Sociedade

PIC anuncia explosão de assaltos e a população desesperada já começou a caçar os assaltantes

A Directora da PIC, anunciou que só na última semana foram registados cerca de 40 assaltos, alguns a mão armada. Vera Cravid(na foto) reconheceu no entanto que a população está desesperada face a morosidade da justiça, e tende a praticar justiça privada. A PIC diz que não tem meios para investigar os múltiplos casos de assaltos.

Segundo Vera Cravid, Directora da PIC, na última semana foram registados cerca de 40 denúncias de assaltos a residências, empresas privadas e públicas e a viaturas. «Ultimamente tem entrado muitas denúncias sobre assaltos a mão armada nas viaturas, nas residências e os suspeitos têm levado basicamente material informático. Na semana passada registamos cerca de 40 denúncias sobre assaltos, não só nas casas, mas também nas empresas e lojas onde levam sobretudo material informático», afirmou a directora da PIC em entrevista ao Téla Nón.

A responsável da polícia de investigação criminal alertou que a instituição não tem meios para investigar os múltiplos casos de criminalidade em crescimento no país. «O nosso trabalho é muito difícil. Basicamente posso dizer que não temos meios. Mesmo assim estamos a trabalhar com os meios e o pessoal que temos», declarou.

A PIC é uma polícia que não tem um laboratório de investigação, a maioria dos agentes não têm armas, não usam coletes anti-bala, no entanto têm que se confrontar com assaltantes, que usam AK-47 e pistolas de 9 mm. «A forma de actuação do delinquente está a superar os meios investigativos que a polícia tem. Os delinquentes estão avançados em termos de seus meios operandi. A população entra numa situação de desespero porque eles vão assaltar armados», acrescentou a directora da PIC.

A população desesperada face ao aumento da criminalidade, está a deitar mãos aos seus meios, para defender os seus bens. Na última semana, 4 assaltantes que actuavam isoladamente foram baleados ou espancados, em diferentes localidades do país.

Um dos assaltantes que foi baleado nos arredores da capital são-tomense, perdeu a vida após algumas horas de assistência médica no hospital Ayres de Menezes. A incapacidade em termos de meios técnicos, das polícias de ordem pública e de investigação criminal em garantir a segurança das pessoas e dos seus bens, está a facilitar a instituição da Justiça Privada em São Tomé e Príncipe. «Se a segurança pública não está a ser devidamente cumprida, é óbvio que nessas circunstâncias a população tem tendência de chamar a si esse tipo de responsabilidade é o que não podemos deixar que aconteça», frisou Vera Cravid.

A Directora da PIC, garantiu no entanto que as polícias de investigação criminal e de ordem pública, estão a trabalhar em parceria, para combater a explosão de assaltos.

Abel Veiga

    55 comentários

55 comentários

  1. Lupuye

    20 de Maio de 2013 as 15:00

    O que quero saber e de onde vem essas armas. Em STP nao ha armas a venda nas lojas. Isso implica melhor controlo das armas da policia, dos militares e melhor supervisao do que entra e sai nas nossas fronteiras. Ja nao se pode dizer que STP e um pais de paz. Ainda me lembro das saidas noturnas sem pensar em ser atacado ou assaltado por quem quer que seja. Andamos a criar um monte de meninos da rua e agora e este o resultado. E o pior e que a nossa populacao continua a aumentar de uma forma desenfreada, de uma forma muito irresponsavel. Os pais, mesmo sem meios continuam a fazer filhos e a abandona-los a sua sorte. Muita pena ver o meu pais assim. Ja esta a virar como certas partes dos EUA, concretamente Porto Rico e as Ilhas Virgens.

    • Li2

      20 de Maio de 2013 as 17:04

      Creio haver um pequeno mal entendido , penso haver paz neste país,isso é uma qstao k , globalizou , é preciso vermos uma coisa : com q tipo de armas sao feits os assaltos? Armas brancas ou de fogo? Contudo precisamos munir os agentes policiais de maior conhecimento d combate aos crimes …até!

    • gualter almeida

      20 de Maio de 2013 as 23:52

      amigo o seu comentário é excelente mas cuidado ao escrever não coma os assentos

      • Dos Santos

        21 de Maio de 2013 as 5:21

        Gualter em termos dos acentos isto depende do teclado que quem fez a escrita usou.

        • Dos Santos

          21 de Maio de 2013 as 5:21

          *assentos

          • Elias Diekum

            21 de Maio de 2013 as 7:35

            acentos 🙂

        • Infor.security

          21 de Maio de 2013 as 5:49

          Parabens;colega e amiga Vera Cravid pela posicao que esta exercer apesar de teres pouca ouseja sem ferramentas adequadas,mas tbm nao ti esquecas que nos termos de seguranca existem tres padroes importantes que devemos respeitar;confidencialidade,integridade e desponibilidade,neste caso a confidencialidade falhou por sou parte e ao mesmo tempo esta a por em causa a integridade e os restantes dos mecanismos.

    • santola

      21 de Maio de 2013 as 11:08

      hora bem meu caro.- essas armas são vendidas pela propria policia; os militares e outras mais as FAPULA enqueceram?quando estava em STP. a fuga de armas em STP eram os ditos GOLPES DEESTADO, REVOLTAS DOS NINJAS em STP, muitas dessas armas estam na rua ja esqueceram?

  2. Trabalhador

    20 de Maio de 2013 as 15:22

    Que raio de terra em que tem cada um trabalha forçosamente para adquirir as suas coisas mas não tem sossego.

    Eu fui também fui vitima desses FDP Assaltantes. Se o poder público não faz nada, a população tem que começar a agir mesmo,

    Bala neles mesmo, só assim quem sabe eles para de Roubar!

    • gualter almeida

      20 de Maio de 2013 as 23:53

      forçamente não forçadamente

      • Trabalhador

        21 de Maio de 2013 as 7:18

        O que está escrito é “Forçosamente” e não “Forçadamente” como entendeste!

        “Forçamente” não se enquadra na ideia lógica do Texto.
        Bem-Haja

        • Ze

          21 de Maio de 2013 as 9:48

          Esse Gualter acha que sabe muito o Português, mas anda por aí a cometer muitos erros.

  3. Kuá flogá

    20 de Maio de 2013 as 15:40

    Bodon bassu culu, bô cá dam pinsu ngá dá bô flocadu.
    Estado quando quer faz. Impunidade/impunidade=1.
    Bandidos nem quem os incentivam estão a soltos, desolador e desmotivante,vontade política? Democracia? brinquedo de fogo?
    Tempo? cultura?
    Haver vamos.

  4. Filho da Terra

    20 de Maio de 2013 as 15:42

    Deus que mi perdoe, mas essas e outras coisas mais estão para vir, isso é fruto da desgovernação sucessiva da 30 e picos anos, falta de politica economica e saocial sustentavél, o desmoronamento das familias assossiada aos factores de empobrecimento, é eu sinto muito mas em conjugação com os graves atropelos as leis e desrespeito pelo povo isso é apenas o começo. o tão chamado CAOS, CAOS

    • Rico

      20 de Maio de 2013 as 16:11

      Infelizmente concordo em pleno ctg meu caro, o pior esta por vir, desgovernaram o país por mais de trinta anos e as crianças cresceram , e estão buscando trabalho e vida digna não encontram, mesmo essas que estudam não encontram solução para suas vidas, enquanto isso os senhores se apoderam das terras e elas são subjugadas, é dai que entra a lei da sobrevivencia, é roubar pra viver, nem que pra isso se deva matar, e que assim seja, so lhes peço para terem em atenção as moradias que vão roubar , é melhor que seja as casas e as roças desses senhores, uma vez que têm armas não custa nada meter umas balas neles tb

      • minus

        21 de Maio de 2013 as 0:02

        fui brutalmente levado a dar meu parecer nessa amalgama de contrariedades duvidosas com fedor a beligeracao… nem da pra acreditar que tanto o tempo como a experiencia de vida quase nada acrescentou a certas mentalidades ( estao todos perdoados )quanta banalidade e disparates se pode perceber nos comentarios destes tipos parecem saidos dum filme de terror sedentos de sangue e espalhar o glorioso caos! espera-se que encontremos solucoes para o problema que e real e assustador, o momento ainda nao e apropriado para divirgencias e opinioes politicas,pois afinal esse mal ja ramificou-se em todos os cantos do planeta, nalguns lugares com maior indece que noutros, porem, atirar lenha a fogueira e o vosso forte infelizmente estao a desperdicar tempo, energias e muita lata…tomem juizo e ataquem a raiz do problema e parem de querer achar chifres em cabeca de cavalo, afinal isso e apenas o principio, coisas piores estao a caminho!!!

  5. Barão de Água Izé

    20 de Maio de 2013 as 15:50

    O exemplo de à muitos anos dado por políticos que se apropriaram (e se apropriam) de bens do Estado e utilizaram os lugares públicos para que foram nomeados para negócios privados são uma das razões do banditismo. A Corrupção, banditismo e miséria, estão na proporção directa à incompetência demonstrada pelas “politicas” praticadas pelos inúmeros governos desde a independência. Sem criação de emprego e a Economia a funcionar, todos os meios que se deem à PIC nunca serão suficientes.

  6. Lede di alame ça ua

    20 de Maio de 2013 as 16:01

    Tudo isso e o fruto do sistema de governacao que o pais escolheu…………..

  7. Frank

    20 de Maio de 2013 as 16:15

    Quando alguém, com a responsabilidade em determinado sector, vem publicamente dar a conhecer das fragilidades do sector que dirige, esta convida aquele que pretenda sabotar o referido sector, a agir, visto que, o referido sector carece de meios para fazer face ao problema que surge.
    A incapacidade em lidar com diferente matéria de carris ” Criminal” é sempre encontrada a solução junto a outras instituições, principalmente o sector da defesa, pelo facto de estar a ser posto em causa, a paz e a tranquilidade dos cidadãos.
    A contribuição dos turristas, ainda que seja pouco, é positivo para a economia local, assim como, a colaboração dos que elegeram o país para viver. Estes cidadãos em circunstância alguma, poderão sentir-se ameaçados ou intimidados pela falta de segurança.
    Essas matérias são tratadas a porta fechada com quem de direito.

    • cidadão

      20 de Maio de 2013 as 18:06

      falou bem meu caro…, mas parece-me que vives no estrangeiro, de tanto tratar esses assuntos de porta fechada é e que esta a dar nisto, temos é que garantir a segurança dos cidadãos, existe a policia de segurança publica, que deveria fazer esses trabalho, mais não, andam atráz dos motoqueiros…, as viaturas da policia deveriam ser mesmo da policia, mais não, é do chefe, temos que criar brigadas moveis de patrulha, mais não o Ruldão vai dar aulas, kiakisiki vai dar aulas e o staff todo, quando da pra torno, a PIC sem meios tem que investigar.esses RULDÃO e companinha têm que estar no olho da rua

      • santola

        21 de Maio de 2013 as 10:59

        meu caro, as pessoas tem que ter um pouco de juiso.ao meu intender tu não tens.-hora bem, diga mi uma coisa mas o quê o se o ruldão e kiakisiki dão aulas não é bom pra o país? não é um exemplo do homem trabalhador? mas aulas de dá tem a ver com o aumento de criminalidade? tenha juiso quando criticas meu caro.-

  8. Addon Tiny

    20 de Maio de 2013 as 16:21

    Para falar sobre explosão de assaltos em S.Tomé nestes ultimos tempos posso dizer as seguintes:
    É preciso que si dê mais atenção aos sectores compitentes para por cobro a esta situação que tem graves consequência para o país em diversos sectores da vida social do qual passo a citar alguns tais como: agricultura,turismo,comércio,etc porque este tipo criminalidades desencuraja os agricultores, os turistas assim como os empresários que veem os seus investimentos perdidos.
    Por isso penso que deve haver uma política concertada do governo para melhoramento das condições de serviço para todas as instituições compitentes para por cobro a esta situação, é preciso equipar as polícias (Pic e da ordem publica) assim como M.P e os tribunais de meios e gentes com capacidade(formação)para da resposta a estes tipos de questões e tambem insentiva-los dando melhor salário aos agentes que ganham muito mal de modo que ele se sinta avontade a trabalhar sem pensar em amanhar o que será de mim la fora.porque só assim ele sentirá satisfeito a dar sua contribuição de modo acabar com diversas criminalidade no nosso país e por conseguinte o melhoramento de meio de vida de muita população que assim poderá apostar na agricultura e percuária,no comércio ,etc.

  9. tufu di clopo

    20 de Maio de 2013 as 16:22

    Desde quando saltaram a Vera Cravid para esse posto? Nao sabia…jejejejejee. Ela queria ser Procuradora, mas ainda nao tem calabouco para isso, por mais que se deique as suas leituras, sobretudo á sombra da Palmeira diante do Omali Louge.

    Bem, as ondas de roubos e assaltos, é um mabuso nacional, teem que erradicar isso.

  10. original

    20 de Maio de 2013 as 16:50

    Porquê que não deram este lugar ao Adelino Isidro tendo em conta que o mesmo sabe bem como lidar com ladrões? Ah tenho saudades dele.

  11. Fede ká dóchi

    20 de Maio de 2013 as 17:51

    Minha amiga Vera,
    Vais ter muitas dificuldades, porque estás cercada de malandros.
    Os tipos são todos corruptos. Recebem dinheiro de queixosos e não fazem nada. Envolvem-se com os ladrões e as vítimas ficam na lua. Os ladrões se reforçam.
    Faça qualquer coisa para dar a cada um alguma liberdade p+ara liquidar os ladrões pra ver. Tenho duas calçibre doze devidamente legal. O gatuno que apanhar no meu quintal, não vai.
    O Estado+gatunos+os partidos de banho é que estão a alimentar os gatunos e fabricar a pobresa em STP. Qdo chegarmos ao período de capanha, vai ser pior. Os tipos não querem trabalhar, é só roubar. Ajunte ao Roldão e dá-nos um bocado de liberdade para liquidar esses tipos um por um. Os gatunos sabem que se alguem tocar neles vai parar ao Tribunal e eles safam-se.
    Se a gente pega um ladrão, corre-se o risco de ficar preso e o ladrão ir em liberdade.
    Deixa-nos fazer festa com os ladrões, dá-nos liberdade. Não podemos plantar nem criar os gatunos levam.
    Até qdo? Kidalêôôôôôôôôôôôôô

  12. cidadão

    20 de Maio de 2013 as 17:54

    A verdade é que tem aumentado a criminalidade em STP, e os sucessivos governos não se preocupam com isto, ate lhes bater a porta, sou um jovem recém formado e infelizmente fui assaltado por duas vezes, vandalizaram a viatura e por ultimo a minha casa, já não me sinto seguro em casa…, fui a PIC fazer um denúncia fiquei perplexo quando vi as condições que a nossa única policia de investigação criminal trabalha, é triste, muito triste, ate chego a pensar que não existe vontade politica em dar meios porque talvez se esses agentes teriam meios ate os politicos estariam atráz das grades, fala-se muito da reforma da justiça, bués de blábláblá, mais um reforma passaria também pela PIC, homens qualificados para dar resposta a novas práticas do crime…

  13. Coisa Séria

    20 de Maio de 2013 as 17:57

    Meus caros,

    Se a PN – Policia Nacional e a PIC – Policia de Investigação não têm meios, recoram pf as FARSTP – Forças Armadas de São Tomé e Principe. Nosso pais não tem Guerra por isso eles podem muito bem dar uma contribuição. É de Segurança que estamos a falar, por isso ninguem pode pensar que a sua vida está em segurança só porque tem uma arma. Afinal de contas as nossas crianças não andam com armas e elas tb podem ser vítima. Grabriel Costa toma cuidado amigo, estes são os sinais de aumento de pobreza.

  14. Coisa Séria

    20 de Maio de 2013 as 17:58

    PIC Policia de Investigação Criminal

  15. Vai tu

    20 de Maio de 2013 as 18:14

    Meus Srs.,as afirmações da Srª. Drtª da PIC
    são uma triste realidade, que afecta a imagem de S.Tomé quer internamente como externamente.
    Temos que ponderar em arranjar soluções começando por arranjar uma “Prisão” que tenha condições para os “presos” e para que a mesma não tenha,que deixar passar detidos o fim de semana fora, principalmente aqueles que já tem um “CADASTRO” enorme, que sejam punidos e expulsos os agentes de qualquer Autoridade
    que por um modo ou outro, protejam ou beneficiem com os actos criminosos praticados e, que quer a PIC,PSP e Seviços
    Penitênciários,tenham condições para trabalharem e não terem a desculpa de que a falta das mesmas os tornam inoperacionais.
    Fazer uma operação a nível cívil,militar e paramilitar,sobre a posse de armas de fogo quer de calibre de defesa ou de guerra, de modo que tudo que esteja ilegal
    seja apreendida e destruída.

  16. pires dos santos

    20 de Maio de 2013 as 19:59

    Vera estou satisfeito deve se falar verdade. Forca colega procura meios pra resolver este problema. Nos que somos de 72 no nosso tempo delegado de zona resolvia estes problemas mas pediram democracia pinto deu agora ninguém deve chorar. estive fora 15 anos fui de ferias as pessoas chamaram atenção pra não passar de noite na estrada que liga capela a ponte d-agua criola. fiquei muito triste e com medo de todos jovens.

  17. Negro de STP

    20 de Maio de 2013 as 20:39

    Olhem só o estado que chegou o nosso PAIS!
    Os políticos comem tudo e não deixao nada .

    O desespero a fome a miséria levou-nos a esta situação a tranquilidade e sossego que caracterizava o nosso pais deixou de existir.

  18. Bota

    20 de Maio de 2013 as 20:58

    Povo de STP, ate quando é que nos vamos sair desta miséria, dos conflito,das perseguições, intimidações,silêncios absoluto nus órgão de soberania, afinal o nosso país ñ tem um alto Magistrado da nação? Pk só o Sr PR resta para se pronunciar,O Sr PM ñ tem legitimidade para se pronunciar nada sobre assunto.

  19. Antagónico

    20 de Maio de 2013 as 21:47

    Um individuo trabalha dia/noite e a frio e chuva para conseguir alguns bens, grupo dos funcionários que retira bens importados no barco para terra delapida o bem do emigrante ou do nacional, desordem e falta de uma justiça célere leva avultados roubos nas residências privadas diariamente. Aconselho à todos os santomenses que apanham os ladrões em flagrante nas suas respetivas residências, coloquem 7 balas na arma de fogo, já carregada e mata-lhes de imediato, esses gatunos. Isto é demais.

  20. tela mu

    20 de Maio de 2013 as 22:15

    Sinceramente,o que esta a passar nesta ilha;tambem tem haver muitas misturas de nacionalidades (nigerianos ,arabes,chinos
    talibanes é demais para essa ilha.todos querem vida facil então da isso não ha trabalho robão.governantes de meia tijela é que da isso.correm com todos para ver como isso muda.

  21. tela mu

    20 de Maio de 2013 as 22:25

    S.Tomé y Principe é dos santomenses e os nossos irmaos lusofonos dos restos sobram e ponto final .estragaran a ilha muita prostituição,branqueo,falsificaçao dos produtos,landroes,pidofulia,trafico de crianças,muitas religioes falsas e muitas coisas mais esta a estragar minha terra bonita .

    • A chave

      21 de Maio de 2013 as 8:01

      Então nenhum saotomense pode sair de STP para um outro país, não?

    • A chave

      21 de Maio de 2013 as 8:04

      STP tem que aumentar a agricultura, a pesca e o turismo, isso temdra muita necesidade de trabalho e atirara muitas pessoas da capital. Alem disso tem as forças armadas pra ajudar na segurança.

  22. bostoner

    20 de Maio de 2013 as 23:19

    ESSES CARAA LADROES ESTAO PERTOS DE VOCES MESMO ELIMINAM ME ESSES CARAS POPULACAO

  23. luisó

    21 de Maio de 2013 as 0:09

    Parabéns pela sua nomeação.
    Desejo maiores felicidades.
    Mas não vejo grande futuro porque sem ovos não há omoletes.
    Equipar uma policia judiciária com meios de policia cientifica e outra ordem não é fácil nem barato.
    O pessoal de laboratório forense é licenciado em biologia, medicina forense, etc, e são sempre bem pagos, ora se não há dinheiro…
    Quanto aos agentes também têm que ser bem escolhidos e bem pagos para não serem corruptiveis e fazerem bem o seu trabalho. e depois há os meios logisticos como carros que já se sabe que depois de algum tempo avariam.
    O golfo da guiné é muito instável e neste momento da história é a região de eleição para o tráfico de droga e armas, pois os governos são instáveis, pouco honestos, sem dinheiro e o resto é fácil.
    Com tudo o que está a acontecer nos governos de STP que não conseguem resolver os problemas nacionais há as tendências para se cair no caos e há muitos que se aproveitam disso, vejam o caso da GB e outros, para não falar dos extremistas, lavagem de dinheiro, etc.
    Há que pensar bem nisto, porque como em todo o lado há gente que pagar ganhar dinheiro até vende o irmão.
    O problema da criminalidade existe em todo o lado do mundo mas se os Estado forem fracos estes instalam-se e passam a governar através da violência, da corrupção e da morte.
    Estejamos atentos e esperemos que os governantes também estejam para que STP não descambe e se torne num País das bananas.
    Força VERA e corte a direito e quem estiver fora da lei paga.

  24. João Carlos de Sousa

    21 de Maio de 2013 as 4:59

    Nao tem armas, coletes anti-balas e viaturas para a Policia de Investigaçao Criminal peçam ao Governo de Angola, há muitas armas por cá.

  25. Elias Diekum

    21 de Maio de 2013 as 8:31

    Não conheço, nem tenho nada contra a Directora da PIC, apesar de ter uma cara simpática, mas foi muito infeliz nestas declarações, que tristeza de discurso, carregado de derrotismo e de conformismo.

  26. Até quando nosso São Tomé e Príncipe

    21 de Maio de 2013 as 8:45

    Triste. Antes podíamos dizer que temos um pais tranquilo mas pelo andar das coisas não podemos mais dar esse luxo.
    O momento para actuar é agora e mostrar a eles que isso não pode ir a diante.
    Medidas:
    1 – Reformular as leis penais para esse tipo de caso, não só para os assaltantes como também para quem coloca essas armas a venda.

    2 – (Urgente) Formem a policia de investigação para trabalhar porque a maioria dos que la estão não sabem. Exija que trabalhem sóbrios e não alcoolizados como é o caso de muitos (Não sou eu que digo, basta ir la 15 horas e vez o estado que se encontram).

    3 – Acabem com esse desavença entre as forças policias e militares. Vocês estão para servir o País e não para atritos sem pé nem cabeça.

    4 – Acabem com todas a possibilidades de sucesso de fuga nas prisões. Não conseguem ver por aonde eles estão a fugir? até quem passa do lado de fora sabe.

    E já agora o meu apelo: Por favor, não quero perder nenhum amigo nem família por causa da criminalidade.

  27. bostoner

    21 de Maio de 2013 as 10:48

    EU SEI QUE STP NAO ESTA PREPARADO PARA ISSO MAS ESPERO QUE SONHEM EM IMPLEMENTAR A TECNOLOGIA DE MODO A PEGAR OS LADROES DOS EQUIPAMENTOS INFORMATCOS OU REDES FACEIS DE DETETAR ONDE ESTAO

  28. Desgraçado

    21 de Maio de 2013 as 11:21

    Governo santomense sabe que existe santomense a estudar criminologia em portugal não sei porquê que não procura forma de os contactar de forma vir a s.tomé trabalhar, e ainda por cima são bons alunos e pratica de investigação criminal em portugal é uma das mais avançadas da europa.

    • Ze

      21 de Maio de 2013 as 13:50

      São Tomé está aberto. Regressem ao país e trabalhem. Quem os impediu de regressar?

    • cidadão

      23 de Maio de 2013 as 15:07

      quando o Estado manda estudar, temos é que regressar e dar o nosso contributo a nação, mesmo ñ o sendo a custear, não tive a oportunidades a outros. nota:são bons alunos em “portugal”. de alunos temos k farta.

  29. Elias Diekum

    21 de Maio de 2013 as 12:13

    Um já foi esta manhã, menos um bandido em STP. 😀

  30. Sogra

    21 de Maio de 2013 as 15:22

    Só ficam na Diáspora a mandar bocas, vem comer um bocadinho de banana com machipombo e voador panhá aqui na terra. Se querem vir contribuir para o País a porta está aberta, ninguém precisa ir buscar criminalistas na Diáspora, porque somos capazes, podemos precisar sim é de alguns materiais e meios…..
    Fui

    • Ze

      22 de Maio de 2013 as 8:43

      Concordo contigo Sogra. Uns gatos pingados ficam lá fora a mandar bocas. Voltam a terra natal e contribua para, pelo menos, crescimento do país. Preferem ficar lá mandando bocas, dando palpites e muitos se esqueceram que sairam com bolsa do país. Homem que é homem deve trabalhar na sua terra natal e contribuir para o seu crescimento. Reparem que não falo de desenvolvimento porque desenvolvimento se faz com sabedoriae inovação. Essas duas valências não são valorizadas nas ilhas infelizmente.

  31. adriano rosamonte vaz da conceição

    22 de Maio de 2013 as 8:59

    Acho que devemos todos colaborar para evitar que este tipo de assalto não venha se perpetuar na nossa sociedade, caso contrário poderemos pagar muito caro por este flagelo que com certeza tira-nos a paz que faz parte de um dos valores de S.T.P

  32. JOAO ALMEIDA

    22 de Maio de 2013 as 8:59

    Se é como a diretora diz, ela tem razao. Alias sem ovos nao se faz omeletes. Porem, faria uma pergunta ao senhor presidente da republica q acho eu ser o chefe do estado maior das forças armadas. Corrija-me se estiver erado. Pq nao poem os militares a fazer patrulhas? Será q tb nao ha armas no quartel? será q nao veem q estamos a passar para os turistas uma imagem muito pessima daquilo q diz respeito a nossa segurança? Uma terra tao pequena e tao linda, mas q infelizmente vivem tanta gente de ma fe. É mesmo a mistura de cruz credo e Deus me livre.

    • Desgraçado

      22 de Maio de 2013 as 10:54

      Poderá ser um erro enorme colocar militares a fazerem patrulhas por diversos factores por exemplo população sentirá intimidada e os propios militares poderão envolver-se na pratica criminal e formar um crime organizados, temos como exemplo mexico, crime ao meu ver tem que ser combatido com varias formas de prevenção e uma politica criminal altamente estruturada e isto a PIC não temo meios para fazer sem um grande apoio do governo.

  33. Gualter Soares

    22 de Maio de 2013 as 9:19

    A Policia Judiciaria em São Tomé e Príncipe não tem autonomia jurídica para investigar casos de maiores relevos não por vontade própria dos seus agentes mas sim por vontade politica, STP continua sendo um Estado fora da lei.

  34. João Carlos

    22 de Maio de 2013 as 12:55

    País de não de não nada…Jovens sem futuro, aumento do consumo de droga, frustação, enfim…governo sem rumo, vamos ver aonde chegamos…

  35. lIMA

    30 de Maio de 2013 as 13:59

    Estou plenamente de acordo contra roubo deseordenado, mas fiquei muito triste com atitude dos policiais de matar a sangue frio o jovem indefeso embora ser reconhecido como gatuno, mas tinha colocado as mãos na cabeça quando foi barbaramente atingido. O pior é o que fizeram com dono do quintal da localidade de Oquê-Del-Rei, enfim é lamentável a situação…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo