Política

Governo de STP desvenda o negócio dos Catamarans e das lanchas rápidas

No mês de Novembro do ano 2016, São Tomé e Príncipe assistiu a chegada no seu porto, de 5 embarcações, sendo dois catamarans e 3 vedetas para fiscalização marítima. O país através dos seus dirigentes na altura, anunciou que as embarcações vinham inaugurar a política de economia do mar.

As declarações do ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada no telejornal da televisão santomense no dia 31 de Janeiro do ano 2016, confirmam a chegada das embarcações para desenvolvimento da economia do mar.

Mas, o valor das 5 embarcações não foi revelado. As autoridades também não revelaram quem teria ofertado ao país os meios navais para transporte de pessoas e mercadorias entre as duas ilhas, e para patrulhamento das águas nacionais.

Quanto custou? Quem pagou? Quem comprou? São perguntas que ficaram sem resposta.

Algum tempo depois os documentos enviados pela empresa construtora das embarcações, vieram provar que os meios navais pertenciam ao ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada, ou melhor, foram enviados exclusivamente para o ex-Primeiro Ministro. Veja o documento que confirma o envio das embarcações, não para o Governo ou Estado santomense, mas sim para o senhor Patrice Emery Trovoada. – SCPH-S130-120112714200 (2)

“Rodman Polyships”, é o nome da empresa espanhola que construiu as 5 embarcações. O Téla Nòn escreveu em Abril do ano 2019, que o estaleiro espanhol Rodman Polyships” era desde o ano 2016 propriedade da empresa China Sonangol.

A mesma empresa actualmente arrestada pelo Governo angolano, e acusada de lavagem de dinheiro do Estado angolano. Por sinal é a mesma empresa que no âmbito do crédito dos 30 milhões de dólares, acabou por depositar os 10 milhões de dólares a favor do Estado santomense.

O Téla Nón teve acesso a correspondência feita pelo Ministério das Finanças de São Tomé e Príncipe, junto a empresa espanhola Rodman no mês de Julho de 2020. O Ministério das Finanças, procurou esclarecimentos sobre  a propriedade das 5 embarcações, tendo em conta que o certificado de inspecção das embarcações enviado pelo estaleiro espanhol, indicava Patrice Trovoada como proprietário das mesmas.

Veja o documento : SCPH-S130-120112714211

A resposta da empresa Rodman, foi clara e precisa. O estaleiro espanhol disse ao Ministério das Finanças que a empresa que adquiriu as 5 embarcações e muitas outras embarcações é a China Sonangol com sede em Singapura.

O leitor deve confirmar a informação no link seguinte – SCPH-S130-120112714210

A empresa espanhola que construiu as embarcações confirma que quem comprou as mesmas, é a empresa China Sonangol, por sinal a empresa que pagou os primeiros 10 milhões de dólares do crédito para o anterior governo construir a cidade administrativa.

Os catamarans e lanchas rápidas, que chegaram ao país sem se conhecer quem comprou, nem quanto custou, fazem parte de processos que o Ministério Público santomense mandou arquivar por falta de provas suficientes.

No entanto, as diligências do governo santomense e as acções da justiça angolana em esclarecer a rede de corrupção financeira  em torno das empresas China Sonangol e China International Fund, estão a pôr luz sobre todo o esquema de alta corrupção que envolveu também o negócio dos catamarans no ano 2016.

O Téla Nón apurou que o Governo santomense já remeteu ao Ministério Público, as novas provas que recolheu sobre o envolvimento da China Sonangol e do anterior governo no negócio dos Catamarans. No quadro de parceria, e para ajudar o Governo angolano a recuperar os seus fundos delapidados pela empresa China Sonangol, o Téla Nón apurou que o executivo de Jorge Bom Jesus, já fez chegar a Luanda, todas as provas que tem em mãos, em torno do negócio dos catamarans, e do crédito de 30 milhões de dólares.

O caso dos catamarans que agora se sabe, foram pagos pela empresa China Sonangol, é dramático.

O drama tem a ver com o facto dos dois catamarans terem sido destruídos após pouco tempo de utilização. Ambos foram baptizados com o nome de Pixi N´Dala. O pior destino teve o Pixi N´dala 1. Este acabou por ir realizar negócios no vizinho gabão.

O ministério das Finanças garante que nunca entrou nos cofres do Estado qualquer tostão relacionado com o negócio que a embarcação realizou no Gabão, antes de se despedaçar e ser atirado na baía da cidade de Neves no norte da ilha de São Tomé.

De facto a partir do mês de Junho de 2016, o Pixi N´dala 1 foi identificado no Gabão como sendo embarcação ao serviço da empresa gabonesa designada Companhia Nacional de Navegação Interna e Internacional. Em declarações a imprensa gabonesa, o director da empresa, explicou que tinha adquirido  o navio Catamaran « para assegurar viagens entre as cidades de Libreville e de Port Gentil».

O leitor pode ver o vídeo da empresa de comunicação que relatou nas redes sociais o negócio do Pixi n´Dala 1 no Gabão.  –https://www.facebook.com/julieta.gaspar.1422/videos/163405632015482

Foi numa passagem pela ilha de São Tomé em finais do ano 2017, que o mau tempo arrastou o Pixi, n´Dala 1 para a terra e o despedaçou por completo.

A história dos catamarans está mais uma vez contada aqui no Téla Nón. Jornal que vai continuar a acompanhar a evolução da situação, com destaque para o caso da alta corrupção financeira que está a ser desmontado em Angola, envolvendo as duas empresas que financiaram o anterior governo de Patrice Trovoada, a China International Fund e a China Sonangol.

Abel Veiga

    16 comentários

16 comentários

  1. bom só

    2 de Dezembro de 2020 as 9:47

    muito bem- desvendem esse caso e levem na Justiça. Não esqueçam também dos outros casos que estão em coma no MP e que envolvem altos dirigentes da NM. A justiça tem de ser para todos, senão fica só a parecer um “ajuste de contas” entre máfias concorrentes. Não escondam nada se tiverem coragem! O MP na pessoa do Sr PGR tem de deixar de ter medo e avançar com tudo!!!Essa NM nunca vai gostar dele mesmo- não lhes deve nada antes pelo contrário querem tirar ele de lá há muito tempo, e os da Velha maioria estão a tentar safar cada um por si-logo o que o sr PGR tem a perder??Não entre no jogo de agradar a Deus e a Diabo no mesmo tempo, não vai adiantar nada…no fim ninguém mesmo vai reconhecer e vão tirá-lo na mesma! Espalhe toda a porcaria e vamos a eles-os corruptos- TODOS ELES!!!OU O Sr PGR também tem telhados de vidro???

  2. arroz podre

    2 de Dezembro de 2020 as 10:07

    Muito bom dia.
    Na minha modesta opinião deve-se emitir uma captura internacional para Patrice Trovoada. Ele
    era contra corrupção, então não pode está envolvido em corrupção. Quanto ao Américo Ramos deve ser julgado e se tiver culpa é condenado. Só assim é que podemos diminuir a corrupção em São Tomé. Espero que o Procurador Geral e Procurados façam o seu trabalho. Nada de manobras. Lugar de bandidos é CADEIA.

  3. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    2 de Dezembro de 2020 as 10:11

    STP precisa de dinheiro…..???????????????????????? que se lixe,, antê quê djá?

  4. Pedro Costa

    2 de Dezembro de 2020 as 10:56

    Já cheguei a uma conclusão:
    -Este país nunca mais vai avançar, infelizmente e com muita pena minha.
    Porque é que um estado se mete em negócios com trafulhices? As pessoas que representam um estado devem ser as mais responsáveis e fazerem as coisas o mais transparente possíveis e desde muito cedo vi que este aparecimento destas embarcações todas, sobre elas pendiam muitas dúvidas.
    Neste país reina muita impunidade, muita corrupção e está na altura das pessoas colocarem as mãos na consciência e verem que isto não pode continuar assim. Está na altura dos governos apresentarem contas e dar uma satisfação ao povo e ao país. Está na altura dos responsáveis deste país terem de fazer as coisas não na calada da noite. Assiste-se tanta coisa; sai um e entra outro e não se conhece quase nada que outro vez e deixou no exato momento. Muitas das coisas só se ficam a saber muitos anos depois e depois e o povo fica na miséria.
    Revolta-me tudo quanto se passa neste país e se eu mandasse, não sou perfeito, mas era vai ou racha e doa a quem doer.

  5. Andorinha

    2 de Dezembro de 2020 as 11:13

    Sim este governo de Jorge bom Jesus também desvendou e apresentou queixa crime contra Americo Ramos e Patrice Trovoada acusando-os de desvio de 17milhões do fundo do Kuwait uma queixa crime que teve o rosto direto do Primeiro Ministro Jorge bom Jesus e Ministro das finanças um assunto que foi muito propalado também aqui no Jornal Tela-Non e que culminou com a prisão do Americo Ramos que agora veio-se a descobrir que não ouvi nenhum roubo dos 17milhões foi tudo mentira.
    Por tanto com esta estória de catamarã aqui narado ja sabemos o que vocês querem’ mas ao olhos dos Santomenses vocês não vão queimar o Patrice Trovoada assim o povo vai gostar mais do Patrice Trovoada ok.

  6. Humbah Aguiar

    2 de Dezembro de 2020 as 13:40

    E Os PATRIBFS dizem que Não há provas.

  7. Beto

    2 de Dezembro de 2020 as 14:11

    Toda gente sabe que Patrice também fez das suas. Sou daqueles que acho que ele deve ser investigado até a última. Todavia como cidadão atento vejo que neste governo há muita corrupção igualmente.

    • Santo

      3 de Dezembro de 2020 as 9:56

      Aponte o corrupto e a corrupção que tem conhecimento. Cuidado com falsas acusações.

  8. Terra Boa

    2 de Dezembro de 2020 as 16:39

    Blefes, isto não interessa o povo, vamos trabalhar para dar ao povo melhores condições de vida. Não vamos criar situação para confundir e distrair ainda mais o povo. São Tomé e príncipe não esta em condições para ajudar Angola a resolver o problema de corrupção, São Tomé tem muitos problemas de corrupção que esta a decorrer que a própria justiça faz parte. Por favor, não vamos distrair ainda mais o povo.

    Se for necessário, podemos propor muitos nomes dos políticos santomenses e não só que precisam ser investigadas (enriquecimento ilícito). A robalheira no Estado Santomense não começaram nos últimos quatros anos, vem desde nossa Independência, que se diga a verdade.

    JBJ, prometeu o combate a corrupção, o que estamos a ver é o fomento a corrupção generalizada em São Tomé e Príncipe.

    Abel Veiga, sai a rua e vai para instituições do Estado escuta as pessoas, não fenge que não estas a par dos acontecimentos.

  9. Mendonça

    2 de Dezembro de 2020 as 17:02

    Parece que o circo esta a fechar. Tela non por favor, vai até ao fundo. Pena que só se descobre pasados muitos anos. Mas vale tarde que nunca. Um dia vamos descobrir quem e quem em São Tomé.
    Por favor desvenda as empreitada atuais no país como da marginal 12 de Julho, ponte de água grade, estrada de Neves, remodelação do hospital central. Carrega tela non.
    Obrigado

  10. Toni

    2 de Dezembro de 2020 as 20:32

    Sim deve se investigar e se for o caso julgar.

    Agora, deve se investigar e se for o caso julgar as corjas que governaram Stp desde a Independência, desde então chegaram milhões de milhões e o país está na miséria. Com cerca de 200 mil habitantes tudo poderia ser diferente para melhor.

    Sim julgar este mas os outros também.

    Stp não tem condições para ser país independente!!!!!

  11. Vanplega

    2 de Dezembro de 2020 as 21:14

    O mes de Março a coisa vai piorar, vai ficar feio

    O Procurador, vai ser destituido do cargo e é nomeado outro.

    Que chega com orientaçāo precisa, vai ficar feio para eles(ADI)

    Os casos seram investigado

    Presidente da Repubblica, nada poderá fazer

    Ate lá, boca comeu, ocu paga

  12. Seabra

    2 de Dezembro de 2020 as 22:24

    O Patrice TROVOADA deve ser julgado…a curto ou a longo termo. De qualquer jeito, este JAGUNÇO não escapará a um eventual julgamento, seja ele a nível nacional STP, seja ele a nível internacional TPI(Haye). Ninguém é mais de que ninguém para pensar que não tem contas a dar pelos seus actos & crimes cometidos. Tout ESCROC mérite son heure de condamnation,parce qu’aucune CAVALE est infinie…du Portugal vous allez passer à la HAYE monsieur Patrice Trovoada. Ce tribunal est beaucoup plus sévére que celui de Bobigny au 93. Be carefull!

  13. matabala

    3 de Dezembro de 2020 as 9:15

    quando o jornalismo é sério e isento todos saem a ganhar….sobretudo o país e os seus cidadãos na clareza da gestão da coisa publica-coisa que os nossos governantes há 45 anos tentam soprar areia nos olhos- e nenhum foi melhor que outro: todos iguais!
    Se o Abel Veiga, ainda que familiar de alguém que tem umas continhas a ajustar com justiça, fôr sério e quer ser um heroi na investigação jornalistica em São Tomé e fazer diferente sendo patriota e defensor da verdade então que avance também para as investigações de vários casos que recentemente andam na praça publica:
    – sobre denuncias de pedofilia envolvendo altos quadros em orgãos de soberania,
    – ultimo relatório TC na gestão dos dinheiros das pontes do Rio Agua Grande
    – reabilitação/obras na marginal Ana Chaves

    Não se pode andar atrás sempre dos mesmos…ou pautamos pela verdade doa a quem doer, ou então estamos ao serviço de outros interesses que não o bem deste povo e da nação

  14. Santo

    3 de Dezembro de 2020 as 10:04

    Agora é que estão a ver receio de não regresso do PT à S. Tomé. Se homem não matou, não roubou, o porque que não volta para tirar os seus apoiantes olhos na estrada. Todos os elementos do seu ex-elenco estão no País, porquê que ele está ausente e quer ser eleito como Presidente do Partido através da fotografia? É absurdo. Afinal a feijoada que muitos esperavam tem tocinho.

  15. José Mendonça de Sousa

    3 de Dezembro de 2020 as 17:06

    Meus senhores
    O actual governo está a pagar este catamaran? Se o homem trouxe catamaran para servir o povo, bem-vindo. Vocês estão a chorar porque não sabem como trazer investimentos para o país.
    E os materiais de COVID que foram desviados pelos camaradas do MLSTP e vendidos na rua publicamente. Porquê o Tela Non não investiga. Os milhões que o senhor Silvério Amorim mamou em apenas 2 anos na radio. Porque é que não investiga. Os milhões de negócio do senhor Gabdulo com ACA sobre a ponte porque é que não investiga. Os milhões de Brasil que o Delfim mamou no STP Trading porque é que não vai ao Ministério Público. Os envelopes de Euros que circularam no tribunal no caso de Rosema. Porque é que não se julga. O Presidente do Tribunal Constitucional que vendeu uma viatura para duas pessoas e foi denunciado publicamente nas antenas da rádio nacional. Porque é que não se julga e onde está Tela Non para investigar
    Vão todos catar água e lavar o cú

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo