Opinião

“When they go low, we must go high” – Carolina Salvaterra

Lisboa, 23 de janeiro de 2019

“Ouviste o que foi dito: Olho por olho e dente por dente. Eu, porém, digo-vos: Não oponhais resistência ao mau. Mas, se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra.”

São Mateus 5, 38-39

Não foi isto que Gandhi, o doutorado advogado Marthin Luther King, Nelson Mandela e muitos outros fizeram e por isso tiveram sucesso nas suas ações?

Mais violência, não trará a solução que ansiamos. Só dará mais argumentos desculpabilizantes ao opressor para a atrocidade dos seus atos.

Não são os atos bárbaros de alguns membros das forças policiais que estão a abrir os telejornais, nem muito menos as pessoas que pacificamente demonstram o seu desagrado nas ruas da capital. Todavia, são os atos de vandalismo resultantes da revolta, que é natural ser sentida por uma minoria que anseia por ser ouvida, que são partilhados em horário nobre pela comunicação social.

Contra a injustiça, não nos podemos calar, mas temos que saber resistir e ser inteligentes na nossa resistência. A revolta não é desculpa para a danificação de carros, nem de esquadras. Temos que saber elevar a fasquia e darmos a outra face. Foi isto que Jesus partilhou nos seus ensinamentos. Atualmente, a tecnologia permite a defesa que, durante muito tempo, nos foi negada, quando a palavra de um valia mais que a palavra de outro. As gravações permitem-nos combater um sistema que, durante anos, protegeu o opressor e não deu voz ao oprimido. Os vídeos não são opiniões, nem versões de uma história, mas verdades. Estas imagens são factos e contra factos não há argumentos, como diz o velho ditado.

Lembremo-nos da marcha de Selma a Montgomery e como esta foi uma forte vitória para o movimento dos direitos civis liderado pelo Dr. Luther King. Em março de1965, como forma de protesto devidos às dificuldades impostas ao cidadão negro americano em conseguir votar, há uma manifestação que tinha como objetivo sair de Selma e chegar a Montgomery, capital do estado de Alabama (percorrendo cerca de 86 quilómetros). Esta manifestação era pacífica e foi interrompida devido à violência aterrorizadora exercida por parte de membros das forças policiais sobre pessoas totalmente desprotegidas. As imagens desta violência perturbadora foram divulgadas pela comunicação social e escandalizaram a América. A marcha de protesto repetiu-se, passado alguns dias. Em Montgomery juntaram-se milhares de pessoas, brancas e negras, para ouvirem o discurso do advogado Marthin Luther King. Esta marcha deu início à criação do Ato de 1965 do Direito ao Voto.

A Michele Obama, em 2016, num dos seus discursos disse: “When they go low, we go high.”. Podemos traduzir esta frase para: “Quando eles descem de nível, nós subimos o patamar.”. Descer ao nível destas pessoas é dar-lhes exatamente o que elas queram, para poderem criticar, incitar o ódio e desculpabilizarem os seus atos. Por isso, eu transformo a frase da antiga Primeira Dama dos Estados Unidos, para “When they go low, we MUST go high.”.

Quando eles descem de nível, nós temos o dever de subir o patamar. 

Carolina Alves Martins Rosamonte Salvaterra

Aluna de Economia da Universidade Católica Portuguesa

Veja o artigo em formato PDF – When they go low, we must go high!- Carolina Salvaterra

    24 comentários

24 comentários

  1. Metida a Besta

    24 de Janeiro de 2019 as 18:26

    Exclente artigo , boa reflexao e bem fundamentada

    Parabens

    • liberto

      26 de Janeiro de 2019 as 14:13

      Disparate. E onde fica o inalienável direito à legítima defesa? Martin Luther King e Ghandi não ofereceram a outra face e ponto final. Desafiaram inflexivelmente os opressores dos seus povos por meios não violentos, o que é outra coisa. Mandela pegou em armas contra o regime racista sul-africano e foi o primeiro comandante militar do ANC. Foi uma fase da luta. E foi o próprio Mandela que disse: ”não cabe ao oprimido escolher as armas com que luta.” Quem impõe essa escolha é a crueldade do opressor. Ao oprimido cabe legitimamente defender-se. E já que a Carolina vai buscar a bíblia, parece-me que os vendilhões do templo foram corridos a chicotadas. Ou não? Negociação e entendimento pressupõem disposição de parte a parte. Fui.

    • Carolina Salvaterra

      26 de Janeiro de 2019 as 15:16

      Bom dia!
      Queria agradecer pelo seu comentário e pelo tempo de atenção que deu às minhas palavras!
      Que lutemos sempre com a serenidade necessária, principalmente em momentos de turbulência.
      Desejo-lhe tudo de bom;
      Carolina Salvaterra

  2. Osvaldo Medina

    24 de Janeiro de 2019 as 18:52

    Olá. Sou o Osvaldo Medina. Santomense, residente na Suíça. Esta opinião respeito, e só gostaria que Carolina esclarecesse melhor a sua opinião porque falaste bem sobre estes versos da Bíblia. Mas fiquei confuso e sem compreender, porque foi uma mistura de coisas que não tem nada haver. Mas tudo bem; é bom saber que afinal de contas há muita gente que conheço um pouco da Palavra de Deus. Que o Senhor seja louvado. Só deixo uma dica. Não me levem a mal. A Palavra de Deus serve para; ensinar, corrigir e instruir em justiça. Não para indirectas ou incitar divergências entre uns aos outros. Deus é Amor. Um bem haja. Que Deus vos abençoe.

    • Carolina Salvaterra

      26 de Janeiro de 2019 as 15:25

      Caro Osvaldo Medina;
      Agradeço desde já o tempo dado à leitura deste texto, que é um desabafo.
      Tal como o senhor Osvaldo disse “Deus é amor” e as minhas palavras vão ao encontro disto. Não apelo à violência, mas sim à construção de pontes. Apelo ao diálogo pacífico. Apelo às pessoas olharem para o exemplo de Cristo! Apelo à união e não ao ódio.
      Grata pela oportunidade que me deu em partilhar as minhas palavras consigo;
      Carolina Salvaterra

  3. Cravid

    25 de Janeiro de 2019 as 6:12

    Já deu para ver que esta Carolina é mais uma patetinha! 😀

    • Metida a Besta

      25 de Janeiro de 2019 as 10:31

      Pois ja percebemos que existe na sociedade certas pessoas que nao respeitam as leis , Autoridades nem a Deus.

      Sao os piores ignorante que existem na planeta terra.

      Tendo o direto de nao acreditar nao da o direto de insultar os que acreditam e ate a Bible adverte isso.

      Quem crer crer e os que nao nao

  4. Alligator

    25 de Janeiro de 2019 as 9:22

    Respeito a opinião de todos, mas eu sou a favor de “olho por olho dente por dente”.Tendo em conta que esta onda de indignação provêm dos ultimos acontecimentos no bairro da jamaica em Portugal e que visou principalmente a comunidade Angolana,sou a favor de ataques brutais e carregados de muita violencia contra a comunidade portuguesa em Angola.Meus irmãos Angolanos, faça jorrar muito sangue dessa gente “branca”

    • Metida a Besta

      25 de Janeiro de 2019 as 10:22

      Falecido Agostinho Neto dezoa : Nao gostamos de guerra mas se para acabar com guerra temos que fazr a guerra entao vamos a guerra.

      Porem. a Carolina apelou para o ensinamento de Jesus que basicamento diz nao devemos combater a violencia com violencia

      Deus nao falha e seus ensino nunca tornara obsoleto

      • XXXXXX

        26 de Janeiro de 2019 as 22:06

        Metida a Besta, citou Agostinho Neto. Eu digo: ainda bem que na II Guerra Mundial, a Europa e todos os outros adversários do nazismo, muitos dos quais cristãos, não seguiram o ensinamento da bíblia, oferecendo a outra face a Adolph Hitler. Para não dar muitos outros exemplos. Amén.

      • Osvaldo Medina

        27 de Janeiro de 2019 as 8:12

        O Agostinho Neto teve mentalidade do seu tempo. Nos dias de hoje a guerra nunca acabou com a guerra. Só provocou destruição, desgraça e morte de milhares de milhões de inocentes. Na sua segunda parte da opinião, contrariou a si mesmo. Jesus disse; “não devemos combater a violência com a violência”.

    • Barão de Água Izé

      25 de Janeiro de 2019 as 14:23

      O caro crocodilo é mesmo violento!
      O crocodilo sabe com rigor o que se passou? Não seja racista. Não se esconda atrás da pele para encobrir a sua má formação humana. A lei deve ser igual para todos, e isto não é racismo.Promova a paz e não a violência.

    • Ishmael

      27 de Janeiro de 2019 as 9:31

      Depois quando eles decidem expulsar todos os imigrantes de Angola, por justa causa serão chamados de racista… Tanso

  5. Grupo Me-Zedo

    25 de Janeiro de 2019 as 12:05

    Gostaria de parabenizar a autora deste artigo. Contem referencias e aspectos para reflexões profundas das sociedades nos tempos de hoje.
    Quando no final a autora diz textualmente, « Quando eles descem de nível, nós temos o dever de subir o patamar», significa dizer que na verdade o futuro se constroi com dignidade banalizando, mas nao ignorando, os males do passado, projectando a harmonia e o entendimento na perspectiva da construção do bem no seio das sociedades modernas.

  6. Xico Dende

    25 de Janeiro de 2019 as 16:47

    Olá Carolina,
    Antes de mais, não obstante ter havido segundo as imagens demasiada carga policial, julgo existir uma excessiva dramatização/aproveitamento político do caso.
    Após ler o teu artigo, gostaria de te dar os parabéns pela clareza com o que mesmo foi escrito e de partilhar contigo a minha posição sobre o tema.
    Concordo e discordo do que disseste!
    Concordo quando dizes que não deve haver violência por parte dos manifestantes… e não por causa de “São Mateus”, Lol. Na minha opinião, nem deveria haver sequer manifestação, porque não há razão objectiva para tal!
    Opressor? Discordo plenamente! Há apenas agentes policiais que se excederam e que deverão ser responsabilizados por tal.
    Dizes que: “Estas imagens são factos e contra factos não há argumentos, como diz o velho ditado”. Estas imagens, tiradas do contexto, podem transmitir uma visão parcial e errada do que aconteceu de verdade.
    Carolina, nos Estados Unidos essa gente teria levado logo um tiro. Eu sei que vais dizer que eles não são um bom exemplo. Mas embora o polícia tivesse exagerado, os cidadãos devem ter presente que a autoridade do Estado é intocável!!! Foram recebido à pedrada. Um agente ficou com a boca desfeita.
    Sou da opinião que deve haver um inquérito para o apuramento da verdade, e caso o polícia seja considerado culpado, deverá ser severamente castigado. O mesmo se aplica aos queixosos.
    Racismo? Há algum branco lá presente que em igualdade de circunstância tenha tido um tratamento diferenciado dos demais? Eu vejo apenas gente desordeira que impede a actuação da polícia e agentes policiais que usam demasiada força.

    • Amar o o que é nosso

      12 de Fevereiro de 2019 as 18:55

      Até que enfim um comentário são. Concordo plenamente.

  7. Pepetela

    26 de Janeiro de 2019 as 20:59

    Carolina Salvaterra:
    1: usar termos extrangeiros ou vocabulario literario não é sinonimo de errudição ou cultura, pelocontrario demonstra a falta de tacto, querer transmitir uma mensagem que não sera compreendida por muitos nao falantes de inglês.

    2: São Mateus? O do novo testamento? Não esquece que os teus antepassados foram escravizados em nome desse senhor ai, e muitos que diziam para praticarmos o bem para acedermos à céu, são os mesmos que cometeram as mais barbaridades e continuam a praticar. Diziam e dizem para dar a outra face para os escravos nao se revoltarem, ainda bem que Zé Cangolo, Yon Gato, Amador e outros nao deram a outra face a ser esbofeteada. Porque eles sabiam qu eram escravos e lutavam para se libertarem. A nossa amiga Carolina Salvaterra é escrava mental e pensa que é livre. OLHO POR OLHO DENTE POR DENTE.

    3.Gandhi grande racista. Se tivesses um pouco de cultura anglossaxonica como esforças a dar a entender nao podias ignorar que Luther King era um pastor passifista sim, mas a partir demomento que ele diz que pensava guiar seu povo ao paraiso, mas finalmente guiava o seu povo para uma cas em chamas, foi assassinado. Nelson Mandela foi um traidor, tinha a possibilidade de continuar com armamento nuclear mas negou, deu todo o poder économico aos brancos, ficou com o poder politico…O que é a politica sem économia?

    Para terminar, se tivesses um pouco de cultura da engenharia social, essas personalidades que mensionaste justamente sao idolatradas porque levam os africanos como tu a se resignarem das injustiças que sao feitas contra ele. Se isso te pode fazer reflectir um pouco, porque razao assassinaram Samora Maxel, Patrice Lumumba, Amilcar Cabral, Thomas Sancara, Malcolm X, Muammar Kadafi…?Porque esses incitavam os nossos a lutarem pelos nossos direitos. Com todo respeito que tenho por Mandela, mas houve um antes e depois da reclusão. Infelizmente traiu todos os ideais panafricanos. Deu à chave da sua casa au inimigo. O aniversario desses senhor era comemorado em todas as grandes cidades ocidentais. Quando Patrice Lumumba foi assassinado, mutilado e dissolvido em acido e os seus restos mortais dispersados em locais nao indentificados para justamante nao ser um exemplo, uma icone. E o gajo que vem com passifismo blablabla, é visto como um heroi.

    Das duas uma ou conheces esses factos e estas na maior ma fé, ou és uma pobre ignorante, neste caso aconselho te a armar te em cultura antes de falar por falar.

    • MIGBAI

      29 de Janeiro de 2019 as 16:34

      santa paciência para te ler seu metido a “Pepetela”.
      É verdade que a nossa ilustre jovem Carolina Salvaterra, poderia ter agarrado um pouco mais de documentação, para emitir uma opinião mais ajuizada e quiçá mais rica na matéria em que quis opinar.
      Contudo, tu “Pepetela” poderias ser um pouco menos agressivo e respeitar a idade dela, para a assim a elucidar sobre alguns temas que entendes que a mesma não foi ao teu encontro de ideias/opiniões.
      Mas ainda bem que o não o fizeste, pois acabaste por mostrar à jovem Carolina Salvaterra e a todos nós, a tua raiva e frustração de negro rancoroso e de tempera odiosa, coisa que ela deverá a todo o custo evitar enraizar.
      Foge minha jovem Carolina Salvaterra, de gente como este que aqui se faz passar por possuidor da razão.
      Carolina Salvaterra, estás em Portugal a estudar não é verdade, então aproveita ao máximo, o ensino estruturado e exigente que é praticado em Portugal, para adquirires formação preciosa, que aqui nesta ilhas malditas votadas ao abandono não existe.
      Aproveita igualmente, para conheceres e conviveres imenso com essa juventude linda portuguesa.
      Lida com os teus colegas de peito aberto e sem receios, e nunca te isoles deles por causa da cor da pele, já que os jovens portugueses são lindos de coração e mente.
      E que DEUS te atribua, o Don de poderes ignorar e rejeitares na tua vida, gente do tipo “Pepetela”, que nada valem nem como pessoas nem como NEGROS.
      Olha Carolina Salvaterra, só para terminar e atendendo à tua tenra idade que nada se compara com a minha proveta idade, tenho que te dizer o seguinte, esquece essa treta do racismo, pois quem mais fala dele e o assume como bandeira é precisamente a raça NEGRA.
      Por isso minha jovem, estuda e olha os teus colegas sem receio algum, pois serás sempre respeitada pelos teus pares tanto na universidade como fora dela, e se algum receio tiveres com atitudes racistas, acredita que elas vem dos negros frustrados, infelizmente.

      • Pepetela

        30 de Janeiro de 2019 as 23:11

        MIGBAI

        A verdade libertara Carolina Salvaterra! Um dia ela sabera que os portuguêses sao descendentes dos mouros, fenicios, e outras negralhadas. Que escravisaram a populaçao mais antiga do mundo “os negros” e que enviaram para a ilha dos largatos “Sao Tomé” as negralhadas victimas da inquisiçao “auto da fé”. Que utilisaram velhos mapas para conquistarem o mundo. Esconderam e escondem a verdaderira historia, mas nao podem esconder o vosso genes negro “A25-Bis-Dr2” nao vai desaparecer tao cedo, apezar da cor branca dos barbaros. E so ver o vosso cabelo negro e a vossa ton de pele para ver que nao sao a “raça pura dos barabaros” do norte da Europa. Portuguêses sao mulatos, e odeiam o sangue negro que lhes correm nas veias.

        Um dia ela percebera que os midias, futbol, e os icones tipo mandela so servem para adormercer os espiritos menos avisados.

        Um dia ela sabera de onde vem a populaçao sao tomense, onde vem o tchiloli e o auto de floripes (mouros contra os cristaos).

        Um dia ela sabera mais sobre o castelo dos mouros, de quem mandava no reino de algarve…

        • MIGBAI

          1 de Fevereiro de 2019 as 15:11

          És doente “Pepetela”.
          Ninguém toma conta de ti?
          Deves receber tratamento médico urgente.
          Por favor, vai a junta médica para te enviarem rapidamente a Portugal para tratamento, senão vais ser mais um dos que andam na praça a comer dos caixotes de lixo.
          Faz um favor a ti rapidamente e pede ajuda.

          • Pepetela

            6 de Fevereiro de 2019 as 20:11

            Carolina

            Este é o exemplo tipico do comportamento dos barbaros desde que invadiram Portugal. Essa gente não sabe ter um debate de ideias sem partir para a violencia. Este é mesmo um descendente de cromagnon, posso até apostar que come carne crua cheia de sangue “malpassada” ovo cru… E sao esses que vieram nos “civilizar”!?

            Se são falsas as minhas alegações então prove-me o contrario!

            Marcelo Rebelo de Sousa não tem sangue de preto???? Vai me dizer que ele é loiro de olhos azuis. Para o seu governo, moreno (a) designa alguem que tenha o ton da pele escura. A origem etimologica desta palavra vem dos mouros. Diz-la quem por muito tempo mandou em portugal, e levou a verdadeira civilização à Europa?? é so ver os antigos brazoes de Algarve, do reino de Aragão, dos reis de Maiorca, Secilia…

            Se tiver que precisar de ajuda o ultimo pais onde ponho os pés é Portugal. Pais de terceiro mundo,dependente à 75% das ajudas da Europa para o orçamento. Todos os anos têm que lamber os pés da Alemanha para ver se deixa cair algumas migalhas.

            Portugal é um pais desgraçado de 10 milhoes dehabitantes onde nao tem nenhuma industria, ah desculpa produzem vinho “bêbados”, sardinhas, bacalhau, calçados…industria de miséria.

            Nâo produzem carros (excepçao feita as marcas internacionais que vêm a Portugal montar os carros pela atraçao da mao de obra miserenta e fiscalidade atraente?!) nao produzem avioes, armamentos (é so ver a obsolescencia e precaridade do parque militar português)…

            Os portugueses sao vistos na Europa como miseros pedreiros e mulheres de limpezas.

            Meu irmao (de sangue preto), se nao fosse a Uniao Europeia e os investidores extrangeiros europeus… hoje portugal estaria pior que a Somalia. Se é dos antigos repara ainda nos anos 50 quando a maioria das casas nao tinham agua canalisada, nao havia auto estradas e que o prato predilecto era sopa com pão. Os anos 50 nao estao tao longe assim!

            Tudo mudou com entrada de portugal na União Europeia nos anos 80. Portanto nao sei com que merito sente-se tao orgulhoso de Portugal.

            Um conselho, ha agora uns bons cremes para branquear a pele. quanto a cobelo podes pintar. No que concerne os olhos esta lixado, a soluçao mesma é lente de contacto. Porque posso apostar que és um moreno de olhos pretos, cabelos pretos e encaracolados.

  8. Mamadu

    27 de Janeiro de 2019 as 20:17

    Por acaso sabes que o que originou esses acontecimentos violentos ?

    – Sabias que uma cidadã Santomense foi barbaramente agredida por uma cidadã Angolana e pelos seus familiares ?

    – Sabias que essa cidadã Santomense chamou a polícia Portuguesa para a socorret e que a policia quando chegou ao local foi recebida á pedrada por esses cidadãos?
    – Sabias que os bombeiros de ambulancia que anteriormente estiveram nesse local foram violentamente agredidos ?

    É preciso cuidado com aquilo que se diz sem saber a verdade dos factos.

    Não são os negros que têm que saber dar a outra face aos brancos, nem vice-versa, são as polícias que têm que fazer um esforço neste sentido, mas também temos que compreender que não é fácil o trabalho deles que todos os dias e a todas as horas têm que resolver estás situações

    • Amar o o que é nosso

      12 de Fevereiro de 2019 as 19:06

      Ainda bem que existem pessoas que também veiculam a verdade, embora poucas! Gente eu acho que não se trata de racismo. Haja paciência, há coisas que até um santo sai do sério!!! Oh credo! Se fosse aqui em São Tomé esse que atirou pedra levava no mínimo um tiro no pé. Deixemos de hipocrisia

      • XXXXXX

        16 de Fevereiro de 2019 as 6:28

        Para onde desertaram os são-tomenses, forros e não forros, e os negros?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo