Sociedade

Assalto armado contra fundos da CECAB tem característica de crime organizado

A PIC ainda não deitou as mãos sobre os 4 homens envolvidos na operação de assalto a mão armada, que  levou mais de mil milhão de dobras da CECAB. Fonte da polícia diz que a investigação está difícil, porque a acção praticada tem características de crime organizado. 

É uma novela estranha, em que a Polícia de Ordem Pública fica muito mal na fita.

Os 4 homens fortemente armados, que na tarde da passada sexta – feira assaltaram a carrinha da cooperativa de exportação do cacau biológico(CECAB), na estrada da Roça Monte Forte, no norte da ilha de São Tomé, realizaram uma operação devidamente organizada e alegadamente supervisionada por outras pessoas, que também até agora são desconhecidas. Referiu para o Téla Nón uma fonte da PIC.

Os 4 assaltantes, se dirigiram para a zona de Monte Forte, através de uma viatura de marca Hiace, que partiu da capital São Tomé. Apurou o Téla Nón. No percurso para a zona norte da ilha, o motorista do Hiace deixou entrar uma cliente.

A passageira, deu conta que os outros 4 passageiros que estavam no Hiace, tinham armas de guerra escondidas no saco que transportavam. A viagem da passageira que não foi identificada pela fonte do Téla Nón, terminou depois da cidade de Guadalupe. O Hiace amarelo, seguiu viagem rumo ao norte da ilha, com os 4 passageiros.

Os 4 homens armados, que tinham as suas metralhadoras AK-47, escondidas num saco, desceram do Hiace na aldeia de Ponta Figo, um aglomerado de casas coloniais actualmente abandonadas, localizadas próximo do troço de estrada picada que dá acesso a Roça Monte Forte.

Segundo a fonte do Téla Nón, os assaltantes sabiam que a carrinha da CECAB que transportava mais de mil milhão de dobras, estava a vir da capital. Também sabiam que naquele dia o volume de dinheiro era maior. Na terça feira a CECAB tinha feito pagamento aos seus associados pelo cacau em goma, e o valor era muito inferior ao de sexta-feira, em que os pequenos agricultores são pagos pelo cacau seco.

Montaram barricadas na estrada picada, e conseguiram surpreender os quadros da CECAB que transportavam o valor. Levaram a carrinha para a zona de Anan Bó. Levaram o dinheiro e deixaram a carrinha.

A polícia de ordem pública do distrito de Lembá, foi avisada sobre o assalto, interveio, mas não ousou meter-se no mato em perseguição dos assaltantes. A população encontrou a carrinha no mato próximo de Anan Bó, e a polícia limitou-se a vigiar a carrinha. «Temiam seguir as pisadas dos assaltantes, porque os assaltantes estavam armados. A polícia ficou na estrada a ver para a carrinha», desabafou a fonte do Téla Nón.

Mais tarde, muito mais tarde, foi pedido apoio ao exército. Militares do exército avançaram para a zona entraram pelo mato, e durante a patrulha encontraram alguns vestígios da passagem dos assaltantes. As sacas que a CECAB utilizou para transportar o dinheiro, foram encontradas pelo exército no meio do mato, todas rasgadas. O dinheiro nem sinal.

Se durante a patrulha os militares do exército encontrassem os 4 assaltantes armados, poderia ter havido uma troca de tiros, e quem sabe surgiriam acusações de violação dos direitos humanos, etc, etc, etc. Se são eles que têm competência para lidar com essas situações etc, etc.

Mas o certo é que a Polícia de Ordem Pública, não deu um passo em direcção ao mato, onde alegadamente os 4 homens armados se meteram com o dinheiro roubado.

E os assaltantes não se refugiaram no mato. O Téla Nón sabe que depois da investida pelo mato de Anan Bó, os 4 homens marcharam em direcção ao sul, alegadamente para o ponto de encontro, ou melhor, o ponto de recolha definido com o motorista do HIACE amarelo.

A fonte do Téla Nón, explica que os 4 assaltantes foram recolhidos pelo motorista do Hiace numa zona entre a cidade de Neves e a Praia das Conchas, já próximo da cidade de Guadalupe.

O estranho é que na operação de recolha dos assaltantes armados, o motorista não levou o HIACE, mas sim uma viatura de marca Toyota Corrola DX. No regresso à capital São Tomé, com os 4 assaltantes, o motorista não identificado pela fonte do Téla Nón, decidiu estacionar a viatura Toyota Corrola, diante do comando da polícia do distrito de Lobata.

Segundo a fonte do Téla Nón, o motorista teria tido contacto com algum oficial da Polícia de Ordem Pública, antes de ir buscar os assaltantes.

O caricato, é que assim que a viatura é estacionada diante do comando distrital da polícia, os agentes cercam a viatura, prendem o motorista, e deixam escapar os 4 assaltantes, que saíram do carro empunhando as suas metralhadoras fazendo disparos para o ar. «Fugiram aos tiros com o dinheiro, e correram em direcção a um monte que se pode ver, estando na cidade de Guadalupe», contou a fonte do Téla Nón, que ria sem cessar, ao falar deste capítulo do assalto.

O Motorista do Hiace e mais tarde da Toyota Corrola, está sob a custódia da polícia de investigação criminal. Uma história que segundo a fonte do Téla Nón, muitos pontos não podem ser revelados publicamente, porque sustentam a investigação em curso. «Estamos diante de um crime organizado, devidamente organizado e temos que agir com muita prudência e cautela», pontuou a fonte do Téla Nón.

O tipo do capuz que utilizaram no assalto, não é de todo desconhecido, destaca a fonte. As metralhadoras AK-47, de onde vieram? São muitas questões para decifrar…. a investigação prossegue….

Abel Veiga

    23 comentários

23 comentários

  1. febronio

    7 de Novembro de 2013 as 9:15

    hummmmmm.,,, aqui tem dedo de graudos.

  2. Jornalista Amador

    7 de Novembro de 2013 as 9:18

    Sugiro PIC( Dra Vera) a mandar vigir bem os policias, existem policias, ex militares metidos nisso.

  3. edu

    7 de Novembro de 2013 as 9:35

    Haver vamos. Se a PIC capturar os ladrões somara mais alguns pontos. Viva a PIC

  4. António Menezes

    7 de Novembro de 2013 as 10:02

    Tela nom, então o comentário do Sr Jornalista Amador é sério, serve para uma nação? estamos aí para criar climas de desconfiança? Meter policias e militares nisso, não é falta de respeito? Publique os comentários que servem para o Pais e não para criar climas de insatisfação.

  5. S.Tomé Poderoso

    7 de Novembro de 2013 as 10:53

    chama-se a isso a usurpação de poder, onde que ja se viu policia de ordem publica a investigar assalto a mão armada e uma acção conjunta com os militares. tem que dar nisso, isto é a COMPETÊNCIA EXCLUSIVA DA PIC, ainda se lembram do assalto ao banco, menos de 48h a pic deu resposta. existe uma luta por protagonismo e digo que trata- da incopetência da policia nacional e chefiada pelo ministro da tutela.

  6. banana

    7 de Novembro de 2013 as 10:56

    ja vi que isso é um crime organizado tela non temos que investigar esse caso bem ..

  7. FEXA PATA

    7 de Novembro de 2013 as 11:05

    Querem que a Pic trabalhe e recupere o dinheiro mas não os dão condições,ganham uma miséria de 2.000.000.00 chega para se fazer uma investigação de milhões?

  8. Barão de Água Izé

    7 de Novembro de 2013 as 11:24

    Fazer anúncio público a exigir a entrega de armas de fogo em poder de civis; Inventariar todas as armas de fogo existentes nos quartéis e policia.
    O modo de operar dos assaltantes poderá indicar se são ou não, militares ou policias. A PIC ainda?!?!? não tem pista nenhuma?

    • s.tomense (POLICIA em PORTUGAL)

      7 de Novembro de 2013 as 11:50

      muito bem confio nos meus colegas ai se precisarem ajuda estou pronto a colaborar

  9. lede di alami

    7 de Novembro de 2013 as 14:30

    Direitos Humanos, ,;;;acho mais desumano roubaram dinheiro de pequenos agricultures, pois ao menos eles ainda acredita na fertilidade do solo das ilhas, tristeza, se nao apanham e porque nao querem; e como eu digo sempre, alguns da pic ja mamou algum tambem.

  10. ah, pois!

    7 de Novembro de 2013 as 15:42

    «…um crime organizado, devidamente organizado e temos que agir com muita prudência e cautela…»
    O maior crime organizado e de uma grande orgamização de competência miserável é a política que se faz em S.Tomé. A terra começou a estar a saque pelos políticos que só pensam em ir roubar quando não estão no poder e se lá estiverem só pensam em como não deixar. Nunca pensam na organização estrutural do tecido social. Toda a gente que está a ler sabe bem que é uma vergonha um país como este ter uma administração interna tão mal organizada. Pior é quando começamos a imaginar quem possa estar por detrás desses roubos. A pouca vergonha é tanta que já começamos todos a pensar mal de quem nunca se devia mum país que não fosse das bananas. Há muita gente que não é banana neste país mas o que conta é o que está no poder. Tenham vergonha meus senhores políticos. Organizem o país que é vosso para vocês parecerem gente.

  11. luisó

    7 de Novembro de 2013 as 17:01

    Notoriamente vê-se que estes assaltantes não são amadores ou totalmente.
    Encapuzados, armas de guerra, tipo de acção, à vontade para disparar se for o caso, e tipo de fuga, parece-me mais pessoal com alguma preparação tipo militar ou até policial do que amadores, mesmo que joguem muito on-line jogos de guerra ou similares.
    Para isto não chegua ou basta a Policia que temos, mal preparada fisicamente, sem pratica do uso de armas ou sem teoria e pratica sobre este tipo de crimes mais violentos.
    Por isso desculpo e aceito, excepcionalmente, a intervenção das FASTP por tudo o que foi dito atrás.
    Agora digam-me, não temos uma força na policia chamada GIS ? claro que temos, então onde para?
    Este tipo de acção requere estudo e avaliação do fim e da logística e se possível com alguma informação e ajuda interna.
    Portanto mãos ao trabalho e mostrem resultados finais.
    STP e o seus governantes, apesar de tudo o resto, têm que mostrar firmeza e resultados neste tipo de acções, para dar às pessoas segurança e liberdade de acção e também para mostrar aos possíveis interessados de que o resultado é a prisão por muitos anos.

  12. budo budo

    7 de Novembro de 2013 as 18:21

    Antigamente tinhamos medo de fugido , pinta cabra sem flecha agora os tipos têm AK 47 credo deus pai isso é governar?????

  13. Santomense

    8 de Novembro de 2013 as 3:25

    Nesse “mato tem Coelho”…deen um tempozinho que os “macacos” vao a comecar a aparecer…Ahhh…Ahhhh..Ahhh…..(Bem vindo a Arizona/modelo STP)

  14. carlos gomes

    8 de Novembro de 2013 as 8:35

    mandaram formar ninjas em angola com preparacao especial,eles revendicaram acabaram por ser presos etc,agora andam a solta,tem familia para sustentar claro que tem que por mao a obra,pior esta para vir haver vamos

  15. paparazzi

    8 de Novembro de 2013 as 9:51

    Atenção
    Desarmamento da população precisa se com urgência . população não pode ter arma de guerra.a polícia deve criar um programa para a população entregar voluntariamente as suas armas.

  16. Armando

    9 de Novembro de 2013 as 13:29

    Ou o crime ºe organizado ou nao e. Portanto, este com estas carracteristicas e organizado. A PIC tera dificuldades em desvendar esse crime porque estando envolvido armas de fogo desta natureza significa o envolvimento de pessoas com alguma responsabilidade neste Pais.

  17. Armando

    9 de Novembro de 2013 as 20:21

    Crime organizado

  18. Marcopolo

    10 de Novembro de 2013 as 5:42

    Uma grande vergonha tenham pena dos pequenos agricultores

  19. Olivio Diogo

    11 de Novembro de 2013 as 11:20

    Somente num país de estúpidos que, em pleno Seculo XXI, uma carrinha de cabine dupla com homens sem mínima preparação transporta tanto dinheiro. Isto explica o atraso, representa a incapacidade racional das pessoas que dirigem as instituições neste belo São Tome e Príncipe

  20. N.C

    11 de Novembro de 2013 as 18:41

    Pelo que entendi,nao ha enigmas ai,nem tao pouco misterios a desvendar.Sao Tome e tao pequeno que todos se conhecem mutuamente.Tem um suspeito que e o motorista.Ele de certeza que conhece os assaltantes.Um trabalho bem feito adcionado com um pouco de ” borachas” sabera quem sao esses malfeitores

  21. Jailton Gomes

    12 de Novembro de 2013 as 9:19

    Que roubo organizado é esse!

    Tudo bem planeado e ninguém deu por conta!
    Aqueles policiais de ordem pública têm de passar novamente pela formação…!

  22. acredito

    12 de Novembro de 2013 as 17:32

    Temos que aprendeder a fazer pagamentos por via bancaria, e si todos os, agricultores fornecedores tivessem uma conta bancaria o tal sucedido não teria acontecido, sinceramente só em S.tomé isso ainda acontece, da proxima aprendem ,e olha paga diinheiro das pessoas elas não tenhem culpa, mas vcs sim devoiam pensar em tudo antes ou seja nos pros e contras.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo