Política

Abertura da XI legislatura com Delfim Neves como Presidente da AN

O povo decidiu nas urnas de 7 de outubro último, e mais de um mês depois, a Assembleia Nacional de 55 assentos foi composta. Nasceu uma nova maioria, de 28 deputados, que se posicionou claramente na casa parlamentar. A Nova Maioria, elegeu Delfim Santiago das Neves da bancada da coligação PCD-MDFM-UDD, como novo Presidente da Assembleia Nacional.

Carlos Correia, o candidato do partido ADI saiu derrotado. Conseguiu amealhar 25 votos. 54 deputados participaram na votação. António Monteiro, deputado do movimento independente de Caué, preferiu ausentar-se da sala no momento da votação. Beatriz da Veiga Azevedo deputada do movimento independente, entrou na sala antes do início da votação. No final houve também um voto branco.

Guilherme Octaviano, deputado do MLSTP, e candidato ao cargo de Primeiro Vice-Presidente da Assembleia Nacional, foi  eleito com votos da nova maioria, mas também com votos da ADI e do movimento Caué. Pois conseguiu 36 votos.

Levy Nazaré, deputado da ADI, foi eleito segundo vice-presidente da Assembleia Nacional com 28 votos. A nova Assembleia Nacional ficou composta com a eleição dos secretários da mesa e demais membros da estrutura administrativa do parlamento.

Na sala ao lado, anfiteatro do Palácio dos Congressos, o Presidente da República Evaristo Carvalho entrou em cena para saudar a abertura da XI legislatura. Abraçou apertado o novo Presidente da Assembleia Nacional.

Evaristo Carvalho destacou o desafio imposto pelo povo à casa parlamentar. «A legislatura que hoje se inicia, não se afigura nada fácil, quer pela crescente expectativa gerada no seio da população, ou mesmo, se não o mais importante pela forma particular e exigente da correlação de forças desta Assembleia o que impõe a todos os deputados, uma necessidade permanente de busca de consensos».

Segundo Evaristo Carvalho, na democracia as decisões da maioria devem ser respeitadas. «Chamo a atenção para a necessidade das sessões parlamentares serem um palco de debate de ideias, projectos e programas, com postura e urbanidade e no respeito pelas decisões democráticas da maioria», pontuou.
Antes do pronunciamento do Presidente da República, Delfim Neves, o novo Presidente da Assembleia Nacional, realçou o momento histórico que se viveu no parlamento. Prometeu resgatar a imagem do órgão de soberania de poder legislativo, assim como dos deputados. «Constituirá, pois minha principal missão resgatar a imagem da casa parlamentar e dos deputados perante a nação e o mundo», sublinhou Delfim Neves.

Garantiu que vai agir no sentido de que os deputados se respeitem e sejam respeitados. « Contribuir para que o povo esteja devidamente representado na Assembleia Nacional, centrando especial atenção em pugnar para que a diáspora são-tomense venha a ter voz activa nos actos eleitorais realizados no país, dentre os quais as eleições legislativas e presidenciais, podendo eleger e serem eleitos, para que a justiça social seja verdadeiramente uma virtude em São Tomé e Príncipe», detalhou o novo Presidente da Assembleia Nacional.

Delfim Neves, manifestou total disponibilidade para promover a colaboração da Assembleia Nacional com os outros órgãos de soberania, sempre « no quadro do respeito mútuo e da separação de poderes», concluiu.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Paulo Jorge dos Reis

    23 de Novembro de 2018 as 7:22

    Parabens Delfim, sucessos e coragem para enfrentar os antidemocratas do ADI

  2. arroz podre

    23 de Novembro de 2018 as 7:39

    Boa sorte ao novo Presidente da Assembleia.
    Faça o melhor para marcar a diferença.
    Não mistura negócios com o poder legislativo.

  3. Adeliana Nascimento

    23 de Novembro de 2018 as 8:40

    Não se pode continuar a admitir que um individuo que ocupou cargos públicos tão elevados na Nação, ausenta antes mesmo de ser demitido, com passaporte de ex-PM(falso) para parte incerta e nós continuarmos para ver isto como normal. Isto é incorecto.

    Qualquer um que exerça funções como( PR; PA;PM;Pdos Tribunais;Ministros; Directores chaves(Adminitração Central ,Institutos e Empresas Públicas); PGR e outros Magistrados( Tribunais e Ministério Públicos) Presidentes das Câmaras Distritais e do Gov Regional e Secretarios etc.., após termino do mandato, não devem ausentar do país nos 3 meses que se seguem (REVER AS LEIS DA REPÚBLICA POR FAVOR)

  4. Angel Alison

    23 de Novembro de 2018 as 10:38

    Pelos sentidos de votos de ontem, o ADI nem conseguiu se coligar ou ter apoio parlamentar de Movimento de Caué.
    Então porque temam formar o Governo? Se nem os seus compadres lhe deram votos. Um saio da sala antes de voto, outra se absteve. Para fazer o quê? E para quanto tempo.

    Só querem é hipotecar este país. O País está parado a quase dois meses. Nada funciona, vamos continuar assim até quando. Isto é atitude de um partido que se diz responsável? Que gosta do povo e da sua terra?

    Vê só a figura que apresentaram para candidato ao cargo de Presidente de Assembleia? Porquê que o José Diogo não voltou a se candidatar? Porquê que o Levy Nanzaré se candidatou para o Vice-Presidente e não o Presidente? Porque têm vergonha de perder? São superiores a outros deputados e militantes de ADI?

    Vamos ver só que figura vão apresentar como Ministros da República!

    Um Conselho para ADI, aprendam a respeitar o povo, os intelectuais deste país. Não seguem as cegas têm opinião propria e agem como filhos da terra? Porquê prolongar esta agonia? Vale a pena mesmo formarem o Governo?

    Sejam Homens, filhos da Terra e respeitam este povo tão sofrido. Deitam a toalha, admitem que vocês perderam e aprendem a gerir está pequena derrota, não a transforme em grande derrota.

    UM bem haja a todos os militantes de ADI. Agem com cabeça, sejam inteligente e poupa o povo da vossa arrogancia.

    está mensagem é de quem foi um fervente defensor de ADI e do PT, mas que votou contra o ADI nas eleições de 7 de Outubro devido esta arrogância, ganância, a descriminação que existe no seio do partido e falta de maturidade politica e de educação de berço..

  5. SÃO Tomé e Príncipe

    23 de Novembro de 2018 as 10:43

    Espero que Delfim Neves, assuma este novo cargo com espírito de Serviço.Que ele está ali para servir o Povo e o País em concreto e não os seus interesses próprios. Obrigado

  6. ANCA

    23 de Novembro de 2018 as 10:45

    Muitos hoje estão contentes pelo lugar que agora ocupam, confesso vos que razão para sorrisos apraz nenhuma, porquanto o povo, vive na miséria, fome e pobreza quer material quer intelectual.

    Os desafios e potencialidades do País são enormes

    Abre se uma nova fase necessário por as instituições a funcionar.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  7. ANCA

    23 de Novembro de 2018 as 10:52

    O povo vive na miséria, fome, pobreza material, pobreza de pensamento, falta de paz
    E fala -se em resgatar a dignidade do parlamento, quando primeiro devia ser a dignidade do povo, talvez por ser a casa onde os vossos bolsos enchem.

    É necessário colocar pessoas capazes, com fichas limpas, sérias honestas nos lugares certos

    O país é pequeno, tem desafios e potencialidades enormes

    Chega de tanta vergonha, roubo, corrupção, malandrices
    Falar é bonito

    Pois que a composição da qual faz parte, jamais tem em consideração, a assunção da presença feminina, nos lugares agora assumidos, da qual constituem a maior força viva do País, São Tomé e Príncipe, pois são elas que mais sofrem e batalham para o bem estar familiar, social e do País com suas contribuições, ainda assim continuam a ser postas de lado, vítimas de machismo masculino no lar e a nível político institucional.

    Tenhamos coragem de inverter tal realidade

    Assumindo tal desafios futuros, ai e estará também a chave do desenvolvimento do País

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  8. Seabra

    23 de Novembro de 2018 as 11:19

    Excelente anàlise, Adeliana Nascimento.
    O Patrice Trovoada conseguiu por instante “doubler” o sistema sem respeitar os principios democràticos, porque o CLOWN dito Presidente da repùblica, na pessoa do Evaristo Carvalho, nao conhece o dever da sua funçao. Aliàs,
    ele foi sempre o SUBORDINADO do seu primeiro ministro PT.
    Mas justiça serà deita ao Patrice TROV. !

  9. Nuno Menezes

    23 de Novembro de 2018 as 14:27

    No meu ponto de vista Parabens apenas se da quando existe bom trabalho para assim encaminhar o Pais que se chama Sao Tome and Principe para o desenvolvimento ter minimas condicoes de vida para toda a populacao que assim vive neste Pais Africano.
    Se a Politica em Sao Tome and Principe esta a completar mais um dia de Vida hoje deixo aqui os meus Parabens a todos.

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  10. Metido a Besta

    23 de Novembro de 2018 as 14:41

    Parabens e o povo agradece , Restaurar as ordens e respeito na convivencia democratica.

    Desejo -lhe boa sorte.

  11. SAMPONHA

    26 de Novembro de 2018 as 11:20

    Muitos criticam ausência da classe feminina no lugar cimeiro do País. Na minha opinião desnecessariamente uma vez que devem ser elas a se assumir algo de vontade em desempenharem as actividades nos seus postos de trabalho .Aliás já ocupam muitas delas nas direcções de Administração Pública. Para cargo político, vê-se sempre as mesmas pessoas como se fala no seio das populações, porque são as mesmas que concorrem para estes cargos. Por isso não se deve atribuir a culpa aos detentores da classe política. As poucas senhoras que são deputadas são por culpa delas ou das senhoras que não as elegem. Se forem eleitas serão deputadas.Se por ventura colocasse como Presidente da Assembleia Nacional a Deputada Maria das Neves ou a Deputada Elsa Pinto muitos criticavam Afinal de conta, quem somos nós.Na minha modesta opinião a Assembleia está bem representada nas mãos do senhor Delfim Neves,conhecedor da casa Parlamentar, como poderia ser as Deputadas por mim atrás mencionadas. Tratando-se apenas de um lugar é seguirmos em frente.Temos muita coisa para resolver neste Belo País, que é de todos, chamado República Democrática de S.Tomé e Príncipe.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo