Sociedade

Fundo Global anulou o Concurso Público aberto pelo Ministério da Saúde

Em novembro do ano 2020, o Téla Nón publicou uma denúncia feita por um grupo de pessoas que participou num concurso do Ministério da Saúde, para recrutamento de 12 postos, para a Célula de Gestão de Subvenções Internacionais do Ministério da Saúde.

A Célula em questão, foi criada no quadro do financiamento do Fundo Global, para combater as três epidemias que mais afectam a população santomense, nomeadamente o Paludismo, a Tuberculose e a Sida.

O financiamento do Fundo Global, para combater as três epidemias nos próximos anos está avaliado em 11 milhões e 695 mil euros. Montante que pela primeira vez será colocado a disposição do Governo santomense, através da recém criada Célula de Gestão das Subvenções Internacionais.

Em novembro de 2020, o grupo de 10 pessoas que concorreu para os 12 postos abertos na Célula de Gestão das Subvenções Internacionais, publicou no Téla Nón a carta de impugnação do concurso público, e outros documentos que provam alegadas irregularidades no processo de recrutamento.

O Téla Nón apurou que no dia seguinte à publicação da denúncia, o Fundo Global reagiu de imediato. A instituição financeira internacional, solicitou ao Ministro da Saúde a suspensão de todo o processo de recrutamento dos 12 postos para a Célula de Gestão das Subvenções Internacionais.

Após análise de todo o processo, o Fundo Global, pediu ao Governo que o concurso fosse declarado inválido.

A anulação do concurso aberto pelo Governo em Novembro do ano 2020, está plasmada no texto do novo concurso público que foi publicado no jornal Téla Nón na última semana. Desta vez o concurso público pede a contratação de apenas 6 postos para a Célula de Gestão das Subvenções Internacionais.

«Por força das recomendações do financiador – Fundo Global, no sentido de se declarar inválido o concurso público anterior…..», lê-se no texto do novo concurso aberto pela Célula de Gestão das Subvenções Internacionais.

Fundo Global, impõe transparência e legalidade no processo de recrutamento dos quadros que vão trabalhar na Célula de Gestão das Subvenções Internacionais, no âmbito do projecto de luta contra a Sida, Paludismo e Tuberculose.

Abel Veiga

.

 

    4 comentários

4 comentários

  1. Terra Boa

    1 de Fevereiro de 2021 as 9:59

    Todos Bandidos, pouca vergonha… Fundo Global que esteja atento com estes bandidos.

  2. matabala

    1 de Fevereiro de 2021 as 12:46

    ainda bem que o fizeram…não há maneira de pormos estes concursos publicos- TODOS- sob o escrutinio das entidades financiadoras dos mesmos??fazia todo o sentido e evitava estes desmandos e nepotismos…infelizmente mais uma vez damos provas para os nossos parceiros de pouca credibilidade e transparência na gestão da coisa publica…passamos como filho que precisa da supervisão de pai para não fazer asneira…..uma vergonha, depois vem dizer que quem põe dedo na ferida e tem coragem de falar/criticar que está difamar nome do país? não é patriota? Esses governante fazem esse serviço de fazer passar vergonha muito bem…muito patriotas esses !!!

  3. Sem assunto

    1 de Fevereiro de 2021 as 21:11

    Boa oportunidade para o primeiros ministro mandar para casa o ministro da saúde!
    Não brinca Jorge Bom Jesus, o nome de São Tomé é Príncipe está em causa.

  4. Edson Neves

    2 de Fevereiro de 2021 as 5:41

    A Polícia e o Ministério Público devem se fazer presente para apurar e denunciar os fraudadores à Justiça e estes possam ser processados, julgados e condenados conforme sua participação.
    O povo agradece. Chega de corrupção!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo