Política

Novo programa estratégico de cooperação entre STP e Portugal envolve 60 milhões de euros

São Tomé e Príncipe e Portugal assinaram na sexta feira, 3 de Dezembro, em Lisboa um novo Programa Estratégico de Cooperação para os próximos 5 anos(2021-2025). Avaliado em 60 milhões de euros, o programa de cooperação bilateral, pretende contribuir para elevar o índice de desenvolvimento humano no arquipélago.

Em nome do governo de Portugal, Ana Paula Zacarias secretária de Estado dos Assuntos Europeus, garantiu o propósito do novo programa estratégico de cooperação em promover o desenvolvimento humano em São Tomé e Príncipe.

A governante portuguesa explicou que o orçamento indicativo para financiar o novo programa estratégico de cooperação conheceu um aumento de quase 30% em relação ao último programa, assinado no ano 2016.

No total são 60 milhões de euros,  que pretendem reforçar a intervenção da cooperação portuguesa em quase todas as áreas de desenvolvimento. Ana Paula Zacarias que pela parte portuguesa assinou o novo programa estratégico de cooperação, indicou saúde e educação como sendo os sectores prioritários.

O projecto Saúde para Todos, foi considerado pela secretária de Estado de Portugal, como sendo emblemático em termos de melhoria da qualidade da assistência médica em São Tomé e Príncipe.

Desta vez os projectos que dão corpo ao programa estratégico de cooperação São Tomé e Príncipe-Portugal foram elaborados de forma inclusiva. Agentes do sector público e do sector privado, participam no processo, e a sociedade civil também tem palavra a dizer.

A Ministra dos Negócios Estrangeiros Edite Ten Jua, assinou o novo PEC em nome do Estado santomense. A Chefe da diplomacia santomense realçou as inovações contidas no novo programa estratégico de cooperação (PEC). O sector do turismo entrou no PEC, como uma das inovações suscitadas pelo governo são-tomense.

Edite Ten Jua disse na ocasião que o Turismo é uma das principais apostas do Governo santomense. Para ascensão do turismo como fonte de receitas para a economia nacional, São Tomé e Príncipe, quer absorver a experiência de Portugal neste sector de actividade económica.

A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação disse também que a acção de cooperação portuguesa no sector da justiça é estruturante para o sistema democrático. Na defesa e segurança, os dois países vão aprofundar a cooperação militar, para dissuadir as ameaças à segurança nacional e no golfo da Guiné.

Abel Veiga

6 Comments

6 Comments

  1. Sem+assunto

    4 de Dezembro de 2021 at 5:09

    Verborreias e mais verborreias, na prática nada vemos e veremos.
    Coitados são os que deixam se levar com estes pseudos acordos, que não passa de comissões para quem assina, para quem, simule, executar e ao povo nada nadica de nada.

  2. Bôbu

    4 de Dezembro de 2021 at 8:18

    “O programa de cooperação bilateral, pretende contribuir para elevar o índice de desenvolvimento humano no arquipélago”.

    Mais migalhas. 60 milhões para 5 anos. Que valor tão exorbitante. Palhaçada.

    • manu

      6 de Dezembro de 2021 at 12:55

      Pobre a mal agradecido. Trabalha… Recebe “esmolha” e ainda cospe na mão que dá. País de gente atrasada…

  3. Fuba cu bixo

    4 de Dezembro de 2021 at 22:08

    Acordo de quê? S.Tomé vai dar alguma coisa ou só vai receber? O dinheiro que vão receber vai ser distribuído entre os camaradas.

  4. Dá para rir

    5 de Dezembro de 2021 at 17:37

    Mais dinheiro para fezada política. Dinheiro sem controlo, corrupção á solta. Arranjam mil e um argumento para justificar e lançar areia aos olhos do povo como se na realidade esse dinheiro irá alguma vez servir a humanidade santomense, ou o seu sistema democrático. Estamos todos vendidos a custa da festa corrupta desses políticos. Enquanto tivermos essa espécie da cúpula política na nossa sociedade podem tirar o cavalinho da chuva. País sem futuro.

  5. Edson Neves

    5 de Dezembro de 2021 at 23:28

    Esse reprise não queremos ver, esperemos que os titulares do Ministério Público não permaneçam dormindo como vêm fazendo há décadas nesse país, somente correndo atrás de ladrão de galinha e deixando os ladrões de colarinho branco à solta. Que o Ministério Público como custus légis faça o seu papel, e o Tribunal de Contas exija a prestação de contas sobre o uso desse recurso, que o Parlamento use suas prerrogativas convocando executivo quando necessário para esclarecer a devida aplicação dessa verba quando necessário. Por que do jeito que vamos, não dá. Não dá mais pra fechar os olhos diante de mau uso de recurso público, desvio de verbas para atender interesse de meia dúzia de indivíduos enquanto a população só experimenta a miséria e a desgraça. Que país é esse onde não se vê os magistrados do Ministério Público se omitem à violação das leis?
    Ministério Público, acorda! Os nossos juízes mesmos que tenham vontade de enquadrar esses gatunos do povo, não podem nada fazer sem a prévia manifestação que detém a prerrogativa de ação penal.
    Senhor Presidente, contamos consigo nessa empreitada, nada de fechar os olhos para a corrupção como se tem visto com seus antecessores. Bem haja!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top