Política

Parlamento condena assassinato e apela ao melhor uso do armamento na posse dos deputados

A Assembleia Nacional reagiu nesta terça feira ao caso de assassinato de um cidadão são-tomense defronte ao edifício da Polícia Judiciária por um deputado da Nação.

Num comunicado lido pelo secretário da mesa da Assembleia Nacional, foi dito que o órgão de soberania de poder legislativo, «transmite a família enlutada os profundos sentimentos de pesar pela perda irreparável».

A casa parlamentar condenou a acção criminosa perpetrada pelo deputado Deolindo da Mata, da bancada parlamentar do MLSTP, na tarde de segunda feira, contra um cidadão, que realizava câmbio de moedas na praça são-tomense. «A Assembleia Nacional lamenta e condena profundamente o sucedido, e se disponibiliza a colaborar com as demais instituições do Estado e tomar todas as medidas necessárias tendentes a evitar situações como esta que em nada dignificam a casa parlamentar».

No comunicado lido pelo deputado Arlindo Barbosa, a Assembleia Nacional diz que está apreensiva com a onda de criminalidade e de agressividade que o país tem registado.

«A Assembleia Nacional, tem vindo a acompanhar com grande apreensão as ondas de criminalidade e agressividade a nível nacional, e considera que se deva encontrar medidas urgentes para por termo a todos esses actos violentos que nada abonam para o bom nome de São Tomé e Príncipe», frisa o comunicado.

Posse e uso de arma de guerra ou de fogo, é um direito que a lei parlamentar e da República, atribui a todos os 55 depurados a Assembleia Nacional.

A Assembleia Nacional, ficou apreensiva com a criminalidade sanguinária que o deputado perpetrou na praça pública, e decidiu apelar que os demais representantes do povo não façam o uso abusivo do armamento que por lei tem na sua posse.

«Apela a todos os deputados bem como a todas as autoridades militares e para militares detentores de armas de fogo para que não façam o uso abusivo deste instrumento».

Abel veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. Vanplega

    18 de Março de 2020 as 0:59

    Querem acabar com essa onda de crimimalidade agressiva no pais!

    Leve-o la, no mesmo local do crime e, fuzila-o. Implanta isto, com ferro matas, com ferro serra morto.

    Vao ver o este pais se endirecta. Alem demais, nao sou eu que peco para implantar a leis. Ela ja esta na constituicao ( PENA DE MORTE) USA-o

    Acabemos com esta pouca vergonha que a sola o pais. Do roubo, da corrupcao, da indisciplina, dos crimes e dos que nao querem trabalho.

    USA-o e vao ver: QUEM TEM OCU, TEM MEDO

    • Santomense de gema

      18 de Março de 2020 as 13:36

      Vanplega, você não passa de um asno e de um agente provocador.

      • Vanplega

        20 de Março de 2020 as 0:56

        Kkkkkkkkk, burro sou eu?

        Asno e tua prima, tu es uns dos corruptos de terra, um dos que nao sabem fazer nada, so aproveitando do bem publico, roubando, es assim? Devolve o que nao e teu rapaz.

        Tu tens ocu, por isto tem medo.
        EU provocateur? Perguntei um tal 1 Ministro, quem escreveu na constituicao a ( PENA DE MORTE) Usem esta lei e vao ver como Sao Tome e Principe, se endirecta de noite para o dia, vice-versa

  2. J. Fernandes

    18 de Março de 2020 as 1:35

    A Democracia santomense no seu pleno

    O De guerra

    Porque nao mostrarem a cara do tal Deputado
    Por ser do MLSTP?
    Tem imunidade para se esconder da vergonha praticada
    As pessoas querem lhe conhecer .

    Deixem de proteger esse criminoso
    Alias isso e uma pratica que vem de longe
    Se nao vejamos …
    O menistro de Defesa ja baliou uma pessoa na praca publica
    e mesmo assim foi convidado para fazer parte deste governo

    Temos uma sossecao de factos que merecia uma refleccao por parte de todos.
    Ninguem pode afirmar de que esta protejedo desses maos abtos.
    Deputados com arma de guerra ….

    Se hoje e esse sujeito pode ser um de nos qualquer amanha .
    Nimguem esta a salvo desse acto de matanca
    Todos nos deviamos repudiar sobre eta atitude incorrecta
    Se lhe dao armas e com que obejectivo ?…
    Eles nao tenhem culpa .
    Culpado e o propio o povo que lhe escolhe .
    O povo so tem aquilo que merres .
    Imagino que o meu comentario nao sera poblicado
    Porque a pimenta no cu do outro e um refresco
    Aquardemos quando chegar a nossa vez
    Ai a coisa sera outa

  3. Pedro Costa

    18 de Março de 2020 as 8:09

    Posse e uso de arma de guerra ou de fogo, é um direito que a lei parlamentar e da República, atribui a todos os 55 depurados a Assembleia Nacional?
    Isto é assim? Armados até aos dentes!? Porquê e para o quê?
    Este país está doente!
    Este parágrafo da lei não está bem! A lei não deve particularizar desta forma algo tão sério e colocar nas mãos de frágeis deputados armas num país que não tem guerra.
    Enfim

  4. Bunzu de mato

    18 de Março de 2020 as 10:07

    Condenação veemente e inequívoca. Nem podia ser de outra maneira. Paz à alma do assassinado. Sentidas condolências à sua família.

  5. Paulo Jorge dos Reis

    18 de Março de 2020 as 12:10

    Tirem os deputados actuais e os anteriores, sobretudo os do ADI que não as entregaram as armas de guerra.
    Se a Assembleia quiser, compre com o seu dinheiro, as 6/35 para os deputados

  6. Santomense de olho aberto

    18 de Março de 2020 as 14:53

    Vanplega, J. Fernandes e Paulo Jorge dos Reis, vão dar um mergulho no rio Plovaxi. Sem máscaras. Tolos fingidos. Agentes provocadores.

    • Vanplega

      20 de Março de 2020 as 1:04

      Es um dos aproveitadores do bem publico. Vives de corrupcao, roubando e Vivendi com o que e teu

      Por isto, estas com medo usuprador.

      Provocsdor, e o sistema de roubo que criaram nesta terra e, estao com medo quem implanted as leis duras neste pais. Querem continuar a mamar o nem de todos nos

      Ou medo de serem fuzilado…..

  7. Zé de Neves

    18 de Março de 2020 as 15:21

    Portanto, eu sou convidado de 5 em 5 anos a ir votar nos meus representantes, livre e democráticamente, mas este meu representante no parlamento tem, sobre mim, o direito consagrado em forma de Lei de me tirar a vida.

    Espetacular! Se não fosse trágico, seria cómico.

    Nem na época colonial tal coisa seria remotamente possível!

    • Santomense de olho aberto

      19 de Março de 2020 as 10:13

      Ze de Neves, tem razão quando diz que é trágico. Mas não está consagrado em forma de lei que um deputado tem o direito de tirar a vida a seja quem for. Julgo que nem nos regimes ditatoriais o legislador seria tão irresponsável. Houve abuso de um privilégio legal que pode ser discutível. Pessoalmente, não concordo com esse privilégio e acho que deve ser abolido. Mas STP não é o único país do mundo onde os deputados têm direito a porte de arma para legítima defesa.

      • Zé de Neves

        23 de Março de 2020 as 13:04

        Santomense de olho aberto, compreendo a sua chamada de atenção. Explico-lhe o que quis dizer. A lei prevê o uso de arma pelos deputados em casos de legítima defesa, condição que não é extensível à restante população, sendo a situação de legítima defesa critério pessoal e de interpretação subjectiva de cada deputado. Junte-lhe a isso a imunidade parlamentar e a impunidade é total apenas sujeita a esctrutínio verbal em forma de condenação pública não traduzível em julgamento ou pena.
        A legítima defesa envolve proporcionalidade de meios ou seja, o Sr não pode dar um tiro a quem o ameaça, dar uma facada a quem o ataca na honra, por exemplo. Este caso não é legítima defesa e o Ministério Público tem de actuar exemplarmente sob pena de perder de prejudicar a percepção de justiça e segurança da população.

  8. Maria Alberta

    18 de Março de 2020 as 15:34

    Os Deputados necessitam de arma para defenderem contra o povo.
    Tendo em conta que o povo lhes escolheu, então têm que ter armas para defenderem, de modo a que o povo esteja longe deles quando assumirem como deputados.
    Isto porque os tais deputados necessitam do povo na campanha. Quando ganham e sobem para o parlamento, a primeira coisa que exigem é uma arma para escorraçarem ou amedrontarem o povo.
    Assim é e vai continuar.
    Bem feito. Na campanha o povo dá outros membros da população com pedra, lutam, puxam machins para votarem nestes deputados. Agora toma lá.

  9. Mepoçon

    18 de Março de 2020 as 17:39

    E ainda bem que os três corruptos dão carra para repudiar o sucedido. Isto para não ficar mal senão a sociedade fica incrédula. O mal são aqueles que aproveitaram a boleia dos grupos armados que descuram guerrear para ascender a independência,face à relutância do colonizador e estes bandos de bandeija aproveitaram. Quem não deve não teme,porquê o direito de deputado ter direito a uma de defesa? Ele é um cidadão ao serviço do povo não deve autoproteger porque nenhum lhe vai fazer mal..

  10. Seabra

    20 de Março de 2020 as 5:01

    Em duas semanas, foram assassinadas duas pessoas, víctimas de cidadãos criminosos.
    As duas víctimas foram voluntariamente assassinadas, sem razões. Aliás, ninguém tem direito de suprimir a vida do seu próximo. Mas os assassinos criminosos já foram presos e estão fora de voltar a cometer outro ato atroz , enquanto esperam a sentença.
    E o caso do bárbaro assassinato do economista sãotomense, mestiço, Jorge Pereira dos Santos ? Cadê a justiça sãotomense ? Em que pés está o “NÃO ” inquérito entregue a PJ , deste dossiê ? Quem é que a PJ está a proteger?
    Já lá vão 2 anos ( junho 2020) , nada avançou…até estes últimos assassinatos já prenderam os ASSASSINOS CRIMINOSOS, enquanto que os assassinos que mataram o Jorge Santos, continuam livres e impunes. Sabe -se que a empregada dele,a Marlene, está implicada deste crime, mas a PJ nada faz. PORQUÊ ? É um grande MISTÉRIO. Mas justiça será feita….e brevemente ! !!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo