Anúncios

Atenção : Estágios de curta duração para profissionais de saúde dos PALOP

A 6 de julho, o Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento abriu uma nova edição do concurso destinado aos profissionais de saúde dos PALOP para estágios de curta duração nos hospitais portugueses. Desta vez, as bolsas vão essencialmente para os profissionais das áreas clínicas de anestesiologia, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, medicina interna e pediatria.

Criado em 2011, este projeto já apoiou a formação e atualização técnica de 73 profissionais de saúde em serviços públicos de saúde portugueses.

A especialização em cuidados hospitalares é o traço comum entre os técnicos de saúde selecionados para os estágios, médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico e terapêutica, que terão a duração máxima de três meses.

A formação e especialização de recursos humanos na área da saúde é um dos eixos prioritários do Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento, que tem como objetivo contribuir para o reforço das capacidades de pessoas e organizações nestes países.

Assim até 18 de Setembro de 2015, está aberto o concurso para atribuição de bolsas para estágios de curta duração em Portugal nas áreas de anestesiologia, cirurgia geral, genecologia, obstetrícia, medicina interna e pediatria. Podem candidatar profissionais de saúde dos países africanos de expressão portuguesa e Timor Leste.

As candidaturas devem ser submetidas electronicamente em formulário próprio em www.gulbenkian.pt/Parcerias de Desenvolvimento

Para mais informações consulte através deste endereço electrónico – saudepalop2015@gilbenkian.pt

 

PUBLICAÇÃO  – PARCERIA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKAN – JORNAL TÉLA NÓN

 

    3 comentários

3 comentários

  1. ANCA

    7 de Julho de 2015 as 13:27

    Muito bem

    Estas formações também deviam ser ministrada localmente, ao invés de os profissionais de saúde se deslocarem ao exterior.

    Ou formação e qualificação á distância.

    Poupava-se e administrava-se melhor os recursos humanos.

    Há que todos em conjunto, desde as instituições nacionais, governo, classe empresarial, cooperação internacional, sociedade civil em geral, cidadãos de boa vontade, criar a mínimas condições de dignificação do exercício profissional, desta e doutras classes profissionais no Território.

    Bem haja

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. ANCA

    7 de Julho de 2015 as 13:30

    Participem, aproveitem a requalificação, mas voltem, regressem ao Países de origem…

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. vania castro

    18 de Agosto de 2015 as 10:10

    Sou farmaceutica licenciada e estou interessada em bolsas de mestrado ou equivalente nesta area. Existe esta possibilidade?

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo