Sociedade

STP perdeu MAXIMO – In Memoriem 6/07/2020

IN MEMORIEM

MAXIMO QUEIROZ DO AMARAL AGUIAR

 (São Tomé, 11 de Novembro de 1935 – Benguela, 3 de Julho de 2020)

Estamos aqui reunidos hoje, em Benguela, para dizer adeus, aquele que foi  um Esposo amável, Pai sempre presente na vida dos seus filhos, Avô querido e protetor, Tio amado e adorado, Sogro carinhoso, Parente atencioso e Amigo dos seus Amigos,– Máximo Queiroz do Amaral  Aguiar,que partiu deixando-nos como legado a Dignidade, a Honestidade e o Amor incondicional pelo seu semelhante.

Gostaríamos todos de estar aí em Benguela e ao lado da mãe Alice e do mano Miguel nesta derradeira caminhada, mas a Pandemia do COVID19, decidiu de outra maneira.

Para nós, ele era o nosso Paizinho, o nosso Pai. O Homem de referência, o Gigante em cuja sombra demos os nossos primeiros passos.Aquele que pacientemente nos ensinou a Grandeza e a Nobreza da vida,educou-nos com armas para enfrentar a vida com serenidade, sempre positivo e transbordante de optimismo, ouvido atento e sempre pronto a escutar, a nossa pedra angularem todos os momentos.

Entretanto ao ler as centenas de mensagens nas redes sociais apercebemo-nos  que esses atributos do nossoPaizinho querido e adorado, lhe eramintrínsecos.Máximo Aguiar era assim um Amigo, Conselheiro e Camarada para todo Mundo. Por isto,  permitimo-nos citar algumas dessas mensagens que descrevem  a plenitude do Grande Homem que foi o Nosso Pai:

  • “Meu amigo Máximo Aguiar. Filantrópico, livre e frontal até o dia… Não deixaste um grito preso na garganta… à Dona Alice e aos familiares meus sentimentos de Luto. Descanse em Paz”

Padre FAUSTO

  • “Pessoa, gentil e amiga, foi sobretudo uma referência na nossa sociedade.”

Luís dos Prazeres

  • “Dos poucos grandes homens deste país (São Tomé e Príncipe) que não se afortunou, nem com bens dos outros, nem muito menos com os da coletividade, mas morreu com muita dignidade”.

Hilario Garrido

Lima Rita

  • “Não fazia distinção entre filhos,  sobrinhos e amigos”, assim Helena Aguiar Garrido se refere a seu tio “como pai e amigo”.
  • “Grande profissional das Caritas de São Tomé”

Rodrigo Cassandra.

  • “Um Mestre”, no dizer do colega da filha Violeta, o advogado
  • Rui Seca
  • “Um homem de Carácter, digno, aconselhado”, nas palavras de Costa Almeida que o conheceu em Luanda

 

  • Um grande dançarino, nas palavras de Plácido Fernandes, o que aliás confirma sua sobrinha radicada nos Estados Unidos da América,Geka Aguiar. Ela diz o seguinte: “nos tempos das festas quando o fundão foi transferido momentaneamente ao Parque Popularo Senhor Máximo e a sua sobrinha não deixavam de passar no Palco a regozijarem-se com um pé de salão. As nossas danças eram lendárias, as passadas acabadas de chegar quentes de Angola estavam a fazer fogo e quando terminávamos, deparávamo-nos rodeados de espectadores (…) Assim era no parque como também nos convívios familiares, sempre a dançar, sempre a cantar.”

 

  • “Perdi um Amigo, Camarada e Combatente. São Tomé e Príncipe perdeu um grande patriota.” Luís Espírito Santo
  • “Um Grande Amigo, Brincalhão e HOMEM INTEGRO” no dizer do Amigo e Colega da filha Iolanda, o Engenheiro José Menezes.
  • “Era uma PESSOA DO BEM, para Hildilberto Dias, e como tal « nunca morre porque as suas lendas de bondade estarão sempre presente na nossa mente ».
  • “Era Amigo Verdadeiro dos Seus Amigos”

Gonçalves Trigueiros Luís Filipe

  • “O mais velho Aguiar, era uma referencia nacional, para a comunidade de São-tomenses em Angola em particular e para São Tomé e Príncipe em geral”, são as palavras de José Augusto Viegas Abreu.

 

  • “Foi homem da Cultura e companheiro. Consequentemente “mais uma biblioteca que fecha as portas”. Diz Tonecas dos Prazeres e no dizer de Felício Mendes é “mais uma biblioteca que se queima”.

 

  • “Era  um dos seus poucos “conselheiros”disseFrederico Gustavo do Anjos  assim como o seu afilhadoLourenço Trovoada

 

  • “Foi um dos grandes expoentes da consagração do Sporting Clube S. Tomé. Patriota e (…) um cidadão pleno de convicções, mas também de uma personalidade de fácil humor quando a ocasião tal proporcionasse.

Albertino Bragança

 

  • “Foi um homem amigo e de grande honestidade”

CônsulJosé Diogo 

 

  • Era um gentleman, pois  “O primo Máximo sempre me fez sentir uma princesa na forma como me tratava!”

Edna Bragança Neto

  • Os candongueiros e os meninos da Praça gemeram de dor:keiiiii (Gemido de desespero e de dor característico do povo de São Tomé)
  • « homem de bem com seu sorriso com a sua fé seu respeito tanta coisa que se podia dizer desse maravilhoso ser humano meu querido saudoso padrinho, segundo pai enfim eterno descanso meu amado » Lissandra Capela

  • “Foi o Quintero e agora vai o Máximo. Homens alegres e de muitos ensinamentos. Homens sem tabus. Pude conviver com os dois e eles são a minha biblioteca. Homens alegres contadores de anedotas. Puxa a gente está ficando desfalcada das pessoas a quem pedir conselhos…. Que Deus nos guie na caminhada da vida enquanto os nossos anciãos vão partindo para o além. As vezes a gente pensa , qual é o sentido da vida? Força prima Alice.Ainda queremos desfrutar dos seus saborosos manjares feitos com muito amor e mestria.Forca, força”Maria de Jesus – Jukanina 

 

  • “…Um grande Homem, uma pessoa cheia de energia e vivacidade, um bom cristão e dono de grande sapiência”

Colega da filha Iolanda, a Engenheira Xanda Forjaz e família (Holanda)

 

  • Que Deus o receba em toda a sua gloria! Beijinhos a todos e um especial à vossa mãe. Ruth e Angela Azancot de Menezes

 

  • « Desapareceu, do nosso meio, um grande amigo.Que descanse em paz e o seu legado permaneça para sempre. » Juvenal Espírito Santo

 

  • Muita coragem e força num momento tão doloroso como este. Um beijo especial para a prima Anjos.

Aidou Azancot de Menezes e Carlos

 

  • « Meu Tio, meu Avô, meu Padrinho. é imenso o aperto que sinto neste momento. Foste e sempre serás lembrado como um homem de muita garra, determinação e coragem. Exemplo a seguir por essa juventude sem ambição, sem sede de justiça. Mesmo que tenha sido uma luta desigual nunca desististe. Lutaste até ao fim. Mas esse fim não é o fim, Meu tio amado, é só  o começo do teu eterno descanso. Que Deus te tenha na Sua infinita Gloria»

Anita Aguiar, sobrinha-neta, filha do malogrado Burinda Aguiar.

 

  • Em São Tomé, Lígia Barros, testemunhou sobre as ações de Máximo Aguiar  enquanto ativista e defensor dos presos políticos em São Nicolau (no atual Namibe)

 

  • “Va com Deus ilustre Kota Máximo Aguiar, Amigo Eterno dos Chingunji” Dinho Chingunji

 

  • “ Para nós familiares e amigos próximos da família, esta ultima homenagem significa muito pouco diante da trajetória e daquilo que MAXIMO AGUIAR representou e transmitiu para todos nós. Uma pessoa de convicções e fé que sempre usou a justiça, a solidariedade, amizade, respeito ao próximo, integridade e religiosidade, como valores sublimes por toda a sua vida”

Tia Violante BENGE e Família

 

  • Para falar da pessoa maravilhosa que foi o Tio Máximo, teria que recuar muitos anos, mas o tempo é escasso. As palavras que definiam o tio Máximo: integro, amigo do peito, honesto, sentido de humor apurado, foi um ser humano indiscritível”.

Sobrinha Edna Salvaterra, residente em Portugal

 

  • “(…) As vezes a vida acaba nos apresentando pessoas que ficam para sempre na nossa memoria e também no coração. O meu sogro é uma dessas pessoas. Agradeço por todo o bem que me proporcionou, todos os sorrisos que provocou no meu rosto, toda a esperança e sabedoria que participou comigo. Tudo isto prova que tu foste mais do que um sogro para mim. Estava sempre disposto a ouvir minhas reclamações, meus medos, minhas incertezas, e depois de orientar-me dizia-me sempre : cuida-te, cuida-te, cuida-te filha…sim, sempre tratou-me como filha… Acolheu-me, protegeu-me e falou por mim em algumas situações quando eu não sabia o que dizer. (…) Uma pessoa que a qualquer momento estava disponível para orientar. Sim orientar! É isso que resumia o Máximo Aguiar, ajudar o próximo e orientar. Um homem de espírito alegre, trabalhador persistente, dançarino e gostava da sua família. Mimava-nos a todos. Descanse em paz Sogro Querido, Meu Pai, Meu Amigo, Meu Conselheiro, Meu Orientador. (…) A ultima coisa que me disseste foi: tchau, falamos amanha. Cuida-te, cuida-te, cuida-te.”

Nora: Jenny Aguiar

  • “Querido Tio Máximo, partiste desta vida mas vais permanecer para sempre nos nossos corações. Custa acreditar que jánãoestás entre nós que jánão vamos ouvir as tuas brincadeiras, as tuas risadas, as tuas histórias que enchiam de alegria as nossas vidas. Nos nossos convívios familiares eras um animador nato… Como esquecer dos momentos em que decidias dar um pé de dança… eras imbatível. “Olha o Máximojá começou com essas passadas dele…” segredava a Tia Alice. Foste um Homem de bem, um homem respeitável, um Homem integro, um Homem honrado, por isso estamos certos que Deus te reservou um lugar perto de si de onde vais continuar a velar por nós. Que saudades meu Tio querido! Agora só nos resta pedir a Deus que nos ajude a superar essa dor tão grande e que conforte o coração da nossa Tia Alice, da Yo, do Manico, da Letinha e do Paulinho. Que o tempo nos ajude a nos habituar com mais esta ausência. Descansa em Paz tio Máximo.

Sobrinha Milu Aguiar residente em Bruxelas e irmãos: Mery, Quinzinho e Tony.

  • O nosso coração está mais triste, o mundo menos colorido. Tio Máximo soube honrar a vida e deixou o melhor da sua vida como memoria. E é isso que fica, a memoria da pessoa que foi.

Sobrinha Milu Aguiar, residente na Suíça

  • Como sintetizar numa frase a magnitude de uma vida?

Como evocaro Tio-Encantador,

a  voz suave, o sorriso que abraça, desenhando utopias…

O olhar sereno dos sábios, dos justos, dos corajosos.

A barba feita de espuma onde todos gnomos habitam.

A poesia toda ali.

Como celebrar o Tio-Luz, o andar clarividente,

o andar clarividente,

o carácter nobre, elevado…

Leal. Amigo. Profeta.

A dignidade toda ali.

A magnitude de uma vida condensa-se no nome que

virou destino:

MAXIMO!

 

(E continua na Io, no Manico, na Letinha, no Paulinho, no Jey, no Victor Emanuel, na Tia Maria Alice)

Mick, Mané, Calo e Nifà,  Bia e do Lázaro Trovoada

  • Pai oiço a tua voz no vento, sinto o bater do teu coração no ar que respiro.

Os teus sábios conselhos vezes sem conta dissiparam as trevas que me rodeavam, aniquilaram as duvidas que me queriam sufocar acalmaram as tempestades que fustigaram a minha alma e eu triunfei.

Graças ao dom divino que te foi contemplado pelo criador foram inúmeras vezes que fui socorrido por ti, estando distante ou perto, presente ou ausente protegido por um escudo invisível, inquebrantável impenetrante e eu triunfei.

Persistente , insistente, passo a passo tu me ensinaste a marcar o meu espaço, num compasso firme sem atropelos, sem passar por cima de ninguém fosse quem fosse e eu triunfei.

A conduta de vida que me transmitiste, é um perfume da mais fina, elegante, suave, penetrante, intensa e rara fragrância que me envolve e desta forma eu continuarei a triunfar.

Quantas vezes estive sedento em busca de uma solução e fui socorrido por ti, perdido e orientado e triunfei? Esta históriaestá incompleta, inacabada, enquanto durar Pai, vou triunfar ao MAXIMO!!!

Este é o nosso caçula Victor Paulo Aguiar

  • Para o Jeiel, neto primogénito, Máximo é e será um PAI!
  • Foram tantos os testemunhos e as manifestações de carinho, citamos em particular os órfãos, os meninos e meninas que foram criados pelo Máximo e Alice Aguiar que dizem que o Sr Máximo foi um exemplo de Pai : Lionel, Zé, Maday, Joe, Custódio, Edy, Abel e tantos outros…

Sabíamo-lo um Homem popular, pois várias vezes éramos abordados, na rua, para nos dizerem, o quão apreciavam o Sr Máximo Aguiar – Nosso Pai. Ao ler todos os testemunhos dos quais apenas citamos uma ínfima parte,  ficamos sabendo mais sobre este Homem Sapiente, Ponderado, Gentil, de trato fácil  e AMIGO, como é unanimemente lembrado.

Para Máximo Aguiar o  ativismo e a solidariedade, não eram palavras vãs. Lembramo-nos quando ainda  crianças em Moçâmedes (atual cidade do Namibe, Angola, onde nasceram dois dos seus 4 filhos), o ‘entra e sai” na nossa casa : todos por lá passavam, todos lá vinham em busca de ajuda, de cuidados, de uma cama ou de uma refeição, de um simples reconforto. O Paizinho e a Mãezinha não recusavam nada a quem quer que fosse, ao ponto de cederem osnossos quartos e asnossas camas para albergar os compatriotas, os familiares,  amigos e desconhecidos que de « boca à orelha » chegavam à casa da D. Alice e do Sr. Máximo.

Em Moçâmedes (Namibe) havia o Forte de São Nicolau, uma prisão criada pelo regime colonial português onde eram encarcerados os prisioneiros políticos vindos de todas as colónias portuguesas da época. Para muitos deles foram as suas famílias, os seus amigos, que enviaram mensagens aos nossos pais pedindo a estes que se ocupassem dos seus entes queridos feitos prisioneiros. Máximo e Alice executavam-se ao risco das suas próprias vidas… Eles lutavam pelos que não tinham recursos mínimos para sobreviverem, por aqueles que eram injustiçados, perseguidos, maltratados… enfim, por aqueles privados dos seus direitos enquanto seres humanos… os párias da sociedade.

Homem Nobre, Sóbrio Africanista Convicto e Patriota, foi funcionário público em Angola, nomeadamente no Sumbe(antigo Novo Redondo), na Veterinária de Moçâmedes (atual Namibe) e  foi inspetor de finanças em Luanda.

Em 1979, convidado para regressar à sua terra Natal- São Tomé e Príncipe – após as independências, exerceu várias missões na função pública, incluindo na inspeção geral de finanças e na Ecomex.Foi igualmente Secretário do Conselho de Ministros no Governo do Primeiro Ministro Armindo Vaz. Deu o seu contributo ao sector privado enquanto Administrador Nacional do Banco Equador.No sector humanitário foi Secretário Geral da Caritas Nacional de São Tomé e Príncipe e benévolo na Arcar, dedicando-se assim com carinho e abnegação às causas dos mais desfavorecidos.

Homem de Honra, nunca negociou os princípios e os valores justos que sempre assumiu, mesmo quando traído por aqueles que o convidaram a regressar ao seu País.

Benfeitor, Cristão, Humanista, Patriota, Africanista e Amante da sua Ilha Natal, foi uma das figuras da sombra das lutas de libertação das ex-colónias portuguesas, em particular de Angola e de São Tomé e Príncipe. Máximo Aguiar continua connosco!

A Nossa dor é indescritível.Com a nossa Mãezinha, a sua “Anjos” – Dona Alice –  que o acompanhou durante 59 anos de Amor e Honra completados no dia 1 de Julho de 2020, nós vamos seguir em frente e perpetuar a Herança que nos lega, porquelá onde ele se encontra continua a sorrir e a Amar-nos como o fez aqui na Terra. Levantemos pois os Nossos Corações ao Alto e não baixemos os braços. Sursum Corda! (como dizia sempre o nosso Pai)

Lúcidos e determinados, continuaremos o combate, com serenidade e dignidade sob o seu olhar protetor e repleto de Amor,na certeza  que o Senhor o tem no meio dos seus Querubins e Serafins.

Descansa em Paz, com Justiça e sob a Proteção do Todo o Poderoso.

Até Sempre!!

    7 comentários

7 comentários

  1. P. José Botelho

    7 de Julho de 2020 as 10:25

    Rèquiem aetèrnam,
    dona ei, Domine,
    et lux perpètua lùceat ei.
    Requiescat in pace.
    Amen.

    • Jose Luis Cavalcante

      7 de Julho de 2020 as 17:42

      Oh meu caro,

      Andaram a lixar a vida do senhor ali na Caritas, agora vens com despedidas em latim porque es sacerdote ou dito padre? Deixa/te la de tretas pa.

      Faca uma despedida com palavras e demonstrando sentimentos reais e na linguagem do povo, ou seja, crioulo forro ou em portugues, que tambem se aceita.

      • SEMPRE IN-MIGO

        8 de Julho de 2020 as 14:04

        Ola, Jose Luis Cavalcante

        Seja educado para com as pessoas! Mas tu conheces aquele Padre? Sabes quem foi o Sr. Máximo para com ele? Olha, o latim é a lingua da Igreja que o bom Sr. Maximo bem conhecia! Sabias? Saudações

  2. Iolanda Aguiar

    8 de Julho de 2020 as 3:50

    Testemunho de Antonio Edgar Amaral Aguiar, filho do saudoso Sr Gorgel (sob controle semanal da PIDE, em Moçamedes, actual Namibe- Angola ); sobre quem foi Máximo Aguiar – Meu querido e adorado Pai
    “Foi hoje a enterrar em Benguela,o Nacionalista São-tomense ,Máximo Aguiar. Em Angola fez uma carreira brilhante como um exímio funcionário,tanto nos serviços de Veterinária,como nas Finanças .Em Moçamedes,conhece os meus pais(meu pai sob controle semanal da PIDE).Em Moçamedes,Máximo Aguiar destaca a sua veia solidária,apoiando parte dos presos da Cadeia de São Nicolau,sempre lado a lado com a tia Alice.Homem dedicado a Deus,no seu regresso à terra,volta a destacar-se na “Caritas”desenvolvendo actividade agrária ,em prol das crianças e mães solteiras ! Paz á sua alma, Padrinho !” 6 de Julho de 2020

  3. Iolanda Aguiar

    10 de Julho de 2020 as 5:42

    Testemunho do Sr Makhily GASSAMA,
    Professor de Letras, Conselheiro cultural do Presidente Leopold Sédar Senghor, Ministro da Cultura do Senegal.

    ” Maximo Aguiar partiu!
    Estou profundamente comovido! Tenho muitos sentimentos e amizade por este homem nobre, sóbrio e muito patriota. Lembro-me de alguns fragmentos das nossas conversas. (…) Na verdade, se continuo tão ligado a vós, é certamente em parte devido às vossas qualidades, mas também e acima de tudo devido aos sentimentos que tenho por este Homem que achei Grande e Nobre. Ele falava pouco. Mas quando ele fala, o essencial é dito com profundidade. (…) »

    « Maximo Aguiar est donc parti!
    J’en suis profondément ému! J’ai beaucoup de sentiments et d’amitié pour cet homme, noble, sobre et très patriote. Je me souviens de quelques bribes de nos conversations. (…) En vérité, si je suis tant attaché à toi (Violeta Aguiar), c’est certes grâce en partie à tes qualités, mais aussi et surtout grâce aux sentiments que j’ai pour cet homme que je trouvais grand et noble. Il parlait peu. Mais quand il parle, l’essentiel est dit avec profondeur. (…) »

    Makhily GASSAMA, (Professeur de lettres sénégalais, ancien directeur du Centre d’Études des civilisations à Dakar, conseiller culturel du président Léopold Sédar Senghor, ministre de la Culture et ambassadeur du Sénégal.)

  4. Iolanda Aguiar

    15 de Julho de 2020 as 6:47

    Testemunho de Violeta Alda da Costa Oliveira, na época da Mudança (anos 90) foi deputada, na Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, pelo partido Coligação democrática da oposição (CODO) Máximo Aguiar fora um dos fundadores do mesmo partido.

    “Dedico estas palavras ao meu pai criador, cuja filosofia de vida, me serviu de constante elevação no meu dia a dia.
    Aguiar, homem de perseverança audaciosa e de personalidade excepcional e com um espírito invencível.
    Entretanto sem se deixar desanimar, mesmo nos momento de grande confrontação, insultos e acusações, soube andar de cara levantada.
    Homem com inúmeras qualidades.
    Homem de coragem.
    Homem de ajudar às pessoas sem as conhecer.
    Homem que gostava de trabalhar, na
    comunidade e pela comunidade.
    Homem de sorriso fácil, mesmo quando mal disposto.
    Homem que gostava de tornar os mais necessitados em seres humanos felizes.
    Homem de uma audácia e força sem limites.
    Mesmo quando tudo parecia perdido,
    o Aguiar, renovava as suas energias com optimismo e determinação.
    Obrigado Aguiar, por teres sido meu pai de criação, meu tio, meu padrinho de casamento e padrinho do carne com arroz que hoje fez 43 anos.
    Vá em Paz e que a terra te seja leve.
    O momento actual levá-nos a não poder abraçar-te e beijar-te.
    Obrigada por tudo.”

  5. Iolanda Aguiar

    19 de Julho de 2020 as 1:09

    Testemunho do Dr. Augusto Athayde
    “In Memoriam
    Nunca me poderei esquecer do grande Homem que tive a Honra e a sorte de conhecer, e que foi o meu querido e bom Amigo Senhor Máximo Aguiar.
    Nomeado para desempenhar as funções de Embaixador da Ordem Soberana de Malta em STP no ano de 1998 , e tendo terminado o exercício das minhas funções em 2003, tive o gosto e a subida Honra e privilégio de contar com o apoio do meu querido e bom Amigo o Senhor Máximo Aguiar, enquanto Secretário da Embaixada da Ordem Soberana de Malta em STP.
    Foi – me recomendado para o desempenho daquelas importantes funções diplomáticas, por um outro muito querido amigo Sua Excelência Reverendíssima o então Senhor Bispo de São Tomé e Príncipe, Senhor Dom Abílio Ribas.
    Sendo a Ordem Soberana de Malta uma Ordem Católica de Cavalaria e sendo eu um Embaixador não residente a presença da Ordem em STP foi durante largos anos brilhantemente assegurada pelo Senhor Máximo de Aguiar.
    Nunca lhe poderei agradecer o suficiente pela sua generosidade, pelo seu espírito sereno , humilde e solidário.
    Nunca conseguirei agradecer o bastante pela sua entrega abnegada e completa à construção dessa então nova relação diplomática entre STP e a Ordem de Malta.
    A sua ação , a sua Fidelidade, as provas de amizade e de profunda estima que dele recebi marcaram – me profundamente e ainda hoje ressoam no meu coração com os batimentos da saudade e da imensa gratidão e admiração.
    Sim admiração!!
    Por um Homem Bom.
    Sereno, Humilde, de Alma Grande e de uma imensa e generosa bondade.
    Paz eterna à sua Alma.
    Até sempre querido Amigo!!”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo