Política

“Pare de Interferir nos Assuntos Internos da China Através de Hong Kong”

Em 19 de Novembro, O Senado dos Estados Unidos aprovou a chamada Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong 2019, desconsiderando as repetidas representações solenes e firme oposição apresentadas pelo lado chinês, negligenciando os fatos e interferindo grosseiramente nos assuntos internos da China.

Pelo qual, a China expressa forte condenação e firme oposição. Desde Junho do ano corrente, têm sido registradas contínuas violências em grande escala em Hong Kong. As atividades criminosas violentas e radicais ocorridas recentemente, em particular, ameaçaram severamente a segurança pública, pisaram seriamente o Estado de direito e ordem social, puseram em risco a prosperidade e estabilidade de Hong Kong, desafiaram a linha limite do princípio “um país, dois sistemas”.

Os desordeiros vandalizaram as infraestruturas públicas e lojas com batidas e incêndios, intimidaram e atacaram indiferentemente os civis inocentes, ocuparam campus universitários à força, atacaram jovens estudantes, e agrediram policiais de forma premeditada e organizada, causando danos pessoais e de bens.

Os atos violentos extremos são intoleráveis em qualquer país e sociedade. Atualmente, as tarefas mais prementes em Hong Kong são acabar com a violência e restaurar a ordem pública, as quais representa a vontade mais ampla e os maiores direitos humanos dos cidadãos de Hong Kong.

O governo central continuará a apoiar firmemente o governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong na administração legal de Hong Kong, apoiar a polícia de Hong Kong na aplicação da lei, e apoiar os órgãos judiciais de Hong Kong na punição de criminosos violentos.

O projeto de lei aprovado pelo Senado dos EUA permanece cego aos fatos, e descreve as ações criminosas como a busca de direitos humanos e democracia, expondo totalmente a hipocrisia extrema, os padrões duplos puros, e as intenções malvadas do Congresso dos EUA de disturbar a prosperidade e estabilidade de Hong Kong e conter o desenvolvimento da China.

Hong Kong é a região administrativa especial da China, não um Estado dos EUA. Os assuntos de Hong Kong são meramente assuntos internos da China. Os EUA devem parar imediatamente de interferir nos assuntos de Hong Kong. Se os EUA ostensivamente seguir sua posição errada, a China terá que reagir com fortes contra-medidas para defender os próprios interesses de soberania, segurança e
desenvolvimento nacional.

Wang Wei
Embaixador da República Popular da China
na República Democrática de São Tomé e Príncipe

    7 comentários

7 comentários

  1. Joel Cardoso

    20 de Novembro de 2019 as 21:03

    Os Estados Unidos nomeadamente a administração Trump quero voltar a ser o Rei do Mundo. Este Trump só tem as mesmas ideias do Hitler. Se o mundo não se unir e por um travão a este bandido vândalo do Trump, pode-se vir a conhecer uma catástrofe mundial.
    Este tipo apoia tudo o que é mal. Apoia Israel a ocupar e matar os coitados de palestinos, viola todas a normas das Nações Unidas e ninguém diz nada, ocupa Jerusalem para por a sua embaixada violando a decisão do ONU, ameaça Irão, ameaça Turquia, ameaça Venezuela, dá golpe de Estado na Bolivia, maltrata as mulheres, maltrata os americanos que não são brancos, apoia todos os vândalos mundiais tais como aqueles jovens no Hong Kong que estão a ser guiados pelos americanos, destruindo o seu próprio país , abandona acordos importantes mundiais tais como Acordo de Paris sobre o Clima etc. etc.
    Penso que todos devíamos incentivar também revoltas nos Estados Unidos. Eles têm que conhecer no seu solo as desgraças que têm levado para várias partes do mundo.
    O Mundo Unido contra a América do Trump

    • Alligator

      25 de Novembro de 2019 as 9:46

      Apoio incondicionalmente a sua ideia.

  2. Zé de Neves

    21 de Novembro de 2019 as 12:37

    Sr. Embaixador,

    É evidente o seu asco face aos que lutam pelas liberdades e garantias.
    O seu discurso legalista/soberanista tenta sobrepor-se ao primado do escrutínio e eleições livres multipartidárias.
    Retenha que no dia em que STP enveredar por um sistema idêntico ao Chinês, seremos todos um grande Hong Kong.

    Coragem Hong Kong!

    O povo de STP está com vocês nesta luta contra a tirania da China Continental. Contem connosco nesta pequena ilha para não calar e comer. CORAGEM!

    Por último, este comentário se o fizesse na China seria motivo de prisão e chantagem com os meus familiares. É contra isto que os cidadão de HK lutam.

    Um bem haja
    Rui Cunha

  3. SEMPRE AMIGO

    21 de Novembro de 2019 as 13:16

    “Um jornalista americano, Thomas Freedman,definiu as relações entre a CHINA e os ESTADOS UNIDOS com uma palavra:FRENEMIS,quer dizer:por alguns momentos são FREN,buscam cooperação econômica,em alguns outros são ENEMIS” Estamos perante o confronto entre dois gigantes do mundo global.Os ESTADOS UNIDOS,actualmente classificado como a primeira potência mundial tudo fizeram e farão para criar problemas, para impedir a todo custo ser ultrapassado pela China….E então em que ficamos?……Não adianta tapar o sol com a peneira!

  4. Original

    21 de Novembro de 2019 as 17:22

    Isto não começou com a lei que permite deportação de cidadãos de Hong Kong cumprir a pena na China Continental?
    Sr. Embaixador o que tem a dizer sobre isto? Estamos em S .Tomé mas estamos conectamos no Mundo. Porquê que cidadãos de Hong Kong não podem cumprir pena no território de origem? Fala-nos sobre este assunto.

    • Verdade

      22 de Novembro de 2019 as 15:45

      O facto é, em Fevereiro de 2018, um cidadão de Hong Kong foi suspeito de assassinar sua namorada grávida em Taiwan e depois fugiu para Hong Kong. Como HK não teve jurisdição sobre o caso, a fim de transferi-lo para Taiwan para julgamento, o governo regional de HK propôs emendas aos decretos sobre infratores fugitivos e assitência jurídica mútua, entre HK e Macau, Taiwan e China Continental, para suprimir lacunas na legislação e melhor combater crimes.
      Os desordeiros utilizaram as emendas como uma desculpa para provocar manifestações, para seus próprios fins políticos, vandalizaram instalações públicas com ações cada vez mais violentas. Pois, nas manifestações posteriores, eles até esqueceram de mencionar esta desculpa utilizada.
      Este mundo sim é cada vez mais interligado, mas ao mesmo tempo, tem que ficar atento aos Fake News.

  5. Costa do Lazaro

    21 de Novembro de 2019 as 22:33

    Senhor Embaixador
    O senhor e a China têm a minha total solidariedade
    Os Estados Unidos não têm a moral para dar lição a ninguém.
    Estados Unidos e os seus governantes são todos racistas, prepotentes, criminosos e não podem ter moral de criticar ninguém. O Governo americano está a prender crianças dos refugiados da América Latina que procuram entrar neste país. Separam os pais das crianças. Algumas crianças já morreram. Estados Unidos invadiu o Iraque e assassinou o seu presidente, deixando o Iraque num caos total. Bombardeou Afeganistão com a chamada mãe das bombas, matando homens, mulheres, crianças etc.
    Estados Unidos bombardeou Viet Nam com bombas da napalm matando crianças e todos tipo de gente e animais. Estados Unidos bombardeou Japáo com Bomba Atómica.
    Mas infelizmente como o dinheiro fala mais alto, todos estes países incluindo o Japão andam atrás de Estados Unidos como se nada tivesse passado.
    Por isso, Força a China e Força Senhor Embaixador

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo