Destaques

Reportagem bloqueada pela TVS ganhou prémio de jornalismo

“Areia da Morte” é o tema da reportagem que venceu o primeiro concurso de jornalismo, promovido pelo Conselho Superior de Imprensa. Um trabalho do jornalista José Boiças de Oliveira, que retracta a situação da extracção abusiva de areia, que está a destruir as praias do arquipélago. A extracção anárquica de areia se transformou num negócio, que produziu uma vítima mortal em 2015.

O corpo de júri do concurso de jornalismo do Conselho Superior de Imprensa, confessou que foi difícil escolher a melhor reportagem para a atribuição do primeiro prémio no valor de 4000 mil euros, tendo em conta a qualidade dos trabalhos apresentados.

José Bouças com a sua história de “Areia da Morte”, convenceu os jurados. Por mais incrível que pareça, é a reportagem que a TVS fez tudo, para evitar o seu sucesso no concurso de jornalismo. José Bouças ex-  Chefe de Informação da TVS, preparou a reportagem rica em conteúdos que podem ajudar a população a mudar de atitude em relação a extracção abusiva de areia nas praias.
A equipa composta pelo operador de imagem e de edição, Edmundo Fernandes, entregou o trabalho a Direcção da TVS, mas esta, não a divulgou nas antenas da Televisão. O regulamento do concurso de jornalismo, deixa claro que só admite trabalhos jornalísticos, publicados pelos órgãos de comunicação social nacionais ou internacionais.

Face ao bloqueio imposto, José Bouças decidiu frustrar os intentos da cúpula directiva da TVS, desde o coordenador da estação televisiva, passando pelo director de Programas e o recém-nomeado Chefe de conteúdos da TVS. «Fui impedido de projectar este trabalho. Tive que transcrever o vídeo para o sistema áudio MP3, para então conseguir passar na Rádio Jubilar. Estou muito feliz», declarou José Bouças.

conselho superior de imprensaSó depois da transmissão áudio da reportagem na Rádio Jubilar, emissora católica de São Tomé e Príncipe, a reportagem “Areia da Morte”, foi submetida a comissão de júri do concurso de jornalismo do Conselho Superior de Imprensa. «Eu só sei que entreguei o trabalho ao órgão onde trabalho a TVS, desde 19 de Novembro. Mas porquê que não foi emitido só cabe a direcção da televisão dizer», reforçou José Bouças.

E a “ Areia da Morte”, venceu o concurso. O jornalista ergueu o cheque de 100 milhões de dobras, cerca de 4 mil euros. Um valor equivalente a 4 anos de salário praticado na TVS. «Eu quero em primeiro lugar dedicar este prémio a minha família. Segundo a todos os profissionais da comunicação social de São Tomé e Príncipe, depois também a Rádio Jubilar», precisou José Bouças.

O público presente na cerimónia, na qual, nenhum membro do Governo marcou presença, questionou o Coordenador da TVS, João Ramos, sobre o facto de não ter aceitado a publicação da reportagem na Televisão Nacional, onde José Bouças é jornalista. O coordenador chateou-se e abandonou o coktail celebrativo do primeiro prémio de jornalismo do Conselho Superior de Imprensa.

brindesMas, a festa prosseguiu. Para além do prémio de vencedor absoluto, entregue a José Bouças, o Juri do concurso premiou no segundo lugar, a reportagem da RTP –África emitida no dia 12 de Julho último, que reflecte as mudanças registadas no país nos últimos 40 anos, a luz dos impactos das mudanças climáticas. O jornlista que concebeu a reportagem recebeu um cheque de 20 milhões de dobras, cerca de 800 euros, incluindo um telemóvel patrocinado pela UNITEL.

“Água Ouro Branco na Praia Melão”, foi a terceira reportagem premiada, e também foi produzida pela RTP-África em São Tomé. Arrecadou 10 milhões de dobras, cerca de 400 euros, incluindo também um telemóvel da UNITEL.

O prémio de revelação, foi para a reportagem radiofónica sobre as crianças fora do sistema educativo e o trabalho infantil no distrito de Lembá. O jovem jornalista do norte da ilha de São Tomé, encaixou 5 milhões de dobras, e recebeu o telemóvel patrocinado pela UNITEL.

Cerca de 14 jornalistas concorrem ao prémio, num total de 17 trabalhos apresnetados. José Diogo, Presidente da Assembleia Nacional, presidiu a cerimónia. Patrick Lopes, Presidente do Conselho Superior de Imprensa, realçou a importância do evento, que pretendeu distinguir, o jornalismo independente, transparente e isento.

Abel Veiga

    22 comentários

22 comentários

  1. Julio Neto

    21 de Dezembro de 2015 as 17:20

    Parabéns. Um ardente e fraterno abraço.

    • Seja Parcial

      22 de Dezembro de 2015 as 18:43

      Parabens !!Por favor o telanon ou mesmo o Jose Bouças poderia facultar o video no youtube, para nós que estamos no estrangeiro possamos desfrutar do mesmo.

  2. São-tomense

    21 de Dezembro de 2015 as 18:12

    Venho desta forma parabenizar o Jornalista Jose Bouças. A TVS, está ao serviço do poder, transformou na televisão da ADI e Senhor Patrice Trovoada.
    Quero também desejar coragem ao jornalista Abel Veiga, a meu ver, Abel Veiga é de longe um dos melhores jornalistas do país, um jornalista que escreve a verdade e sem medo. Força Abel e parabéns.

  3. Tony

    21 de Dezembro de 2015 as 18:38

    Sem liberdade de imprensa não existe democracia!
    A censura e regulamentação da imprensa por intermédio do governo equivaleria a um retrocesso democrático, tendo em vista que praticamente a única oposição ao abuso do poder é feito pelos meios de comunicação.
    a imprensa hoje tem relevante e decisivo papel na defesa e propagação da democracia. São os meios de comunicação que informam e formam a opinião pública, efetivam o contra ponto à versão oficial do governo e trazem a tona a verdade dos fatos.
    a TVS a espreitar RTPAFRICA
    São Tomé e Príncipe País de ditadura silenciosa.

  4. Serafim

    21 de Dezembro de 2015 as 21:32

    Grande Zé ou Zé grande. Felicitações mano, por este prémio. Abraços

  5. Povo pequeno

    21 de Dezembro de 2015 as 21:39

    Parabéns José Bouças, homem forte, não desistiu apesar das dificuldades que os cåes do chefe Patrice impuseram. Parabéns Abel Veiga. Voces dois säo THE BEST.

  6. Fernando Pessoa

    21 de Dezembro de 2015 as 22:23

    Era uma vez, um país entregue às mãos dos autocráticos, salteadores, hipócritas, larápios…
    ” …fingen tão completamente,
    Até chegam a fingir que é dor,
    A dor que deveras sentem”.
    Força José Bouças, Abel Veiga, e todos outros que de uma forma ou outra vêm lutando titanicamente para informar com verdade. Estamos convosco!!! Viva o Concelho Superior de Imprensa!!

  7. Riboqueano

    22 de Dezembro de 2015 as 0:33

    Isto já parece uma autêntica ditadura. Nunca na minha vida eu pensei que o Patrice Trovoada fosse um ditador depois dele passar a visa a chamar e qualificar o Pinto da Costa como ditador. Estamos fodidos. Quem ouviu aquilo que este homem disse do Pinto nunca poderia imaginar uma coisa desta. Cá em S.Tomé tem um ditado que diz “ladrão é que conhece feiticeiro porque eles dois andam juntos”.
    Este homem está a transformar S.Tomé numa empresa dele. É televisão, é rádio nacional, são repartições públicas, são empresas públicas.
    Agora mandou polícia investigar o o homem que desmascarou o caso do arroz podre. Agora impediu um jornalista de passar uma reportagem na televisão. Onde se viu uma coisa desta. O paí dele por acaso morreu e deixou a TVS para ele? Eu já estou a ficar farto destas atitudes deste homem.

  8. VM

    22 de Dezembro de 2015 as 9:25

    Uma das formas de garantir a independência de jornalistas manifestamente visados pelos regimes é exactamente a criação de estruturas de apoio público ao trabalho dos mesmos. Isto aconteceu agora com este concurso. Mas podem haver outras iniciativas, nomeadamente a comparticipação da sociedade civil, incluindo a diáspora, em fundos de apoio a realizações desta natureza, de forma a contrabalançar as investidas desferidas contra estes profissionais essenciais para a vida em democracia.
    Os regimes, ainda que não totalmente ditatoriais, pendem sempre para a hostilização dos jornalistas que se assumem como independentes e seguidores de princípios jornalísticos (verdade, objectividade, protecção da fonte, etc.). E é necessário arranjar-se formas de proteger a sobrevivência desses profissionais.
    Parabéns aos vencedores e ao órgão titular da iniciativa.
    Aos que tentaram boicotar o trabalho que ficou em 1.º lugar recomenda-se reflexão.
    VM – Luanda – Angola

  9. Adalberto Costa

    22 de Dezembro de 2015 as 9:27

    Vocês deram-nos maioria absoluta e estão a chorar o quê?
    Fizeram agora é nossa vez.

  10. Deodorato Zaua

    22 de Dezembro de 2015 as 9:58

    Parabéns. Coragem e sempre em frente com o único compromisso com o Jornalismo.

  11. Trovoada

    22 de Dezembro de 2015 as 11:41

    ADI está a desiludir toda a população que votou nele. Pela minha parte acabou a brincadeira. É arroz podre para o povo pobre. Depois é censura na televisão para promover o primeiro-ministro a inaugurar casas vanplegá e xafarizes. Depois é a baldaria nas repartições públicas. Depois mandam cortar luz num aeroporto do Príncipe. Que raio de coisa é esta? Apenas 1 ano de governação e já estão a fazer tantas asneiras assim? Por favor, assim não.

    • Maria

      22 de Dezembro de 2015 as 16:17

      Toda gente sabe que ADI está a surpreender o Povo com as promessas.

  12. Tristeza Muito

    22 de Dezembro de 2015 as 13:14

    Uma grande desilusão para mim. Estou triste. Muito triste. Afinal o ADI é mesmo igual ou pior aos outros. A única diferença é que são mais cínicos. Sinceramente…………………..

  13. Mé Pombo

    22 de Dezembro de 2015 as 13:20

    Toda a gente sabia que Patrice Trovoada, tal qual o pai dele, Miguel Trovoada, são iguais. São pessoas com alguns tiques de ditadores, de rancor, de ódio. Agora aguentem. Não queriam mudança? Está ai a mudança. É triste para o nosso país estas coisas acontecerem mas é a nossa realidade. Eu não sei porquê que não deixam os jornalistas fazerem o seu trabalho. Nunca percebi esta coisa. O Patrice Trovoada quer um país ajoelhado aos pés dele, onde ninguém pode criticar ele nem o governo dele. Isto nºão existe em nenhuma democracia.

  14. Manuel Jorge de carvalho do RIO

    22 de Dezembro de 2015 as 15:51

    Meu caro amigo José Bouças.
    Os meus parabéns pelo grande prémio que arrecadas-tes. Foi realmente um prémio que bem mereces, fruto de muito trabalho, dedicação e amor pelo nosso São Tomé e Príncipe.
    O nosso País tornou-se num “polo” de saqueadores dos recursos naturais, onde, do individuo comum, aos detentores de algum poderio financeiro, estão a transformar o nosso belo País num inferno onde os nossos sucessores vão-nos dar a máxima culpa de tanta imprudencia que a nossa geração tem estado a lidar com estas questões. Por isso meu caro José Bouças precisamos de gente como tu para reportar as grandes asneiras e ao mesmo tempo aconselhar para que possamos mudar de atitude com as explorações anarquicas dos nossos recursos, deixando tanto o nosso litoral como o nosso interior sem qualquer interesse para o futuro.
    Aproveito meu caro para desejar-lhe um Feliz Natal e Prospero Ano Novo.

  15. Maria Pedro

    22 de Dezembro de 2015 as 16:13

    Não há hipótese pra voçes! ADI vai ganhar eleição presidencial e voltar a bisar em 2018 eleições legislativa. Povo de hoje não é de ontem. Afro-Mam diz: ” podem falar o que quiser, coisa que vem de baixo não me atinge”

    • extreladalva

      26 de Janeiro de 2016 as 15:09

      Maria Pedro, devias é ter vergonha nessa tua cara, se é que tens cara, ou lata no seu lugar!

      Parabéns ao Jose Bouças pelo seu trabalho e pela conquista do premio. que continues um jornalista exemplar e isento. Parabéns também ao Abel Veiga, o melhor de todos os tempos, por não ter medo de cara feia.

  16. manel

    22 de Dezembro de 2015 as 20:50

    O jornalista ergueu o cheque de 100 milhões de dobras, cerca de 4 mil euros. Um valor equivalente a 4 anos de salário praticado na TVS.

    isso é verdade? DEIXE DE MENTIRA,

    • Alberto Castro

      23 de Dezembro de 2015 as 15:04

      Claro que é verdade.
      E é uma vergonha o que a TVS fez.
      TVS, é Sede de ADI.
      Acha que tirando a
      Mas que não merecem TVS tem jornalistas?
      TVS tem comissários políticos de ADI e não jornalistas.

  17. NOVA-DITADURA-ADI

    23 de Dezembro de 2015 as 17:54

    Parabéns José Bouças e Abel Veiga pelo espirito de luta mesmo em momentos mais difíceis. Estamos perante um cenário jamais visto em STP depois do regime d partido único – DITADURA DE PATRICE TROVOADA E SEU ADI. Povo anda está a dormir, pois tem sido enganado com doce como no tempo do GURGULHO! Onde está a propalada democracia do Patrice? PATRICE TROVOADA não passa dum grande DITADOR vestido da pele de cordeiro! Manietar a comunicação social ao ponto de retirar ao povo direito de se exprimir…, só pode cheirar a DITADURA, o q jamais santomense irá aceitar!

  18. São de Deus Lima

    25 de Dezembro de 2015 as 21:53

    PARABÉNS, BOUÇAS! A qualidade e a competência nem sempre são derrotadas pela mediocridade. Fico feliz por ti. O jornalismo são-tomensed também está de parabéns. Abraço grande.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo