Sociedade

Calamidade : Idosos de Lembá ficaram isolados, sem água potável e sem comida

Na vila de Santa Catarina localizada mais ao norte da cidade de Neves, o projecto de desenvolvimento integrado de Lembá dava assistência a 80 idosos. 35 deles que não têm apoio familiar beneficiavam de um prato quente todos os dias.

Segundo a Irmã Lúcia Cândido a enxurrada de Dezembro de 2021, destruiu a ponte sobre o rio Paga Fogo que ligava a cidade de Neves à Vila de Santa Catarina.

«São 80 idosos que recebiam cabazes, e mais 35 idosos que recebiam almoço todos os dias. Para estes 35 não temos capacidade para os levar o almoço», explicou a irmã Lúcia.

Para além da vila de Santa Catarina os idosos estão espalhados por outras comunidades como as roças Lembá e Brigoma.

«Santa Catarina neste momento está isolada. Também não dá para chegar a comunidade de Lembá. Levávamos assistência à Brigoma cuja ponte também ruiu e já não dá para passar», relatou.

A enxurrada dividiu o distrito de Lembá em várias partes. Ponta Furada é outra comunidade que está isolada no resto do distrito. O desmoronamento da maior ponte do país, a ponte sobre o Rio Lembá cortou o acesso para as regiões mais ao norte da ilha de São Tomé.

«Temos gente que ficou sem casa e sem roça. A enxurrada arrastou tudo…», precisou Lúcia Cândido.

Isolados, os idosos que habitam o interior de Lembá deixaram de ter o prato quente. Mas apesar do corte das estradas, o projecto de desenvolvimento integrado envia cabazes para os idosos que ficaram do outro lado das pontes que ruíram.

«Estamos a tentar lhes dar um cabaz 3 vezes por semana. Vamos até Paga Fogo, e depois está lá um carro a espera que leva o cabaz para Santa Catarina. O problema é quem pode cozinhar para esses idosos? Talvez eles terão que oferecer metade do cabaz a alguém que se disponibilize a cozinhar para eles…» declarou a irmã Lúcia Cândido.

Os 250 idosos que são assistidos no lar do projecto de desenvolvimento integrado na cidade de Neves tiveram melhor sorte. A refeição diária está garantida. O problema segundo Lúcia Cândido tem sido a água potável. «Para os 250 idosos do lar temos garantido água mineral. Mas não é fácil», referiu.

A comunidade nacional e internacional é chamada a contribuir para socorrer as crianças e os idosos da região de Lembá. Contributos para garantia de água potável nos lares de idosos e nas escolas e jardins de infância, são fundamentais e urgentes neste momento em Lembá.

Abel Veiga

4 Comments

4 Comments

  1. Andorinha

    6 de Janeiro de 2022 at 15:35

    Cadê o governo é nestes momentos que se precisa de governo e não temos, é triste.
    E são essas situações aqui relatatas que o Jorge bom Jesus não quer que o Presidente Vila Nova denuncie para depois o Jorge bom Jesus vir com filosofia e mentiras e nos aldrabar,não precisamos deste governo que só serve para rubar béns públicos rua com este governo de Jorge bom Jesus.

  2. Vanplega

    7 de Janeiro de 2022 at 11:13

    Este governo ñ è serio.

    Nāo fazem nada atè hoje? Que tipo do governo è este?

    Estao assubiar para os lados, cm fica a vida da populaçāo?

    Credo governantes. O povo tambèm, tirando alma que nāo merece està cheio de praga. Sò sabem matar

  3. Toni

    7 de Janeiro de 2022 at 14:51

    Enfim… sempre a mesma história…. Não existe proteção civil, Não existe assistência dos municípios, Não existe assistência de bombeiros, Não existe assistência social, Não existe assistência de meios de apoio á população, Não existe capacidade de colocar militares a ajudar população (ao menos faziam alguma coisa), Não existe governo da Nação….. Não existe nada!!!!

    Esperam ajuda de cooperação, logicamente para haver negócio, daqui a 10 anos continua a não haver pontes, não haver água potável, não haver energia, o que vai existir é isolamento das populações e miséria mais profunda.
    Isto acontece em pleno século XXI, num país com cerca de 200 mil habitantes e que recebeu e recebe milhões em donativos. Mas o mais incrível é que os senhores governantes (seja qual for o o partido) orgulham-se de serem independentes!!!!! Ridículo.

    Realmente, segundo o PM e o PR, o país é inviável, não há qualquer explicação lógica para esta realidade, nem as reflexões do Pinto da Costa têm teor académico no estado actual do “País “ !!!

    Mais uma vez incrível como Stp desceu na dignidade humana!!!

    Sinto nojo dos governantes desde a Independência!!!!!!!!

  4. Carlos Ribeiro

    7 de Janeiro de 2022 at 19:57

    Boa noite,
    Antes mesmo de pedir dinheiro à comunidade internacional, o Estado Santomense deve começar por encontrar solução internamente.
    Se o governo não fizer nada, deve haver greve geral.
    Exigência – venda de todos os Carros valiosos do Estado.

    É um abuso o que esse Estado faz

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top