de incidência Parlamentar existente entre o MLSTP/PSD e a coligação PCD/MDFM/UDD que garante a base de sustentabilidade do próximo Governo Constitucional, que será  liderado pelo MlSTP/PSD».

Abel Veiga

    16 comentários

16 comentários

  1. WXYZ

    8 de Novembro de 2018 as 11:35

    E voces teem vindo a convencer as pessoas de que estao prontos para governar

    • Seabra

      9 de Novembro de 2018 as 11:37

      WXYZ, como você nao tem identidade, vamos “reconhecê-lo” oficialmente com o nome de Patrice El Capone Escobar…vai-lhe bem este nome, viso ser afilhado ao seu guru PT. O PT so pode engendrar pessoas como você.
      Eis a sua nova identidade.

  2. luisó

    8 de Novembro de 2018 as 12:11

    encontro de recolha de subsídios ?
    podem remeter as suas preciosas contribuições ?

    Mas não há ninguém que leia estas coisas e faça as devidas correções ?

    Ou será que estão mesmo a pedir dinheiro ás pessoas ?

    • ONDE MESMO?

      9 de Novembro de 2018 as 14:53

      Sim meu caro, SUBSÍDIOS quer dizer ajudas, auxilio, benefícios, aquilo que concorre para um fim determinado. E o subsidiou solicitado neste caso não se refere a quantias monetárias mas sim a ideias do que é que é mais prioritário para o bem estar da população.
      CONTRIBUIÇÕES, o sr, pode e deve contribuir com suas ideias, sugerindo o que deve ser prioritário.
      Os subsídios e contribuições solicitadas pelo MLSTP foi e muito bem compreendidas pelo senhor luisó, mas como está tonto que nem uma barata não consegue enxergar um palmo a frente do seu nariz. Lamentável como as pessoas se tornam cegas com uma derrota. Meu caro não será o fim porque daqui a 4 anos teremos mais eleições.

      • luisó

        11 de Novembro de 2018 as 15:54

        Não meu caro, subsídios só tem um significado e está relacionado com dinheiro, basta procurar um dicionário.
        Não estou cego nem sofro com derrotas até porque há muito anos que digo que este País não tem futuro.
        Agora o que digo é que estes comentários de partidos e não só que aparecem de vez em quando por aqui sofrem de serem mal escritos e de não terem infelizmente um editor nestas máquinas partidárias que reflitam e corrijam o mau português que se escreve.
        Afinal ainda se dizem PALOPS , então escrevam bem.

        • PlumoZatona

          13 de Novembro de 2018 as 13:43

          Sr luisò, o cofre do estado foi dilapidado, arruinado, o pais està de rastos. Para reerguer STP estamos dispostos (os verdadeiros santomenses)à dar todo nosso contributo, financeiro e não sò, para o desenvolvimento do nosso pais. Um bem haja!!!

  3. badiu di stp

    8 de Novembro de 2018 as 13:05

    Ka nhós poi nenhum politiku manchadu, nhos fasi um governo ku joven, mudjer, i algen grandi ki ten dadu prova nés pais. Nhós fasi un programa pa dezencrava roças. E ká nhós skeci ma nós ki sta na roças tanbe dja nu ten voz e nu sta atentu.
    Mantenhas

  4. Madredeus.igreja

    8 de Novembro de 2018 as 13:13

    Incluem neste programa a justiça.

    O povo escolheu e vai vós obrigar a levar todos os dirigentes do ADI, que estiver a governar esses 4anos, a justiça.

    Teram que ser responsabilizados pela ma governação e, não só:

    Repor tudo que roubaram

    Se assim não for, estaremos a cometer os mesmos erros de sempre

  5. Mandelax

    8 de Novembro de 2018 as 15:01

    Boa ideia Tudo o que é inclusao e participacao é bem vindo! A que organicar as preocupacoes e as solucoes reais, nao inventar para chegar mais tarde a estragar tudo, como temos hoje o país. Cidade e arrededorrs completamente esburacada; economía e financas um buraco sem fondo…

  6. Olhar atento

    9 de Novembro de 2018 as 9:27

    HÁ muitos procesos pendentes no tribulal contra PT. gostaria de conhecer os seus disfeichos. Penso que deve ser feita uma cirurgia de correcção do país antes de ou em consonancia com outras nobidades.

  7. Bom rapaz

    9 de Novembro de 2018 as 9:31

    A ideia de se ir buscar contributo da sociedade civil para engrossar o programa do governo do MLSTP e Coligação é excelente. Isso parece ser um caso inédito na historia da república, ao menos que eu esteja enganado. De qualquer forma parabens pela iniciativa.
    Contudo não posso deixar de lamentar o que se vem dizendo na praça publica em relação a alguns nomes que vão ocupar determinadas pastas ministeriais sem qualquer experiência na área. O Futuro Governo a sair do MLSTP e Coligação não será um governo desses partidos mas sim um governo da República, da sociedade revoltada, que deverá trazer alento e soluções imediatas aos ingremes problemas com que se depara o país, problemas criados nos ultimos 4 anos. Por isso devem ser feitas apostas em competências e perfins de dinamismo capazes de contornar a situação. Este não é o momento nem para amadorismo nem mesmo para se vir testar competencias e saber. Este não é o momento para cobaias, mas sim para execuções com pragmatismo.

  8. D T

    9 de Novembro de 2018 as 9:52

    Demitir todos os Diretores, diretors das escolas, chefes da pilícia, administradores e gestores públicos, pôs esses são todos viciados e substituir-los pelos novos obdecendo os seguintes critérios:
    – serem pessoas idôneas
    – não ter quaisquer processos na justiça ou não ter cometido quaisquer crime há menos de 10 anos
    – e ser eleito pelos colegas do sector (ou seja quem quiser ser diretor, por exemplo de uma escola, deve candidatar e ser eleito pelos votos dos colegas professores).

  9. luisó

    9 de Novembro de 2018 as 12:20

    O que é Subsídio?
    O significado de subsídio, em português, é uma extensão do significado latino. Subsídio é um auxílio, uma ajuda, um aporte, um benefício.

    Na prática, subsídio tem a ver com dinheiro. Subsídio é um valor fixo concedido pelo Estado para algo que beneficie ou que seja de interesse do povo, exercendo um papel importante na economia do país.

    Os subsídios também podem ser concedidos por organizações e empresas privadas. Além disso, o subsídio pode não vir na forma de dinheiro em espécie, mas de material, mão de obra, ou outra coisa.

    Os subsídios, como dito, são concedidos para beneficiar a população, por isso é comum ouvir falar em subsídios para vítimas de deslizamentos, subsídios para construção de moradias populares etc.

    Também podem ser chamados de subsídio dois outros fenômenos, um internacional e um nacional. Internacionalmente, subsídio é um valor concedido por um Estado a outro, definido em convenções ou acordos. Internamente, no Brasil, tem o nome de subsídio os vencimentos que senadores, deputados e vereadores recebem.

  10. Talvez fosse melhor...

    9 de Novembro de 2018 as 19:11

    Os comentários devem ser escritos sem erros,!! Passem por um corrector ortográfico que é gratuito, antes de exporem sem pudor o vosso analfabetismo funcional

  11. olho

    10 de Novembro de 2018 as 15:10

    Este governo espera-se, que tenha uma governação totalmente diferente para melhor, em relação a todas as governações que este país já conheceu. Daí para frente, que jamais a governação venha a ser como dantes.

    Assim, trago esta pequena contribuição para o futuro governo.

    1- Evitar a colocação de figuras com curriculum sujo no governo. Todos concordam que o MLSTP por exemplo só teve esta subida de numero de mandatos porque ocultou determinadas “figuras podres” durante a campanha. O sucesso do MLSTP deveu-se exclusivamente ao rosto de um homem reconhecido por todos os santomenses como honesto e exemplar, o Mui Ilustre Dr. Jorge Bom Jesus. Assim, o novo governo deverá manter a mesma filosofia. Já não deve haver lugar na governação para indivíduos que contribuíram para a desgraça deste país. Apenas homens sérios, honestos, íntegros e competentes deverão assumir algum cargo governativo ou diretivo neste país. Lembrem-se que o povo está atento e sabe muito bem avaliar. Como exemplo povo apreciou as competências de Antonio Dias e o quer de volta. Que os diretores sejam nomeados por eleição nos seu sectores de trabalho, como forma a garantir que entre para a Directoria, gente que conheça bem o sector e que inspira reconhecimento e confiança dos colaboradores.

    2. REFORMAR COM URGÊNCIA E TORNAR A JUSTIÇA FUNCIONAL NO PAÍS. Depois disso, criar um GABINETE AUTÓNOMO DE LUTA CONTRA A CORRUPÇÃO, e criar condições para que efectivamente este possa desempenhar de forma isenta cabal o seu trabalho, levando a barra da justiça todos quantos optarem por atitude de corrupção ou gestão danosa enquanto governante ou gestor público.

    Se pelo menos estes dois pontos forem apreciados e implementados pelo próximo governo, estará marcado uma grande reviravolta em toda a história de governação em São Tomé e Principe, e acredito, o futuro de prosperidade e bem estar estará traçado.

    Os que têm ouvidos, Ouçam!!!

  12. Homem Grande

    10 de Novembro de 2018 as 18:39

    Senhores da Oposição,os naturais de S.Tomé e Príncipe que residem na Diáspora precisam de ter acesso ao voto tanto nas eleições autárquicas, legislativa para também expressarmos a nossa vontade.

    Deveria haver um referendo para se dicidir o melhor modelo de votação para não termos que nos sujeitar a essas situações que foram vivênciadas últimamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo