Política

Evaristo Carvalho e Umaro Sissoco Embaló em movimentações político – diplomáticas

No final do seu mandato, Evaristo Carvalho Presidente de São Tomé e Príncipe envolveu-se em movimentações político-diplomáticas no seio dos países da CPLP, mais concretamente entre os dois países da comunidade lusófona com designação de Guiné.

No início do mês de Maio último, uma semana após ter visitado a vizinha Guiné Equatorial, onde participou num fórum empresarial organizado no quadro da CPLP, o Presidente de São Tomé e Príncipe, viajou rumo à Guiné-Bissau.

Desta vez numa visita que permitiu aos governos de São Tomé e Príncipe e da Guiné-Bissau, rubricarem acordos nomeadamente de isenção de vistos de entrada nos dois países.

Quase na mesma altura, outros Presidentes da Comunidade de Língua Portuguesa, visitaram a Guiné-Bissau, com destaque para o Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa.

A visita de Evaristo Carvalho à Guiné-Bissau aconteceu no dia 19 de Maio. Menos de 1 mês, o Presidente da Guiné Bissau Umaro Sissoco Embaló desembarca em São Tomé, para uma visita de 3 dias.

Recebido no aeroporto internacional de São Tomé, no dia 15 de Junho, por alguns membros do governo e pelo assessor diplomático do Presidente santomense, Umaro Sissoco Embaló, não se pronunciou sobre os objectivos da sua primeira visita oficial à República Democrática de São Tomé e Príncipe.

No entanto estão agendados encontros entre o Presidente da Guiné-Bissau, e os titulares dos órgãos de soberania de poderes executivo e legislativo, nomeadamente o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus e o Presidente da Assembleia Nacional Delfim Neves (actualmente em pré-campanha para as eleições presidenciais de 18 de Julho próximo).

As últimas movimentações político-diplomáticas de Evaristo Carvalho, e de Umaro Sissoco Embaló indiciam que os dois Presidentes estão também a analisar ou a negociar aspectos políticos relacionados com a cimeira dos Chefes de Estados e de Governos da CPLP, marcada para 16 e 17 de Julho próximo na República de Angola.

Note-se que até recentemente, as relações entre o Presidente da Guiné-Bissau o General Umaro Sissoco Embaló e o Presidente de Angola, o General João Lourenço foram marcadas por tensões, e alimentadas por declarações azedas de uma e da outra parte.

Pode ser que as movimentações político-diplomáticas dos últimos tempos no seio dos países da CPLP, ajudem a arrefecer o clima tenso entre os Presidentes de Angola e da Guiné Bissau, antes da Cimeira de Chefes de Estados da CPLP, no próximo mês de Julho em Luanda-Angola.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Matabala

    16 de Junho de 2021 as 16:13

    Continuamos a brincar no dominio da diplomacia. ..mas que bando de amadores! Estamos a querer por dedo nas relações entre Angola (a quem devemos muito dinheiro) e Bissau ( pais irmão mas em nada estratégico para os interesses de São Tomé )..para quê? Tentar ficar bem na foto e ainda vai sair pela culatra…enquanto continuarem a deixar estes assuntos na mão de curiosos em vez de profissionais vamos dar muito tiro no próprio pé

    • Ralph

      18 de Junho de 2021 as 2:41

      Mas isso é o que os políticos fazem – fazer reuniões e assistir a cimeiras para dar aos seus povos a aparência de que estejam a contribuir algo para o avançamento das suas jurisdições, mesmo que essas atividades não tenham muito valor. Têm de justificar as suas posições para que possam ser reeleitos. Visto desta perspetiva, faz todo o sentido.

  2. Sem assunto

    17 de Junho de 2021 as 6:08

    A quem interessa uma relação estreita com e profunda comunhão a Guiné Bissau?
    Cuidado Evaristo não deixe a família Trovoada deitar e enrolar nas nossas relações externas. Que a Guiné Bissau é um país irmãos que merece todo o nosso apaio e consideração é inquestionável, porém aprofundar laços de amizades de uma forma tão repentina sem nenhuma justificação plausível é de se desconfiar de que os Trovoadas, pai e filho, vêm vantagens nisto, porém o país não pode ser comprometido com isto uma vez que a nação não lhes pertence.

  3. SEABRA

    17 de Junho de 2021 as 12:09

    Muito ESTRANHO é que o presidente Evaristo de Carvalho tenha recebido OFICIALMENTE um IMPOSTOR que se faz passar por presidente da Guiné Bissau, na pessoa do Umaru Sissoco, o maliano-burquibanês que foi acolhido na Guiné Bissau
    na idade de 5 anos (aproximadamente),como emigrante.
    Este individuo maliano-burquinabês, é altamente perigoso (terrorismo e narco-tràfico), pelo seu passado, que jà nao é mais segredo para ninguém.
    Creio que cabe a todos os presidentes dos paises lusofonos, ESPECIALMENTE, de serem prudentes e vigilantes nas suas politicas. Com esta ATITUDE o senhor Evaristo de Carvalho traiu o povo irmao da Guiné Bissau.
    Bem haja!

    • Ralph

      18 de Junho de 2021 as 2:54

      Isto é um dos problemas com o sistema mundial de estado-nações. Todos os líders, serem eles eleitos ou não, recebem alguma medida de respeito devido meramente à sua posição de líder do seu próprio país. Isto significa que déspotos corruptos e cleptocráticos têm uma oportunidade de assumir uma posição igual ao lidarem com os seus homólogos democraticamente eleitos (e talvez menos corruptos e cleptocráticos). Este sistema força o Joe Biden a ter de lidar com déspotos como o Vladimir Putin e o Kim Jong Un, por exemplo.

  4. Povinho

    17 de Junho de 2021 as 14:36

    Shr presidente, o que procura fazer no fim do seu mandato? O shr manteve durante todo o tempo no palácio a dormir agora vem tentar fazer alguma movimentação? Cumpre seu mandato e vai-se embora porque até agora não fez nada para o povo. Foi o pior presidente que o país já teve. Vai continuar o jogar e dar solfão no baralho de cartas. De tudo que não fez para o país, nós os são-tomenses temos o dom de perdoar. Assim não ficas a perder já tem garantida a sua reforma da presidência. Infelizmente o povo vai ter que trabalhar para lhe sustentar o resto da vida.
    Bay bay

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo