Política

Governo ordenou a suspensão temporária do arroz polémico

CIAT não tem capacidade técnica para avaliar se o produto é ou não próprio para o consumo humano. A Direcção do CIAT fez saber que o resultado da análise que o ADI divulgou é inconclusivo.  No último domingo, o Governo que se reuniu em Conselho de Ministros, ordenou a suspensão temporária da comercialização do arroz.

É uma suspensão temporária da comercialização de cerca de 900 toneladas de arroz, que o Governo mandou a empresa DS Neves importar. A suspensão mantém-se até que cheguem ao país os resultados de análises solicitadas pelo governo à laboratórios competentes no exterior do país. «A análise laboratorial efectuada pelo CIAT, apesar de não ser conclusiva quanto a sua nocividade para a saúde pública, tem sido utilizada de forma imprópria para mobilizar a opinião pública contra o Governo», declarou Jorge Bom Jesus, porta voz do Conselho de Ministros e ministro da Educação e Cultura.

O Centro de Investigação Agronómica e Tecnológica, de São Tomé e Príncipe, não tem meios técnicos para poder apurar se o arroz tem qualidade para ser consumido ou não. Na última sexta – feira a direcção do CIAT, anunciou isso mesmo na TVS. Fez saber que o resultado da análise que o partido ADI divulgou não é conclusivo, porque o centro de investigação não tem meios para indicar se é prejudicial ou não para a saúde humana.

O resultado da análise divulgado pelo partido ADI, e assinado por Severino Espírito Santo, Director Científico do CIAT, e por sinal, membro da direcção do partido ADI, para além de ser inconclusivo, parece não dar sinais de imparcialidade, isso na perspectiva do Governo, que decidiu procurar garantia de imparcialidade no exterior do país. «Suspender temporariamente a comercialização do arroz importado pelo Estado, até a conclusão do resultado da análise mandada efectuar no exterior do país por laboratórios devidamente qualificados e com garantia de imparcialidade», decidiu o Conselho de Ministros.

O executivo justifica a sua decisão de mandar suspender a venda do arroz, por causa de persistentes reacções negativas em relação a qualidade do produto, apesar de acções desencadeadas por si, com vista a analisar devidamente o produto importado. «Tendo em conta que o Governo a cautela, solicitou através de organismos apropriados análise laboratorial ao referido produto, como forma de garantir que a população consumisse esse produto com segurança e constatando que não obstante este expediente continua a haver reacções negativas sobre a qualidade do arroz», acrescentou o porta voz do conselho de ministros.

Para além de manifestar à população toda a preocupação do executivo no sentido de garantir todos os direitos, resultantes ao processo de comercialização do referido produto, o conselho de ministros, apela a «população a estar vigilante quanto ao aproveitamento político que se pretende fazer desta questão», concluiu Jorge Bom Jesus.

Abel Veiga

    63 comentários

63 comentários

  1. concozuco

    24 de Junho de 2013 as 0:15

    Brincadeira…

    • amadeu ramos

      24 de Junho de 2013 as 8:43

      pork k antes de por o produto a venda no mercado nao se fez o bendito texte de qualidade pra saber se deveria ou nao ser consumido pela populaçao?????

    • João Carlos

      24 de Junho de 2013 as 14:08

      Para o conhecimento de todos o resultado das analises, não é do ADI, nunca foi, é do próprio estado e pedido pelo estado. Tanto é que o resultado saiu a algum tempo e o governo não quis divulgar.
      ADI, ao meu entender, só teve acesso a copia do relatório e o divulgou, o que muitos não tiveram coragem de o fazer.

      Nem a TVS, nem a Radio Nacional.

      Haja paciência nesta terra.

      • jovens de 90 anos

        24 de Junho de 2013 as 17:03

        obrigado os bons da fita , mas nos nao presisamos desta ajuda . estiverao no governo nao havia verbas para equipar o ciat mas tinham 600 mil euros para depositar na conta no estranjeiro

        • joão pedro

          9 de Julho de 2013 as 7:23

          Ó jovem deixa de ser invejoso e participe com sobriedade,se não tens capacidade intelectual para se exprimir,não faça parte deste forum.O que importa saber é, se o CIAT não tem capacidade para efectuar a analíze do arroz do delfim neves, ou só tem capacidade para analizar os produtos que não sejam deste(delfim neves)?
          Outra questão é porquê que o governo tem saido em defesa do delfim neves uma vez que a relação entre eles neste caso ser de estado/comerciante? Portanto deixem de baboseiras.Para refrescar algumas memórias devo dizer,e assumo isto com toda urbanidade de que,apesar das gincanas e dos expedientes sórdidos da banda da coligação fraudolenta para ofuscar,sucumbir o sr.Patrício Trovoada,ele continua a ser o politico com mais aceitação em todo território nacional e na diáspora,doa a quem doer.

        • joão pedro

          9 de Julho de 2013 as 7:43

          Quero suscitar uma questão que me assaz trazer a este forum por desgaste do caso “arroz impróprio”.
          Veiculá-se pelo menos a titulo especulativo na nossa praça publica que supostamente,alguns membros de peso anti-Patricio Trovoada,batem pernas em corredoes com o prósito de deter o lider do ADI assim que este pisasse o território nacional.Ora verdade ou ñao,é o que se ouve na nossa praça.
          Seria um suicidio se tal incidente acontecesse. Mais não digo e submeto o comentário ao vosso mais alto critério.

      • filomen

        25 de Junho de 2013 as 9:06

        Nao concordo que tenhamos que ir a lisboa perguntar-lhes se os parasitas que estao no arroz fazem ou nao mal a saude.
        Nao podemos por em causa a credibilidade de uma instituiçao que o estado sustenta. Desta forma é melhor fechar o CIAT. sera que os tecnicos desta casa nao sabem dizer quais as consequencias daquele bicho para a saude?
        Acho bem que tenham divulgado isso. Se o governo veio para combater a corrupcao, algo que o governo anterior nao conseguiu, entao tem a partida uma boa oportunidade para começar.

        Caso contrario acredito que havera, depois da primavera arabe e da primavera brasileira, uma primavera santomense.

    • Ze

      24 de Junho de 2013 as 19:32

      É por isso que muitos jovens estão a morrer com doenças que anteriormente quase que não existia. Se o CIAT não tem competência para analisar um simples arroz, como é que está entrando outros produtos cuja composição é muito mais complexa tais como leite, frangos, carnes, queijo, enlatados diversos, chouriços, etc. Afinal transformaram o país num caixote de lixo onde todos os descartáveis podem entrar e têm tamanha coragem de passar ao público a informação que o CIAT não passa de uma instituição sem competência para realizar as análises. Como vamos exportar pescados e outros produtos? Afinal todos os certificados do CIAT é falso? Credo.

  2. Kua Li

    24 de Junho de 2013 as 0:18

    Abaixo os delapidadores de património do Estado,Abaixo a Corrupção,a desonestidade…todos os interessados que se exprimam nao tenham medo,porque enquanto estivermos calados eless estão se enriquecendo a custa da nossa pobreza.

  3. Jorge Mendes

    24 de Junho de 2013 as 4:31

    lindo!

  4. Carlos Sampaio

    24 de Junho de 2013 as 4:43

    Ha coisas que simplesmente nao entendo nessa terra.
    1- A CIAT e um organismo do estado ou nao?
    2- «Suspender temporariamente a comercialização do arroz importado pelo Estado, até a conclusão do resultado da análise mandada efectuar no exterior do país por laboratórios devidamente qualificados e com garantia de imparcialidade», afinal esse e o arroz importado pelo estado como diz a denuncia do ADI, entao porque que D. Neves apresentou uma queixa crime contra E. Tixeira alegando que esse arroz ainda nao chegou ao Pais?
    3- Se a CIAT nao esta em condicoes de apresentar um relatorio conclusivo sobre essa materia, entao porque nao estinguir esse organismo e poupar os contribuintes com salarios que nao servem para nada.
    4- Quem fez a recolha da amostra, que garantia tem a populacao que a amostra enviada aos organismos externos nao estao viciados de forma a garantir a imparcialidade?
    5- muito mais fica por dizer…..

  5. kwatela

    24 de Junho de 2013 as 6:20

    zemé passá flá

  6. António Silva

    24 de Junho de 2013 as 6:38

    Continuamos ainda nesta situação!!!!
    Sem capacidade técnica e laboratorial para podermos analisar o que se come e bebe no país? Por estas e outras os mal-intencionados encontram um campo fértil para desenvolverem as suas actividades!
    Não existe controlo; se existe algum controlo, ele é frágil.
    Já agora, quanto a movimentação do dinheiro neste país! Existe algum controlo? Não me parece. De certeza que muita gente (nacionais e estrangeiros)está a aproveitar desta desorganização.

  7. Augerio Amado vaz

    24 de Junho de 2013 as 7:28

    A arte de Governar, requere algum conhecimento no mínimo. É inacreditável e vergonhoso, que um Governo de um país venha a reconhecer publicamente que uma instituição do Estado que ao longo dos anos tem vindo a passar Certificados de fitossanitário a todos os géneros alimentício que entra no país e que cobra elevadas taxas aos importadores para o efeito não tem capacidade para aferir da qualidade para consumo de mesmos bens. Isso demonstra claramente que este Governo de Pinto da Costa está a desgovernar o país em função de defesa de grupos de interesses instalados. Vendam a grosso o país e dá cada um seu dinheiro.

    • ahahah

      24 de Junho de 2013 as 8:58

      Parecendo ter razão na sua leitura dos factos, surpreende a imparcialidade na sua conclusão.

      No argumento você se refere que “… uma instituição do Estado que ao longo dos anos tem vindo a passar …”
      Tendo dito claramente que isso tem vindo a suceder ao longo dos anos, entende-se que esta falta de qualidade técnica, desta instituição do estado, tem sucedido ao longo dos anos o que incluiria o governo de ADI do Sr. Patrício Trovoada e todos os outros anteriores governos, certo?

      Assim sendo, porque quererão imputar esta falha técnica ao actual governo?
      Porque você conclui que “Isso demonstra claramente que este Governo de Pinto da Costa está a desgovernar o país…”?

      Você é a voz de um cidadão preocupado ou de um defensor do partido do chefe?
      Concordaria consigo se dissesse que o governo devia ter agido mais rapidamente (logo depois das suspeitas) impedido que se tivesse ingerido alimento que poderá ser mau para consumo humana.
      Juntaria ainda a minha voz a tua se apelasse que o Sr. Delfim Neves vinha a responder perante o tribunal caso essas suspeitas seja confirmadas.

      Mas atribuir a falha da instituição CIAT ao governo do Pinto da Costa me parece uma tentativa muito tendenciosa de alguém muito parcial.

      Força companheiros.

      • Augerio Amado vaz

        24 de Junho de 2013 as 10:24

        Meu caro amigo, quem me conhece sabe claramente que não sou defensor de nenhum líder e não alinho nesta de chefes o único chefe que tenho sou eu, não me interessa quem estava ou deixou de estar no poder, apenas disse e é facto que o actual Governo de Pinto da Costa, que em vez de resolver um problema cria outro mais grave que é da própria descredibilização daquilo que se pode chamar de “Estado Santomense”.

        • E. Santos

          24 de Junho de 2013 as 15:11

          Incrível é como as pessoas encontram sempre uma forma de partidarizar, pessoalizar qualquer comentário que se faça. Em vez de se centrarem naquilo que se diz e no que é realmente importante.
          De facto, quem tem dois dedos de testa percebe o que o Augério quiz dizer com pouco esforço.
          Aliás, em momento algum você disse que a instituição era incapaz de seja lá o que for.
          Apenas conclui que, ao dizer isso, o Governo está a descredibilizar uma instuição do seu próprio país e que já vem fazendo um trabalho a vários anos, aceite por todos como sendo bom
          E de facto, ao dizer isso, nós Povo podemos pôr em causa tudo o que comemos neste país até hoje.
          O Governo acha que está a ajudar em alguma coisa, vindo dizer isso??? Não, claro. Deveria, aí sim, ficar calado e trabalhar para capacitar os seus técnicos, as suas instituições.
          Em resumo, para defender os camaradas amigos, o Governo tem a lata de pôr em causa a sua própria instituição, os seus técnicos e todo o mais.
          Pode até pôr, mas não se vem ao público dizer uma barbaridade desta.

        • ahahah

          24 de Junho de 2013 as 16:06

          Realmente não lhe conheço pessoalmente. Por isso limito-me ao que você escreve. Com base no seu primeiro comentário neste artigo, entendo que estivesse a atribuir a culpa da ineficiência da instituição CIAT ao governo do Pinto da Costa ao mesmo tempo que se refere a mesma ineficiência como sendo algo que já vem de longos nos. Portanto meu carro amigo, este caso em particular não seria uma demonstração exclusiva da desgovernação deste governo mas de todos outros. Concordo que temos que exigir deste governo a solução dos problemas, pois lá estão para isso, mas creio que devemos igualmente ser criteriosos e dar tempo a quem lá está há alguns meses.
          Quanto a credibilidade, concordo também consigo que isso deve ser uma constante desde o primeiro dia até o ultimo na governação seja de quem for, independente do tempo.
          Outro aspecto demonstrativo da sua parcialidade, é o facto de ter atribuído essas falhas da instituição CIAT, ao “governo do Pinto da Costa” e não ao do Gabriel Costa. Se você for quem julgo que seja, está suficientemente habilitado para distinguir cabalmente as funções do Pinto e do Gabriel Costa. Terá sido uma distracção sua, ou um comentário propositado?

          • ahahah

            24 de Junho de 2013 as 16:08

            Este comentário vem em resposta ao caro amigo Augerio Amado vaz.

    • Rui Castro

      25 de Junho de 2013 as 13:17

      Ainda lhe posso chamar de juíz ou não? senhor juiz, convenhámos. O senhor falar de corrupção? Dito por não dito? Quiei!!!!
      Então o relatorio de tribunal de contas dizia que o senhor comeu bilhões de dobras de clientes na conta dos tribunais, o que lhe aconteceu?Nada! O senhor decidiu vender de forma arbitraria a Rosema para o seu amigo Nino em troca do quê? 300 mil dólares + 20% de acções que devia ficar em nome da sua mãe, não é? O Nino passou-lhe perna e foi o próprio senhor a vir ao publico dizer que a Rosema nuna foi vendida chegando ao ponto de passar a propriedade ao seu legitimo dono? Não foi? quem saçvou o Nino em troca de voto falhado, não foi o Patrice Trovoada que nandou os ninjas ir a Neves desatorizar o Juís? Onde fica a corrupção dos Tribunais neste processo quando o leite decidiu sozinho atribuir a propriedade ao Nino quando uma decisão desta do STJ devia ter sido em colectivo? O leite recebeu quanto? Se eu fosse Melo Xavier a primeira cabeça de que devia estar em prémio era do senhor depois do Leite e asseguir do Nino. nINO PORUQE TAMBEM É UM GRANDE MALANDRO. Porque finalmente não comprou nada. Se as custas do processo foram pagas com o deinheiro da Rosema, se o valor que foi paga o reclameante da divida do Xavier Melo foi com a hipoteca da Rosema para Afriland Bank e a Rosema é que está a amortizar a divida junto do Banco, Então pergunta-se qual foi a contribuição financeira do Nino nesta compra? Nada! Quem facilitou? Algerio Amado Vaz! O bando de Bandidos a falar de bandidagem é mesmo uma vergonha o que está passando neste país. Sobre io arroz só lamento o que tem acontecido. Fui….

  8. E. Santos

    24 de Junho de 2013 as 7:52

    A culpa disso tudo é de quem não cumpriu as instruções contidas na ordem de compra e de quem tendo recebido a encomenda não solicitada, não a pôs em causa desde de o início.
    Se o Governo solicitou claramente que fosse comprado um arroz branco e comprido, quando se verifica que o encomenda não obedeceu a este critério e foi-lhe enviado um arroz amarelo e partido, imediatamente deveria ter tomado medidas para contornar a situação e responsabilizar quem não fez o seu trabalho como deveria ser.Mas não, aceitou, calou-se e deu a comer ao seu POVO.
    O problema é que já estamos muito abituados a aceitar qualquer coisa, a dar qualquer coisa, e o POVO pacífico só vê achando que nos estão a fazer um favor e ainda diz “pelo menos”, quando deveria exigir o seu direito.
    Se houve margem para aproveitamento político foi porque o GOVERNO deixou que houvesse e não fez o seu verdadeiro papel de garante e salvaguarda da vida dos seus cidadãos.
    E não nos venham com esta conversa de aproveitamento político, porque esta não é a primeira vez que nos sujeitamos a comer coisas sem saber exactamente o que estamos a comer.
    Nós, que não temos nada a ver com a vossa ganância, não vamos ficar a espera de morrer primeiro para vir reclamr depois, O que é que vocês acham???
    Mais do que isso, ver uma reação desta por parte do Governo significa que o Governo está mais preocupado em proteger o Delfim Neves e a sua firma, do que de facto, ficar do lado do POVO e protegê-lo, contra tudo e todos. Pois fomos nós que votamos em vocês (Ah, desculpem….não foi este povo quem votou e vos escolheu, que ideia). Talvez por isso vocês não se sintam comprometidos connosco.Mas a culpa não é nossa. Pinto da Costa assim quiz, e assim se se fez. E ainda vamos pagar por isso também?
    O Mundo mudou, só o Governo de São Tomé e Príncipe não quer dar conta disso e continua a dormir debaixo da sombra da bananeira.
    Estamos todos vigilantes, não tenham dúvida… preocupa-nos o que realmente influência as nossas vidas e a vida dos nossos filhos, vindo de onde vier.
    Se o Governo se puzesse do nosso lado desde o início, a oposição não teria tido margem para se colocar do nosso lado. Aprendam isso.

    • Kua Li

      24 de Junho de 2013 as 10:16

      Mostrando-lhe que o meu maior Partido é Sao tomé,neste tema concordo consigo,é chegada a hora de demonstrar as pessoas que dos seus actos resulta consequências,esta em causa um crime publico,e não me venham com desculpas de que o Dureito penal rege-se pelo Principio Tipicidade e da legalidade,sendo que o novo cód. Penal contem imprecisões linguisticas e que prevê crime de corrupção,mas oseu âmbito de aplicacacao subjectiva se restringe a funcionários públicos,e outras manobras técnicas jurídicas de exoneração de responsabilidades,chega de nos roubar..

  9. toresdias

    24 de Junho de 2013 as 7:57

    Não se sabe se o arroz é nocivo, por isso vai pedir análise de certificação no exterior… Porque se duvidaram da qualidade de arroz? E outros produtos como leite, óleo, congelados, e mais?

  10. desta terra

    24 de Junho de 2013 as 8:04

    Desta vez concordo com o Gége Amado Vaz, pela 1ª vez.

    Como é que o governo vem descredibilizar um dos seus órgãos (CIAT), apenas para poder defender a alegada corrupção do caso “arroz do porco” envolvendo o Ministro de comércio e o seu director da DAF mais o Delfim Neves, o vice presidente do PCD, partido que está coligado no governo?

    Eu se estivesse na qualidade de Bom Jesus, o ministro porta voz do governo, simplesmente não exerceria essa tarefa ao público, para defender aquelas pessoas de todo país já conhece e sabe que se enriqueceu a custa da corrupção.

    1- CIAT, é um orgão publico, que todos meses nós pagamos pelo seu funcionamento inclusivé salários dos seus directores e funcionários, com os nossos impostos.
    2- CIAT eminte certificado de qualidade todos dias para produtos importados.

    3- CIAT certifica muitos dos produtos que circulam +elo nosso mercado.

    Hoje,o CIAT já não é de confiança?!

    Brincadeiras!

    A directora geral do CIAT deveria ser demitida imediata e incondicionalmente!

    Pelo papelão que foi fazer. Então pode se comer um produto com restos de animais mortos e larvas e ela não saber se é ou não prejudicial à saúde?
    Em sua casa a senhora come a comida contendo restos de animais mortos e larvas?

    Brincadeira

    • desta terra

      24 de Junho de 2013 as 8:15

      Algumas retificações:
      …aquelas pessoas que todo país…
      …CIAT emite…
      … que circulam pelo país…

      Por outro lado, o governo agiu sensatamente bem, ordenando a suspensão da venda do arroz supostamente impróprio para o consumo da população.

      Espero que a amostra que foi enviada para o tal laboratório no exterior do país seja a do tal arroz de porco e não de um outro grupo de arroz.

      • Augerio Amado vaz

        24 de Junho de 2013 as 10:54

        Meu caro amigo, no caso em apreço, quem de facto tinha poderes para ordenar a suspensão da venda do arroz era o Tribunal. Pois, sendo o próprio Governo quem comprou nas mãos de terceiros o referido arroz e uma vez autorizado pelo Governo a sua comercialização, não se compreende que esse mesmo Governo determina a suspensão da venda. Quem irá arcar com o prejuízos advêm deste desnorte total. Isso tudo não passa de uma grande palhaçada…

  11. malebobo

    24 de Junho de 2013 as 8:04

    enfim, já não se percebe mais nada

  12. cunchença

    24 de Junho de 2013 as 8:27

    Grande palhaçada!
    Isto quer dizer que tambem podemos questionar a qualidade de todos outros productos que andamos a consumir.

    • E. Santos

      24 de Junho de 2013 as 15:19

      Na prática é isto que o GOVERNO de Gabriel Costa acabou de dizer.
      Pior a emenda que o soneto, diga-se.

  13. Ancrajoty

    24 de Junho de 2013 as 9:26

    Sr. Augerio, por vezes a cegueira faz mal a certas
    passoas. O Sr Dr. Manuel Pinto da Costa, e’ Presidente da Republica e nao o Chefe do Governo
    como se faz entender.

    • Augerio Amado vaz

      24 de Junho de 2013 as 10:28

      A cegueira é de quem não quer ver a inexistência da cacofonia institucional, O Senhor Manuel Pinto da Costa é pai grande uma espécie de Líder espiritual…

      • Augerio Amado vaz

        24 de Junho de 2013 as 10:40

        Na minha miopia ainda consigo definir a inexistência de cacofonia institucional.
        Que no caso em apreço nada mais é que inexistência de separação de poder. Só quem quer ser cego é que a cegueira lhe faz bem.

    • Jorge Mendes

      24 de Junho de 2013 as 11:26

      O sr Ancrajoty pode jurar de pes juntos que o sr Pinto da Costa e apenas PR de STP e nada mais?

  14. Kua Li

    24 de Junho de 2013 as 10:02

    Os Órgãos de soberania de Sao tome e Principe,estão a espera que ás coisas resvalam para dimensões de conspiração, de atentados,etc,etc,para depois agirem dizendo que nada justifica a violência,digam-me o o que mais estão a espera para que o Negociante Delfim Neves seja ouvido,nao vão continuar a fazer do silencio um antídoto de esquecimento das almas atormentadas desse povo fruto da miséria impingida,para depois os suspeitos e seus descendentes estarem a exibir carros de luxo na cara do povo aflito,já é demais é demais,é demais,eu sou um critico acérrimo da conduta do Sr.Levy Nazaré,e nao quero ter razoes para ter que me alhear a este,a minha confiança e de muitos na Justiça tem se decaído a um ritmo vertiginoso,se continuarem a fazer orelhas mocas,depois o resultado será irreversível,eu estou cansado e o pior perigo que pode existir é termos na sociedade pessoas sem esperança e sem nada a perder…Ponham um Basta,acabem com o clientelismo politico,urge mudanças na lei penal façam-na,afinal para que serve a A.R,é demais o homem é sempre suspeito e nunca nada lhe acontece,sentindo ate no direito de se candidatar,para mostrar o quão impoluto e impune esta…basta,basta,retirem alguma ilação com os sinais dos tempos,ou demitam-se todos….Estou farto disto,Farto…

  15. E agora.?!...Falo eu

    24 de Junho de 2013 as 10:07

    Isto é surreal…«Suspender temporariamente a comercialização do arroz importado pelo Estado, até a conclusão do resultado da análise mandada efectuar no exterior do país por laboratórios devidamente qualificados e com garantia de imparcialidade»…Então, pelo facto de um técnico ser membro de partido A ou B faz com que ele não seja imparcial.

    Depois deste comunicado das duas uma. Ou crie condições para que este organismo funcione e dê garantias aos cidadãos que as suas acções são credíveis ou o governo acaba com CIAT já que o mesmo não é qualificado para a função que tem exercido.

    “Tenho prazer em ser vencido quando quem me vence é a razão, seja quem for o seu procurador.”
    (Fernando Pessoa, poeta português)

    • E. Santos

      24 de Junho de 2013 as 15:26

      Se o CIAT tivesse vergonha na cara, entrava em greve imediata.
      Eu não passaria a vergonha de ver meu profissionalismo, a minha imparcialidade, em suma, a minha imagem posta em causa.
      E não é só do Técnico que fez a análise. Para ela vir ao público, algum superior a teve de validar.
      Se a CIAT trabalha em equipa, e não cada um por si e deus por todos, então, têm todos de assumir a vergonha.
      Demitam-se todos que não estão lá a fazer nenhum.

  16. juntos

    24 de Junho de 2013 as 10:48

    Meus caros,
    Opa , situação complicada e preocupante!!! Difícil de entender, duas ilhas demasiada pequena com 187.356 habitantes.
    O governo não consegue gerir em todos os sentidos. Preocupa-nos muito o atraso desses governantes que põe em causa as vidas em risco, sabemos que temos tantos quadros formado nesta área de estudo em todo o mundo mesmo em STP. Pergunto qual é a função d CIAT?
    Meus caros vamos acabar com sistema nessas ilhas. Juntos podemos tornar STP num pais com credibilidade, responsabilidade e com confiança do povo e dos nossos parceiros internacionais.

    • continuação

      24 de Junho de 2013 as 11:19

      vamos responsabilizar também o fornecedor.

  17. alberto dias

    24 de Junho de 2013 as 11:08

    corrijo: …para agradar…

  18. O.Face

    24 de Junho de 2013 as 11:15

    por amor da santo Tomé , ate quando vamos ter que manda outros fazerem algo que deveríamos ter competência para fazer.é uma vergonha pedir outro País para fazer uma analises dessas.
    Embora melhor admitir falta de competência e ser justo em apurar os factos.
    Mas fica uma duvidada caro compatriotas vamos ver se daqui a alguns meses o governo e CIAT criam condições para fazer esses tipos de analises .

  19. Normany Dias

    24 de Junho de 2013 as 12:04

    O governo está a prestar um péssimo serviço a nação. Tinha expectativa de que o governo emenda-se o tiro nos pés e tivesse a sensatez de rapidamente encontrar os responsáveis pela situação constrangedora que no mínimo se colocou.. e punir em conformidade!? O que o governo faz!? deitar areia para os olhos das pessoas dizendo que a CIAT não possui competência para apresentar resultados conclusivos do caso e pior ainda é que está a ver um aproveitamento político do caso. Orá, vamos ser honestos connosco próprio.. o governo demora uma semana ou mais para reagir ao caso..!? neste período de tempo não terá sido suficiente para se encontrar uma solução eficaz do caso!?
    As pessoas se esquecem de que estamos a falar de uma situação de perigo iminente para a saúde pública dos cidadãos Santomenses. Não é espectável que se tenha de espera uma semana para retirar o arroz do mercado!? não há explicação. Só peço que se apurem as responsabilidades e se demita e prendam quem tiver que ser. demitida

    • E. Santos

      24 de Junho de 2013 as 15:32

      Não vão demitir ninguém porque já assumiram que quem está errado é o CIAT, não o arroz.
      Se bobear até já t~em o parecer dos mesmos juristas do Ministro da Agricultura que já sabem que este caso não vai dar em nada.
      Deviamos perguntar ao SR. Ministro porta voz, quem nos garante que o Governo tem condições de enviar com imparcialidade a amostra certa para o laboratório mais competente?
      Estamos numa onda em que todos desconfiam de todos.
      Quando vierem os vossos resultados a dizer que o arroz é excelente para o consumo, que aumenta até a nossa capacidade mental para perversidade e roubalheira contínua no país, vamos duvidar!!!!

  20. Rui Couto Campos Nunes Guimarães

    24 de Junho de 2013 as 12:33

    Então isso quer dizer que os São-Tomenses sempre consumiram os alimentos impropérios,pq CIAT não tem condições de fazer analise? Isso quer dizer que eles inventaram um relatório sobre analise feita? Hó meus senhores governantes sejamos serio pq quem fica mal com isso tudo é o nosso povo e a saúde deles que apurem a verdade pq isso é uma máfia!

  21. óssobó

    24 de Junho de 2013 as 12:38

    Meus Senhores! näo estejam a brincar com coisas sérias.
    Suspender a Venda do arroz, pode fazer com que o seu tempo de consumo se invalide.
    Antes da compra deveria ser feito primeiro os testes de qualidaes para o consumo humano, por isso apurem as responsabilidades antes que seja tarde demais

  22. Golfo Persico

    24 de Junho de 2013 as 13:07

    Meus caríssimos
    Brincadeira tem hora.
    CIAT, antes Estacão Agronómica, com varias décadas de vida, não pode passar por uma vergonha destas. Eu me demarco destas polemicas, devolvo as criticas aos seus promotores, ponto final. Politica baixa.
    Dizer que as afirmações são equivalentes, iguais a que no hospital Ayres de Menezes, não tem condições de fazer um curativo.
    Viabilidade das radiação gama, Aspetos sensorial e ALTERACAO DO AMIDO.
    Reprodução de gorgulho, analise da composição centesimal, acido fítico, conteúdo de amilose, analise da cor, gosto de arroz cru e cozido, bem como a analise da aceitabilidade.
    Estes dados podem ser fornecidos pelo CIAT.
    Caso contrario, extinguem este serviço, transformem-no num centro de conhecimento, Universidade.
    A direção deste Centro, tem as maiores qualificações em laboratório do ISA-UTL.
    Não acredito que todo o arroz esteja improprio., se calhar uma parte que ficou no fundo do porrão, sei la.

  23. Mundo ca tlabá cu ganna

    24 de Junho de 2013 as 13:07

    O arroz esta partida e suja, não é necessária efectuar analise através de laboratório capacitado como diz o governo.
    Nesta conjuntura implica que o interesse do governo, esta a cima do interesse do povo. Se o CIAT não consegue fazer uma analise de arroz que se faz com a vista desarmada, estão não tem a capacidade para analisar nenhum produto. Sendo assim, porquê existe o CIAT?

  24. nao sei de nada

    24 de Junho de 2013 as 17:15

    Nestas coisas, creio existir falhas no processo.
    Governo deve agir em ultima analise, quem devia falar seriam as autoridades de inspeção e da saúde, regulação, finanças, etc. Seguradora, associação de consumidores , camara de comercio, etc. O Governo, pessoa de bem,

  25. Filho das Ilhas Maravilhosas

    24 de Junho de 2013 as 18:26

    Penso que este governo deu um tiro no pé! Então afinal o CIAT não tem competência para analisar em definitivo um dos produtos mais consumido no País. Então o que dizer em relação a outros certificados que o CIAT tem passado. Penso que de agora em diante todos poderão contestar uma análise ou um certificado do CIAT porque é nosso governo o primeiro a faze-lo. Gostaria de dizer aos nossos governantes o seguinte: – O povo esta a par de tudo, abram os olhos meus senhores;

    Sinceramente ao ouvir o comunicado do governo fiquei ainda com mais dúvidas sobre o assunto porque fiquei sem saber quem realmente importou o arroz. O governo ou um firma privada porque o governo assumiu-se como importador do referido produto.
    Aquando da reportagem da TVS o senhor responsável do GGA havia dito que é a firma privada que importou o arroz para colmatar a ruptura, então em que ficamos meus senhores?
    Estão a brincar com o povo, senhores governantes assumam as suas responsabilidades.

    Um bem haja…

  26. Sacode puera

    24 de Junho de 2013 as 18:54

    Senhor Primeiro Ministro o senhor conhece a realidade deste pais quero que o seu governo nao suja mais nem se meita mais nessas jogadas suja nanda o processo de concurso a tribunal para ser avaliado e julgado se foi cumprido os requisitos do concurso e se a importação foi cumprido com as clausas que ganhou o concurso NAO SUJA Senhor P M

  27. Bêtodo

    24 de Junho de 2013 as 19:00

    Ká pia ….. áua uê

  28. wilter

    24 de Junho de 2013 as 19:38

    obribado nosso governo mas porque que so agora dis que ciat nao tem condiçoes para avalhiar o arroz… quando e ciat que analisa entrada e saida de todos os produto em stp
    porque? porque é governo quem mandou comprar? tenha consencia que e muito bom
    e vê se cria condiçoes na ciat para que os satomense nao voltem a comsumir produtos fora de praso

  29. filho da terra

    24 de Junho de 2013 as 20:23

    se o CIAT não tem capacidade feixe-o

  30. rui antonioa

    24 de Junho de 2013 as 20:53

    assim vai a república, o culpado e o povo que vota com baho

  31. Terra firme..........?!........

    25 de Junho de 2013 as 6:58

    O país já completou 38 anos da sua independência!
    Neste momento, felizmente o país dispõe de inúmeros quadros formados e qualificados em várias áreas do saber. Pergunta-se, até quando, deixaremos de depender, ou pelo menos reduzir a dependência do exterior?! Será que os quadros acima referidos não servem para nada? Chegou a hora de mudarmos de mentalidade do desenvolvimento. Os diagnósticos dos pontos fracos no contexto do desenvolvimento socio- económico já foram estão claramente identificados.
    Onde estão os problemas?
    Chegou o momento de por a política de lado, e autovalorizar-nos como técnicos de vários( de nível básico ao alto nível, por lado, todos somos importantes ” Cada um , é Dr., Engº, etc. da sua profissão”

    Independentemente, dos objetivos políticos, penso que chegou a hora de se criar ” Uma Plataforma Nacional de Afirmação e Valorização dos Técnicos Nacionais” “PNAVTE”

    Meus senhores e minhas senhoras, jovens estamos em pleno século XXI, com um alto nível de desenvolvimento de ciência e tecnologia.

    Please, we must to do something!

  32. Filho da Terra

    25 de Junho de 2013 as 9:18

    E assim vai a nossa Republica, existe a separação dos poderes mas todos fazem tudo, existe a tipificação de quase todos os crimes por ai praticados, mas a impunidade é tanta que agora os tribunais apenas administra a justiça em nome dos partidos, e ninguem é resposabilizado de nada, e o pior de tudo a OGE do país sistematicamente é financiado pelo ajudas externas, e isso só visto de perto como eu tenho para poder acreditar

  33. O mais certo

    25 de Junho de 2013 as 9:56

    Olha, a situação é tão grave que estamos perante uma sociedade em que os dirigentes estão apenas a pensar no enriquecimento individual e de grupos e o povo que morra! Então, o arroz ao sair do porto, antes ainda de ir ao mercado devia ou não ter sido submetido a análise?
    Tendo sido comercializado sem análise, onde estavam as autoridades? Duma vez que o CIAT, instituição que até a presente data tem vindo a garantir a análise dos produtos que consumimos, como é que se explica que esta instituição é no mínimo humilhada e desacreditada desta maneira!!! Será que os produtos que temos vindo a consumir cuja análises têm orientado para o seu consumo normal, o governo tem pedido contra análise? A contra análise só é pedida quando a do CIAT diz que não dá para o consumo?!! Convenhamos!! Isto é um desnorte total.

  34. de Ceita

    25 de Junho de 2013 as 11:10

    Conheci o produto, e verifiquei que não é alimento digno para o consumo humano, e na minha opinião a questão não passa por fazer mal a saúde ou não, mais sim pela má qualidade mesmo do produto.Desde a composição passando pelo cheiro, este produto, pelo menos acho que quem o consome é muito corajoso.

  35. E. Santos

    25 de Junho de 2013 as 11:14

    Vai haver um novo 12 Julho…12 de Julho de 2013.
    No dia 12 de Julho, em plena comemoração da independência, vamos aproveitar a oportunidade para dizer aos nossos GOVERNANTES, parem com isso:
    – Parem com o assambarcamento dos bens públicos
    – parem com a corrupção,
    – parem com a impunidade,
    – parem com o clientelismo,
    – parem de enganar o povo,
    – parem de torturar o povo e o deixar na mizéria,
    – parem de fazer da justiça injusta
    – parem de desmoralizar o país;
    – parem, parem, parem

    Precisamos de Pão (sem bicho do arroz do Delfin Neves), Paz (sem medo) e Amor (a pátria), pela Unidade (dos Sãotomenses), Disciplina( na forma de estar e agir) e Trabalho (para o bem de todos).
    De forma pacífica que nos caracteriza, vamos levar cartazes para sem abrir a boca podermos transmitir a nossa indignação ao “ESTADO DA NAÇAO”.
    Este não é de certo o país dos nossos sonhos e que queremos deixar aos nossos filhos.
    O Governo que nos apresente urgentemente alternativas concretas, como fez a Presidente Dilma do Brasil.
    Aprendam com quem sabe, não estejam aí a dormir na forma. O mundo mudou…a abordagem tem de mudar. Adaptem-se e parem de forçar o Povo à constante humilhação.

  36. HT

    25 de Junho de 2013 as 11:47

    Parar?

  37. malebobo

    26 de Junho de 2013 as 7:38

    assim vai o stp, viva a republica das bananas, ninguem assumi, nada, só com cristo, proprio o estado, a desvalorizar a sua instituição, so mesmo em stp

  38. alvaro lopes

    27 de Junho de 2013 as 9:15

    Bom dia caros leitores e comentadores do tela non. O governo assim decidiu, deu o direito de compra a firma do Delfim Neves, o arroz chega e tem isenção das taxas e impostos no porto e alfandeg a ordem do governo, o arroz no seu armazém do estado, o governo decide vender o arroz, o responsável do fundo de estabilização diz que o arroz é bom para consumo e que se quer fazer politica, ADI diz que o arroz não é bom para o consumo e cita o CIAT e o governo depois de um mês manda suspender a venda do arroz e envia amostra do mesmo a Portugal para ser analisado. O que se quer quem pode manda, o governo assim decidiu, estado de direio democrático, povo é quem mais ordena!

  39. alvaro lopes

    1 de Julho de 2013 as 8:52

    bom dia está tudo dito

  40. Nino Makúakúa

    4 de Julho de 2013 as 16:36

    O Demónio não soube o que fez quando criou o homem político; enganou-se, por isso, a si próprio.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo