Sistema de segurança do Primeiro-ministro Rafael Branco revela fragilidades

Publicado em 19 Out 2009
Comentários; fechado
Tag:

rafael-branco-pm.jpgO Primeiro-ministro Rafael Branco, perdeu dinheiro e jóias. Tudo terá acontecido na última semana. Rumores em São Tomé indicam que o Chefe do Governo foi assaltado e que terão levado 500 mil dólares da sua residência. O roubo terá sido executado por um elemento da sua segurança. O assalto aconteceu alguns dias depois do regresso de Rafael Branco de mais uma visita relâmpago a Angola, onde fez a avaliação da execução da parceria estratégica com o governo angolano e o com o Presidente José Eduardo dos Santos.

Os rumores sobre a fragilidade do sistema de segurança do Primeiro-ministro, estão a circular há alguns dias. Tudo por causa de um assalto a residência privada do Chefe do Governo e que terá deixado Rafael Branco, sem dinheiro nem jóias. Os rumores indicam que o assaltante por sinal elemento da guarda pretoriana do Primeiro-ministro, terá sacado 500 mil dólares da residência do Chefe do Governo.

O Téla Nón procurou informação fiável a volta do caso que esteve mantido em segredo, e descobriu que realmente o Primeiro-ministro foi assaltado. Fonte da Unidade de Protecção dos Dirigentes do Estado (UPDE), uma força paramilitar, treinada para garantir a segurança do Primeiro-ministro e de outros dirigentes do estado, garantiu ao Téla Nón que um dos elementos da unidade que estava a garantir a segurança do Chefe do Governo, terá roubado “uma porrada de dinheiro. Mas não só. Ele roubou também jóias”, precisou a fonte, que pediu anonimato.

A fonte segura do Téla Nón, realçou ainda que o valor do dinheiro roubado é indeterminado. A polícia de investigação criminal já começou a trabalhar sobre o assunto. A fonte explicou ao Téla Nón que o segurança suspeito de ter roubado o dinheiro e as jóias do chefe do Governo, foi detido mas depois pôs-se em fuga estando até este domingo a monte.

Por outro lado, um familiar do segurança suspeito de ter praticado o roubo, chegou a São Tomé num dos voos internacionais do último fim-de-semana. A fonte do Téla Nón, disse que o tal familiar do segurança foi interpelado pela polícia no aeroporto internacional. A fonte desmentiu as informações postas a circular segundo as quais o familiar do segurança teria sido detido. «Não ela(mãe do segurança), não foi detida. Apenas foi conduzida a polícia para prestar declarações», pontuou a fonte do Téla Nón.

Nota importante a reter, é que o assalto que segundo rumores retirou 500 mil dólares da residência do Primeiro-ministro, aconteceu alguns dias depois de Rafael Branco, ter regressado de uma viagem relâmpago a Angola.

A semelhança de outras vezes, o Governo angolano tinha colocado um avião Jacto no aeroporto de São Tomé, que conduziu o Primeiro Ministro para Luanda, onde se reuniu com o governo angolano e com o Chefe de Estado e de Governo e Presidente da República José Eduardo dos Santos. Avaliação da parceria estratégica foi o principal objectivo da visita de algumas horas de Rafael Branco a Luanda.

Enquanto a polícia procura encontrar o dinheiro e as jóias, o Chefe do Governo está de visita a Europa.

Abel Veiga

Notícias relacionadas