Quem é o “CHEFE” dos Juízes?

Está na moda em São Tomé e Príncipe, muita gente agir, pensar e falar de acordo com a vontade do seu Chefe. O termo Chefe, é cada vez mais utilizado no país.

Na cerimónia de investidura do novo Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, do Tribunal Constitucional e do Conselho Superior da Magistratura Judicial, o termo “Chefe” ecoou no salão do Palácio da Justiça, pela voz do juiz Presidente Manuel Silva Gomes Cravid.

O Juiz Presidente explicou aos magistrados judiciais, quem é o chefe dos Juízes. «O nosso chefe é a constituição, são as leis e a nossa consciência. Repito, o nosso chefe é a constituição, são as leis e a nossa consciência…», declarou o Juiz Presidente. Aplausos prolongados selaram a declaração de Manuel Silva Gomes Cravid.

Recordou aos juízes que «nunca devemos esquecer que somos independentes e que devemos resistir e afastar de qualquer influência política, pública ou privada».

A linha que separa os poderes constitucionalmente definidos não pode ser violada, advertiu o Juiz Presidente. «Não se deve fazer politiquices com o sistema judicial, e por isso devemos agir em conformidade com a constituição e os princípios constitucionais, mormente o princípio de separação dos poderes e o respeito mútuo e recíproco pelos órgãos de soberania», pontuou.

Abel Veiga

 

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Maria Silva Responder

    Uma indireta DIRETA aos corre-botas e bajuladores do patrice trovoada e ao próprio Primeiro Ministro!!!

  2. img
    EX Responder

    agora são elas.

    De olho nas eleições, agora quero ver quem vai cometer fraude e ficar impune.

  3. img
    Tristeza Responder

    O Silva, ainda não recebeu 100 mil euros. Quando chutarem a massa,o Silva ira calar para sempre…

    • img
      Artur Responder

      Como todos os outros infelizmente.
      Como disse São Tomé “Ver para crer”.

  4. img
    STP Think Tank Responder

    Venerando Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça de São Tomé Principe.
    Cordiais saudações,
    É nosso parcer que o âmago da questão está na garantia da independência e da imparcialidade deste orgão de soberania “Os Tribunais”.
    Basta cumprir promessas neste âmbito, na salvaguarda dos interesses nacionais, para que os Santomenses voltem a ter esperança e a nova geração sonhe com um “Estado de Direito”.
    Recaem sobre si grandes expectativas, e para que não as defraudem, examinai todas as coisas e retenha o essencial.
    Um grande lider não é aquele que busca o consenso, porque de per si só não é suficiente, outrosim é aquele que molda o consenso.
    Com os melhores cumprimentos,
    Heleno Mendes

    • img
      Vexado Responder

      De realçar que há queixas crimes, pedido de pronuncia sobre constitucionalidade de certas acções.
      Será que Senhor Juíz pronunciará “desapaixonadamente” sobre esses casos?

      Um certo ministro não parabenizou o silva cravid é porquê?

  5. img
    Brasileiro Responder

    Em qualquer democracia legalmente os chefes dos entes públicos são O Povo e O Estado.

  6. img
    Germano silva da Fonseca Dos Santos Responder

    O governo so precisar ter uma e unica palavra

  7. img
    Ralph Responder

    Todas as declarações sobre a independência da judiciária e a separação de poderes são muito importantes. Porém, o facto de que um chefe de juízes sente a necessidade de emitir tal declaração sugere que muita gente duvida que tais independência e separação sejam em força. Tem-se de chegar ao ponto de que não há nenhuma necessidade de falar sobre essas coisas porque o povo e os próprio juízes já aceitam que seja a verdade.

Deixe um comentario

*