Sociedade

Micoló trava ímpeto do Governo em degradar o Ambiente

A população da vila de Micoló no distrito de Lobata voltou a sair às ruas esta quarta-feira, para travar mais uma acção do Governo no sentido de degradar as praias que contornam a vila.

O Ministro da Juventude e dos Desportos, Marcelino Sanches, que comandava uma fila de camiões que pretendiam extrair areia nas praias de Micoló, acabou por ficar retido na Vila. A população bloqueou os camiões e o ministro.

Desde finais da década de 90, que a população da vila de Micoló, impede qualquer tentativa de extracção de areia na região. Sejam os garimpeiros ilegais, sejam os garimpeiros mandatados pelo Governo. Mesmo que escoltados por forças policiais ou militares, a população de Micoló, sempre saiu ao encontro dos mesmos, bloqueando a sua saída do local. Nunca permitiu que um grão de areia fosse retirado da sua praia.

Pesca é a principal actividade da população local, que também está a dar passos no sentido de preservação de espécies em vias de extinção, sobretudo as tartarugas marinhas.

As praias da Vila de Micoló, mais concretamente as dunas de areia que o tempo ergueu como consequência da não extracção de areia, constituem principais ninhos para desova de tartarugas na região nordeste da ilha de São Tomé.

Pelo que o Téla Nón apurou, esta quarta feira os camiões enviados pelo Governo, deveriam extrair cerca de 120 m3 de areia das praias de Micoló. O Governo precisa de areia por causa dos jogos juvenis da CPLP.

O Governo quer construir na capital São Tomé, campos para albergar algumas modalidades dos jogos da CPLP, nomeadamente o voleibol. Com a maioria das praias do país transformadas em pedregulho por causa da longa extracção anárquica de areia, as atenções estão agora viradas para as praias de Micoló, onde a população garantiu ao longo dos anos a sua preservação. «Não entendo porque não fazem os vários jogos em diferentes praias, em vez de extraírem areias de outras praias, que além de serem essenciais para as comunidades costeiras, também são praias de desova de tartaruga marinha», desabafou para o Téla Nón, uma das testemunhas do confronto desta quarta feira entre a população de Micoló e os Camiões do Governo comandados pelo Ministro da Juventude e dos Desportos.

Micoló continua a resistir contra a degradação do ambiente marinho, que constitui a sua principal fonte de rendimento.

O Vídeo publicado nas redes sociais confirma a escaramuça de quarta – feira em Micoló

Publié par Octavio Bandeira sur mercredi 7 mars 2018

Téla Nón

    6 comentários

6 comentários

  1. Amor a patria

    7 de Março de 2018 as 21:11

    Parabéns Micolo, preservação do meio ambiente sim, estamos juntos nessa.
    A população de Micolo deu lição de cidadania a todos os santomenses, e mostrou que ninguém esta acima da lei.

  2. Ralph

    8 de Março de 2018 as 4:26

    Força para esta comunidade! Se uma comunidade dá qualquer sinal de que possa ser derrotada pelo governo, o governo vai reconhecer tal sinal como fraqueza e depois aproveitar ao máximo. Governos são eleitos para servir os seus povos, não para os trair porque seja fácil para fazer isso. Parece-me neste caso que o governo deveria ter planeado melhor e mais cedo para evitar que tivesse de montar uma missão destas ao último minuto para ter a areia necessária para realizar os jogos. Para mim, mostra um caso de falta de planeamento e organização na parte do governo.

  3. Pedro Bento junior

    8 de Março de 2018 as 7:37

    Grande vergonha. Então a empresa que ganhou a obra não pode comprar areia na DRAGA? Nunca soube que governo voltou a criar empresas de construção civil em S.T.P

  4. Candido Oliveira

    9 de Março de 2018 as 10:37

    Quem ficou muito mal na fita foi o ministro Chalino.
    Se ele próprio decidiu deslocar-se ao local, tendo o incidente ganho as proporções que ganhou também deveria ele proprio vir a comunicação social escvlarecer devidamente a situação para deixar limpa a sua imagem.
    Por outro lado a desculpa dada por um técnico dos desportos segundo a qual iam buscar areia para colocar numa outra praia onde a areia era muito grossa, isto é conversa para boi dormir porque ainda estamos no mes de Março e os jogos só serão em Julho. De cá para lá as ondas do mar se responsabilizariam a voltar a retirar tudo, ao menos que os feitiços do ADI sejam tão fortes capazes de estancar as ondas do mar e o movimento da areia nas praias.
    De qualquer forma, a população de Micolo deu provas de ser gente unida com noção de responsabilidade e por outro lado, de forma indirecta já disse ao ADI que o seu cartão vermelho já esta preparado esperando apenas a hora de o exibir e mandar para casa o mau jogador.

  5. Eloisa Cabinda

    9 de Março de 2018 as 15:13

    Parabéns a população da Vila de Micoló, pelo menos vós tendes mostrado cidadania ao povo são-tomense neste ramo. Pelo menos uma comunidade se posicionou mostrando ao Governo de que nem tudo e todos estão debaixo dos seus mando e desmandos!!! Continuem defendendo o que é vosso e nosso! Foi assim que eles destruíram a Praia das Pombas que hoje se encontra à sua sorte, inclusive vedada (cercada para impedir a entrada à População), retiraram de lá camiões e camiões de areia, porque a população de arredores não foram corajosos até este ponto, tudo se passou nos bastidores martirizando assim aquela linda e outrora famosa Praia. Se fosse o dito “povo pequeno” a extrair um saco de areia para fazer um patamar de sua casa, este seria detido por guarda-costeiras ou pelos chamados chefes de praia, conduzido à Polícia e sujeito à todas as demandas processuais…. É necessário mais acções dessas para travar o abuso de poder em STP. Estou orgulhosa da vossa acção. Força!!!!Congratulations.

  6. Alvaro Marques Cravid

    9 de Março de 2018 as 16:08

    Muito bem povo de Micoló. O bem comum deve ser protegido. Politicas e politiqueces a parte. Viva a democracia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo