00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Ondas Gigantes ameaçam comunidade de Yô Grande

A comunidade de Yô Grande no sul da ilha de São Tomé, é piscatória. Os angolares são os principais habitantes da comunidade, onde a pobreza é gritante. Nos últimos anos, a população pobre de Yô Grande, passou a confrontar-se com um problema nunca antes visto pelos moradores. A “Raiva do Mar”, como a maioria dos habitantes designa, as ondas Gigantes que invadem a comunidade.

escola-yo-grandeEm Agosto último, ondas gigantes apareceram no horizonte, e atacaram a comunidade de Yô Grande. A escola primária da comunidade foi um dos principais alvos da “Raiva do Mar”. As ondas gigantes demoliram o cercado da escola, e inundaram o recinto escolar. «A escola está ameaçada, porque recentemente houve ondas gigantes que invadiram a escola. O cercado caiu, e se não fosse isso, a própria escola ia abaixo. Tudo aconteceu no mês de Agosto», explicou Alberto Diamantino, professor da escola primária de Yô Grande.

O professor recorda que não é a primeira vez que a vida em Yô Grande, é ameaçada pela fúria do mar, que cada vez mais avança sobre a terra. «Há cerca de 2 anos eu estive sentado na parede da escola a conversar com a empregada da escola. De repente o mar cresceu, com ondas gigantes. Tivemos que correr. As ondas daquele ano foram menores que as de Agosto último», relatou Alberto Diamantino.

Segundo o professor até hoje nem o poder local do Distrito de Caué, nem o Governo Central, diligenciaram no sentido de recuperar o murro de vedação da escola.

yo-grandePor sua vez Justino Constantino líder da comunidade, disse que a população local está a sofrer. «Há sofrimento. Quando as ondas vêm temos que estar atentos e correr. Fiz saber ao Presidente da Câmara, que temos aqui britas e areia só falta cimento, para recuperarmos a vedação da escola mas não se importou até agora», declarou.

Sentado sobre a parte da vedação da escola que restou após a ameaça de Agosto último, o líder comunitário, indicou uma extensa zona onde recentemente era povoada e que agora está deserta, porque a população «teve que fugir das ondas gigantes. Durante o dia nos apercebemos das ondas e fugimos. E se for a noite?», interrogou.

Perigo ameaça Yô Grande. As ondas Gigantes, podem ser mais uma das manifestações das mudanças climáticas, no mundo. Aliás outras comunidades piscatórias do país têm sido alvos do mesmo tipo de ameaça.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    rapaz de Riboque Responder

    contra a força da natureza não há resistência mas o governo pode minimizar isto colocando pedras e tretrapos que se usa na europa para a proteção das orlas marítimas mas pelo amor de Deus coloquem as pedras bem não façam como fizeram na praia perigosa frente ao Hotel Miramar que é uma vergonha como as pedras estão colocadas de qualquer maneira. Que gastem menos em coisas desnecessárias e gastem com coisas de utilidade pública

  2. img
    FÉDÉ KÁ DÓXI Responder

    Xiêêêê! Quem mora lá? Gente gordo? ou povo grande? É povo pequeno, lôço 13 conto. O Patrice agora não quer saber deles. Coitado do Presidente da Câmara, É do MLSTP. Não pode piar.
    O pôvo tem que sair a rua. Isto é inaceitável.
    Aonde está o Ministro da educação e da Obras Públicas?
    Enfim sem fim Serrafim!

  3. img
    rapaz de Riboque Responder

    aquele camarada que aparece na foto esta bem gordinho aquele trata-se bem não passa fome

  4. img
    ROSTOV Responder

    Quando a natureza fizer vitimas aparecerão poder Local e Central e as ONGs para darem SHOWS. “Lamentamos isto e aquilo ladainhas e muitos mais. Sinceramente.

  5. img
    Martelo da Justiça Responder

    Ainda estas aí com essa barriguinha?? Fuja homem, antes que venha a onda gigante!!!

  6. img
    Maria de Fátima Santos Responder

    Esta comunidade não deu ideias para o orçamento do cidadão?

Deixe um comentario

*