Política

Nota de esclarecimento do MNE e Cooperação sobre as relações entre STP e Marrocos

Na nota de esclarecimento de 3 páginas, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, apresenta novos elementos para elucidar a opinião pública, sobre as declarações da Ministra Elsa Pinto, a imprensa após a reunião técnica com a Agência marroquina de cooperação.

No balanço da reunião técnica, realizada na última semana por vídeo conferência,  a Chefe da Diplomacia Santomense anunciou para a comunicação social que no capítulo da concertação político-diplomática entre os dois países, «sempre que há eventos internacionais, Marrocos está disposto a financiar as delegações que vão para estes eventos internacionais. Também nos posicionamos para apoiar Marrocos nas suas candidaturas a postos nos organismos internacionais». 

Uma declaração de compromisso em matéria de política externa que provocou contestação e repulsa por parte de opinião pública santomense.

Agora na nota de esclarecimento o Ministério dos Negócios Estrangeiros, começa por descrever o novo alinhamento político-diplomático definido por São Tomé e Príncipe nas relações com o Reino de Marrocos. Um novo alinhamento, que segundo a nota foi definido pelo Presidente da República e Chefe de Estado, Evaristo Carvalho, em plena sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, realizada em Setembro do ano 2019.

O Téla Nón coloca a disposição do leitor o texto integral da nota de esclarecimento do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Clique – Nota de Esclarecimento

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Gerhard Seibert

    3 de Setembro de 2020 as 10:50

    O referido discurso de Evaristo Carvalho está disponível em http://webtv.un.org/watch/sao-tome-and-principe-president-addresses-general-debate-74th-session/6089799621001/?term=csw?termcsw&lan=portuguese
    Como se pode verificar, no seu discurso, o presidente apenas saudou a intenção de Marrocos de resolver o conflito com a República Arabe Saharaui Democrática (RASD) através de uma autonomia.

    Gerhard Seibert

    • Outro aspeto

      3 de Setembro de 2020 as 20:07

      Pronto, temos visita e intromissões. Caro Gerhard Seibert, não há nenhum negro a meter bedelho em assuntos do teu país, loguo não palpites sobre nenhuma matéria do meu país por favor, esta provado vocês só atrapalham. Queremos seguir sem interesseiros e traçoeiros!

      • Toni

        4 de Setembro de 2020 as 13:54

        Que país… país que vende votos por viagens!!!
        Vergonha
        Deve ser muito credível!!!
        Realmente Stp sempre foi governado por gente séria, o resultado está à vista….

      • credo coisa

        5 de Setembro de 2020 as 12:04

        não gosta de visita e intromissão pois deve gostar da trapalhada que existe desde que seja negro…se for para acrescentar e contribuir pode por visita e intromissão sim…ou só serve a visita e intromissão na hora de estender mão para completar orçamento de estado como mendigo e vender votos a uma nação estrangeira a troco de viagens? aí já não é assuntos do teu país?mentalidade…

  2. Zé de Neves

    3 de Setembro de 2020 as 11:55

    Portanto o importante é esclarecer o fluxo que o dinheiro toma e não clarificar de uma vez por todas, ética e a moralmente, que a posição diplomática de STP não está à venda…

    Está escrito que STP troca votos por dinheiro, ponto final!

    Permitam-me esta alfinetada:
    Gostaria de saber qual a rúbrica inscrita no Orçamento Geral de Estado na qual vai ser contabilizada esta compra/venda de votos? Vai ser contabilizada como ajuda humanitária? Ou donativo?

    Proponho a criação de uma rúbrica do Orçamento de Estado chamada de: Servicinhos Completos!

    Não fosse trágico para o páis, seria cómico.

  3. Chicão da Mina

    3 de Setembro de 2020 as 13:58

    Penso que consegui perceber. A Senhora Ministra não tem competências para negociar nada com Marrocos. Assim não lhe resta outra saída senão apresentar a demissão depois das declarações erradas que prestou e vendo os termos do alinhamento definido pelo Presidente da República e Chefe de Estado, em plena sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, realizada em Setembro do ano 2019. E demissão já, porque amanhá será tarde. Vi bem ou não senhora Ministra ELSA PINTO?????

  4. Fuba cu bixo

    3 de Setembro de 2020 as 16:47

    O senhor Gerhard Seibert disponibilizou aqui o discurso do Presidente Evaristo na Nações Unidas e constatei que a Ministra Elsa Pinto mentiu ela deve assumir a sua responsabilidade e não estar aqui a mentir para o Presidente da República.

    • um chinês

      4 de Setembro de 2020 as 1:16

      O senhor Fuba cu baixo,

      em primeiro lugare, queria declarar que eu sou um chiês e não folo bem português.

      quero falar-lhes que tenham mais compreenções com vosso governo,porque o qual governo que está na situação de pobreza não pode dar tudo para vocês .

      dêem mais tempo para o governo para melhorar.

  5. Gilberto

    4 de Setembro de 2020 as 8:36

    Tenho dito: Na politica externa o improviso nao e melhor conselheiro. Pois, quando se aventura na Politica Externa qualquer caminho leva para caminho algum. A Politica Externa deve estar ao servico do desenvolvimento dos paises.Esta maxima torna-se mais relevante sobretudo porque vivemos num tempo de incerteza nas Relacoes Internacionais, agravado pela pandemia de coronavirus e com uma grande competitividade dos autores globais.Para que a Politica Externa desempenhe o seu verdadeiro papel teremos que mudar urgentemente de paradigma.O nosso Pais precisa de uma lideranca transformadora, com uma visao estrategica inovadora capaz de pensar o Pais de forma ambiciosa e criativa.Ate la, nao conseguiremos melhor do que temos tido.

  6. Sou de casa

    4 de Setembro de 2020 as 9:20

    Ah ah ah!
    Nao posso rir. Sabem como se diz isso – “pior a emenda que o soneto”. Areia movediça. Quanto mais tentam mover mais se afundam. E mais, inteligência politica de avestruz – esconde a cabeça debaixo da areia e o rabo de fora.

  7. Tomas Mendonça

    7 de Setembro de 2020 as 13:36

    Melhor explicação que isso, não existe!
    Ministério de Negócios Estrangeiros consegue muito bem espelhar a Governação que sempre existiu em STP.
    A Política externa é o retrato da Política interna. Simplesmente não existe.
    Mas a culpa é de todos nós. Nunca exigimos nenhum partido Político um programa de governo na época de eleições. Só pensamos em banhos e tachos. A prova está aqui. Tudo à toa!!!!
    Só pergunto; Até quanto Santomenses?
    Bem haja a todos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo