Cultura

Dança Contemporânea deu festa aos são-tomenses

O espaço CACAU foi palco da festa da Dança que animou São Tomé durante a última semana do mês de Abril. Foi o ” Xé – Festival de Dança Contemporânea”, uma iniciativa da de 3 entidades comprometidas com o desenvolvimento e promoção da cultura e da arte em São Tomé e Príncipe, nomeadamente a RaizArte, o Centro Cultural Português e a CACAU.

O espetáculo de dança contemporânea realizado nas instalações da CACAU no dia 29 de Abril, celebrou também o dia internacional da dança.

Bibiana Figueiredo responsável da RaizArte, disse que a promoção das artes performativas em São Tomé e Príncipe, representa a vida desta organização.

Festa da Dança

«A dança contemporânea é uma inovação aqui em São Tomé e Príncipe», afirmou Bibiana Figueiredo.
Um modelo de dança em que segundo a bailarina «cada bailarino consegue trabalhar a sua identidade artística, ter a sua linguagem de movimento, onde toda gente pode ser livre para dançar
….», precisou Bibiana Figueiredo.

Muala foi o modelo de dança contemporânea exibido pela bailarina que lidera também a RaizARte.
O publico encheu o espaço CACAU para celebrar o dia internacional da dança. Os bailarinos, 6 no total animaram o público com dança contemporânea. Uma dança definida pelos bailarinos como sendo inclusiva.

Bibiana Figueiredo-Em entrevista

«Estou surpreendida pela adesão do público que tivemos…», frisou Bibiana Figueiredo.

“Des-cansado” de Abdulay Bragança e “Cinzas de Falcão” de Clinton Lima e Dério Quinto, foram outros temas de Dança Contemporânea exibidos na CACAU.

Guilherme Carvalho director da cultura, por sinal músico são-tomense destacou o momento ímpar conquistado por São Tomé e Príncipe na celebração do dia internacional da Dança.

«São Tomé ganhou uma coisa nova, enriqueceu. ..Enriquecimento é aproveitar o que temos e acrescentar…temos cerca de 10 a 12 ritmos musicais. Temos que os valorizar, através da dança», declarou o director da cultura.

Os ritmos de São Tomé e Príncipe deram expressão artística a exibição da dança contemporânea.

«Orgulho do Centro Cultural Português em fazer parte deste projecto», desabafou Celeste Sebastião directora do Centro Cultural Português de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top