Sociedade

Comité Director do projecto de modernização do hospital central lança desafio ao Observatório Transparência STP

Numa mensagem enviada à redacção do Téla Nón, Tomas Vera Cruz, Presidente do Comité Director do projecto de modernização do hospital Ayres de Menezes, desafiou o Observatório Transparência STP e também o próprio jornal Téla Nón a promoverem uma sessão pública de informação, que possa esclarecer todos os aspectos relacionados com o projecto financiado pelo fundo do Kuwait em cerca de 17 milhões de dólares. Ilustres senhores,

O velho e sábio ditado diz: Antes tarde do que nunca.

É pensando nesta máxima que acolhemos com muito bom grado o legítimo direito do Observatório Transparência STP  em questionar o Governo e naturalmente a atual equipa de gestão do projeto sobre os meandros do projeto de reabilitação do HCAM, cujo acordo de empréstimo que o suporta financeiramente  foi assinado em novembro de 2016 entre o Governo de STP e Fundo do Kuwait para o Desenvolvimento Económico Árabe no valor de KD 5.000.000,00 (cinco milhões de dinares kuwaitianos), e o primeiro (porém rescindido) contrato de consultoria foi rubricado em Julho de 2017 entre o Governo de São Tomé e Príncipe e o consórcio FeedBack Infra Limited e System Development Project Management (SDPM), no valor de 1.395.200€ (um milhão trezentos e noventa e cinco mil e duzentos euros) .

Por imperativo de informar devidamente o público e evitar o acumulado de especulações, abstrações  e  injúrias que vêm ultimamente sendo pronunciadas e por zelo de transparência, informamos que o Comité  Diretor e a Unidade de Implementação do Projeto estão disponíveis para responder publicamente, no que lhes diz respeito , com difusão por radio e TV,  a todas as questões levantadas pelo Observatório Transparência STP.

Estamos abertos a responder a todas as outras questões que possam ser colocadas pelos interessados no projeto de diversas latitudes e horizontes e exibir sempre que útil toda a documentação necessária a suportar as nossas respostas. O Téla-Nón que publicou o dito manifesto poderia organizar esta sessão pública de informação na qual estariam obviamente presentes representantes do Observatório Transparência STP.

Aguardamos com expetativa a reação do Observatório e do Téla-Nón a nossa disponibilidade.

Melhores cumprimentos.

    6 comentários

6 comentários

  1. Paulo FernadesPinto

    11 de Novembro de 2021 as 15:00

    Muito bem dito.
    Convidar estes vagabundos que só querem destabilizar o n osso Estado a um frente a frente

  2. Andorinha

    11 de Novembro de 2021 as 16:08

    Uque sabemos é que o Patrice Trovoada iria nos brindar com um hospital novo construido de raiz com planta feita e tudo.
    Porque razão este governo de Jorge bom Jesus quer reabilitar um hospital velho com mais de 100 anos vocês querem é comer dinheiro fáz sai.

  3. Guilherme

    11 de Novembro de 2021 as 17:15

    Muito bem senhor Presidente do Comité do projecto Hospital/fundo Kuwait. Nós, a Sociedade Civil, desejosos de informações verdadeiras e comprovadas, apelamos para que promovão, quanto antes, uma sessão pública de informação, que possa esclarecer todos os aspectos relacionados com o projecto financiado pelo fundo do Kuwait em cerca de 17 milhões de dólares. As falsidades, deturpação prepositada de informações, aproveitamento politico desmedido e consequente desinformação do público, somente serve para perpetuar o odio, o desrespeito, a desconfiança e o descredito de todos politicos do país (incluindo almas que não merecem). Portanto, senhores do Observatório Transparência STP, por favor, aceitem o desafio, organizem a proposta sessão pública de esclarecimentos sobre o dossie em causa; saíremos todos esclarecidos, bem informados e capazes de refutar as especulações malisiosas, de todas as partes, que muito mal fazem a nossa sociedade e convivência quotidiana de entendimento mutuo.

  4. SEMPRE AMIGO

    11 de Novembro de 2021 as 17:28

    TOMÁS VERA CRUZ….dou lhe nota dez ao observatório transparência não lhe resta outra alternativa senão aceitar “transparentemente”o desafio.

  5. santola

    11 de Novembro de 2021 as 18:22

    Esses dinares todos, em Euros é quanto?? E o 1º estudo, o tal que foi rescindido, no valor de mais de 1milhão e trezentos mil Euros, foi feito algum trabalho? Pagou-se alguma parte?? A bem da tal da transparencia, fiquei com essa dívida, digo, dúvida 😉

  6. WXYZ

    12 de Novembro de 2021 as 12:36

    Tudo treta. E voces mesmos sao os que dao margens para essas perguntas. Porquee nao anteciparam observatorio o o jornal tela non? Porquee agora lancamento do projecto sabendo que o governo ja esta em gestao?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo