STP -  “Falar não Pode”

A Associação dos Jornalistas de São Tomé e Príncipe (AJS), recorreu a expressão actualmente muito utilizada pelas populações “Falar não Pode”, para elucidar o estádio actual da Liberdade de Expressão e de Imprensa no país.

«É uma das últimas expressões que está na boca do povo. Também dos jornalistas, o que é ainda mais grave. A criativa constatação popular pronunciada sempre com um sorriso pode servir de barómetro para medir a liberdade de expressão e de imprensa no país», afirmou Juvenal Rodrigues, Presidente da AJS, na cerimónia do dia internacional da liberdade de imprensa, 3 de Maio.

Embaixadores acreditados em São Tomé e Príncipe, O Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Manuel Silva Gomes Cravid, o Presidente da Assembleia Nacional Manuel Diogo, e o Presidente da República Evaristo Carvalho, são figuras de destaque que marcaram presença no evento organizado pelo Conselho Superior de Imprensa.

«De facto, a descarada censura que chega ao ponto de descaracterizar completamente certas matérias produzidas por jornalistas, a ponto dos autores não reconhecerem o trabalho que deixaram feito; a autocensura, a ausência de debates e do contraditório e a exclusão acentuaram-se consideravelmente desde outubro de 2014», prosseguiu o Presidente da Associação de Jornalistas de São Tomé e Príncipe.

Uma situação complicada, perigosa, atentatória a liberdade, e que é reforçada por outros actos anti-democráticos. «Parece que o país vive num estado de exceção disfarçado, porque há comissários políticos e agentes que gravam conversas, mesmo em ambiente de convívio. Existe a perceção de que os telefones estão sob escuta. Há um clima de desconfiança generalizada, porque o amigo pode ser informante, na lógica de dividir para reinar», reforçou.

“Bufaria” no seu auge no seio dos profissionais da comunicação social e não só. Uma democracia fragilizada. «Não se pode falar verdadeiramente de um Estado de Direito Democrático neste quadro. O democrata convicto não tem medo do contraditório, não receia críticas e não alimenta a “bufaria”- passe a expressão. O pluralismo é uma das características da democracia», frisou Juvenal Rodrigues.

Perseguição, é a lei decretada contra os órgãos de comunicação social, ou profissionais, que não se vergam a vontade do Chefe.

«A perseguição tem outros contornos. Por exemplo, acabar com programas nos órgãos públicos, cujos rostos não são militantes ou simpatizantes do partido no poder. A tentativa de asfixiar economicamente os mesmos. Os militantes e simpatizantes é que têm todos os direitos e mais alguns. Existem casos em que a mesma pessoa é assistente de imprensa de vários organismos estatais, além de estarem vinculados a órgãos públicos. Regra geral, o apoio do Estado ao fomento de órgãos de imprensa privados nunca foi expressivo, num país em que o mercado é inexpressivo e o setor privado está de rastos. Mas atualmente, a situação piorou, com a retirada de publicidade de empresas em que o Estado também é acionista, naqueles títulos de imprensa fora do controlo do poder».

Pressão contra os jornalistas que não abdicam da sua liberdade, atingiu níveis invulgares e o Ministério Público, não consegue agir em tempo útil.  «Outra forma de pressão. O Sr.primeiro-ministro,Patrice Trovoada, acusou publicamente numa entrevista difundida a 11 de setembro de 2016 pela TVS e a Rádio Nacional, que jornalista independente recebeu arma de guerra da Presidência da República. A Associação dos Jornalistas solicitou logo depois ao Ministério Público com carácter urgente para investigar o facto. Manifestou-se disponível a colaborar no que fosse necessário e fê-lo. A verdade é que passados quase oito meses, o Ministério Público ainda não divulgou o aguardado relatório», denunciou a Associação dos Jornalistas.

Mais detalhes sobre a verdade dita pela AJS no dia da liberdade de imprensa, podem ser conhecidos aqui – Discurso AJS

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Nós Responder

    Mas vocês estão a espera que este Procurador da República que não é mais nem menos que o capanga do 1º minitro, vai apresentar relatório? Qual relatório? Aquele homem em país nenhum seria P.G.R. Aquele é um banana para não dizer outra coisa. Seria importante que aproventando esta ocasião que se tirou o presidente do S.T.J se mandasse para a rua também este senhor que não tem utilidade nenhuma para o país. Que raio de P.G.R é este senhor? Misericórdia, minha gente. Se ele tivesse um pingo de vergonha, ele mesmo pedia a sua demissão e ia plantas bananas ou fazer outra coisa qualquer.

  2. img
    joana Responder

    Sinceramente.. Se nao fosse esse jovem presidente do CSI, esse pais nao teria a democracia. Grande atividade do conselho superior de imprensa, mt gente fogo. Aquilo é k foi uma actividade, tds os participante falaram mt bem. Meus senhores vamos ajudar a juventude.

  3. img
    kkkk Responder

    Isto esta mt mal. Nao se pd falar. Lembro mt bem das eleicoes presidencial qd a maria das neves queria falar nao lhe deixaram tinha k ser o conselho a dar mais um conselho na tvs é k a senhora poderia falar. Esses gajos pa querem acabar com democracia. Lembro tb de alguns manifestante k queriam fazer manifestacao e a tvs nao deu cobertura e fez bue de bobo, tinha k ser os gajos de csi a resolver. Ate k esses mesmo manifestante fizeram uma nota para tds os jornais a agradecer conselho superior de imprensa.

  4. img
    super Responder

    Estas a falar assim pk o presidente do conselho é independente, se fosse outro gajo do MP, voce ja saberia.

  5. img
    super Responder

    Rua com os bufos. Quem tb dar valor a bufos tb é bufo e doido. Por vezes esses bufos inventam conversas e depois diz k os outros é k falaram. Essa historia de bufo e mt perigoso. Pois fica no disse k nao disse.

  6. img
    Vexado Responder

    Está comprovado que os autores do perfis falsos carolina fernande reside nas insalações do GAbinete Primeiro Ministro, como o tal Tomé Cassandra.

    O procurador geral da república, numa conferencia pública, afirmou que irá prender todos aqueles que violarem os direitos privados das pessoas.

    Neste caso, o senhor procurador geral da república vai mandar o senhor priminiro ministro pelo crime de autoria moral de difamação pública de titulares de orgão de soberania (caso do senhor silva cravid)?
    Isto sim, é um atentado a honra de uma pessoa, vir ao público dizer que outro não tem licenciatura em direito.

    Pode-se fazer a mesma pergunta, mas ao contraio: Será que o senhor primeiro ministro que acusa o outro de não ser licenciado, é licenciado? O mesmo nunca afirmou públicamente nem na sua biografia que é licenciado.

    Alguém viu ou leu um documento elaborado e escrito pelo senhor primeiro ministro? Ao menos um documento no tempo de assessoria quando o seu pai era presidente da republica.

    Este patricio trovoada é um homem baixo embora anão, vingativo e invejoso. Nem todas as pessoas devem estar sujeito as suas vontades.

    Agosinho fernandes, aacabou cedendo e agora ocupa o lugar do acacio alba bonfim.

    Afinal, todos querem mamar do estado e para tal há que confundir as pessoas com publicações de mensagens difamatorias.

  7. img
    queria Responder

    Cada pais tem o povo que merece. Entao vejamos, existem indicios de corupcao por td pais, o povo nao faz nada. Fica a espera que os outros que sao poucos é que fazem barulho por eles. E qd se faz barulho explicando que os governantes passam a vida a viajar e gastar dinheiro do povo que precisa mt. Eles nao querem saber. Quando os funcionarios pedem aumento para ajudar a administracao publica a desenvolver, faltam funcionarios respeito. Falam mal de funcionarios que ganham um milhao de dobras. Esse povo principalmente esses gajos do partido de messias sao uma vergonha.

  8. img
    Martelo da Justiça Responder

    O Primeiro-Ministro na sua resposta as criticas da AJS, lembrou-nos com muita satisfação do triste episodio de ter sido escoltado pelos 4 deputados portugueses, por ocasião do regresso do seu auto exilio em Portugal. É lamentável e reprovável essa atitude! Afinal, o que tem acontecido na comunicação social em particular e na administração publica duma maneira geral, é uma vingança a todos aqueles que direta ou indiretamente não concordam com o ponto de vista do ADI. Não é normal que em democracia, não haja nos Órgãos Públicos de Comunicação social, programas de debates livres para o desenvolvimento do necessário contraditório. Eu não consigo também entender, como é possível um Pais como São Tomé e Príncipe, com carência de quadros, desperdiça uma jornalista como Conceição Deus Lima, para mim considerada a melhor do Pais, apenas porque, provavelmente, ela não se alinha aos ditames do ADI.
    Porque que o ADI tem assim tanto medo do contraditório??
    Outro especto que considero reprovável, é o facto de haver jornalistas que praticam autocensura apenas com objetivo de defender tachos e de queimar os seus próprios colegas. Essa cultura que já existia na função publica mas que se agravou com o Governo da ADI, tem contribuído para aumentar a mediocridade e a incompetência na função publica. Todos aqueles que não dizem o que os chefitos querem ouvir, não servem e são automaticamente marginalizados. Espero bem que se acabe rapidamente com essa pratica e se comece a valorizar o trabalho honesto e honrado, o mérito e a competência, para o bem de uma Administração Publica que sirva a população e contribua para o desenvolvimento do Pais.

  9. img
    manuel Responder

    Essa é a maior verdade. Quando estamos não fazemos o contrario e quando estamos fora vemos tudo como anormal.
    Se nos países mais desenvolvidos essa pratica é corrente quanto mais o nosso.
    Tudo é a raiva quando não se está a governar.
    Essa é a maior verdade.

  10. img
    Fokoto Responder

    Patrice Trovoada não teve cobertura jornalística oficial porque, segundo a Procuradoria Geral da República, ele era um foragido da lei, e por conseguinte deveria ser detido mal pisasse o solo pátrio.

  11. img
    seabra Responder

    Olha as CARAS destes MARMANJOS… merecem umas boas estaladas.
    Corram com estes vadios do PODER. Que dêem o FORA do governo.
    Està indo tudo pelo MAR, a afundar-se em STP , por causa destes VAGABUNDOS.
    O PT que vem passar 2 dias em STP,para marcar apenas uma presença e recuperar o que é do povo para a conta dele (bancos estrangeiros),
    volta para o GABAO (terra dele) deixando o pelintra do anao Afonso Varela no mediocre comando do pais.
    GENTE, até quando? O POVO deve reagir e nao ficar à espera que meia dùzia de pessoas façam o que se deve fazer, para depois ele ( o povo)gozar e voltar a estragar com os votos BURROS que dao aos CORRUPTOS…” o povo é quem mais ordena, dentro da vila cidade…”

  12. img
    Fernando Fernando Responder

    Senhor Juvenal
    O senhor recorda quando esteve na TVS? Quando o grupo nós por cá criticou o arroz podre do sr. Delfim, o que é que o senhor fez. Não correu com os mesmos proibindo-os de apresentar programa na TVS que é uma televisão pública?
    Quantas perseguições o senhor fez os que não eram da sua ala do MLST na TVS.
    Recorda quando o seu partido esteve no poder e que na plena atividade da Assembleia um deputado do seu partido disse que o que merecia aos jornalistas que não eram da sua ala deviam ir todos para a cela durante uma semana sem comida? O que é que o senhor fez na altura.
    A sua memória é muito curta. Recorda que o deputado do seu partido na Assembleia declarou publicamente de que os cães ladram e a caravana passa?
    O que é que o senhor fez na altura
    Então, vá catar água
    Bem Haja STP
    FF

    • img
      Martelo da Justiça Responder

      Onde é que estão os elementos de “Nós por Cá” e os Indignados que faziam tanto barulho no Governo de Gabriel Costa? Hoje já não têm motivos para fazer criticas? Realmente tudo isso é só politiquice provavelmente com motivações com base em dinheiro e não tem nada a ver com a cidadania.

  13. img
    eduardo santos Responder

    Meus amigos tenho uma preposta muito simples para tudo isso criar ou aprovar lei que diz o seguinte, depois das eleições quem ganha o poder terá que entregar pasta da comunicação social a oposição.nunca vi um poder em parte nenhuma do mundo a deixar a oposição fazer da comunicação social estatal fazer a sua política,fazem sim na privada,nos jornais,rádios privados na rota e muitos outras.muitos não têm moral de falar na liberdade de imprensa porque quando trabalhou para poder fizeram coisas semelhantes ou pior.um bem haja.

    • img
      falabarato Responder

      Vocês de ADI nem Português sabem falar.
      Têm razão, enquanto nos Santomenses dizemos ” ETCETRA ” ( etc ) vocês dizem ATCETRA ( atc )

    • img
      falabarato Responder

      …PREPOSTA!
      Kikikiki

  14. img
    Rato Responder

    O primeiro ministro, ao invés de marcar a sua presença naquela cerimónia,com o seu discurso também, preferiu se refugiar no gabinete, com visitas de cortesia dos embaixadores… Depois veio com cara de pau, mandar bocas na Rádio Nacional… O povo já te apanhou bandido!!!

Deixe um comentario

*