Sociedade

Carta dos Estudantes bolseiros no Brasil

Estudantes bolseiros de São Tomé e Príncipe na República Federativa do Brasil, vimos por este meio, alertar para depois suplicar a vossa excelência pelo pagamento da parcela concernente ao primeiro trimestre de 2012.

Exmo Senhor Ministro da Educação

Estudantes bolseiros de São Tomé e Príncipe na República Federativa do Brasil, vimos por este meio, alertar para depois suplicar a vossa excelência pelo pagamento da parcela concernente ao primeiro trimestre de 2012.

Não sabemos se é do conhecimento de vossa excelência, mas entramos já em 2012 com aumentos exorbitantes em todos aspetos, acarretando como sempre inadimplência da nossa parte, pois são dívidas em todo canto, principalmente no que diz respeito a Universidade, pelo que o nosso maior amparo nessa aventura, é o subsídio cujo esperamos sempre com muita ansiedade e esperança pela disposição do governo.

Achamos ser desnecessário narrar as circunstancias detalhadas em que vivemos, pois é do vosso pleno conhecimento, ou pelo menos devia ser, pelo que não podemos ficar banalizados num país tão burocrático, como cidadãos que não tivessem pátria, mesmo defendendo-a sempre ao nível acadêmico e não só, como estudantes que somos sem ter mesmo condições para nos manter erguidos.

São situações caóticas que enfrentamos cotidianamente que nos obrigam a estar sempre debulhando em prantos no intuito de que nosso grito seja ouvido e com isso obtenhamos respostas cabíveis que possam nos amparar nessa trajetória de forma que possamos nos sentir o mínimo que seja, o conceito de ser humano munido de dignidade humana, fluir em nós e sermos reconhecidos como cidadãos que somos pela nossa pátria, através de seus representantes.

Ficaríamos extremamente honrados, caso o governo agisse, não de forma a remediar as situações precárias em que vivemos, mas sim, que pudesse agir com eficiência no intuito de nos amparar de acordo com nossos valores absolutos reconhecidos não só na Carta Magna como em outras leis cujas citações se fazem desnecessárias, pois hoje são como utopias, mas ainda temos a esperança de serem parte do nosso cotidiano.

Isto exposto e sem mais assunto no momento, aguardamos pela vossa ampla e eficiente intervenção.

Brasil, 20 de Março de 2012

Os subscritores;

Helton Neves
Hailton Sousa
Miguel Nascimento

O seres ávidos do conhecimento

    8 comentários

8 comentários

  1. flasóóóó

    20 de Março de 2012 as 15:42

    Padre Olinto!
    Trate da situação dos nossos conterâneos-futuros quadros santomenses.Também foi estudante.Talvez não tenha sentido na pele como eles estão sentindo.Os estudantes estão comendo pão que diabo amassou.Faça isto por eles.Acuda-lhes.Quem sabe,ainda DEUS pode repensar,por ser muito misercodioso para com os homens e lhe perdoar todos os pecados cometidos.

    • Helves Santola

      21 de Março de 2012 as 2:10

      EU acho errado estarmos a crucificar a pessoa do ministro da educação… nem tudo depende da boa vontade dele, nem 50% das decisões…. mas é claro que sinto uma falta de presença e de atitude em relação a esta questão das bolsas de estudos em particular…..

    • Helves Santola

      21 de Março de 2012 as 2:15

      Mas é boa a ideia de publicar esta mensagem ao executivo para alertar que o primeiro semestre já ta acabando e que vai iniciar o segundo e deverão ser pagas as bolsas respectivas a esse período de 3 meses. Eu acredito que “RECURSOS HÁ, O QUE NÃO EXISTE É A BOA ADMINISTRAÇÃO DO MESMO”. Acredito que com boa vontade e com compromisso, sentido de dever, é possível sim pagar as bolsas nos momentos certos.

      Espero que o ministro da educação perceba que estamos ignorou-se aqui as bolsas que ainda estão atrasadas. Estamos a chamar a atenção para o pagamento oportuno da próximo bolsa a que temos direito, uma vez que elas devem ser pagas de 3 em 3 meses.

      Espero que isso aconteça, para evitar as frequente e históricas situações de humilhação, desespero, etc….
      Abraços irmãos!

  2. Engenheiro( LISBOA)

    20 de Março de 2012 as 19:32

    Existe mesmo um espírito de deixar andar, um e spírito de má fé da parte do HOMEM SANTOMENSE. As pessoas congratulam muito com sofrimento dos outros.
    Há mesmo uma negligência das partes das pessoas, instituição dos Estado, etc.
    Imagem só:
    O Ministério deste padreco abriu a canditadura para alunos beneficiários do subsídio em Portugal, com atraso de 5 meses ou seja ou seja, em condições normais a Candidatura devia ser aberta em Setembro mas foi aberta em Janeiro e estamos em MARÇO e acreditam que a EMBAIXADA EM PORTUGAL, ainda não enviou os documentos à S.TOMÉ e pior ainda a DIRECÇÃO DE BOLSA DEVIA SE PREOCUPAR COM A SITUAÇÃO.
    Isto é um PRAGA que existe em S.TOMÉ.
    É uma VERGONHA essa situação.
    Eu não sou do MLSTP e nem me simpatizo com aquele partido por causa de alguns LEPROSOS que está naquele partido mas a verdade seja dita, com anterior ministro JORGE DE BOM JESUS a situação era diferente.
    Não havia aquela ARROGÂNCIA que há agora por parte desse PASTOR DE IDOLATRIA, Olinto Daio, cego espritual,sem espírito de justiça. Eu não compreendo porquê que um homem cujo seu ministério há sempre reclamações da parte dos estudantes de Portugal e BRASIL, não pede a sua demissão.
    já estamos quase no final do ano lectivo 2011/2012 e em nem se quer os documentos da candidatura está na direcção da bolsa ou se est, foi há dias porque eu pessoalmente o soube cá em portugal.
    É muito tristre falar todo ano da mesma miséria.

    Se depender de mim esse Olinto nunca mais será ministro DE EDUCAÇÃO nesse país exactamente como o ALBEWRTINO BRAGANÇA,outro MAU ministro que Educação teve.

    A minha oração é que DEUS de toda acarne e de todos os espírito derrame o espírito de justiça e de equidade sobre todos corações dos santomenses e particulkarmente sobre os corações vdaqueles que ELE através do povo escolheu para nos guiar nesse deserto da vida. AMÉM

  3. nora

    21 de Março de 2012 as 9:53

    SENHOR PADRE OLINTO!

    SENHOR MUÇULMANO PATRICE TROVOADA!

    A messe é tão grande mais os trabalhadores são poucos. Somos poucos demis para termos filhos da terra a sofrer em País estrangeiro. Os Senhores não sentiram na pele a vida de estudantes no exterior e com bolsas em atraso. Pois Sr. Padre a Diocese mais o Vaticano garantia tudo mesmo assim o Sr. virou costas ao juramento feito. diz “Tudo que disligares na terra, será desligado no Céu” e que a terra governará o Céu. Sr. nem parece quem foi Padre, está é a dar cabo da Educação. Vigarista.

  4. jão

    21 de Março de 2012 as 16:29

    De facto é de lamentar a nossa situação

  5. Engenheiro( LISBOA)

    22 de Março de 2012 as 9:20

    Eu gostaria de fazer um a crítica aos partidos com e sem assento parlamentar

    Infelizmente estes supracitados grupo político nunca,penso eu, se pronunciaram sobre esta situação no parlamento ou nos meios de comunicação social. Eu penso que também estão”marrimbando” para a situação porque se sentem ameaçados com novos e mais bem formados e actualizados, Engenheiros, Economistas, Médicos,Advogados e etc, por isso não pronunciam nada.
    Mas estou convencido de que se quiserem pensar um pouco e por o EGOÍSMO de parte, hão de compreender que o pais é de todos nós e que todos devemos contribuir para o crescimento do PAÍS.
    Deus abençoa SÃO.TOMÉ E PRÍNCIPE

  6. Mila

    23 de Março de 2012 as 15:31

    vçx reclamam de brasil e outros coitados que estão em Portugal? Se o país sabe que não tem condições para arcar com todas as despesas porquê comprometem?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo