Sociedade

 8º Fórum Mundial da Água no Brasil

  8º Fórum Mundial da Água reúne líderes mundiais e milhares de especialistas para celebrar o Dia Mundial da Água

–       Co-organizado pelo Conselho Mundial da Água e o Governo Brasileiro, o 8º Fórum Mundial da Água reúne mais de 10 Chefes de Estado, cerca de 100 Ministros, Deputados e Autarcas, milhares de especialistas em água e desenvolvimento sustentável e cidadãos de todo o mundo no Brasil para comemorar o Dia Mundial da Água, no dia 22 de março. 

–       Até 2025 metade da população mundial viverá em áreas que vão sofrer com a pressão hídrica 

–       80% dos países relatam que não têm financiamento suficiente para atingir metas nacionais de água potável 

–       Mais de 840 milhões de pessoas em todo o mundo, ou 1 a cada 9 indivíduos, não têm acesso à água potável segura, e 2,3 mil milhões, ou 1 a cada 3, não têm acesso a um sanitário. 

Conselho Mundial da Água, 19 de março de 2018 – Mais de 840 milhões de pessoas em todo o mundo, ou 1 em cada 9 indivíduos, não têm acesso a água potável, e 2,3 mil milhões, ou 1 em cada 3, não têm acesso a sanitários. “Em todo o mundo, mais pessoas têm telemóvel do que casas de banho”, explica Matt Damon, ativista pela água e ator. Num esforço global para evitar grandes crises hídricas e para melhorar o acesso a água potável e saneamento a nível mundial, o Conselho Mundial da Água organiza a 8ª edição do Fórum Mundial da Água, que ocorrerá em Brasília entre os dias 18 a 23 de março, coincidindo com o Dia Mundial da Água.

Mais de 10 Chefes de Estado, incluindo o presidente Michel Temer, o presidente da Hungria, János Áder, o presidente do Senegal, Macky Sall e o primeiro-ministro sul-coreano Lee Nak-yeon, juntamente com CEOs de empresas que integram a seleção Fortune 500, entre outros, viajaram até à capital brasileira para participar nos painéis de alto nível onde o futuro da segurança hídrica será planeado para os próximos três anos. Ao longo de mais de 200 sessões, milhares de participantes irão juntar-se para encontrar soluções para os desafios mundiais da segurança hídrica.

O primeiro Fórum Mundial da Água foi sediado em Marrocos em 1997. Entre os seus triunfos, o trienal Fórum Mundial da Água tem sido fundamental ao promover o reconhecimento do Acesso à Água como um Direito Humano, que finalmente foi reconhecido pela ONU em 2010. Isso aconteceu nas vésperas do 6º Fórum Mundial da Água (em Istambul, Turquia), onde a natureza fundamental deste direito foi defendida a cada momento.

Além disso, o Fórum Mundial da Água e seu criador, o Conselho Mundial da Água, desempenharam papéis fundamentais em garantir o reconhecimento a meta 6 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), garantindo o acesso seguro à água e ao saneamento para todos. Este objetivo, estabelecido pelas Nações Unidas em 2015, deve ser alcançado até o ano de 2030.

O Hemisfério Sul recebe o Fórum Mundial da Água pela primeira vez, abrindo as portas da América do Sul para dialogar e trocar experiências e boas práticas relacionadas ao uso da água. Esta edição brasileira oferecerá uma Vilã Cidadã, que receberá gratuitamente todos os cidadãos globais para participar no debate através de exposições, palestras, filmes, oficinas de artesanato, entretenimento, talk shows e praças de alimentação gourmet. O Conselho Mundial da Água convida todos a fazerem parte do seu mais importante evento internacional sobre a água.

Sem água, não há vida, não há comida, não há desenvolvimento. No Fórum Mundial da Água, sob o abrangente tema “Partilhando Água”, à luz do papel do recurso na união de comunidades e na destruição de barreiras, decisores de todo o mundo juntam-se para discutir e apresentar recomendações que irão garantir a água no nosso futuro.

A água é, essencialmente, uma questão política e deve ser tratada nos mais altos níveis de tomada de decisão. Temos uma enorme quantidade de conhecimento científico e temos uma grande quantidade de soluções para escolher, mas os legisladores devem ser fazer disso uma prioridade para que essas propostas possam ser colocadas em prática”, explica o presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga.

À volta do mundo, alguns dos problemas mais urgentes em torno da água não são sobre quantidade, mas sim qualidade. Esta é uma questão de vida ou morte para muitas pessoas, em todo o mundo – já que 660 milhões de pessoas não têm acesso a recursos de água potável aperfeiçoados e 2,4 mil milhões não têm acesso a saneamento aperfeiçoado.

Fonte : ONU

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo