Sociedade

Projecto de modernização e ampliação do aeroporto internacional lançado pelo governo de Rafael Branco em Banho-maria

Não há qualquer sinal de modernização do aeroporto Internacional”. Quem o diz é o Presidente do Conselho de Administração da ENaristides-barros.jpgASA, empresa que administra os aeroportos do país. Questionado pelo Téla Nón sobre a promessa feita pelo governo de iniciar num prazo de 45 dias a partir de 31 de Janeiro passado, os trabalhos técnicos com vista a modernização e ampliação do aeroporto internacional, Aristides Barros(na foto), esclareceu que «não foi feito nenhum levantamento, nenhuma avaliação”.  No entanto Já passaram 4 meses sobre a assinatura do protocolo entre o Governo são-tomense e a empresa angolana Sonangol, para projectar a modernização e ampliação do aeroporto internacional.

No quadro da política do governo com vista a transformar tem São Tomé e Príncipe numa placa giratória de prestação de serviços no golfo da Guiné, constantemente o executivo tem apresentado a modernização e ampliação do aeroporto internacional como um dos trunfos da sua estratégia de progresso.

A opinião pública tem recebido tais declarações como sendo um projecto estruturado e em implementação. Ainda mais quando foi assinado em 31 de Janeiro passado, um protocolo com a empresa Sonangol, em que o governo anunciou para 45 dias o início dos trabalhos técnicos com vista a preparar a execução do projecto de modernização e ampliação do aeroporto internacional, e a reestruturação do velho porto de Ana Chaves.

Certo porém é que o tempo este a passar e a vida do actual governo a diminuir. Faltam cerca de 7 meses para o país avançar para as eleições legislativas, e ainda não há nenhum sinal para a modernização do aeroporto internacional. «Não há qualquer sinal de modernização do aeroporto Internacional», declarou o presidente do conselho de administração da ENASA.

Aristides Barros, foi mais preciso. «Nós ainda não temos um parecer que diz, êpá existe esse projecto e que vou financiar. Assinou-se um protocolo de acordo com a sonangol, e até agora ficou nessa assinatura. Não há nenhum passo subsequente que nos possa dizer que isso vai ser feito. Achamos que neste não podemos dizer que vai-se fazer a reabilitação ou ampliação do aeroporto», frisou o Presidente do Conselho de Administração da ENASA.

Porque o governo anunciou para 45 dias a partir de Janeiro o início dos trabalhos das equipas técnicas de São Tomé e Príncipe e de Angola no terreno para projectar o desenvolvimento do projecto, administração da ENASA, esclarece que «não foi feito nenhum levantamento, nenhuma avaliação. Eu não vi a presença de nenhum perito nem de são Tomé nem de Angola aqui no aeroporto», sublinhou.

Projecto de modernização do aeroporto internacional com início previsto para Março passado em banho-maria.

Abel Veiga

Recentemente

Topo