Análise

Esperança Moribunda no País que nos viu nascer

– Quem sobreviver essa penúria será Jeová.

Imaginem! Caros compatriotas um grupo coral de “bula we´´ composto por cerca de 200 000 mil membros, cantando e delirando, e tomando santo e chorando a dor de sonhos seus frustrados, e de filhos e filhas desapontados (as), desnorteados (as,) com as almas doloridas e envolvidas num misto de emoções, embarcando em canoas desgovernadas ao sabor do vento, onde a esperança como dizem os sábios é o “ultimo a morrer` mais, que neste caso especifico sentimos nas vozes crioulas que entoam este canto lírico das ilhas, uma esperança cansada se esvanecendo ao caminho da morte!

Coro do Bula wê

Esperança! Só com um líder que se preocupe com,

  • A reestruturação do sistema de administração pública estatal – Central e Local – com vista a proporcionar ao cidadão a sensação positiva de proximidade e atenção do Estado, na participação ou determinação de solução dos problemas fundamentais dos cidadãos, fundamentalmente os referentes ao melhoramento das condições cívicas básicas de vida,
  • Esperança para os santomenses é ter um líder que saiba,

Contribuir com saber, solidariedade e responsabilidade cívica para tornar possível a plataforma de consenso nacional quanto a necessidade de uma nova fase da história política e partidária em S. Tomé e Príncipe, funcionando como um novo pilar ideológico e identitário;

S. Tome cu Plinxipe ca decé cu bomba!

Emílio Pontes

    11 comentários

11 comentários

  1. alberto correia

    20 de Julho de 2012 as 9:58

    Arastão.Com todo esse gelo com limão,cigarro caro,boa vida em angola….Quê mais é?

    • alberto correia

      20 de Julho de 2012 as 13:03

      corijo:”com todo este “GIN” com gelo e limão..

  2. Almeida

    20 de Julho de 2012 as 10:19

    Alberto, quando vi aqui Arrastão, lembrei-me do nosso tempo do Liceu.Emilio Pontes ( Arrastão) era forte. o Homem batia toda gente, recordo-me ainda do Acacinho da Trindade, Victor de Fundação, Dumicio, etc. Indo ao que interressa. Alberto acho que te preocupaste com a vida actual do nosso colega e não o texto. Uma pena que não entendeste o texto ou melhor o recado. Li aqui ontem aquela do Cher e Charroco e agora essa da esperança, coro do Bula wé. Entendeste mesmo o texto? Deixa o gelo, limão, bem estar do homem. Repara que ele nunca esteve em Stome a ocupar cargo nenhum, parece~me que tudo que tem foi de seu suor. Deixa de olho grosso. Emilio é forte como sempre. Contra factos não ha argumentos.

  3. Butauê

    21 de Julho de 2012 as 3:24

    Indo na corrente da conversa do almeida, sendo teu amigo de infancia e vizinho nunca mais me esqueço das brincadeiras e treinos que fazíamos, eras um grande lutador, nosso protector e da luta que travaste com um grupo de irmãos de potó potó que até me lembro de nomes mas não vou dizer agora e que sei deves lembrar bem.
    Voltando ao texto,também estou de acordo que em STP haja liderança que resolva o problema da “agonia” de esperança que em qualquer sociedade é um factor de aprofundamento de críse.Vivo na europa e a crise que se vive hoje trouxe a diminuição de esperança e é preciso combater este flagelo para se conseguir sair da crise e atingir um desenvolvimento sustentavel.
    STP tb precisa de lideranças que apostem e invistam cada vez mais em parcerias público/privadas para conseguir resolver os problemas basicos dos cidadãos.
    STP precisa de lideranças que apostem no maior apoio (através de formação adequada e outros) e desenvolvimento de um tecido empresárial forte capaz de dar o seu real contributo e desempenhar o seu papel na responsabilidade social.
    STP precisa de lideranças que consigam Criar soluções e alternativas para inverter o sentido da mobilidade social.A política terá que deixar de ser o lugar ou senão o unico lugar onde a maioria das pessoas procuram apenas para se singrar na vida.
    STP precisa de lideranças capazes de gerir de forma adequada as expectativas geradas apartir 1997 pelo surgimento de petróleo.
    E que continues a ter sempre em mente meu caro amigo que se nós todos queremos o desenvolvimento sustentável para o nosso STP,temos que dar o nosso contributo porque a sociedade civil desempenha sempre um papel fundamentalna formação das lideranças e não só.
    Gostei do teu texto.
    Parabéns Man’Arrasta.

  4. alberto correia

    21 de Julho de 2012 as 10:57

    Arastão voce devia fazer como Raul Cravid,…,…,etc e outros que também não acabaram curso na união soviética ( lista longa) e vir dar contributo no páis,mesmo assim.Não viu que todos eles mesmo sem curso tão a singrar aqui em stomé?Vem também.

    • Almeida Paquito

      21 de Julho de 2012 as 15:14

      Alberto Correia, se fores homem e como sabes tanto dos outros, publca o teu diploma, queremos ver. Publica aui no tela nom.

      Acho que Emilio Pontes nao pediu emprego em STP, nem esta em causa se tem ou nao diploma, alias devias provar. voces tenhem tanto diploma mas deixam a desejar. o vosso diploma nao ajuda a mudar o pais.

      Em tempos apareceu aqui um palerma a dizer que o irmao diploma faz mal aos santomenses. Os que acham que diploma resolve sao politicos de meia tijela ou sao chulos do poder como tu. Miseravel.

  5. ze semba

    21 de Julho de 2012 as 17:25

    Muito bem arrastão,gostei mas continuas com esta força toda olha vem enxer alguns politicos santomenses de purrada….
    conto consigo arrastão

  6. Sum Dolo

    22 de Julho de 2012 as 11:48

    Tenho pena quando aparece aqui no jornal uma critica que a olho nu todo mundo entende a mensagem, mas aparece sempre um daqueles que nada fazem, para inventar uma para tentar sujar a imagem do outro. Eu nasci aqui em STP,a cinquenta anos. Pelo menos esse nosso Liceu quando era Liceu eu conclui. Muitos neus colegas sairam estudaram muitos regressaram outros ficaram por la, garanto que fizeram bem. Os que voltaram deus me acuda. Parece que foram estudar malandrice, maquiavelismo, bruxaria, terrorismo, intreguismo, mediucridade, populismo barrato, leve leve,chungaria, sao autenticos lambe botas. Vivem de partido em partido, projeto em projeto, viagens fantasmas para o estrangeiro que nao resulta em nada de bom para nosso STP.
    Quem vive aqui e tem um troco quere entender a vida dos dr. que temos, vai para Papa Figo, Mira Mar ou Avenida. Para alem queles que vivem no ku das boquitas que ta na moda. Eis Ministros, eis directores os que alienaram bens do estado diambulam por STP sem produzir nada, fazem montagens e desmontagem dia e noite sempre a espreita do proximo cargo. Resumindo fizeram curso para estar no governo andar de partido em partido, mato mulher e intrigas. Eu nunca vi aqui na TVS nenhum desses doutores discutir um tema com cabeça tronco e membro. Nem falar sabem. Sabem toda técnica de roubar sujar os outros que sabem. Para terminar, deixo um conselho ao Alberto Correia, rapaz cresce. Nós todos somos gente da terra eu estou aqui se quizeres falar comigo, estou aqui no banco Bistp onde trabalho arduamente e com dignidade.

  7. santomense

    22 de Julho de 2012 as 18:02

    Alguem tem q. decidir o q. publicar ou nao no Tel Non. Isto e um insulto as pessoas q. leen o vosso jornal. Quais sao os objectivos do “Tel-q.nao sao de-Non”
    Tudo tem de ter um limite.

  8. 123

    23 de Julho de 2012 as 9:02

    Meus senhores, será que alguém me poderá explicar o conteúdo ou a mensagem do artigo?
    Desculpem a minha ignorância mas não entendi nada de nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo