Sociedade

Produtos alimentares importados do Brasil ainda não têm preço

Osvaldo Santana, porto.jpgmembro de um grupo privado são-tomense que tem assento na Trading, que é por sinal dona dos produtos importados do Brasil, disse a imprensa que foi submetida ao governo uma proposta de preços que deverão ser praticados para os produtos importados. Em Outubro de 2008, quando a Câmara do Comércio, anunciou a chegada dos produtos para a quadra natalícia, o argumento de peso foi que tais produtos por serem oriundos do mercado brasileiro, onde o dólar é a moeda de referência, seriam vendidos a preços mais baixos que os produtos importados da zona Euro. Agora o consumidor espera para comprovar se o anúncio é verdadeiro.

A Trading, criada por um grupo de empresários são-tomenses, foi a beneficiária dos 5 milhões de dólares que o governo brasileiro disponibilizou como linha de crédito para importação de géneros alimentícios.

Rumores davam conta que os produtos importados não foram contentorizados. Osvaldo Santana, confirma. «Toda carga veio a granel e não de forma contentorizada», declarou o agente comercial que é um dos responsáveis da Traiding.

Fica assim desmentida a informação de que teriam chegado ao país, 200 contentores de carga.

Apenas os produtos congelados, como carne, vieram em contentores, explicou Osvaldo Santo, que reconheceu por outro lado as consequências da importação da maior parte dos produtos em forma de entulho. O óleo alimentar verteu sobre o açúcar e vice – versa. «Conhecemos as condições do nosso porto e as condições dos equipamentos técnicos que existem, e é natural que num processo deste e com este volume de transacção de mercadoria que haja uma situação semelhante», pontuou.

Mas o que neste momento interessa as populações é a comercialização dos produtos. Coisa que ainda não aconteceu. A promessa de que os preços dos géneros alimentícios oriundos do mercado brasileiro, seriam muito mais baratos que os importados da zona euro, constitui grande expectativa dos são-tomenses. «A nível de preço ainda estamos a finalizar as negociações já remetemos uma proposta de preço ao governo e aguardamos que a todo o momento o governo se pronuncie sobre os preços que estamos a propor», enfatizou.

Osvaldo Santana, reafirmou que os preços serão baixos. «Preços que deverão ir de encontro as expectativas de todos nós os consumidores esperamos», declarou tendo acrescentado que serão naturalmente mais baixos que os preços actualmente praticados no mercado nacional.

Notícia boa para toda a população, que deverá comprovar o facto nos próximos tempos.

Abel Veiga

Recentemente

Topo