Política

Marinha do Brasil envolve-se na luta contra Covid-19 em STP

MARINHA DO BRASIL
MISSÃO NAVAL DO BRASIL EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Assunto: A luta contra o COVID-19

O distanciamento social e, quando possível, o isolamento social, recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), são as principais estratégias para frear o avanço da Covid-19, além do uso de máscaras em lugares públicos e da higienização das mãos.

A Marinha do Brasil, por intermédio do Núcleo da Missão Naval em São Tomé e Príncipe, vem buscando contribuir com os esforços do Governo Governo são-tomense contra a pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Dessa forma, será realizado a partir do dia 14 de maio, o 3º Estágio de Qualificação Técnica Especial de Actuação Contra a Proliferação do Covid-19, na Modalidade Ensino a Distância (E-QTEsp-Covid 19/EAD), ministrado pelo Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC) que contará com a participação de cinco militares das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe. Este estágio tem o objectivo de expandir a capacitação de militares para actuarem contra a proliferação do vírus. A abordagem principal do estágio é qualificar quanto aos procedimentos de descontaminação de pessoal, material, área e meios, utilização correta dos equipamentos de protecção individuação individual, além dos cuidados de saúde na prevenção do Covid-19.

Na sequência das medidas de contingência adotadas pelo Governo para o novo coronavírus (COVID-19), com a autorização do uso de máscaras sociais reutilizáveis pela população, é importante que a população ao fazer o uso das mesmas devem seguir as seguintes recomendações a seguir para garantir a sua protecção:

1) QUANTO AO USO
– A máscara é de uso individual e não deve ser compartilhada (ainda que ela seja lavada);
– Assegurar que a máscara esteja em condições de uso (limpa e sem rupturas);
– As medidas de higiene e a limpeza das máscaras sociais são ações importantes de combate à transmissão da infecção;
– Ao manuseá-las, fazer a adequada higienização das mãos com água e sabão ou com preparação alcoólica a 70%;
– Tomar cuidado para não tocar na máscara, se tocá-la, executar imediatamente a higiene das mãos;
– Cobrir totalmente a boca, queixo e nariz, sem deixar espaços nas laterais;
– Manter o conforto e espaço para a respiração;
– Utilizar a máscara por cerca de 3 horas (recomenda-se o uso de uma máscara no primeiro tempo e a troca para o segundo tempo);
– Trocar após esse período e sempre que estiver úmida, com sujeira aparente, danificada ou se houver dificuldade para respirar;
– Ao retirar a máscara, guarde-a de forma separada para posterior lavagem; e
– Para removê-la, manuseie o elástico ao redor das orelhas.

2) QUANTO À LAVAGEM
– A máscara deve ser lavada separadamente de outras roupas;
– Lavar previamente com água corrente e sabão neutro;
– Deixar de molho em uma solução, que contenha água sanitária ou outro desinfectante equivalente, de 20 a 30 minutos;
– Enxaguar bem em água corrente, para remover qualquer resíduo de desinfectantes;
– Evite torcer a máscara com força e deixá-la secar;
– Passar com ferro quente; e
– Guardar em um recipiente fechado até o momento do próximo uso.
Lembre-se que essas máscaras não possuem utilidade para os profissionais de saúde e pacientes contaminados!!!

PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO TEM ALGO EM COMUM: AÇÃO!!!

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!!!

RAFAEL ZEQUE MONTEIRO
Capitão de Fragata
Encarregado

 

    3 comentários

3 comentários

  1. Coronavirus

    9 de Maio de 2020 as 14:46

    Quando leio Brazil faz a mim recordar o Carnaval Brasileiro lindas mulheres com um corpo espetáculo,a minha pergunta vieram com alguma Coronavirus mulher??

  2. Carmen Pederneira

    10 de Maio de 2020 as 9:22

    Puxa vida! Com tantos auto-intitulados cientistas de meia tigela aqui no país, ainda precisamos de brasileiros para nós explicarem como usar, manusear e lavar as máscaras? Esses militares vêem de um pais altamemente “COVIDIZADO”. Será que o nosso país tem capacidade para testar, “quarentenizar” e tratar tais militares, caso alguma estejam “COVIDIZADOS”? Esse treinamento não podia ser feito com vídeo conferência a partir do Brazil? STP e o tal pais que quer se candidatar ao país de desenvolvimento médio? O COVID-19 veio convencer as Nações Unidas que STP nem no Desenvolvimento Paleolítico deveria constar. Um país que nem um laboratório de medicina molecular tem, quer se atrever-se a ser qualificado como pais de Desenvolvimento Médio. Isto e um insulto a dignidade do santomenses.

    • Ralph

      11 de Maio de 2020 as 7:39

      Exatamente. A ironia é que o Brasil é um dos países que estão a travar uma das piores batalhas contra o COVID-19, liderado por um presidente louco que quer ser como o Donald Trump. Eles não podem lecionar a outros em como enfrentar um surto com que eles próprios estão a ter muitas dificuldades em controlar no seu próprio país.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo