Opinião

Alguma Reflexão sobre o momento actual

Na sua página do facebook, o Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe, Dom Manuel António Santos, reflectiu sobre o momento actual que o país vive em consequência da crise do novo coronavirus.

O Jornal Téla Nón publica na íntegra o post do Bispo da Igreja Católica :

Não gosto muito de exprimir aqui (nas redes sociais) opiniões, em situações como a que estamos a viver, sendo uma situação complexa e onde ideias claras não é fácil ter. O que hoje é, amanhã já não é. O que hoje parece ser a atitude correcta, amanhã já não é a atitude correcta, mas vou tecer duas breves considerações:

1.A pior coisa que poderia acontecer, nesta altura, era criar-se um ambiente de tensão social entre a população e as autoridades. Estamos todos no mesmo barco. Apelo aos governantes para tomarem as medidas certas, que verdadeiramente possam ser eficazes na luta contra este vírus, e que adoptem posturas conciliadoras e não de tensão. Estamos todos no mesmo barco.

2. Era importante também que as informações fossem objectivas e transparentes. Se se tem a certeza, tem-se a certeza; se se não tem, é melhor dizer que não se tem, que há indícios, do que haver depois a possibilidade de as coisas não serem como foi anunciado e perder-se a credibilidade.

Volto a dizer: estamos todos no mesmo barco. Procuremos todos encontrar as melhores soluções e adequar os nosso comportamentos de modo a combatermos eficazmente esta maleita. Deus nos proteja!

Manuel António Santos / Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe 

    11 comentários

11 comentários

  1. Nita

    1 de Maio de 2020 as 15:48

    Pois é. O Governo tem de dar a mão a palmatória isto porque desde o início geriu muito mal mas muito mal o problema. Agora o mal está instalado mas agora é tempo de olhar em frente e mudar a atitude. Para a coisa não ficar muito pior. Neste momento que o vírus vive na comunidade os nossos dirigentes nem fazem ideia de onde isso partiu nem em que momento isso começou,nem como foi a disseminação. Qto a isto do que tenho acompanhado dos outros palopes, têm mais ou menos o conhecimento de como está evoluindo a transmissão, de quem são pacientes 0.seus contactos etc. São Tomense só estava interessado em embelezar dizendo que até não temos suspeitos, qdo havia e muitos. Porquê este show off???

  2. Aurora Dias

    1 de Maio de 2020 as 18:14

    Viva senhor Bispo. Um abraço, daqui de Viseu(Pendilhe).

  3. Vanplega

    1 de Maio de 2020 as 19:15

    Estamos no mesmo barco sim

    Mais com esses politicos, ladroes, desonestos, aproveiradores do momento para nos enganar, nao pode ser

    Veja neste momento e que a senhora Elsa dos pintos, viu para criar problemas.

    Com esse orgulho tudo, nao vamos a lado nenhum.

    Mais o que ela ja roubou, junto com seu marido nao chega.

    Sao esses bandos que mancham uma sociedade

  4. Enfim

    2 de Maio de 2020 as 8:18

    Esse bispo quando era o governo anterior fazia críticas todos os dias agora que está de bem com este governo finge que não vê as atrocidades que estão a ser cometidas. É só corrupção nas obras públicas.

  5. Mário Martins

    2 de Maio de 2020 as 9:44

    Eu, dada a realidade da minha vida professional, pela experiência vivida durante a epidemia de Marburg em 2005 no Uige, fiz um pequeno comentário neste meio social de informação quando dava impressão que vangloriávamos de não haver casos desta maldita epidemia neste arquipélago/ minha terra natal.
    A vulnerabilidade da nossa fronteira maritima e aéria, associada a dependência nossa perante a metrópele de sempre, os governantes deveriam logo de inicio desdobrar esforços com cientificidade para evitar a propagação no seio da comunidade. Nem tudo depende de dinheiro. Para vencer uma luta não basta ter força, é preciso geito, calma e estratégia acertada.
    Agora, devemos todos falar a mesma linguagem, ter pessoas ou profissionais de saúde nos lugares certos para juntos reverterem o quadro. Bem haja a todos, esperemos que não seja tarde de mais.

  6. Jacob

    2 de Maio de 2020 as 10:34

    Onde é que esta o menino Osvaldo Abreu?
    A ganância do poder e mais nada. São Tomé e Príncipe agora tornou-se num refúgio dos desempregados preguiçosos.
    O primeiro ministro até que é uma boa e honesta pessoa mas infelizmente esta rodeado de vagabundos, pessoas q só pensam nos seus bolsos. Tudo em STP agora é politica, pondo assim em risco vida de cada um.
    Farto estou eu

  7. Como será

    2 de Maio de 2020 as 12:05

    E mesmo assim ainda continu a levando as coisas de leve,sempre dizendo que esta tudo sobre controle. Que governo é esse????

  8. José palhares de sousa

    3 de Maio de 2020 as 21:51

    Agora o que é preciso é fazer uma cerca sanitaria ao Distrito de Agua Grande. Ninguém entra, ninguem sai duranbte 15 dias, excepto ….

    i)Desenfetar tudo e todos. Fechar os mercados; ii) impor espaçamento para vendedores/feirantes 2 metros entre elas;iii)impedir entrada de feirantes sem mascaras de entrarem nos mercados;iV)Impor horario de funcionamento dos mercados até as 13:00 horas; v) fechar os serviços e impedir circulação de pessoas para além de 1km das suas residências

  9. Humberto M dos Santos

    4 de Maio de 2020 as 1:52

    Agora, exige-se calma, cabeça fria e organização para enfrentar o problema.

    Criar equipas multi-sectoriais competentes (nada de esquemas), para identificar as regiões-foco do problema e agir paulatinamente, com todos os meios materiais e humanos disponíveis.

    Priorizar e fazer fluir a comunicação á toda a população, para que haja entendimento global, na luta contra o Covid-19.

    Isolar as regiões onde não haja casos de contaminação e informá-los convenientemente sobre os cuidados que devem ter.

    Criar condições para melhoria de mercados e locais de venda em cada cidade e vila, de cada Distrito, respeitando as regras de higienização e distanciamento.

    Organizar o pessoal de saúde em pequenas equipas de especialidades diversas, atuando cautelosamente por turnos, para evitar a exaustão.

    Vejam tudo isso, como mais um grande desafio para o pequeno-grande povo de STP.

    Não virem a cara á luta, porque estamos no mesmo barco enfrentando fortes tempestades.
    Depois das tempestades virá certamente a bonança.

    Deus Protegerá o povo de S.Tomé e Príncipe e todas as Nações do Mundo. Não haverá mal que dure para sempre.

    Humberto Santos

  10. Manuel Lucena

    4 de Maio de 2020 as 8:51

    Na realidade como disse um comentário anterior a luta ganhasse com jeito e com responsabilidade. Tudo o que parece este Governo não possui.
    Como é possível o Governo em vez de pensar em coisas sérias continua a pensar na mesquinhez.
    Em vez de pedir equipamentos, materiais sofisticados para reforçar o Hospital Ayres de Menezes, vai pedir sabão azul as empresas petrolíferas.
    O Senhor Olegário Tiny devia ter vergonha, ao fazer a entrega de sabão e lixivia com pompas e circunstancias como se fosse investimentos muito importantes para o país. O Ministro de Saúde como bôbo da festa a receber com alegria o sabão azul, como se fosse equipamentos duráveis para combater a pandemia. Quando as lojas estão saturadas de sabão azul. Quando o hospital não possui um laboratório para análise da doença. Então é este sabão azul a prioridade?.
    Até quando é que vamos fretar aviões para estarem a transportar sangue para análise por todo o mundo, só porque este governo considera que laboratório não é prioridade, investir nos hospitais não é a prioridade.
    Onde é que param os milhões que têm vindo de vários parceiros bilaterais e multilaterais para a luta contra a COVID 9.
    Concordo com um dos comentários acima que dizia, que no Governo anterior, o senhor Bispo era um verdadeiro opositor e critico por tudo o que faziam, e que neste governo, com todas as besteiras que têm feito não se houve a voz do bispo.
    Bem Haja S.Tomé e Príncipe

  11. Tomás Semedo

    5 de Maio de 2020 as 20:27

    Pia mo pade mufinu sca fé we son-son eh! Demôno cu fogo n’boca! Ni tempo do Ponta Cabla”, pade ceh tá cu we blagado cu boca aquarela
    Né tempo ceh de nem “Zuda”, pade ceh bila cego cu boca malhado, Demono!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo