Opinião

7 – 1

Antes de apresentar o diagnóstico sobre a pesada derrota da seleção nacional frente a Cabo Verde, convém vincar um ponto assente: o jogo reactivou o patriotismo são-tomense. Centenas de adeptos, dos menos crentes aos mais ferronhos do espiritualismo, afirmavam no Facebook: “eu sou são-tomense até morrer”. Eu também mas com uma diferença, sou-o mesmo depois da morte, quer a seleção perca por 10 quer por 20. Obviamente que isto não vai acontecer porque São Tomé e Príncipe é um país santo. Há, nos jogos da seleção nacional, uma espécie de prognósticos a que eu adiro com facilidade – “Deus vai ajudar São Tomé e Príncipe”. Os adeptos fartaram-se de repetir esta frase nas redes sociais. E os crentes sabem do que falo.

Bem, vamos aos diagnósticos. Os adeptos desfilaram todas as espécies de análise: “a culpa é de toda a equipa”; “a culpa é da Federação”; “bem feito, não há milagres”; “a culpa é da baliza que é demasiado larga”; “ninguém apoia os jogadores”; “os homens trabalham e vão treinar, muitas vezes, sem comer bem”, etc. Para o meu espanto, nenhum adepto culpabilizou o ADI ou o MLSTP-PSD.

Pensei, hum…será que ninguém dirá que Patrice Trovoada não mandou comprar uma relva em condições para o campo dos treinos? Voltei a indagar-me, hum…Pinto da Costa não tem a culpa nisso? Eu e o leitor estamos em vias de realizar a mais emocional descoberta da história nacional. Em São Tomé e Príncipe, apenas uma e única coisa é independente dos partidos: a bola. Será? Hum…não sei. Quer dizer, acho que sim. E acho que não. Vá, acredito.

Realizei uma aturada pesquisa sobre as goleadas na história do futebol mundial e cheguei a uma curiosa e complexa conclusão : a bola é redonda. E isto iliba a responsabilidade do técnico Gimbôa e dos seus jogadores. A 8 de Julho de 2014, a Alemanha venceu o Brasil por 7 – 1. A 3 de Julho de 1950, o Brasil venceu a Suécia por 7 – 1. A 27 de Maio de 1934, a Itália venceu os Estados Unidos da América por 7 – 1. 7 – 1 é uma espécie de lotaria, sai sempre, não se sabe, é, quando e a quem. Este quebra-cabeça estatístico foi explicado pelo selecionador nacional ao afirmar poeticamente que “hoje, cometemos erros e é com eles que temos de aprender”. Ou seja, no futuro, quando aprendermos com os erros, daremos uma goleada a uma seleção qualquer. E Gimbôa está certíssimo.

Ludmilo S. Rosa

15 de Junho de 2015

    8 comentários

8 comentários

  1. Maria silva

    16 de Junho de 2015 as 11:35

    O nosso problema é falta de OBJECTIVIDADE nao so a nivel de fotobol mas sim a todos os niveis!!
    Tambem é verdade que os nossos ” politicos ” devem fazer mais e melhor para o nosso desporto .

  2. Ana

    16 de Junho de 2015 as 12:03

    Temos que aceitarva derrota da mesma forma que aceitamos a vitória, só quem já esteve nas quatro linhas é que pode julgar, ou dizer o quão difícil é!
    Só tenho que dar os parabéns a todos aqueles que tiveram a coragem de aceitar o desafio!

  3. luszF

    16 de Junho de 2015 as 12:07

    Ajudem o Milo

  4. Lugido

    16 de Junho de 2015 as 15:49

    Gana 7 – Seicheles 1

  5. santomense ate morrer

    17 de Junho de 2015 as 13:01

    Oh Ludmilo!

    Nós “ … “ não somos humildes. Não vamos apreender com os erros porque achamos que estamos correcto.
    Nós temos que deixar de viver de vida fácil porque nada cai do céu. Quando não agimos de uma boa fé, o Deus não ajuda a ninguém.
    A selecção é de S.T.P. , portanto devem convocar no mínimo 4 jogadores da ilha e no máximo 6.
    Repara, quantas equipas existem na ilha do Príncipe? Portanto está mais do que claro que a nossa ilha irmã está condenada a insularidade.
    Fica uns vocabulários para nos reflectirmos no nosso dia a dia.
    Apreender, Apoiar, auxiliar, cooperar, dar, dedicar, estudar, partilhar, querer, etc…..etc

  6. Paulo

    19 de Junho de 2015 as 14:41

    Esta Selecção dará um passo quando se transformar efectivamente na Selecção de São Tomé e Príncipe…mas, não digo….

  7. Jamanta

    24 de Junho de 2015 as 19:54

    Caro Ludmilo, Só para acrescentar uma informacao que de certeza esqueceu de mencionar: em 14/12/1986 Sporting venceu o Benfica pela mesma margem (7 a 1)

  8. Makeba d'Alva

    9 de Abril de 2016 as 19:36

    Quase 1 ano… Não há mais? Milo!!!!

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo